Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

6a feira, dia 24, eu e a Mustela....




Lindas seguidoras, não se esqueçam que é já na 6a feira, dia 24 que estarei presente no El Corte Inglês para divulgar este passatempo MUSTELA que está a decorrer entre os dias 15 e 24 de Maio no Espaço Saúde daquele espaço Comercial.


Vejam no flyer como concorrer e o que podem ganhar e mesmo que não seja o caso... porque não dão lá um pulo para "meia de conversa " comigo, com outras Mamãs e com as experts desta marca de cheirinho e qualidade inconfundível?...

Podem ainda experimentar a nova gama da MUSTELA e fazer pinturas faciais nos vossos babies
  Eles adoram sempre essas brincadeiras !


Lá vos espero 

O menino do cravo foi viver para Inglaterra....






Há 39 anos, o Digo foi o menino de caracóis loiros, cuja figura reguila se esticava para colocar o cravo numa espingarda de Abril. 

A fotografia tornou-se o símbolo da revolução (e que parecido com o meu Afonso Luz, já viram?!..), mas o miúdo de roupa esfarrapada, descalço, fotografado por Sérgio Guimarães, saiu de Portugal mal atingiu a maioridade.


” Esquece lá isso” deve ter pensado ele.. “ Isto não é para mim…”.


 Foi estudar em Londres e apaixonou-se por uma inglesa. Trabalha lá e tem um filho de 4 ou 5 anos acho…


Diogo Bandeira Freire, o menino da revolução, tem 42 anos, vive numa casa de tijolos vermelhos com um jardim, na margem Sul do Tamisa.


Vive a vida à inglesa: deixa o Audi A3 novo estacionado à porta, para não ter de pagar cinco libras de portagem para entrar no centro da cidade e vai de transportes públicos para o emprego,como tantos o fazem não por falta de dinheiro, mas sim para poupá-lo.. Ah... e porque não sente a necessidade da ostentação que o bólide Xpto lhe empresta  para se exibir enquanto se espreguiça nos semáforos e assobia para a rapariga que passa na passadeira…


 Leva numa lancheira o que comerá ao almoço, fica-lhe mais em conta e gosta do que a mulher prepara em casa. Ah e trabalha como ‘financial controler’ sete horas e meia por dia numa empresa de tecnologia..


E tenho dito!


" 25 de Abril sempre!!! (?)..."


Pelo menos… ainda é Feriado!



A voz ao Povo...



Se a revolução está mesmo a chegar, ainda ninguém o sabe. A todos nos apetece, mas todos temos medo dela. Mas também temos medo de um futuro na apatia de não ter lutado.

A Palavra vale o que vale.Devia valer muito. Já valeu mais. Hoje, sentimos que o Povo é mais uma estatística do que uma força real, falta-lhe o poder da Mudança na palma das mãos. Os governantes não nos temem. Os governantes não se misturam com o povo. E a desilusão maior, é que os “ do momento” apelidam-se de socialistas.

Como Mãe temo o Mundo que se constrói. O Futuro. Porque a falta de princípios, as demagogias na educação, a precaridade da saúde, de emprego, de soluções calhará cada vez mais vincada na vida dos nossos, por agora, inocentes filhos...

Como Mulher temo o Mundo que se construiu. O Passado. Porque é mais difícil recuperar, tratar, remendar.. do que construir um caminho sem buracos, rasgões ou pontos mal cozidos e por atar.

Como Cidadã temo o Mundo que se constrói. O presente. Porque é nele que nos temos que centrar para resgatar o Passado e apostar num novo Futuro. E muito, mas mesmo muito poucos conseguem vive no Agora. E só ele nos pode salvar.

Estas imagens ( tiradas pelo fotógrafo Hugo Caetano) foram o orgulho da minha família. Porque somos 2 adultos e um deles esteve lá. Eu não pude por questões de trabalho ( e isso nos dias que correm, é prioridade, basta olhar para o número vergonhoso de desempregados ), mas ele esteve lá e fez a “ minha Revolução”.

Porque o seu olhar e a sua lente viram o que os outros viram, mas sentiram-no de forma diferente. Os pormenores, as cores, as emoções, as tensões, os temores, as incertezas de um país que é o nosso, vistas pelo pai da minha filha. Na casa dos 30 anos e com medo que o resto da vida seja vivida num país.. que teve sempre tudo para chegar aos 1000 mas passa a vida quase sempre nos 100.

Se a voz do Povo é ainda relevante, não sei.. Mas que a Energia global deste povo descobridor o é, ainda acredito. Quero acreditar. Para que o Passado, o Presente e o Futuro ainda possam fazer sentido juntos numa frase. Como sempre o fez.. desde o princípio dos tempos...

Força Portugal! Força Portugueses! Nós vamos lá...

(Mais imagens em: Hugo Caetano Fotógrafo)