Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

O "fantástico" mundo de ser RP...

fantastico mundo RP.png

 

No trabalho de Rp, Assessoria vip e de imprensa, que cada vez mais (com orgulho) faço, tenho todo o tipo de eventos. Aqueles que todos querem ir e me chegam a ligar para ter convites, aqueles que eu "tenho que convencer" os convidados chaves a estarem presentes, por ser importante para o meu trabalho face à marca que me contrata e aqueles "meio-meio", os que são convites para um momento de lazer, onde os convidados, obviamente não pagam bilhete, têm direito a uma champanhoca e uma croquetezito e ainda é fixe, porque todos nos conhecemos e temos ali uma meia hora de convívio com pessoal amigo ou pomos a conversa em dia com quem não vemos há séculos. E para todos, faço o meu trabalho da igual forma e com a mesma dedicação.

 
Incluo-mo no "pacote" porque muitas vezes (aliás, a maioria, sou também eu convidada por marcas, agencias de comunicação ou Rps para estar nas ditas festas e obviamente uma vezes vou, outras nem por isso, nem sempre temos tempo, paciência, cabeça ou disponibilidade e não é de todo disso que falo, é do respeito pelo trabalho, mesmo que não se possa ou queira estar presente). Ora aqui é que está. Eu estou dos dois lados. Conheço os "quês e os porquês" de quem é convidado ( e quanto mais conhecido ou "apetecível" mediaticamente mais convites se tem, o que pode até tornar chato... mas é só "descarrilar " um pouco na carreia ou fazer menos tv  e capas de revista e puffttt... e lá se passam de 10 por semana para um por mês. ou nenhum, às vezes.. triste, mas real e é algo que as pessoas parecem não se lembrar...).
 
Conheço e muito bem o lado de quem convida e faz disso um trabalho tão digno como outro qualquer. Convida ( muitas vezes 10 vezes, até o "chato" obter uma resposta, um mero "sim ou não"), cruza listas, reporta à agência ou à marca com que trabalha, convida imprensa (outro filme...), recebe-os a todos, faz o link entre uns e outros, faz o folow up do que sai na comunicação social, gere conflitos (se os houver com as figuras e os orgãos) e ainda tem que aparecere no dia do dito evento linda e penteada e vestida maravilhosamente e maquilhada a preceito ( quantas vezes no carro, a correr), quando muitas vezes ainda nem teve tempo para respirar, quanto mais andar em cabeleireiros e afins. É trabalho e muito, meus amigos. Não é treta, percebam isso.
 
Comecei a fazê-lo ( ser RP) quando, percebi que 10 anos de tv, eventos, presenças, amizades e afins entre figuras aparemente apetecíveis para a imprensa, deviam e podiam ser potenciadas. Sim.. na altura estava sem trabalho e comecei a fazê-lo atabalhoadamete e sem grandes critérios (a maioria em festa à noite...), para ganhar dinheiro, porque a "caixinha mágica" ( ainda o será??..) tinha desistido de mim... e eu sim, continuava a existir, a ter vida, contas para pagar, sonhos, vontade de realizaçao e de trabalhar. Hoje, outros 10 anos volveram e trabalho com gabinete próprio, ligada a grandes agências, a marcas conceituadas, quase nunca " na noite" ( e que ar prejurativo que cada vez mais "a noite" tem....). Mesmo assim e é aí que eu quero chegar "as pessoas"  ( os chamados Vips) continuma a borrifar nos convites que lhes são interessados. Quando falo "nas pessoas" falo nas que devem achar este trabalho desvirtuoso porque "agora" ( e sim... nem vos conto a quantidade deles que vi em principio de carreira desejosos e fazendo tudo "para aparecer" e que agora se fazem de muito seletos) são muito solicitados e são "os maiores da cocada preta".
 
Nem vos digo, o que ao longo destes anos tenho sido surpreendida. Negativa ( uiii, demais) mas também positivamente, ao menos isso.
 
Gente que começou "ontem" que nem se digna a responder, via facebook, via sms, via whatsup ( às vezes até me sinto envergonhada de tanta insistência minha por todos os meios lol..., mas não devia sentir, no fundo eles sim... porque o faço para "ganhar o meu", tal como eles e eles (os maravilhosos artistas) nem se dignam a tirar 2 segundos da sua vida maravilhosamnete ocupada- como a minha lol- para um " sim ou um não".). Pior... gente que era minha amiga, AMIGA de casa, de copos, de escola...( e que depois "subiu" de estatuto - e olhem que quem sobe alto....) que mesmo sabendo que "preciso" do apoio deles, da presença deles ou que seja... da resposta digna  e certa deles ... estão sempre muito desatentos e " a mil"... ui, é cada facada que nem vos digo.
 
Outros, pior ainda, respondem com desdém... tipo: " não é do meu estilo", "Já não vou a coisas dessas", " Não me parece ser bom para a minha imagem"... Triste é que um dia, quem sabe, o destino muda e precisem "de novo" de aparecer na imprensa, de ir a eventos (onde não ofereçam guita ou bens materiais churudos), só porque simpatizam a relações públicas ( e é por isso, que me considero boa no que faço, porque sei receber e mais ainda, canalizar cada evento para determinado tipo de pessoas), ou até porque sabem a importancia que a sua presença tem para a qualidade e sucesso do meu evento. Simplesmente porque são demasiado "estrelas" ( Meu Deus... em Portugal tudo isso é tão efémero meus filhos, wake up!!) para se irem simplesmente divertir um pouco numa estreia de um filme, de uma peça de teatro, na abertura de uma loja, num evento original promovido por uma marca cool ( que quem me conhece sabe que sou rigída quanto a isso e só trabalho o que considero de bom gosto).
 
 Quem sabe... como ja aconteceu a tantos ( não os vou enumerar mas quem está no meio conhece uns tantos), se estiverem "entre projetos" durante muito tempo ( ou seja desemoregados e sem aparecer algum tempo nos meios mediáticos).. uii...é vê-los como Rps de discotecas e restaurantes e a fazer, muitas vezes, mal feito, e para ganhar uns trocos, o trabalho de quem, por exigências  e experiência da vida ( mas há mais de uma década, como é o meu caso) o faz como um trabalho sério, competente e sem ter vergonha dele.
 
 
Por outro lado... nãooo, nem todos têm que se sentir beliscados...  até porque a maioria dos "maiores", dos que mais trabalham de forma mediática, dos que andam "aqui há anos" de algumas (e frizo algumas, muitas não são assim...)  meninas que estão "em alta" no nosso meio, mesmo que não possam, respeitam o meu trabalho e respondem-me SEMPRE. Pessoas com as quais até  nem tenho grande amizade, mas sim simpatia e que (essas pessoas sim) são assediadas para TUDO o que é evento. E sim, também andam "sempre a mil" e  sim... mesmo assim, respondem-me sempre, mesmo que a maioria das vezes não consigam estar presentes. A essa, aplaudo de pé, são gente digna e que sabe onde e como se posicionar. Porque sabem ver que o que faço é trabalho , não é ser " a chaga das mensagens que não merecem resposta".
 
Se em cima, por questões óbvias não posso apontar nomes ( até porque muita desta revolta tem a ver com o facto de muitos terem passado na minha vida em forma de "amigos", ou pelo menos era o que eu achava), aqui posso e devo falar em nomes. Profissionais e pessoas de bom tom, educados e ... que sabem de onde vieram. Do mesmo "sítio" que eu. Sabem que hoje sou eu, amanhão são eles. Sabem que arregaçar as mangas e trabalhar não é vergonha e que, qui ça, um dia, precisarem de pagar as contas, talvez eles também venham a estar neste (digno papel) de representar marcas e conceitos e precisar de Figuras públicas para lhes dar a cor e visibilidade necessária: Inês e Luisa Castel- Branco, Jessica Ataíde, Raquel Strada, Ana Rita Claro, Helena Isabel, Margarida Pinto Correia, Alda Gomes, João baião, Rogério Samora, Marco Delgado, Fernanda Serrano, Melânia Gomes, Alberta Marques Fernandes, Claudio Ramos, Daniel Oliveira, José wallentein, Jorge Corrula e Paula Lobo Antunes, Pedro Lima,, Isabel Abreu, José Fidalgo, Iva Domingues, Rita Salema, Paula Neves... epa... sei lá...Verdadeiros "VIPS" com tudo o que isso acarreta.. e  só para terem uma ideia... respondem, sempre, estes e outros, possam ou não ( nem que seja à segunda mensagem e pessoal.. nem sabem o significado que isso tem para mim) .. .
 
 
Mas são mais... muitos mais, os que nem se dignam a dar sinal de vida, nem à primeira, nem à segunda nem à terceira vez ( uns porque aos 6 meses de fama acham que não têm de o fazer- quem raio lhes ensina isso? outros, porque ao terem adquirido um estatuto se acham "too much" para responder aquela miúda com quem já trabalharam lado a lado, mas que agora, é dj e relações públicas e não estrela da Tv " e da rádio pirata"... e aiii, como eu gostava de lhes apontar o dedo e falar em nomes. Mas não posso, até porque o meu trabalho ( neste ambito das relações publicas) vive disso... e nem sabem o que me dói... pessoas que começaram lado a lado comigo se acharem " muito" para se chatearem com "estas coisas"... Basicamente serve este texto, não para apontar o dedo mas sim para os alertar.... um dia sou eu, a "precisar de ti", outro dia és tu a "precisar de mim"... e olhem, que isto "da fama", meu amores, muda como o vento... e aiiii, como eu me lembro de tantos vocês a pedirem para fazer presenças por "5 escudos" e a pedirem cunhas para a aprecer nas revistas...
 
 
E assim me vou... que ainda tenho muito boa gente para contactar, um evento fantástico, hoje , no São Jorge para coordenar e outro amanhã num novo espaço que será o meu novo "nest", o meu novo "ninho" de trabalho, onde isto e tantas outras coisas multidisciplinares acontecerão.. Meus amigos, trabalhar no meio artístico e mediático é para os que se safam, mas também para os que respeitam, sabem? Porque de outra forma, acreditem ou não.. mais dia menos dia " 10 anos vão parecer 10 minutos" e "tudo o vento levou..." e aí.... puffffttt.. se calhar até me ( a mim  e outros RPs, bons Rps, que desses também não os há muitos)  me telefonam de novo para ir papar o voulevent de camarão da festinha de inauguração da esquina).
 

6 dias? Porra!...

Acho que nunca tive tanto tempo sem vir aqui. Seis dias em silêncio... e acreditem que sempre com o coração e o pensamento em sobressalto por isso. Ter-vos (como seguidores) e ter este espaço priviligiado de partilha é algo que me lisonjeia. Sei que lutei por ele com toda a minha alma, mas sei que ao virem aqui, vos devo também um agradecimento, primeiro por me terem descoberto, depois por me terem continuado a visitar e agora, dois anos e pouco depois deste Barriga Mendinha ter nascido, por continuarem a ter interesse em seguir as minhas escolhas, pensamentos, sugestões, dúvidas e..  a minha/nossa vida.

 

E é dela que vos falo hoje, de coração aberto. Da minha vida... Quero dizer-vos que todos falhamos e até eu, que pareço sempre tão imparável, falho em tantas áreas da minha vida. Bem, talvez não seja "em tantas" que quero dizer, o que quero explicar é que às vezes há que fazer a escolha horrorosa (custa-me mesmo horrores) do que se tem que "deixar para tráz HOJE". E hoje e hoje e hoje... E é uma escolha tão difícil de fazer para que se consiga chegar a tudo o que nos propomos... Umas vezes tive/tenho que abdicar do tempo com a família, outras vezes estou a trabalhar com a cabeça noutro lado ou tenho mesmo que dizer que não a trabalhos de que tanto precisava na altura. Quantas vezes abdico e abdiquei da companhia dos amigos verdadeiros porque, ofereci a conhecidos ou a companheiros de projetos e trabalho o meu tempo, porque assim o tinha que ser.

 

O blog tem sido prioridade na minha vida. Um dos top 5 da minha caminhada atual, sem dúvida. E tenho-o feito sozinha. Não quero desencantar os seguidores de muitos blogs mas a maioria dos de grande sucesso, já não só feitos pela ou pelo autor. Existem equipas que trabalham quer os conteúdos, quer a parte gráfica ou fotografia, a parte comercial, etc... É assim que crescem, que encontram lugar no mercado, é assim que as pessoas vão "esbarrando" com ele por aí noutras páginas. E eu... sozinha...a remar umas vezes a favor, outras contra... 

 

Faz me pensar, alguras vezes, especialmete como estas,em que durante 6 dias completos, o blog não foi atualizado, se o melhor não seria mesmo ter/procurar esse apoio. Tudo bem que o Barriga Mendinha vive muito da forma pessoal como opino e mostro o meu dia-a-dia.. mas existem temas quase universais às mães e mulheres que podiam ser escritos ou coordenados por outros... sei lá... tenho medo de desvirtuar, mas mais medo tenho de vos desapontar... ao desaparecer assim... ai que dilema!!

 

Posso dar-vos a justificação de que tenho estado com ataques de renite horríveis que me fazem sentir constantemente irritadiça e sonolenta. Posso contar-vos que nos últimos 3 dias tive 5 gigs (espetáculos) de 4, 5 horas cada um. Posso contar-vos que em alguns deles tive que eu própria carregar o material e fazer a montagem...Posso contar-vos que fui à RTP. Que tenho dormido mal e pouco.Que andei a ver casas, a visitar familiares, a negociar contratos, a ter reuniões do meu novo projeto. Posso contar-vos que nem os meus amores bebés vi durante estes 3 dias. Porque a vida que escolhi assim mo exige e o trabalho na minha área e estranhamente sazonal e periódicos (tanto posso ter fases assim como semanas ou meses até em que não sou solicitada para um set). Posso contar-vos que, várias vezes abri o "backoffice" do blog para escrever algo e ou adormeci, ou não estava inspirada, ou simplesmente não podia oferecer uma ou duas horas ao meu blog, porque daqui a meia hopra tinha que estar ali ou uma reunião acoli ou estava a meio de um telefonema de trabalho.

 

Hoje, vim cá pedir-vos desculpa e contar-vos que terei que arranjar forma de resolver estes momentos. Tenho tanto tema e post em stand by, ideias na minha cabeça, imagens já colocadas em pastas para vos mostrar isto ou aquilo... e pronto... andei aqui a "pisar ovos" estes dias... ai como me irrita não conseguir ir a todas...

 

Beijo no coração minha gente e amanhã, que é segunda feira e um dia um pouco mais calmo dos que tenho tido... vou tirar o dia para mimar o meu Barriga Mendinha e escrever como ninguém ok?...

 

Ficam algumas imagens dos meus últimos dias. Uma espécie de Best off, para que vocês entendam a azáfama destes dias ( a parte profissional e piriri... que a entre filhos, gripes e dores de cabeça e pijamas e edredon fica para outro post ;)).

1559577_734338203302546_6810751211509513329_n.jpg

1897995_10204956964462349_7608262287545558327_n.jp

10305967_10202021313573562_2154312885299087639_n (

1958081_10205567562375487_942734660022326183_n.jpg

10801488_734685549934478_1531462964601346995_n.jpg

IMG_20141211_223752.jpg

IMG_20141211_220504.jpg

IMG_20141211_212121.jpg

IMG_20141211_224526.jpg

10425081_734787473257619_4301552614447002268_n.jpg

10425081_734787473257619_4301552614447002268_n.jpg

1969252_734786766591023_3756412811687814305_n.jpg

1394783_734791319923901_2878495579960395526_n.jpg

10419570_734868833249483_5019996472811587369_n.jpg

 10407180_735104676559232_8581992618671034686_n.jpg

10750325_735145389888494_7314639797299298953_o.jpg

Eventos:

Christmas Party Marc Jacobs Lisboa

Inauguração Fnac Oeiras

Festa no bar Santiago Alquimista

Open day de Natal da Loja das Meias de Cascais

 

Outfits:

Marc Jacobs (no primeiro evento)

Todos os outros: Tendências Store

 

 

 

A ambiguidade trabalho-ausência dos nossos filhos.

E, ando aqui eu a matutar... como exorcizar o tempo que não temos com os nossos filhos...? A quem gritar esta dor, que nos dizem "não ter razão de ser"... mas que nos persegue sem dó nem piedade?

 

Ando a massacrar-me com isso, cada vez mais. Por mais que me digam: "Mas tu tens que trabalhar.. eles irão entender mais tarde...".. sim, pois, mas e Agora? Agora, não é depois.  E eles não percebem nada de nada.. só que eu não estou presente, tanto como eu queria e eles, especialmente.

 

A vida é matreira. Dá-nos. E tira-nos. Oferece-nos a vida primeiro. A deles. Dos nossos bebés Amores. Uma, duas ou mais vidas encaixadas nas nossas. Traz-nos o sentido perdido ou nunca antes  encontrado. Tudo parece, finalmente encaixar. E depois, tira-nos o tempo para estar com eles, com as nossas sementes. Obriga-nos a lutar (ainda mais) pela vida. E isso significa.. sair de casa. Trabalhar. Dedicar energia a coisas e loisas. Querer ser melhor e mais forte que antes... Deixá-los na escola, nas avós, nas amas... E é essa a injustiça primeira, por que qualquer Mãe tem que passar, não acham? O afastamento do que nos foi umblilicalmente apegado...

 

 

Cada história é uma história, cada rotina uma rotina, cada razão uma razão. Não quero, por isso, fazer da minha especial, antes pelo contrário, quero abraçar, com este sentimento, todas as Mães que passam por esta mesma ambiguidade de sentimentos e por este sentir que os dias importantes nos estão a fugir pelos dedos. Os dias dos nossos filhos.

 

Existe um sentimento de culpa constante na maioria das Mães, quando recomeçam a fazer a "sua vida". Porque no fundo, acho que o nosso coração, a partir do momento que passamos pela experiência da Maternidade, começa a bater por mais do que só a "Nossa Vida".. A "nossa vida", deixa mesmo de ser Una e só passa a fazer sentido em conjunto. Com a deles. A "nossa vida" passa a ser, já mais do que nós mesmas. A nossa existência anterior, muitas vezes, até parece deixar de fazer sentido, por isso mesmo.

 

"Era tudo tão diferente", "Sou outra pessoa".. Pois, mas as contas continuam a ser as mesmas (ou mais, normalmente mais mesmo, que as crianças "saem caras"), a carreira não pára. A luta por ela, se existe, ou por um trabalho novo, se se tem que procurar por ele e sim... a própria realização, se não nos debruçarmos  só nas coisas práticas... a realização da Mulher. Porque no fundo, por muito Amor que tenhamos à Maternidade, também o temos que ter a nós mesmas.

 

E assim surge a tal ambiguidade. Estou a passar por ela, a todos os níveis. Mil projetos que estou a agarrar, alguns que ambicionava há tanto tempo, outros... surpresas que têem atropelado a minha vida assim, cheias de garra, força... e que me gritam ao ouvido: "É agora ou nunca, Rita!!"... Sinto-me feliz. Acho... Porque por outro lado, o cansaço toma conta de mim a cada esquina do dia e uma parte do meu corpo só quer dormir, parar, quando não estou a trabalhar. (e até às vezes quando estou lol.. disfarço é muito bem).. Outra parte,  parece que toma energéticos instantâneos cada vez que se aproxima a hora de ir buscar os diabretes à escola, à Avó ou ao Papai...É o Amor incondicional que nos dá a força escondida no meio da exaustão.

 

E assim se vai vivendo. Mas os dias passam. E os miúdos crescem. Menos perto de mim do que sonhei, quando os carregava na barriga e depois nos braços, com a certeza de que  nunca me iria separar deles. E isso entristece-me.

 

É a dicotomia da escolha. Terrível.. A separação física é inevitável, nos dias normais de uma "vida moderna",é um desapego que tem que ser feito. Um "trabalho" difícil para uma Mãe apaixonada fazer. Talvez das tarefas mais difíceis a levar a cabo, durante toda uma vida (alguns afastamentos são permanentes, outros felizmente não e é aí que me centro, para não me sentir assim tão tristinha..sim, porque eles continuam"ali").

 

Não me quero auto-recriminar. Sei que faço o melhor que posso. Tal como milhares de Mães lutadoras, que encontram a força sobre-humana, a cada passo da caminhada em direção a uma vida melhor.. mas... ai meu Deus.. custa tanto... ter que delegar o que não era suposto ser delegado. Sim.. para além de Mulher Moderna, também sou Mulher Selvagem... aquele bicho que precisa das crias por perto.

 

Fecho os olhos, por uns minutos e penso... " Espero mesmo que ao menos que eles se venham a sentir orgulhosos de mim, e que saibam que a prioridade foram sempre eles". E são. E isso o mais importante de tudo. E um objetivo a longo prazo.

 

Quando estou muito cansada (devido às poucas horas de sono que as tenras e próximas idades dos meus filhotes me dão e às horas e horas de trabalho que vai surgindo, ou eu própria faço surgir..) ...dou por mim a teorizar meia "zonzon", que talvez tivesse sido melhor  eu ter nascido numa época mais facilitista e tradicional para as Mulheres. Menos exigente. Mais natural e menos pesada. Qual emancipação qual quê!? Dj? Andar na estrada a "papar" kms? Reuniões constantes para "agarrar" aquele projeto? Pretensões artistas? Programas de televisão? Escrever, criar, e tal e tal? aiii tanta coisa, que canseira...... Tratar dos filhos, deixar os homens "sustentar" a casa e deixar o resto fluir... isso sim , é que era.. um real descanso. E eles, os filhos... na bainha das minhas saias ;)

 

E pronto, depois acordo dessa espécie de transe e...bem... quer dizer... pensando melhor... eu não seria pessoa para isso, pois não??

 

Ainda bem que ando mesmo a aprender artes circences no programa da RTP Desafio Total... acho que afinal, me podem dar um jeitaço (na parte logistica... o pior é que o coração não é virado para equilibrismos....)

 

 

 

 

 

Ainda a Dora e o nosso "meio artístico" da treta...

 

 

Ainda sobre a história da Dora... 

 

Que muito já foi falada, mas sobre a qual tenho pensado tanto e não podia deixar passar em branco.

 

É que nesta sua jornada há tanto de mim. Porque sou Mãe. Porque sou artista. Porque vivo em Portugal. Porque se percebe que foi o último recurso da cantora, da Mãe.. E como isso me revolta...

 

E porque estas premissas todas juntas fizeram com que esta artista tivesse que aceitar um trabalho humilde e mal pago. Mais ainda... no MacDonalds. E é isso que me mete confusão. Porquê no MacDonalds? Todos sabemos que os turnos são compridos e que os seus empregados são muito mal pagos, até um bocadinho abaixo do que o normal do que noutras lojas, cafés, restaurantes... Porquê aí e não noutro sítio?.. Parece quase castigo, porra!

 

Enfim, a verdade é que este país está completamente subvertido em valores, nomeadamente os culturais. Um país em que se descartam as pessoas que há anos fazem trabalhos artísticos e na comunicação por meninos que mal sabem falar português, que cantam como canas rachas, que dizem ser djs usando softwares que fazem o trabalho por eles, que apregoam que o sonho da vida deles é "ser atores". De quê?? De novela claro!! Julgam que é facil, que se ganha muito e que os fará viver eras de protagonismo.

 

Este é o país que me tem envergonhado a mim e a tantos artistas que nele vivem. Esta é a realidade, que até a mim, que felizmente não passei e espero nunca passar essas necessidades, me tem obrigado a reinventar sistemáticamente e a "criar emprego" para mim mesma. Talvez sinta, que tenha alguma visão, que seja dotada de algum pioneirismo, talvez seja persistente e não me deixe ir abaixo, quando quantas vezes, ao olhar o panorama triste que o meio artístico se tem tornado, é o que me apetece. Desistir. E quantas vezes sou criticada. E quantas vezes me questiono, se vale realmente a pena!? 

 

O problema da desistência? Principamente para pessoas que vivem efetivamente do trabalho, sem "padrinhos", sem famílias ricas? A falta de dinheiro para cobrir as necessidades básicas. Uma tristeza. Uma angústia. Dores de estômago constantes, a par das cartas dos bancos, das finanças, das contas dos supermercados, das necessidades dos filhos... 

 

Quantas vezes "nos" apontam os dedos.. a qualquer coisa. Se fazes é mau. Se não fazes és preguiçoso ou mal agradecido. A qualquer atitude menos perfeita, a alguma resposta torta, a alguma cara menos simpática, a algum comentário pouco oportuno. Quantas vezes, a imprensa vasculha a tua vida, te pinta de negro... quando... me pergunto: Quem não tem telhados de vidro? Quem não viveu histórias difíceis ou tem familiares que  erraram aqui ou ali? Quem não tem? Vocês? Os jornalistas? O público? Não acredito.

 

Por isso e pela procura incessante de trabalho (acordar todo o santo dia e pensar: o que vou fazer para o mês que vem? Tenho que ir batalhar, procurar, criar...), ser Artista e/ou empreendedor não é facil mesmo. E por isso, ainda é mais feio que "se fale do que nao se sabe..". Continuar "Aqui" também é uma luta, garanto-vos.

 

 

Onde quero chegar com isto? Que nem toda a gente consegue, infelizmente dar a volta e que rezo para que nunca me veja numa aflição destas. Que o meio artístico, está cheio "de modas descartáveis" e que isso faz com que essses "insta-famosos" não cheguem sequer a lado nenhum com os seus 15 minutos de fama mas, no fundo como aparecem em vagas e como o país é mínimo, tirem tantas e tantas vezes o trabalho ( e os cachets justos a quem os merece, por estar "aqui" a provar o seu talento e força, há anos). Que acredito, que haja artistas como a Dora, que se cansem de fazer "figura de palhaça triste"no seu proprio país. Sim, porque é assim que muitas vezes nos sentimos efetivamente, depois de um espetáculo ou evento, quando as luzes se apagam e nos vemos de novo sozinhos na nossa realidade... e começamos a fazer contas à  vida.

 

Acredito que mês, atrás de mês, sem espetáculos... ou espetáculos pagos a preço da chuva ( porque respostas como " olhe lá.. por esse valor trago 3 presenças da "Casa dos Segredos" são a ordem do dia, até para mim...) a tenham feito entrar em desespero. Com 3 filhos e contas para pagar, a sua opção foi uma opção válida e de tirar o chapéu. Até porque, acreditem que depois de tomada a decisão, nem sempre se pode apresentar fácil. Muitos não te oferecem trabalho, exatamente pela simples razão de que és "conhecida"...

 

Conto-vos em confidência que há uns anos atrás, quando deixei o "Curto Circuito" da Sic, cheia de certezas de que era boa no que fazia e de que "sem dúvida" a vida me correria bem, dei por mim, sem propostas de trabalho e passado uns meses comecei a ficar aflita. A solução acabou por ser algo que definiu depois a minha vida ( tornei-me RP de uma casa famosa na noite Lisboeta, a antiga Kapital e assim entrei no meio que depois, passo a passo me levou a optar por ser DJ- aliás a "moda dos RPs famosos" acho que nasceu aí, rolava o ano de 2002 ou 3 acho...) e assim começaram a entrar uns trocos. No entanto, antes ainda me desdobrei em contactos para trabalhar na minha área ( tenho o curso de jornalismo da ESCS e tinha formação na área de eventos), pedindo oportunidades a "amigos" que não me atendiam o telefone ou respondiam às mensagens ( alguns deles com quem hoje tenho que me dar cordialmente ainda por questões de trabalho e que provavelmente nem se lembram disso, mas que ficaram marcados na prateleira dos ingratos e interesseiros...).

 

Lembro-me, por exemplo de ter abordado um diretor de uma revista (porque já tinha escrito crónicas para essa publicação) para, quiça, integrar a redação como jornalista. Com um ordenado justo, "normal", com as tarefas e deveres iguais aos colegas de "carteira". Sabem o que me responderam? "Ó Rita, como é que queres que te ponha a trabalhar par a par com quem já te fez montes de entrevistas como celebridade? Achas que eles se iam sentir bem? Quando fosses fazer uma reportagem até ia parecer os Apanhados...."... E com esta enfiei, a viola no saco e mais uma vez percebi que ser "famoso" em Portugal sucks... Existe também perconceito também contra quem tem visibilidade pública, acreditem. 

 

Costumo dizer entre amigos, que se "Eu fosse Eu" noutro país do Mundo estava milionária. E o mesmo estaria a Dora e tantos outros. Sim, porque uma única canção de sucesso num país como os Estados Unidos ou no Brasil, por exemplo, se a pessoa tiver "cabecinha" pode oferecer-lhe um bom ordenado para o resto da vida. A sério, não estou a brincar!! Aqui? Os agentes roubam a torto e a direito, os promotores ficam-nos a dever dinheiros, os discos são mal promovidos e... quase não se vendem, as editoras ficam com metade dos (curtos) lucros. E voltamos ao mesmo... a cada dia que passa, os espetáculos dos artistas "à séria" estão a ser substituidos por "aparições" de emergentes. E o triste é que é disso que o povinho gosta.

 

Voltemos à Dora e aos trabalhos considerados "menores"... lembro-me de dizer, que se um dia tivesse que trabalhar numa loja, fá-lo-ia mas de cabeleira preta de franjinha. Dizia-o com uma certa ironia, mas, no fundo não estava a brincar assim tanto. "Trabalhar não é vergonha, antes pelo contrário"! Agora todos o dizem à boca cheia, parece que fica bem... mas olhem lá... não foi capa de revista? Não foi motivo de conversinha? Não sabem todos o que ganha? E como acham que a Dora se sente? Orgulhosa? Não meus amigos e amigas, quase que vos garanto que não. Orgulhosa estaria se a sua carreira estivesse sido relançada depois do programa " A tua cara não me é estranha"... orgulhosa estaria se estivesse a obter dividendos por fazer o que ama. Aqui? No seu trabalho "das 8 às 8"... está a desenrascar-se pessoal. Pura e simplesmente isso!

 

E como acham que ela se sente com esta mediatização da "desgraça"? Mal. Ninguém gosta que esmiúcem a sua vida. Vocês gostavam?

 

 

 

No entanto e aqui, reside a  minha admiração, talvez fosse este o passo que faltava para que se comecem a mudar mentalidades neste Portugal dos Pequeninos. Porque talvez esta "provação" que esta artista está a passar, faça abrir os olhos do povo e especialmente da imprensa cor de rosa (que é quem manipula e formata os pensamentos do público) para algo que é normalíssimo noutros países, recheados de artistas talentosos... Sim, quando não há trabalho, na área artística, os atores, cantores e afins... servem à mesa, trabalham em lojas de roupa... basta ir a Nova Iorque. 

 

Podem dizer-me. " ah mas não alguém com um protagonismo grande como figura pública". E eu volto a dizer-vos: " Sim... nesses países esses tornam-se milionários, neste acabamos todos por ser desenrascados"..

 

Grande Dora. E grandes todos os outros que procuram ou procuraram alternativas. Gosto de pessoas fortes e ela é-o, sem dúvida. Aqui se vê de que fibra é feita a "miúda". Melhor essa "saída" do que algumas menos honrosas, se é que me percebem.. (e olhem que há umas quantas no meio que optaram por essa via..)

 

Pequenos são também os que ficam presos à sua Pseudo fama e se escondem em casa deles ou de outros a quem se "colam" com histórias tristes e a viver de ajudas alheias, porque " não se podem expor", "porque é uma vergonha", gente que se "decide" a viver depressões e a tentar (ou fingir) pôr termo à vida. Não me levem a mal mas é a minha opinião. Sei do que falo, por experiência própria. Não falo de cor. E olhem que dos "segredos" dos famosos sei eu o que quero e o que não quero...

 

E por aqui me fico, enviando um grande xi-coração cheio de boa energia a esta Mãe, Mulher e Artista (sim, porque não o deixa de ser), esperando que mesmo que tenha que continuar a trabalhar fora da área dela, pelo menos consiga arranjar algo menos mal pago e fora da conotação pejurativa que tem o Mac. ( nada contra, mas vocês sabem do que estou a falar..). Se não.... bola prá frente minha linda! Continua a tua luta como a considerares justa e legítima e boa sorte para o futuro. Mereces.

 

E apesar de tudo, acredito que um dia destes te reencontre aí nas "cantorias" a mostrares o que vales! Força!!

 

PS: E aqui.. não há foto do Mac Donalds. Cum caraças! A mulher é cantora, é linda, tem um brilho muito especial. Prefiro mostrá-la assim do que de farda cor acastanhada. Não concordam?

 

O ponto de partida

Começou ontem uma nova etapa para mim e para o meu projeto Barriga Mendinha.

 

Sim, porque foi dado o primeiro passo, ou seja fiz a primeira reunião oficial, para por o "tal" projeto/evento anual da Barriga Mendinha em ação.

 

Vai dar aquela trabalheira mas ... vai ser "aquela cena!!" Sei que vocês vão adorar, mas ainda não vos posso  dizer exatamente o que é...

 

O segredo é a alma do negócio dizem, mas eu acho que a alma também faz parte do segredo desse sucesso... Acompanham?? Principalmente quando esta ideia, vai ser uma coisa tão diferente do habitual. Em Portugal, aliás, vai ser pioneira.

 

 

Se quiserem jogar ao adivinha, podem! Até pode ser uma espécie de brain-storming porreiro.. mas duvi-dê-ó-dó lol...

 

Enfim... isto é tudo do entusiasmo. Sim, porque pouco a pouco tenho a certeza que irei desvendando esta minha iniciativa e vocês vão ser, de certeza, o meu feed back imediado que tudo o que se for desenrolando. E o meu motor de ignição. ;)

 

Bem... o que vos posso dizer então, no meio de todo este segredo é: OK!! O dia 21 de Setembro "é meu"! Não marquem nada para esse domingo, porque tenho a certeza que vão querer participar!!

 

 

 

 

E pronto, e com esta... vou ali trabalhar mais um bocadinho, que... com tudo o resto que tenho em mãos... 6 meses de preparação vão parecer muito pouco. É sempre assim não é??...

 

Beijossssss

afinal o que é que a Rita Mendes faz?!...






Muitas pessoas se perguntam porque me estou "sempre a queixar" de que ando a mil e de que  faço muito e tal e tal.. LOL e hoje, então, como levei com uma insinuação "totó" sobre a questão, deu-me para aqui...


Juro que não levo a mal, vindo de alguns, tendo em conta que me vêem e (re)veêm nas páginas das revistas que são maioritáriamente povoadas por gente desocupada ... mas de próximos, os que me acompanham no dia a dia... isso é outra fruta!!


A verdade é que desdobro os dias com os meus afazeres de mãe, dona de casa e tentativa de namorada e ainda de " canivete suiço", como em tempos me chamaram por ter tantas profissões, atividades, interesses e formas de "ganhar tostãozinho", como diria o meu Afonso Luz.


Ora cá vai a "descriminação" em forma meia atabalhoada (ou não..)


1. Organizo eventos (ou antes faço a ponte e a coordenação com quem organiza), trabalho em assessoria de comunicação e relações públicas - e cada vez que surge um... é um "meter as mãos à cabeça" com a trabalheira, horas ao telefone, deslocações... que isso dá.


2. Sou Dj ( e tudo o que isso abarca). E há já 7 anos!!! Quando me dizem :" Ahhh... agora também pões música!!"" Ai.... que me apetece esganá-la. O "também" era completamente desnecessário e o "Agora" está atrasado mais do que um par de anos...

Desenganem-se também quem julga que é só mexer num computador e abanar o capacete enquanto se bebe uns copos( não sei se para alguns dos pseudo famosos que o faz por ser moda é, mas para mim definitivamente Não!)

 Cada vez que me desloco a algum lado (sim, porque não sou residente em nenhum espaço e trabalho pelo país inteiro), tenho que fazer pesquisa de temas, organizar o meu computador e as suas pastas, tenho que me ir atualizando com o novo software que vai saindo. Tenho que ter música em pen e cd´s, para o caso de algo correr mal com o "bicho" e as ligações "maradas" que se têm que fazer entre ele,a a mesa de mistura e afins...


3. Ah... para que tenha datas (ou atuações, como queiram) é necessário um trabalho quase diário de promoção, contatos com agentes, atualizações de biografias, fotos, fazer sets ( que são o nosso cartão de visita) em casa ou no estúdio e colocá-los on line...


4. O Nosso Blog. Aiii, o nosso Blog...

Horas a escrever textinhos, a saber usar o backoffice do dito, pesquisa imensa de fotos e afins para colocar no facebook da página, contatos com as entrevistadas, envios e elaboração das entrevistas. Reuniões com patrocinadores e eventuais patrocinadores ( uiiii.. horas e horas nesta luta) e ainda... reuniões semanais com a agência que me ajuda na parte dos passatempos e promoções (a Go Direct), a coordenação das colaborações e promoção do nosso espaço noutras plataformas da net para que o número de visitantes cresça... E ainda marcar presença em eventos de bebés, papás, grávidas e tudo o que anda `sua volta... um mundo, portanto!


5-O "meu" novo negócio, a Monavie, uma estrutura de trabalho multinível em que "ofereço" bem estar através de um hiper produto anti-oxidante (com base na fruta do Acaí), que ajuda no emagrecimento, nutrição e prevenção de doenças. Nunca me tinha "metido" em algo assim, mas tenho diversos amigos a quem a vida começa a sorrir e muito, devido a ganhos elevados com o desenvolvivento do negócio em casa e agora... estou prego a fundo : a angariar novos distribuidores, a encontrar formação acerca dos produtos e do Community Commerce... Reuniões pós laborais, almoços de apresentação do produto... Ufff...


6- A minha rúbrica " O gira da Rita" no programa Dance Tv da Sic Radical. Cobrir eventos, entrevistar djs e acompanhar as minhas "andanças" e tudo o que isso implica(noites, deslocações, preparação de entrevistas e de temas)...


7- Estou a escrever um livro infantil (vou criando a história aos bocadinhos a noite, enquanto vou contando aos meus babies para ver a reação) e agora deu-me para um outro projeto infantil que envolve cantorias e por isso e como adoro escrever, aproveito os poucos pedaços de tempo desocupados para cantar para o telemóvel e gravar umas coisas esganiçadas ou escrever letras de músicas na minha agenda que me acompanha para todo o lado...


8- Ah e sim... ir aos eventos das "revistinhas".. sim que isso para mim, não é ir comer croquetes (que eu faço uns em casa bem melhores e mais saudáveis LOL)... Muitas das marcas são patrocinadores, muitos dos espaços são ou foram parceiros de trabalho, muitos dos rps são conhecidos, muitas das temáticas têm a ver com interesses do momento, muitos dos presentes são meus amigos... E por isso, como quase não tenho tempo para mim... acabam por ser um pouco o meu momento de lazer, ou quase.


E pronto!... tenho dito!! Chega?


Agora... tchau... que entre tudo isto, agora decidi que tenho que arranjar tempo para ir ao ginásio, custe  que custar!! Sim, porque se eu apareço com celulite na praia este ano, não é a voces que os paparazzi vão apontar a máquina e os jornalistas o dedo pois não???!!!...

 Vocês não imaginam a ginástica!! E não, não falo da física, falo da logistica ... essa ainda cansa mais. Só é pena é que não emagrece... ehehehe. Por isso... sigaaaaaaa...

Até logo pessoal

O dia D : A Matita foi para a creche ! OMG!...



Prometi que escreveria sobre o dia... e apesar do cansaço extremo vou cumprir o combinado, até pela importancia do tema, que não quero deixar passar em branco todas estas emoções.

Comecei esta 3a feira com o seguinte post no FB da Barriga:






... Acho que para tentar convencer-me a mim mesma  que tudo acontece na altura certa e porque assim o tem que ser. Nada de dramas, era por aí...


E o porquê  de tudo isto?


Porque hoje foi "O dia Temido". Por mim. E pela Matilde.. Que mesmo sem saber o que temia, parece que pressentia, já que as suas horas de sono matinais que costumam ser tão tranquilas foram hoje cheias de "dorme-acorda tumultuados".


Hoje... acordei mais bem mais cedo, tomei o banho possível (como estava já sozinha em casa com os miúdos, tive que sair toda a pingar 2 vezes do banho porque a Matita chorava que nem uma torneira estragada) e depois.. comecei a arranjar um de cada vez...


Hum!?? O quê? Sim. Um de cada vez. Porque a Matilde, a minha Estrela, foi hoje fazer a primera experiência na creche " Rei Bebé", onde o mano Afonso anda há já um aninho.


Evitei mas teve que ser. E teve que ser agora.

 Tenho andado exausta demais e a deixar muitas tarefas para trás ( não se esqueçam que não tendo "patrões" fixos, ou eu vou atrás do trabalho.. ou ele não se deixa a dormir à sombra à espera de mim. Telefonemas, reuniões com patrocínios, agentes, colegas, horas colada ao computador a escrever e a trabalhar música e textos...imaginem isto sempre desde a primeira semana depois de ter sido Mãe e com o meu amor bebé sempre colado a mim...). 

Pensei e repensei e não tendo gente próxima ( avós, tias, madrinhas..) que possam dedicar os seus dias da semana para me dar apoio, percebi já há algum tempo que se estava a tornar incomportável andar sempre a mil... e de ovinho ou marsúpio às costas. Giro... mas extenuante.Valham-me as vitaminas!!


Sabem, que, apesar de ser legítima esta opção, acho que esta é das decisões mais importantes, angustiantes e custosas que uma Mãe tem que fazer na primeira fase da vida dos seus filhos.


Agora percebo toda aquela "pseudo-chachada" da Mãe que chora mais que a criança, no primeiro dia de escola.. porque é mesmo complicado, para nós, seres protetores, deixarmos "assim" a nossa cria longe de nós. " Atirada" ao mundo... E por mais que saibamos que eles são bem tratados... o nosso coração fica tão pequeninooooo.


Bem, mas antes dessa parte emotiva, veio a parte logistica toda .. e aiiii Meu Deus... só espero mesmo que euzinha, comece a agilizar mais daqui para a frente... porque, acreditem ou não, demorei literalmente 2 horas !!! Desde que me levantei até que saí de casa com eles...


E " ca granda" confusão.. ufff.. comecei a manhã já a morrer de cansaço, digo-vos eu. Ainda por cima tudo aconteceu, neste dia emblemático LOL....






Ora vejam só: O Afonso decidiu fazer xixi nas calças depois de estar vestido e ainda queria "polo" enquanto eu descia as escadas com o coco num lado e o sacalhão das coisinhas da Matilde do outro. Ela, pões-se a bolsar, quando já estava no coquinho, eu não tinha papa suficiente para levar para a creche. E para finalizar, quando cheguei ao carro, depois do esforço todo, depois de os ter aos dois cada um na sua cadeirinha ( Yeeeee!!! Granda Mãe!! ) tinha-me esquecido da carteira em casa....


Como acabou tudo por correr tudo isto? Bem, mas emotivo. Para mim e para ela, que ficou a chorar quando a deixei.


O Mano, esse estava todo promovido, porque " a minha mana vai para a minha Escoua" e mais : " eu sou gânde e eua vai para a sala dos bebés" ;)... Tá visto que a meio do dia depois da sesta conseguir ir dar-lhe um beijinho e " acalmá-la" de mais um ataque de choro.. e isso, sim, eu acho muito giro. A ligação deles e a sensação de proteção e responsabilidade que esta entrada da irmãzinha na escola do Afonso Luz, está a fazer-se sentir nele.


Resumindo, a minha princesa ficou hoje 4 horas e meia, no " Rei Bebé", o chamado " meio tempo" ou " meio termo"... Acaba por ser uma forma de adaptação tanto da bebé, como da Mamã enquanto volta e reconquista a sua volta à vida normal.

Sim, é difícil este " desmame" este " descolar". Há meses que não nos separamos fisicamente  deste ser, que esteve inclusivé dentro de nós... e um dia... capummmmm, parece que uma bomba nos separou e fica cada um do seu lado.... ai que dorzinha no peito de saudades. e foram só umas horas.

Sim, porque hoje tive compromissos até quase as 23h e foi o pai Gú que foi buscar ambos à escola e ficou com eles até eu chegar, o que ainda aumentou mais esta sensação de afastamento...

Bem, agora já estou com ela. Com eles. Adormeceram os dois na minha cama. Na " cama grânde"... cada um enroscado do seu lado. Enquanto os mimava ( e a Matilde se contorcia embirrenta e o Afonso dizia " Pára Manaaaaa! ), eu, no meio disto tudo... senti-me a pessoa mais sortuda do mundo!

Activa, com trabalho, com projetos profissionais e sonhos por concretizar e a lutar por eles , rodeada de Amor na minha vida e da energia maravilhosa destas crianças lindas e saudáveis que o Destino me ofereceu. E isso é O Importante. O resto são pormenores que se vão gerindo...

Feliz também, por ter conseguido dar este importante passo,  fazendo um esforço tremendo para não me culpabilizar (as que já passaram por este processo sabem do que eu falo)- e deixar a minha bebézinha de já 5 meses na escolinha, que entretanto, felizmente, já se tornou tão familiar para mim e para o meu Piripiri Afonso, que, no fundo sinto uma confiança tremenda em deixar a minha Malagueta Matita com as educadoras de lá. Foi o que me valeu em todo este processo de decisão.


Ela choramingou. Eu no carro também, mal cheguei lá abaixo. Ainda agora, ao escrever este texto, deixei cair uma lágrima ou outra.

É que ser Mãe e Mulher Profissional, que enfrenta a vida de frente, tem tanto que se lhe diga minhas amigas... Ás vezes gostava de poder ter o efetivo poder de escolha para ficar só em casa com eles e dedicar-me exclusivamente à sua educação.. mas não existindo essa hipótese de todo... para mim há sempre o " Rei Bebé" e para vocês, que me lêem haverão outras profissionais da infância que, por umas horas farão esse papel. E como é assim que tem que ser... que seja sem muito sofrimento, não é?

A ideia, para já, será dosear a "coisa", uns dias vai, outros não e, acho que apesar de ser uma charada de horários ( O hugo trabalha no Hospital por turnos imaginem..), felizmente conseguirei, gerir, juntamente com o pai da pirralha, os horários, para a apanharmos  mais cedo na escola. Quem lucra com isto é o Afonso, que assim também virá mais cedo para casa... Enfim.. tira-se de um lado.. oferece-se ao outro.

No fundo a vida é deita de decisões, de cedências, de adaptações e de escolhas..

E assim começa a " socialização" da minha filha. Com tudo o que isso acarreta de bom. E de mau...

Ai ai...

Wish us luck! Cá vamos nós Vida...







 www.reibebe.com

Sozinha!?... Raro nos dias que correm...






Que estranha sensação!!

Estou sozinha em casa.. Sozinha!!

Amanhã vou trabalhar muitooo cedo para o Porto ( as 7 e meia tenho que estar de pé na estrada) e por isso a minha mãe apanhou o Afonso no " Rei Bébé" e a minha Sogra vai ficar com a Matilde ( a primeira noite completa dela fora de casa... aiiiii! .... ).

O Hugo foi lá jantar e levar a Estrelinha e os seus sacos e cadeirinhas e tal e tal. E eu, em vez de ir à janta, convenci-o a ficar em casa. Sozinha!! Volto a dizer e a sublinhar ... ai meu Deus!... Sozinha!!

É realmente uma sensação ambígua. E acredito que as Mães desse lado me hão de perceber. Umas 3 horinhas Sozinha!!!! .... nos dias que correm é uma prenda, um docinho, um momento a ser aproveitado até ao último segundo...

E pensar, que em tempos idos, antes de ter filhos, nas minhas compridas noites de solteira, quantas vezes não senti uma solidão incrível e pensava "ai.. nunca vou ter uma família... ai vou ser a mulher mais solitária do mundo..". Como mudam as circunstâncias, não é? Irónico até, comparar esses tempos com os de agora.

A verdade é que, apesar de saber que os meus filhos não podiam estar melhor e ser uma sortuda por ter estas avós presentes e activas na sua educação, sinto já saudades deles e apesar de me " queixar" das poucas horas de sono e dores de cabeça que me dão... estar longe deles põe-me o coração pequenino. 

"Ter" que ir trabalhar e não estar mais tempo junto a eles também me faz sentit triste... Mas acho que essa é uma sensação quase Universal, é o que toca as Mães quando têm que retomar a sua vida, quando têm que lutar pelo dinheiro ao fim do mês, quando se têm que ausentar, devido a compromissos profissionais.

Mas no fundo, no fundo... Neste preciso momento, no Agora... ( e é algo que tenho tentado exercitar a minha vida), me sinto... Yupii!!! Sozinha!! Há quanto tempo....

Tive tempo para tomar um banho durante mais tempo, para por os meus cremes e afins.

Não tive que cozinhar e jantei só um batido de baunilha e banana, deliciando-me com ele à frente da televisão com uma mantinha nas pernas.

Consegui fazer algo que, antes era meu hábito, mas que com a maternidade, o tempo sempre fugidio e as milhares de tarefas prioritárias... fui deixado para segundo plano. A que me refiro? Escolher a roupa do dia seguinte e po-la em cima do sofá ( acessórios e tudo), prontinha a usar de manhã e evitando ataques de raiva por achar que não tenho nada para vestir ou que nada me fica bem.

E mais... escrever com letra bonitinha na minha agenda, sem ter o Afonso a querer fazer desenhos ou a Matilde a bolsar para cima da mesma.. ;)

Agora, o Hugo deve estar a chegar. Já me ligou a pedir... isto e mais isto e para fazer aquilo e não me esquecer de tal e coiso.. Não nos podemos esquecer que não podemos viver sem os Homens, mas que eles também dão um trabalhão lá isso dão! Por isso, vou aproveitar estes meus últimos minutinhos e relaxar ok?

Beijos e até amanhã. Vai ser um dia cansativo. Mas desta vez não por estar com os meus bebécas... Porque vou fazer muitos quilómetros e trabalhar muito. Ai.. porque é que não somos Omnipresentes?... Mãe-profissional passa a vida com estes sentimentos ambíguos.

Agora.... vou aproveitar o meu " Time alone" se faz favor. Até o computador vai ser fechado. 

Beijo e até amanhã...

Sim.... Sozinha!!! ehehhe....Sozinha!!!



Nova agencia, novas perspetivas para moi ;)




A partir desta semana lanço-me a mais umas " feras" mas faço-o pelas mãos de quem me ajudará a ter força para lutar na arena ;)

Entro para a família da agência "Encena" esperando.... voar um pouco mais alto e com a ajuda do vento a favor.... 

As àreas da Música e da TV continuam no meu pelouro, o blog e a sua gestão com o Grupo Go Direct..

Mas apetece-me fazer mais e os 30 trouxeram-me o acabar das “ vergonhas” e medos. 

A vida não dura sempre e o tempo que dura deve ser feito a experimentar o que nos faz felizes...

Wish me luck e se “ me quiserem” ver a fazer um anúncio de televisão ou uma série na tv... já sabem para onde ligar...

Beijinho a todas/os

Cliquem aqui no Facebook da agência e fiquem a par das novidades :

AGENCIA ENCENA




UM EVENTO DELICIOSO...



O convite de hoje da OLÁ foi delicioso.

Delicioso porque adoro MAGNUNS e hoje foi lançada a nova edição 2013 - a “5 kisses”... 

Delicioso porque os 5 novos sabores remetem a beijos.

Delicioso porque descobri que uma pessoa passa em média 20 mil minutos da sua vida a beijar...e que bom que isso é ...

Delicioso... porque ... beijos são deliciosos ;)

Delicioso porque estive a fazer  o que amo... tocar !

Delicioso porque estive com amigos.

Delicioso porque o Internacional Design Hotel do Rossio é um petisco.

Delicioso porque sou gulosa...

Delicioso porque todo o evento em si, produzido pela PURE ACTIVISM esteve impecável num descontraído-chique que adoro!

Delicioso porque foi um evento com um espírito romântico, apaixonado, sedutor e  representativo do próprio gelado que será lançado brevemente e que respira glamour, elegância e indulgência.

Adorei. Vejam por vocês :



















































Podem espreitar mais quem lá andou AQUI :