Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Porque tenho afinal eu a barriga inchada?

Então é assim:

Tenho uma hérnia umbical e já sei há umas semanas. Estou a flipar um pouco mas a verdade é que acho que é muito comum e relativamente facil de tratar, por isso (e até porque a minha não dói), acho que não há razão para alarmes.

 

Falei com o médico e  pelos vistos, é algo que veio "crescendo" desde a gravidez da Matilde Estrela, chama-se Diástase ao rompimento muscular que me aconteceu( já vão mais de dois anos). A parede dos músculos do abdómen dividiram-se ao meio, na vertical, partindo do umbigo e depois não se voltaram a unir como deve ser. Muitas das vezes, fica por aí  e aconselha-se o exercício físico, outras... o maroto do organismo decide dedsorganizar-se e os intestinos "espreitar" por esta "porta" que ficou aberta. Foi o meu caso.

diastase1.jpg

 Como já se arrasta desde aí e sem grandes stresses até ao momento, também não é com "aquela" urgência que tenho que intervir ou preocupar-me por aí além. Tenho, por isso, a possibilidade de poder esperar até ao "fim das festividades de Verão" (assim defini eu ao médico o período de tempo até finais de Setembro, não por causa das férias, não senhor, que isso por cá "vai-se fazendo" não "se tem".. mas por causa da época forte do meu trabalho como dj e das viagens que tenho que fazer, devido ao mesmo.). Aí sim, lá para o final do Verão, inicio do Outono, faremos uma operação para tratar desta feiosa que me pode mesmo vir a trazer chatices.

 

As hérnias podem aparecer devido a varios fatores, mas muitas vezes a principal foi um esforço feito em que a gravidez e o próprio parto costumam ser um dos fatores que leva a que a dita se desenvolva. Por isso mesmo, e para não me sentir tão sozinha nisto, decidi explicar-vos o que é e sim... já agora... alertar-vos para tal, pois até pode ser, que tal como eu ela exista e vocês nem se tenham apercebido. 

 

Há casos bem mais extremos e procurando na net... meu Deus, uma pessoa até se assusta, mas aqui, deixo-vos a imagem de uma paciente, como uma hernia umbilical "normal" , de forma a que vejam como o corpo/barriga mudou com a sua remoção. É incrivel, como eu nem fazia ideia que isto pudesse acontecer... teve mesmo que me bater à porta...

abdominoplastia-antes-e-depois.gif

 E sim... no meu caso, foi mesmo numa consulta por questões estéticas, imaginem. A tentar perceber porque raio, depois de um esforço grande da minha parte, com alimentação saudável, exercício e outros cuidados de beleza... o meu peso estava estável, mas.. a minha barriga não desinchava. Aliás, aqui entre nós, a sensação que tinha (e tenho ainda, então agora que sei até parece que mais ) é que cada vez a minha barriga estava mais disforme e saliente... e eu muito chateada e desmotivada por isso.

 

Não foi preciso mais de um minuto, para o Dr. Emílio Valls me dizer, no seu português meio espanholado : "Claro que estás inchada.. tienes una hérnia muito grande por baixo do teu umbigo... e os teus instestinos estão todos fora do sítio o que faz com que os outros orgãos tambien tenham encontrado lugar para se acomodar dentro da tua barriga..." Ahhhh!!! OMG!! Eu, meia parvinha, que não sabia bem o que era isso, quis então saber tudo. Tudo, o que partilho agora com vocês. vejam porque é que me sinto inchada... está aparentemente tudo desorganizado cá dentro:

12687W.jpg

 Basicamente foi isto que me aconteceu. Os músculos abdominais que na gravidez, se afastam para dar lugar ao crescimento lindo do barrigão de grávida... não voltaram ao sítio.. e eu não senti nada durante uns tempos, fiz até muito exercicio e abdominais e tal e tal que neste caso são até contraprodutivos, tendo em conta que os músculos não estão no lugar certo e fazer esforços aí pode até piorar e "atirar" a hérnia ainda mais para fora.

umbilical_hernia_growth.jpg

E o que é efetivamente?

 

Uma hérnia umbilical surge quando parte do intestino se projecta através de uma abertura nos músculos abdominais. felizmente geralmente inofensiva mas que pode ser muito complicada, principalmente se rebentar, devido algum esforço maior.  Raramente acontece mas há que tomar precauções.

 

As hérnias umbilicais são muito comuns em crianças mas também podem afectar adultos. Numa criança, a hérnia umbilical pode ser particularmente evidente quando a criança chora, provocando a projecção do umbigo e normalmente até aos 3 anos de idade desaparecem. Quando não.. também terá que haver cirurgia.

UmbilicalHernia.jpg.jpg

Nos adultos, a cirurgia é normalmente recomendada para evitar complicações – especialmente se a hérnia umbilical ficar maior ou se tornar dolorosa. Durante a cirurgia, é feita uma pequena incisão na base do umbigo. O tecido herniado é reposto na cavidade abdominal e a abertura na parede abdominal é suturada. Nos adultos, os cirurgiões usam frequentemente uma malha para ajudar a fortalecer a parede abdominal.

 

E pronto... blagghhhh... é isto. Agora... no meu caso, é não pensar muito na coisa ( mas claro que penso nem imaginam..), não esforçar muito  nem fazer demasiada pressão abdominal ( nem aquele encolher que todas fazemos para ficar melhor no bikini é bom... ai Deus meu, como vai ser este Verão). E depois... lá vos chegarão, para o fim do Verão novidades,quando fizer a tal intervenção cirurgica. Vai correr tudo bem, mas este é o exemplo... de que as "coisas" também nos chegam a nós, não só aos outros. E de que não fazer um bicho de sete cabeças é o melhor que há a fazer. Ainda ha um Verão pela frente para viver. Com  a tentativa de ter mais cuidados que o normal, é certo mas ... sem dramas.

 

E aí desse lado? alguém já passou por isto? Contem lá as vossas histórias para me deixarem mais descansada com a "coisa"...

 

 

 

 

A Cura também é feita pela energia positiva. E sim... vocês também ajudaram!

 

 

 

 

Quem me acompanha não só pelo blog mas também pelos facebook quer Pessoal quer da Barriga Mendinha, sabe que tenho andado com o coração nas mãos com o meu pai internado no Hospital. Foi uma entrada de urgência, com uma septicémia muito grave em que me disseram..."prepare-se para o pior". Depois uma cirurgia em que perdeu tanto sangue que parecia impossível repor... seguiram-se dias dolorosos nos cuidados intensivos e agora... pouco a pouco, quase miraculosamente... já estamos em fase calminha de recuperação e fora de perigo.

 

Não dei muitos detalhes, até porque de chatices e pormenores sórdidos já está o mundo cheio, mas não deixei de partilhar um ou outro desabafo, uma ou outra foto do hospital, tendo em conta que esta minha comunidade virtual me vai acompanhando mais ou menos em tudo e é muito difícil esconder com posts mais ou menos "chapa 5", a tristeza e preocupação que me iam cá dentro do peito...

 

Muitos criticam o Fb e as redes sociais por aparentemente se moverem por amigos virtuais e que em nada acrescentam à tua "vida real", a não ser um afagar de ego e uma tentativa de esconder algumas solidões. Eu concordo, obviamente em alguns pontos e dependendo da forma de utilização e das motivações que se têm para estar on line, acredito que muitas vezes tudo não passa de "bluff". Mas nem sempre.

 

Quantas vezes, fico triste com uns likes (ou dislikes) postos ao acaso de pessoas que sabes que se estão a borrifar para ti, quantas vezes, alguns comentários despropositados me entristecem e me fazem ver uma sociedade dura, egoísta, preconceituosa, de gente que cara a cara não consegue "vomitar" o que descarrega na net... Mas a verdade é que aqui, com a doença do meu pai senti conforto... E por isso vos agradeço.

 

Deixem-me explicar-vos.

 

 

 

Eu sei que vivemos todos a mil e alguns de nós temos até relações mais virtuais do que reais (se querem que vos diga isso não me incomoda tanto assim, porque os meus amigos "olho no olho" continuam a existir, a telefonar, a jantar e a passear comigo... o resto é um simpático aproximar de pessoas com empatia e até de gente com a qual não contactariamos de outra forma), mas também sei que as "futilidades", polémicas, humor, imagens chocantes... são o que mais suscita comentários, Likes e afins. Por isso, me senti tão bem ao perceber a quantidade de gente amiga, conhecida, seguidora, fã, amiga de amigo... que tirou o seu minuto para escrever, desejar as melhoras, deixar-nos uma palavra de força.

 

Acreditem que eu, que "sou toda das Energias", acho que isso "nos" ajudou. Ok, ok???!!! Energia através do computador!?? Qual quê! Energia positiva das pessoas. Sim, todos têm uma vida a mil, todos se preocupam com o seu "umbigo"... mas se num segundo que seja, as 300, 400, 500 pessoas que puseram um "gosto" no meu curto texto que falava da recuperação do meu pai, que quase nos deixou... e de repente começou a recuperar, sim se  nem que tenha sido por um segundo, todas elas emanaram a Energia que precisava para me sentir confiante, isso ajudou sim!

 

É bom saber, que mesmo sem o conhecerem, se aperceberam, deste tão especial Amor que lhe tenho e... "Likaram", e me ofereçam palavras de conforto e lhe mandaram beijinhos e abraços... e eu, que, como vivo muito na rede, nem sempre consigo comentar tudo o que se passa ou dirigir-me a todos os que me abordam de uma ou de outra forma... aqui, nesta situação, não vi como se esquivar a agradecer-vos a Todos sem exepção.

 

Também para mim o tempo é curto, também faço um scroll rotineiro e rápido na cronologia dos meus amigos virtuais e sem dúvida que só paro para escrever algo, quando essa pessoa me diz mesmo algo ou o tema me toca particularmente. As horas urgem, a sociedade vive a correr, a preocupação com os outros é escassa, porque todos andam "na luta"...

 

 

Mas o agradecimento é o melhor tempo que se pode "perder". Porque não se perde. Ganha-se. Em gratidão, em sorrisos, em simpatia, em verdade, em amigos, em reconhecimento. E ganha-se um pedacinho mais do Mundo.

 

Só que passa "por elas", por um susto assim sabe do que estive e estou ainda a sentir. Tudo parece ficar para segundo plano. Muitas vezes, um desfecho infeliz é inevitável e temos que nos preparar para ele, é a lei da vida... mas a verdade é que quando a ciência, a força, a vontade de viver...e... a Energia Positiva se conjugam... há que agradecer a todas essas condicionantes e ao Universo.

 

Sim, porque acredito agora  (depois de uma semana e meia de tensão e aflição) que o Avô Mário ainda vai andar aí um bom tempo a curtir os seus netinhos, a "azucrinar" a minha cabeça e a da minha mana... a ter ideias estapafúrdias... e a "pegar a vida pelos cornos" lol... Esta analogia veio-me agora à mente... porque ouvi várias vezes os médicos dizerem: "Este homem é um touro" ... sim, tudo o que o podia ter levado de nós, foi até agora ultrapassado.

 

Agora, cá estamos. Eu que já "tinha pouco que fazer"... agora tenho mais esta preocupação. Ele ainda está no hospital onde o visito diáriamente e terei, quando ele sair (não sei se numa semana se num mês) de tratar de todas as deligências para que se sinta digno e confortável na sua recuperação.

 

Mas sabem que mais? É nestas alturas que percebemos na realidade o que significa "Amor incondicional"... É isto. Mesmo que seja difícil, mesmo que me leve horas a outras coisas, mesmo que me aborreçam algumas rotinas do dia-a-dia que irei passar a ter, mesmo que o sistema de saúde (ai o sistema....) me dificulte a vida, onde devia facilitar... mesmo assim: Ainda bem que o meu pai está cá para isso tudo. E a verdade é que, se já gostava muito da sua companhia, agora irei com certeza, depois deste susto, dar muito mais valor a cada pedacinho passado com ele.

 

Sabe o que adoro? Vê-lo a brincar com os meus filhos! E é nessa imagem que me centro quando penso nas suas melhoras.

 

Todos os meninos e meninas deviam ter avós presentes, brincalhões, amigos e atentos. E os meus.... vão continuar a ter! Obrigada avô e Pai Mário pela tua luta pela vida, apesar de sabermos que a dita vida não ter sido muito simpática para ti nos últimos tempos... Mas tudo muda. E para que isso aconteça... precisamos do quê? O.p.o.r.t.u.n.i.d.a.d.e....Só isso... E eis que ela está aqui!!

 

Obrigada a todos.

Obrigada ao Universo. A Deus.

Obrigada a todos os profissionais que o ajudaram tanto no Hospital de São José, como no Curry Cabral, onde ainda está.

Obrigada à família próxima (principamente ao meu Hugo, à minha irmã, aos primos Francisco - e sua Sofia- e Marilú e e ao meu padrinho Luís) e...

Obrigada ao bater do coração ( o meu que aqueceu ainda mais com esta intensidade de sentimentos... e ao dele... que continua a bombar como se quer!!)

OBRIGADA...