Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

5 truques para superar noites mal dormidas

 

5 truques para superar noites mal dormidas (e  conseguir não rogar pragas aos nossos filhos pelas olheiras e má disposição provenientes da falta extrema de horas de sono):

 

1. Pensar que os amamos muito

 

2.  Pensar que os amamos muito

 

3.  Pensar que os amamos muito

 

4.  Pensar que os amamos muito

 

5.  Pensar que os amamos muito...

 

Chega?

 

Dormir!? (Se eu dormisse)... seria esse o meu sonho mais desejado...

 

 

 

 

 

Entre muitos outros artigos que pesquisei, encontrei AQUI as descrições que me assustaram e me deixaram ainda mais alerta...

 

Não é por opção e nem sequer por insónias. É por ter dois filhotes pequenos que dão comigo em doida durante a noite (acordo em média, média, atenção...5 ou 6 vezes) e mesmo não tendo uma ocupação de "escritório" com horários fixos... nunca consigo fazer a tal sesta a que me predisponho, durante o dia... porque.. tenho sempre tantoooo que fazer...

 

A verdade é que me sinto, nos últimos dias estranha e sei que tem a ver com a privação de sono (e graças a Deus- mas mau para o bolso- estou numa fase em que quase não tenho tocado à noite, senão não sei como aguentaria...).

 

O meu corpo passa de quente a frio, muito rápido, sinto-me zonza, digo coisas parvas, ando hiper esquecida, troco tudo... sinto-me mesmo tipo... bêbeda, sem o estar na realidade. Assim como quando bebemos uns copázios de vinho à lareira e a "lanzeira", misturada com o álcool nos deixa mesmo assim atrufiadinhas e molengas, sabem?

 

Bem, mas isto é durante o dia... Porque existe aqui um qualquer mecanismo em mim, automáticamente acionado mal vou buscar os meus miúdos à creche ou às avós ( onde tem estado mais por estarem doentinhos)... que faz com que o meuestado alerta volte a estar presente em mim. Energia -um bocado forçada, admito- mas super ultra sónica. Consigo "despachar" os dois nos banhos e jantares, aturo as cada vez mais frequentes birras, ainda brinco, canto.. eu sei lá.

 

Claro que... assumo que, ao mesmo tempo estou desejosa que as 10 e meia da noite cheguem, a hora em que à partida (se o Afonso Luz não fizer os filmes dos últimos tempos em que foge da cama e me aparece na sala tipo umas 5 ou 6 vezes ou a Matilde não começa a gritar mal sente apróximidade do berço quando a quero tirar do colinho...) eles já estão a dormir. Mas naquelas 3 ou 4 horas entre o fim de tarde e noite vou buscar sorrisos e vontades onde eu própria não sabia estarem ainda... Será que a isso se chama Amor? ...

 

Ontem eram onze da noite e era este o "aspeto do meu estado" ( quando não tinha filhos, quantas vezes não jantava eu a essa hora...):

 

 

Estranha forma de vida esta a minha... ela é deita de adaptações às épocas e condicionantes do momento, bem sei,  mas se há uns tempos atrás me dissessem que eu ia viver dia atrás de dia.. ansiosa pela hora de ir para a cama... e rezando que a noite fosse minimanente descansada..eu... que dormia 12 horas de seguida, se necessário, iria dizer que estavam todos loucos..

 

Loucos??? Pois... agora a "quase" louca sou eu! Ai meu Deus.... miúdos meus .. give me a break... A Mamã está a "Crashar" pá!!!

 

Por aqui digo-vos uma coisa...qual depressão pós parto qual quê?!! Se não existe nenhuma patologia com esta definição devia existir. Algo do estilo: " Depressão de mãe super ocupada e com filhos bebés de idades próximas".... Assim, pelo menos não sentiria tão sozinha nesta luta palerma que ando a travar comigo mesmo a cada hora do dia. E da noite...