Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Polémica da semana!! Ai que me pisaram os calos!!! Grrrrr.....

 

E lá estalou a polémica. Uouuu!!

 

E lá estou eu de nervos em franja. Yéee!!

 

Então é assim: este blog existe para partilhar momentos e um dos feed backs que eu tenho do "vosso" lado é que em muitos dos meus posts vocês se identificam. Por isso falo de tudo. Get it?

 

Desde as frivolidades de que todas as Mamãs acabam por gostar ( porque adoramos as roupinhas, conhecer as tendências, saber quais os novos produtos e não há mal nenhum nisso) até aos sentimentos que passam pela cabeça de quase todas  nós (as dúvidas por mais parvas que sejam, os medos, o cansaço, o amor tremendo que lhes temos versus aqueles momentos em que só queremos voltar a ter um décimo do que tinhamos na vida de solteira)..

 

Ora bem, a verdade é que não, não sou uma "mãe Mártir" como parece que se insinuou, nem o  quero passar. Longe disso. E sim, existem milhares por aí com menos ajudas, sem família por perto, separadas, com ordenados miseráveis ou até desempregadas.A elas lhes tiro o chapéu e têm o meu respeito total.

 

Mas também existem aquelas ( como uma rapariga "betinha" e feliz que conheci no fim de semana que estava grávida do 4º filho com 3 ainda pequenos) que têm maridos ricos, empregada doméstica todos os dias, creches e escolas de elite, baby sitters que acompanham o casal nas férias e nas noites de saídas a dois do casal... Por isso sorria sempre e tinha um outfit de grávida giro de morrer e uma pele fantástica ... ( tratamentos de spa.. clarooooo, lol)

 

O meu caso não é nenhum dos dois.

 

É simplesmente o meu. O meio termo. Com as histórias que conhecem e as outras que não posso ou não quero contar... E aquilo que "vocês" conhecem e seguem,  talvez o tenham feito em primeira instância, porque por contingências da vida e pelo trabalho que fui desenvolvendo ao longo da minha vida, acabei por me tornar uma figura com alguma visibilidade mediática. Daí a curiosidade maior. 

 

E sim, porque além disso (pode ter sido essa a razão primeira de virem ter até "mim" e ao Barriga Mendinha), acredito que depois, as que ficaram, deixando de ser meramente curiosas, gostaram e entenderam que "isto" dá trabalho e é feito com paixão. Sinto-me por isso, uma referência para vocês e isso acarreta responsabilidades.

 

Não escrevo nada, sem pensar muitas vezes. Mas muitas vezes também, levanto a polémica e as vozes críticas. Porquê? Não quero ou não consigo entender. Parece-me uma dor de cotovelo demasido maldosa para conseguir encaixar... se é que me percebem vocês.

 

Vai daí.. que um simples e irónico comentário publico, publicado no blog que reza assim:  "Bolas Rita, com duas avós onde colocar os miudos ainda te queixas de estares sozinha e de cansaço ? Imagina se não tivesses avós como muitas pessoas que emigram e gerem a vida do trabalho (mas trabalho a sério das 9 às 18) e vida familiar sem apoios! Há cada queixinhas!!" me tenha deixado triste e irritada.

 

Estamos a falar da minha vida! E mais ainda, da minha partilha. Não tinha que o fazer, não tinha necessidade. Mas fi-lo porque me gosto de mostrar "humana". Tal como refiro na resposta, eu, como muitas bloggers, podia cingir-me a escrever sobre moda, cremes, programas para bebés, dicas, muitas fotos de famosas grávidas e tal e tal. Tema não falta.

 

Mas se querem que vos diga, ao correr esses blogs e páginas ( e alguns deles muito bons nessas suas vertentes), sinto, como leitora, Mãe, observadora, que falta partilha e sentimento. De verdade. E foi por aí que sempre quis ir.

 

O que mais me motiva é depois de um texto destes, receber uma mensagem que diz: "Obrigada por este post!!! Estou a olhar-me ao espelho! Já nao me sinto tão sozinha nesta luta:) Coragem, não estás sozinha:)"

 

O que mais me irrita é um comentário como que anteriormante transcrevi, ainda para mais insinuando  " Mães.. mas com trabalho à séria".. como se eu não trabalhasse à séria.

 

Ui... minha querida, aí tocaste na ferida... Quero lá saber da vida de outras "figuras públicas"... da minha sei eu. Sabem que mais? (farto-me de dizer isto aos meus mais próximos, que às vezes nem esses comprendem), trabalho provavelmente mais do que  muitas amigas e amigos que entram no escritório no seu horário certinho e que têm tantos momentos de "pausa laboral" que passam o dia no facebook.

 

Eu?? Sim eu também passo. Mas eu TRABALHO nele... e eu Não tenho um ordenado fixo!! Ou seja, se não trabalhar MUITO ( quantas vezes até às 3 ou 4 da manhã, agarrada a um computador, a telefones, a falar com agentes, a criar sets  de música, a contactar rádios, a escrever crónicas, a falar com patrocinadores, a criar projetos...)...- sim se não o fizer... não tenho um ordenado ao fim do mês seja ele de 400 ou 4000. Entendem? Mais ainda... trabalho muito mais agora do que quando fazia exclusivamente televisão. Aí sim , existia um fixo mensal (e dependendo do projeto- para quem não conhece o meu curriculo fiz tv sem pausas durante 10 anos- era melhor ou pior remunerada). E sabem que mais, como sou mais velha e madura, talvez até o faça com mais gosto e consciência..

 

Por isso " Bolas", digo eu minha senhora! É "muita" feio vir aqui tentar "acabar" com a partilha boa onda que este blog pretende ser. Tentar lançar o veneno.

 

Ontem sim, estava exausta. Amanha, por exemplo, irei tocar como dj a uma discoteca ( porque esse é também o meu trabalho) e quem sabe até me consiga libertar e divertir um pouco. Dançar, beber um copo. E nesse dia, essa irá ser a minha partilha, a minha história, o meu conselho para, as que têm a possibilidade, pensarem um pouco em si e darem um pézinho de dança com as amigas... porque faz também tão bem à alma..

 

Talvez nesse dia também, apareçam mais críticas, porque nem todas as Mamãs o conseguem fazer não é minha gente? Porque nem todas têm avós, porque nem todas estão separadas e têm o fim de semana do pai (só eu sei a ambiguidade de sentimentos que isso é), porque nem todas conseguem sair de vez em quando à noite e nem todas conseguem sorrir, porque este país nos está cada vez mais a levar as pessoas à depressão global..

 

 Mas olha, "What the hell", o que querem que faça??... Se estou num dia "down" e o partilho, estou a "gozar" com quem não tem apoios ( Nunca o faria!!! respeito essas mães de uma forma muito séria), se estou num dia mais "up" e partilho as minhas risadas e momentos divertidos e sem filhos por perto... serei qui çá uma mãe pouco atenta...

 

"Haters go home"... por Amor da Santa!!!

 

Enfim, a verdade é que quem aqui vem com boa onda, me acompanha como "História", quase como "novela real" e que serve de aprendizagem e partilha é hiper bem vindo. Vocês sim, são a minha energia;) E os meus relatos servem tanto para os desabafos, como para os sonhos de um dia melhor...

 

Gostas. Fica. Não gostas. Baza... há tantos outros blogs por ai (até demais lol)

 

Beijinho a todas/os e obrigada SEMPRE por estarem aí ;)

 

Vejam AQUI, os comentários e texto sobre o qual falei....

 

 

Bora petiscar uma placenta? ;)





Nem sei bem o que diga... Esta senhora ( Kim Kardashian) está sempre no centro de polémicas..

Lá que é muita bonita é, acho que ninguém discorda disso, e com ela e o seu protagonismo e a sua imagem espalhada pelo mundo fora em tudo o que é revista e publicação do social e de moda, as mulheres com curvas voltaram também a ficar em voga, mas a verdade é que o é, não só pela sua genética, mas também a muito custo.

Muitas horas dedicadas a tratamentos de beleza, unhas, cabelos, muito dinheiro gasto em cremes, quilos de maquilhagem.. e agora...uma "ideia peregrina..": Comer a  própria placenta, para ficar "eternamente jovem". 

Ok, ok.. pronto, podem dizer: " mas cada qual faz o que quiser da sua própria placenta"... e eu digo.. "Pois, sim senhora... e cada um também pode fazer o que quiser com o seu chichi e o seu cócó.." Certo? Mas é nojento, não é??

Não é, no entanto a primeira, talvez a mais falada sim, a mais mediática. E à parte da questão da beleza, diz quem acredita nos benefícios de "paparicar" este orgão... que, o mesmo,  ajuda a combater a depressão pós parto, a repor os nutrientes perdidos durante a gravidez e estimula a lactação... Será?

Enfim, a minha questão, à parte do "nojento da coisa" ( acho que já inventaram comprimidos com as propriedades da "coisinha"- menos nojento... mas no fundo ela tem que vir de algum lado não??) é o sublinhar da obcessão da juventude que me está a meter aqui confusão. Partindo mesmo do princípio que esta "iguaria" até nos rejuvenesce...epá... qual de vocês o faria, para atrasar assim uns aninhos de pés de galinha?

Não entendo o pânico instalado nesta sociedade, no que respeita à maturidade de uma mulher, fogo, a que futilidade nos estamos a entregar??

 E se vira mesmo moda? Já imaginaram? Os hospitais e as maternidades passarão a ter um departamento/ serviço take away de placentas grelhadas, cozidas ou estufadas ? ( sim... li algures que o Tom Cruise comeu a da sua filha, quando esta nasceu e que  existem, nos Estados Unidos uma data de livros que ensinam a cozinhar!! sim, a cozinhar a dita... bahghhhhhgggg!)


E esta heimmmm??

Alguém está numa de experimentar??

Não me "obriguem " a ter um 3º filho, para  conseguir encontrar o elixir da juventude... sim... que as outras duas placentas (das minhas gravidezes)... já eram e não há placenta que se aguente tanto tempo!!! :) - quer dizer.. e alguém já terá pensado em congelar e fazer negócio com isso!?

Nos dias de hoje, parece-me mesmo que vale tudo!!




Mónica Cruz e a Inseminação artificial










Mais  conhecida pelo seu grau de parentesco com Penélope Cruz, do que pelas profissões de bailarina e atriz... agora a bela espanhola é falada por ter, sexta feira passada, anunciado  o fato da sua já tão misteriosa e badalada     gravidez ser fruto de inseminação artificial. 

E como? Através do seu blog ( claroooo ) que mantém no site do jornal " El País ": http://blogs.smoda.elpais.com/monica-cruz/


Há dois meses a notícia surpreendeu Espanha... e a especulação quanto ao progenitor agudizou-se quando a dita fez esta gira produção para a capa da ELLE...


Aqui está o seu texto emotivo e um pouco atabalhoado, mas que entendo bem que assim seja, já que ao divulgar a noticia, ela já esperava " bomba"...


Se concordo?! Oh yéee!!

Não conheço a fundo a sua vida pessoal mas sei que se aos 35 anos ela não tinha nenhum envolvimento suficientemente forte para " entregar" a um homem a responsabilidade de pai.. sim... mais vale a bela da " produção independente"..







Sim, uma criança também precisa de um pai ( será sempre o ideal ), mas não nos esqueçamos que vivemos num tempo que que mais de metade dos casamentos dão em divórcio, existam ou não filhos envolvidos... Aqui só falamos de uma espécie de antecipação da coisa. E nunca se sabe, e mais cedo ou mais tarde, não aparece na vida dela o " tal " pai ( mesmo que não biológico ) deste filho que vai nascer..

Não se esqueçam, que eu, fui aquela , que, por decisões não publicadas ou discutidas se não em privado, me separei do pai do meu filho Afonso ainda estava ele na minha barriga. Nunca nos viu juntos, a vida seguiu o seu rumo e ele é um menino muito feliz...

Mais uma gravidez ( sui generis e polémica ) para acompanharmos durante este ano de 2013 ...

Aqui fica o seu testemunho... 






"Sinceramente, não sei por onde começar (...) Vou ser mãe!!! Consegui realizar o sonho da minha vida. Por isso queria partilhar com vocês esta viagem tão especial. (...)



Nunca gostei muito de falar da minha vida privada, por isso durante estes primeiros meses de gravidez, fiquei em casa. (...) Como já disse, a minha primeira reação foi ficar em casa. Mas, à medida que os dias passavam, percebi que não me estava a sentir bem comigo mesma pois estava a fazer disto, inconscientemente, um tema tabú, ia ser algo que iria provocar mais polémica e isso não me fazia sentir bem. Também queria evitar que se falasse de supostos pais ou candidatos a esse papel. Isso é algo que não vou permitir agora nem quando o meu bebé nascer: não permito que essa sombra o persiga durante toda a vida. Quero educar o meu filho com verdade e naturalidade.


Por isso decidi contar-vos: para engravidar recorri à inseminação artificial. Apetece-me contar também para ter a oportunidade de agradecer a quem ajuda muitas mulheres a cumprirem o seu sonho. (...)

Acho que não estamos muito conscientes de que, infelizmente, temos um prazo muito curto para sermos mães. Eu nunca tive dúvidas: não iria arriscar esperar pelo companheiro certo para realizar o meu sonho e depois aperceber-me que era tarde demais. Iria ser a mulher mais infeliz do mundo!

Assim, aqui estou eu, impressionada com as mudanças do meu corpo a cada dia que passa e a tentar navegar neste labirinto de hormonas...

Enfim sobre tudo isto tenho muito para escrever e partilhar convosco. E depois deste texto acho que isso vai ser muito fácil.

Assim, despeço-me até ao próximo capítulo. 

Muitos beijos!"

Por aqui... a Barriga Mendinha .. deseja te a ti e a esse mini bebé toda a sorte e felicidade !
You go girl !