Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

A "nossa" vencedora PronoKal, 30 quilos antes de virar uma "top model" :)

Tchan tchan tchan tcahn! É ela! É ela! Gira que se farta, com uma vida inteira pela frente (26 anos), mamã de um bebé de 2 anos e pouco, trabalhadora a tempo inteiro como gestora de informação de uma grande empresa, com uma cabeça fantástica e super comunicativa (falei uma meia hora com ela e gostei tanto de descobrir um pouco mais sobre esta lutadora...).

barriga mendinha final.jpg

Chama-se Ana Figueira e .... foi ela a feliz contemplada com um tratamento total e acompanhado pelo e no método PronoKal. Emagrecimento com acompanhamento nutricional, consultas de medicina geral, foco, saúde, exercício físico, personal trainer, reeducação alimentar, motivação, coaching. Tudo, a tudinho, ela vai ter direito. E nós... cá estaremos a acompanhar o processo, a torcer por ela e a contar a sua história...

 

Com 95,7 kg e 170 cm e depois de ter sido já avalida por uma médica protocolada com o método PronoKal, o ambicioso objetivo desta menina passa por perder, de forma consistente e saudável... 30 quilos! 30 pessoal! Imaginem  só a "top model"  que esta miúda  vai ficar...

image1.JPG

Estas fotos, foram tiradas no dia que a conheci. Há uns 3 ou 4 dias atrás. Com uns quilos a mais, é certo, mas com tanta alegria de viver e tanta luz própria que acredito mesm que vai ser bem sucessida nesta dieta. E muito feliz nesta vitória. Ela... e eu.. que não caibo  em mim de contentamento por poder, através do meu Blog Barriga Mendinha, juntamente com a marca Pronokal, proporcionar a uma pessoa escolhida "por sorte" (a dela) mas que parece ter sido escolhida a dedo ( dadas todas as caraterísticas quer físicas quer de personalidade)... uma daquelas, que acredito que vá ser uma das grandes experiências da vida dela.

image4.JPG

 

A fúria do Açúcar!!!



Há mesmo coisas em que homens e mulheres são definitivamente diferentes. E essas coisa são, sem dúvida, normalmente as mais "clichets" que há. Eles assumem que são alarves.. nós fingimos que não... ehehhe 

Ainda há pouco, quando fui ao supermercado me fartei de rir com a atitude engraçada de uma espécime feminina, que no fundo, não está muito longe do que eu própria fiz já tantas vezes e acredito que a maioria de vocês também!..






Então, lá andávamos ambas pelos corredores e muitas das vezes lado a lado, porque pelos vistos, a rapariga, também deve começar pelo corredor da esquerda e calcorrear o espaço, ora para cima ora para baixo, até chegar ao último corredor, o dos iogurtes, lá mais ao fundo do lado direito... 

Fui reparando que escolhia queijo light, bolachas e pão integral, iogurtes e manteiga magros... Várias vezes pegou num chocolate (negro e com poucas calorias, clarooooo) mas deixou-o mais a frente. Depois, num leite com chocolate ( light  ahahah), por fim, olhou, tocou,  acariciou de mansinho uma caixa de donuts, mas quase com as lágrimas nos olhos ( isto já sou eu a romancear, como já sabem que adoro fazer ..) eles ficaram olhando para ela na prateleira...






As compras foram sendo feitas... lá segui eu para o balcão do peixinho para comprar robalos para logo à noite... e ela foi para a sua vida e para os seus corredores e produtos...

Passou um bom bocado e eis que, já na fila para pagar, vejo a menina real da nossa história a chegar também ela à caixa do lado.

Continuava inquieta, parecia-me...

E pronto, foi aí que se deu " a bronca"... sim, porque como devem saber, a política " maravilhosa" e de apelo ao consumismo destas superfícies dita que perto da caixa existam muitaasssss guloseimas para atrair os miúdos... e não só!....






Os olhos dela arregalaram-se (e não, agora não estou a exagerar), fez uns trejeito muita estranhos, como que a pensar qualquer coisa como "... fogo tenho tantos problemas.... preciso de açucar!! Que se lixe!..."...

E assim foi... depois de um cestinho de produtos selecionados, saudáveis, leguminhos e frutinhas todas pipis... toca de, com aquela cara de obcecada (foi um momentinho só, mas garanto que até me deu medo, tais eram as ganas da mulher) meter assim de repente, para cima do balcão da caixa registadora : 1 pacote enorme de marshmellows, 1 tablete de chocolate de leite grandona, umas pastilhas e mais um pacote de pipocas...

E pronto, está tudo dito. A coitada vai morrer de remorsos hoje à noite... mas ao menos... muito docinha e lambuzadaaaa....

( PS : não me digam que esta história não se podia ter passado convosco? Comigo sim... por isso, estou completamente solidária com a senhora... um dia não são dias pá!!! Enfarda-te lá nisso e de preferencia sem o teu marido ou namorado por perto, que é para depois não te dar na cabeça por causa dos preços absurdos dos produtos light... sim... porque não nos esqueçamos que continuas a fazer dieta ahahhhahha!!!! Certo?)

A minha Idade Metabólica? uns surpreendentes 24 anos......







A idade cronológica de um indivíduo pode não representar a sua verdadeira idade biológica. 
Descobri isso hoje e de uma forma muito sorridente e airosa. Sim, porque aos 36 dizerem-nos que tenho a idade metabólica de 24.... é mesmo de ficar vaidosa não é?
Para descobrir a idade metabólica de um indivíduo é preciso fazer uma avaliação nutricional e física e enquanto na primeira são identificados os hábitos alimentares, na avaliação física são analisados peso, altura, medidas de circunferência (cintura, quadril, tórax, braço, antebraço, abdômen, coxa e panturrilha) e das dobras cutâneas.




E foi isso que hoje fiz, ao começar uma série de tratamentos estéticos na Clínica Body Concept do Chiado. Medidinha, inquirida e pesada...numa balança toda hiper moderna e quase espacial...uma maquineta que, pelo que entendi utiliza o sistema de medição por bioimpedância (BIA) que mediante um sinal de baixa frequência calcula a gordura e a composição corporal.
E eis que a notícia que me fez ganhar o dia: 24 anos! Ui que maravilha! Menos 12...
Bem, a verdade é que, para além de feliz, também fiquei com a pulga atrás da orelha... e com a certeza de que a genética e e a sorte me têm ajudado mesmo. É que  os maus hábitos tornam o organismo mais velho do que sua idade cronológica e o bons hábitos promovem o efeito inverso.  Essa alteração é uma via de mão dupla, porque indivíduos com idades cronológicas avançadas, que cultivaram hábitos saudáveis na juventude e idade adulta, podem nesses casos ter a idade metabólica reduzida.

No meu caso, a minha vida tem sido de “ altos e baixos”. Durante 6 anos, por exemplo fui vegetariana, e pratiquei bastante exercício, nomeadamente Yoga e cheguei a ser Macrobiótica imaginem ( entre os 24 e os 30 mais ou menos ), mas depois, assumo que me descuidei de novo e a vida de dj, por exemplo ( deitava-me mais tarde, bebia alcool ao fim de semana, dormia de manhã e larguei o ginásio talvez por lei natural da preguiça do estilo de vida que se instalou..) não ajudava. Foi assim, acho que até engravidar do Afonso, aos 33...  ( no fundo os meus 3 anos de “desgraceira” ).
Hoje em dia, não me consigo centrar tanto em mim como em tempos. Os filhos, o constante stress, as horas que não esticam, a vida familiar, o ter que cozinhar não só ao meu gosto. Mas também não estou no extremo oposto, a do desleixo -  em que, assumo, tantas vezes, devido ao cansaço ( as mamãs-profissionais sabem com certeza do que falo), me apetece cair..


Enfim, isto tudo para dizer que hoje é um dia importante para mim. Passo a explicar : se existem tipos de personalidade em que o desafio é “provar” a si mesmo e aos outros que consegue ser melhor quando a “ coisa fica preta”, quando nos criticam, quando nos dizem “não és capaz”..., no meu caso, eu sou o oposto... Quanto mais me “ dão na cabeça” menos força tenho para ser melhor, para me superar mas quando me incentivam a isso.. ui, quando me incentivam a isso, dando uma maravilhosa palmadinha nas costas e deixando-me vaidosa e orgulhosa de mim mesma.. então sinto-me imparável e com vontade de tudo.
É o que está a acontecer agora. Sinto-me sortuda. e se o Universo me dá 24 anos , então tudo farei para não o desiludir. No fundo não tenho que me “ curar”, tenho que me precaver, que me prevenir. E agora.. que cada vez estou mais ciente que o tempo não pára e já passei o meio dos 30, esta foi uma espécie de prenda especial que caiu  o meu colo.
A oportunidade está definitivamente aqui. Continuar a acreditar na juventue, na sorte, na genética mas... tratar de mim. Sim, agora já não posso “ fiar-me na Virgem sem correr”. Porque o tal maravilhoso metabolismo, também se pode fartar de trabalhar por si só enquanto eu estou na sombra da bananeira.
Obrigada balancinha maravilha e contas estatisticamente representativas da minha vida passada, presente e agora... Futura.
Sim... porque a vantagem da idade metabólica dos tais 24 anos, é conseguir a saúde, o coração e o corpinho de menina, mas a cabeça, a razão, as prioridades e a auto estima de uma mulher já mais bem vivida de 36. 
Para isso há que conseguir reencontrar a onda do que me faz bem... porque quantas vezes o que nos faz  pior é o mais viciante de todos os males..
Hoje é dia de festejar. E de traçar objetivos .. Há dias marcantes. Há dias assim...