Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Os manos na mesma escola e o meu coração a transbordar de felicidade

Começaram as aulas. E os meus meninos, voltaram a estar na mesma escola.

21557587_1400835433319483_6385739130392419819_n.jp

 Pode parecer estranho para quem, isso, sempre foi o óbvio, com os seus filhos, fazerem um caminho curricular lado a lado, mas para mim, que por variadas razões ( monetárias, familiares, de localização) tem sido uma luta esta decisão e concretização... estes primeiros dia em que "a coisa" está efetivamente a acontecer, estão a ser de uma alegria que me enche de tal forma, que se torna difícil explicar. Mais ainda, por serem filhos de pais diferentes e por isso, muitas vezes a nossa família nuclear se "desmembrar" com um cá e outro "lá"....

 

Chegar à escola e dar de caras com os manos, a brincar no recreio, ele a ajudá-la a subir a uma estrutura de trepar que existe na areia, cúmplices, orgulhosos por mostrar aos outros meninos a força e confiança que ter um irmão por perto, lhes dá... Oh God! Que doces! Que feliz e completa me sinto...

21432938_1400816686654691_3343462557221116925_n.jp

Apesar de eu ter uma irmã, ela só chegou à minha vida, aos meus quase 15 anos... o que sempre fez de mim uma "filha única com uma irmã" se é que me percebem. Toda a minha infância, vivi sem crianças ( nem primos tinha), sem irmãos.. e sonhando sempre com essa cumplicidade única que se consegue com um irmão com idade próxima à nossa. Mesmo que por vezes, também com muita embirrice à mistura, mas que tabém faz parte... Talvez por isso, por este meu desejo de companhia e companheirismo que sempre acompanhou a minha meninice, tenha insistido tanto no fato de os desejar juntos, a caminhar lado a lado, a criar o mesmo circuito de amigos ( os miúdos nesta escola são relativamente poucos e todas as idades interagem no recreio, além disso há muitos irmãos em turmas diferentes, o que ainda torna este espaço académico mais único e familiar, algo que tanto procurei para eles).

 IMG_20170912_225557.jpg

A Matita apesar de falar ainda muitas vezes na escolinha antiga ( a creche que tanto gostámos e a fez feliz durante 2 anos), parece estar a adaptar-se muito bem à sua sala dos "crescidos" de 5 anos. O Afonso, senhor do alto da sua 2a classe, a adorar reencontrar amigos e professores. A Mãe feliz com este reeínicio de rotinas, apesar de agora... ter mais uma lancheira para organizar e cozinhar de véspera ( todos os dias preparo as refeições e os dois lanches do dia), mais birras de manhã ( Como vamos para mais longe, temos que acordar um pouco mais cedo e tenho que ser sempre eu a levar os dois), mais ginástica no orçamento familiar ( opções e prioridades bem definidas onde muitas vezes nos deixamos de lado, pela decisão de manter os dois filhos no ensino particular) e... um caminho cheio de gritinhos, conversas, birras, risadas, histórias, palermices... agora.. com os dois!! Mais um dos momentos que nos vamos para sempre lembrar, estes caminhos matinais que têm de tudo um pouca, mas especialmente tempo bem "gasto" entre família. Há lá melhor que isso, minha gente? Não há, pois não? ( mesmo que com esta opção, o meu carro continue esmurrado e não me veja a fazer viagens em lazer nos próximos anos loolll... não... o dinheiro não estica e sim.. " não dá para tudo", mas se eu decidir que o meu "quase tudo " são eles e é aí que prefiro aplicar o que vou tendo... quem me pode apontar o dedo?...)

 

Beijinho a todos... aproveitando para desejar um bom ano lectivo para todos desse lado! Sejam felizes nesse vosso percurso, façam as escolhas que puderem e que vos forem no coração e aproveitem para reviver os vossos tempos de escola ( eu faço-o muito) com os vossos miúdos. O tempo não volta atrás... e o tempo.. é agora!

 

 

 

O porquê de achar que os meus dois filhos "têm" que andar na mesma escola...

Quantas vezes digo , principalmente aos mais próximos, que não se ofendam se lhes escrever um mail ( ou uma carta em tempos idos), em vez de lhes ligar a falar cheia de intenções mas a ser interrompida com perguntas que me acabam por desfocar o cerne da questão, confundindo o pensamento. É-me mais facil expor a mim, e aos outros "ouvir" o que escrevo. Principalmente se o tema for sério. E este, é.

 IMG_20170114_142614_734.jpg

Este texto, talvez as tenha (a essas pessoas do meu núcleo e que muitas vezes me levam pouco a sério, talvez pela proximidade que me têm...) como leitores finais (as voltas que uma pessoa tem de dar para ser levada a sério lol), mas também anseia na vontade de que ajude outras mães, outras famílias que passem pelo mesmo (aparentemente fácil de resolver ) dilema que concerne como desejamos  efetivamente que o nossos filhos sejam educados e principalmente sob que princípios. A  pedagogia das escolas pode mesmo moldar as personalidades dos pimpolhos,  mais do que as próprias famílias ( não nos esqueçamos que eles passam no mínimo 8 horas, no recinto escolar).

  

Ora bem, escolhi uma escola que considero "especial" para o meu filho, um bocadinho e maravilhosamente "out of the box". Fi-lo, agora na sua entrada, há uns meses na primária e não podia estar mais feliz com a dita resolução. Respeito todas as escolhas, ou quase todas, porque as que de que "dá mais jeito" não pegam, pelo menos para mim. Porque ser mãe de alma e coração é isso mesmo, desviar rotinas, acordar mais cedo, fazer mais quilómetros e escolhas conscientes de onde se vai gastar menos dinheiro ( a minha vénia de coração apertado para quem, mesmo querendo não tem mais por onde esticar os ordenados e isso sim, é tão triste...) para gastar mais na mensalidade da escola dos miúdos ou no gasóleo que se gasta até lá. 

 

Conheço todo o tipo de mães e de famílias, desde as desplicentes em que o que interessa é a comodidade pura e dura ( a escola é a dois passos de casa e tem ATL até as 19h? Bora! É isso mesmo!..), aquelas que acreditam que o ensino público é o que melhor prepara para a "vida real" (eu andei em públicos e considero ter sido efetivamente bem formada, mas é "à sorte"... tanto pode correr muito bem, como muito mal), passando pelas "elitistas" dos colégios de renome ( para mim cheios de regras , castigos e quadros de honra que considero desnecessários) em que "quanto mais caro melhor" e ainda.... as mais "alternativas" para quem o ensino mais "livre" é o melhor para o crescimento da criança ( mas que, na minha opinião de "tao perfeitos" acabam por formar crianças desadaptadas da sociedade em que vivemos).

 

Para mim, nenhuma das situações anteriores era a que procurava, confesso. Sublinho que respeito quem tome determinada opção por acreditar que está a fazer o melhor pelos seus filhos, no entanto, olhando para a personalidade do meu filho em particular, para as suas questões colocadas ao mundo, para a sua forma de estar: criativa, artística e pouco comum para um menino da sua idade, pensei  e repensei no tipo de pessoa que quero que ele se vá tornando. Percebi que as pessoas ( professores e outros alunos) que o irão rodear, especialmente nestes 4 anos de escolaridade básica, irão ter uma influência extrema no adulto, nas ideias, nos comportamentos e na forma como se vai posicionar, olhar e principalmente intervir no mundo e a partir daí... a minha direção  e vontade começaram a moldar-se e eu a procurar o que me parecia coerente com esta minha/nossa procura de estar e aprender.

IMG_20170114_143820_877.jpg 

Escolhi (a algum custo pessoal e financeiro - qualidade de vida- que muitos conhecem) aquela que achei ser "A" escola. Uma escola privada mas com uma filosofia tão interessante e afastada da maiorida daquelas que eu acho serem mais "fogo de vista" e "fama" do que outra coisa. A pedagogia que escolhi para ele ( e.. ja lá vamos, também desejo para ela, por razões diferentes,mas no fundo tão iguais...)  tem por base o Movimento da Escola Moderna , adaptando-a, no entanto, à essência e o respeito pela individualidade de cada criança e a sua ação interventora no mundo que a rodeia ...

 

Por exemplo, nesta metedologia: os meninos devem adquirir conhecimentos através da experiência vivida (eles próprios fazem os seus livros de estudo e aprendizagem) e não através de manuais escolares iguais para todos, como acontece na maioria das escolas e colégios, devem experimentar para saber, mais tarde que caminho  seguir, sem nada lhes ser formatado... (atenção, que existem regras, sim senhor... mas não, não existem castigos, algo que é uma luta constante da minha parte como mãe, da qual tantas vezes saio frustrada, por saber que a maioria acha que "assim é que se educa", e me criticam por ser " da conversa" e não " da mão firme").

 

A educação vai resultar da interacção indivíduo-ambiente e é aí que a escola é tão importante. Entendem?



Sabemos que numa sociedade em mudança como aquela em que vivemos, a simples transmissão de conhecimentos é  já insuficiente.A criança precisa de desenvolver plenamente a sua capacidade de iniciativa, de criação, de pesquisa, de solidariedade. Só assim ele poderá ser capaz de se adaptar, de intervir e também de transformar. E é esta ação educativa, que a ser bem conseguida, dará, mais tarde, ao adulto a possibilidade de se auto-realizar e simultaneamente de formar uma consciência social atuante. Sim.. atura.. naõ ser mero espetador e crítico...  que disso já há demais...

 

E sim... 4 meses passados... sinto que acertei na mouche! O Afonso ama ir para a escola, os seus colegas têm interesses um pouco mais abrangentes do que " os desenhos animados, as marcas, as tecnologias", existe uma cumplicidade muito gira entre encarregados de educação, a escola tem relativamente poucos miúdos e é super familiar, os pais não são de todo endinheirados ( vêem-se tantos a levar os miúdos em carros de 1990 lol... o que me faz sublinhar, mais uma vez que as prioridades são diferentes nas famílias que preferem investir na educação ou investir na aparência..) e... toda a "diferente pedagogia" que é veiculada com a minha alma de mãe na perfeição. Quem me dera a mim, pequena Ritinha solitária (fui filha única até aos 15 anos) e criativa ter andado numa escola assim. Existem ateliers de expressão dramática, plástica, ginastica desportiva, dança, piano, yoga, modelagem, culinária, leitura... um mundo a ser explorado, que a mim, quem me dera, ter tido assim acesso em tão tenra idade.

 

Vamos agora ao essencial deste texto (ou não, porque para mim, explicar que o que acredito e desejo para a preparação emocinal e intelectual dos mues filhos é tão importante que se me cola às principais decisões de vida, é essencial também.): A Matilde, que está ainda na pré-primária mas que eu quero tanto, já para o ano inscrever no mesmo espaço com o irmão e que parece estar a ser dificil de aceitar por quem me rodeia. Oiço opinições como : " mas vais para tão longe", "ela não está bem aqui?", "vais pagar mais do dobro, faz sentido?", " e ainda fazer as refeições e a marmita?", "ela não podia ir para um público!?" "... "e para o colégio católico onde já andou grande parte da família!?..."

IMG_20170114_143316_660.jpg 

Ora bem, mesmo podendo e tendo argumento pronto para cada uma das questões acima colocadas ... a preocupação central é antes esta: Os meus filhos e a sua vivência em família e como irmão é demasiado importante, para que crescam por caminhos separados, por direções opostas, por pedagogias distintas, com princípios e valores que não são os mesmos. Se um estiver numa escola que se centra na comunicação e individualidade e outra numa que se pauta pela competitividade e que acredita que "fazermo-nos ao mundo" é ser duro e concorrêncial... se de um lado não existirem castigos mas sim responsabilização dos atos e do outro, existirem duros  corretivos e reepreensões... que irmãos estou a criar? Que pessoas tão diferentes serão eles? Mais ainda.. que mãe seria eu, ao permitir que um filho crescesse "assim" e outro crescesse "assado"? Será assim tão dificil de entender?...

 

Sim, as crianças são diferentes e uns " precisam de uma coisa e outros de outra", mas aqui entre nós, sejas criativo ou assertivo, tenhas aptidão para as artes ou para os negócios, sejas um miúdo tranquilo ou um miúdo mal comportado... não será que numa forma de educar onde a tal individualidade a sua aceitação é o essencial, o mais importante, ao invés de existirem regras iguais para todos seja brutal para minimizar diferenças? Já em casa fujo disso e tantas vezes mal interpretada... quanto mais na escola. Se um se porta mal, não têm ambos que ser repreendidos, não senhora...tal como quando um faz algo merecedor de elogio, não se vai elogiar os dois "só porque sim"... 

 

A verdade é que quando se cresce para lados diferentes é, depois, muito difícil recuperar a empatia e sintonia. E é isto que eu quero estimular., "oferecer-lhes". E é por isso que, sim, quero a Matilde Estrela a acompanhar o Afonso Luz na pedagodia em que acredito, pois  ao perceber o quanto a pode ajudar a gerir as suas frustações e raivas (as famosas birras da menina) sei que só a estou, também eu a ajudar. Quero amá-los de forma igual, quero "esforçar-me" por ambos de forma igual, quero sentir que as suas rotinas de aprendizagem são linguagem que ambs reconhecem e mais.... quero que eles ( também pela ajuda dos valores e forma de estar que escolhi para ambos, na escola onde estarão os anos mais importantes da sua vida) crescam a ser os Seres Humanos que sonhei e saber, que do meu lado, tudo fiz para que isso acontecesse ( depois... fica do lado deles... mas a Mãe deu o seu melhor, não deixando no "deixa andar", ou " dá mais jeito" a mão do futuro de ambos os manos, que mesmo ao serem tão diferentes podem e devem ter os mesmos valores).

 

Termino este texto, dizendo que esta é a explicação de um coração ( e também de uma cabeça) de Mãe plena e que respira os seus filhos. Que  esta não é necessáriamente "A" verdade e que cada decisão familiar terá a sua razão e história, mas que esta  é a "Minha" verdade. E que, ao menos agora, me consigam entender não achando que  ter a Matita no mesmo colégio do Afonso é um capricho,  só "porque sim", mas é, para os meus filhos, essencial para um futuro em comum e para que se desenvolvam e amadureçam como seres humanos, olhando para a mesma direção e não em direções opostas.

 

IMG_20161201_140838.jpg

 

E pronto, minha gente, cansada de não me ouvirem e entenderem, será que ao lerem, já o conseguem fazer?... Acredito que depois da melhor prenda que ofereci um ao outro, que foi... a presença de um irmão para a vida ( ser filho único na infância... sucks;))... esta é a segunda melhor prenda que lhes posso oferecer, enquanto família: a mesma "escola" ( fisica, pedagógica e simbólicamente falando), o mesmo direito à existência, o mesmo crescer ...

Nova escola, novo sumo ;) Querem ver?..

IMG_20150922_140033.jpg

Este regresso à aulas está a ser épico. Escolinha nova, manos de novo juntos (estiveram separados durante o ano letivo anterior), rotinas diferentes, coleguinhas que chegam à nova vida deles e outras amizades que foram ficando para trás... Ai... tanta novidade que a mãmã... sempre de coraçãozinho apertado, para além de estar mais atenta que nunca às suas reações... anda mais mimalha que nunca.

O exemplo? O mimo diário de levarem Um Bongo Tum Tum para beber no recreio.

 

IMG_20150922_095701.jpg

Acaba por ser uma espécie de truque para um regresso às aulas cheio de ritmo e energia que se leva dentro da mochila da escola. E eles adoram, olhem só ;)) Que carinhas larocas as dos meus pirralhos... Principalmente porque lhes contei a "verdeira história"  do Tum Tum Manga:

 

Provado e aprovado por todos os animais da selva, foi trazido da Australândia pelo divertido Tamburu, o canguru mais viajado do planeta, inseparável das suas congas e do seu sumo de Manga.

IMG_20150922_095549.jpg

E depois de conquistar a selva com o seu ritmo e sabor tão especiais, Um Bongo Tum-Tum Manga irá agora fazer as delícias nos intervalos da escola e quem sabe, transformar o toque do intervalo num contagiante rufar de tambores.

 

( E já que estamos numa de segredos e truques, tome lá: Shiiuuuuu... fiquem atentos porque mais semana menos semana tenho Passatempo e ofertas para vocês aí em casa também!! )

 

IMG_20150922_100024.jpg

 

 

A nossa rena de Natal, passo a passo. ..

Quem acompanha o meu facebook, sabe que ontem foi um dia louco, com muitos e diferentes

afazeres e que começou assim... esta tinha sido a manhã estipulada,  já na semana anterior,  para estar presente, uma manhã,  no colégio do meu Afonso Luz para uma atividade Natalícia...

 

Todos os pais foram chamados e os que conseguiram comparecer, dividiram-se em tarefas, por dias da semana. Ontem,  que foi o único dia em que me consegui encaixar (e só eu sei com que "ginástica" com as horas cutas do dia...) e era o dia da costura. Tremi... porque, achava eu, que não tinha jeito nenhum... Ainda ontem, vontava ao meu príncipe,  que, aprendi estas artes de coser, lá para os meus 10, 12 anos , com a minha avó Gi, que era exímia nestas coisas e com quem me divertia muito... mas... tipo... passaram... tipo... 26 anos depois disso... e eu quase nunca mais peguei em linhas e agulhas...

 

O meu brio de encarregada de educação falou mais alto e... quando cheguei à sala de aula, olhei para os feltros e o Afonso me disse que queria o roxo (claro..... é a sua estranha cor preferida ;)), fez-se luz!! Lembrei-me das bolachinhas que eu e a Cristina, a minha parceira no projeto Cups&Cakes, temos levado às feirinhas e... decidi fazer uma Rena, inspirada numa dessas cookies.

 

Meti mão na massa (ou antes no tecido...) e com o apoio (mais moral que outra coisa lol... que andou por lá a maior parte do tempo aos pinotes)... este foi o resultado.

 

Todos os passos, estão descritos e mostram que.. mesmo sem muito jeito... se conseguem fazer um craft bem giro. Não acham?  (E eu e o Afonsinho ficámos todos orgulhosos do trabalho da mamã ...

IMG_20141203_095536.jpg

IMG_20141203_095924.jpg

IMG_20141203_101246.jpg

IMG_20141203_102936.jpg

IMG_20141203_104705.jpg

IMG_20141203_110919.jpg

IMG_20141203_111232.jpg

IMG_20141203_113018.jpg

IMG_20141203_113139.jpg

 

IMG_20141203_113419.jpg

Ah...  E vejam aqui as nossas Christmas Cookies,  que me inspiraram: vejam lá se não está um rena familiar eheheh... uma rena Barriga Mendinha, portanto ;)

IMG_20141129_134132.jpg

 

 

 

A alimentação em idade escolar

 

E já que estamos a começar um novo ano, vamos começar bem não acham?

 

A alimentação é, e acho que não restam dúvidas, a base da construção, crescimento e manutenção do organismo.

Comer é essencial à vida. Se comemos mal, funcionamos mal. É na infância que se dá a aquisição e consolidação

de hábitos alimentares. Aquilo que as crianças comem durante o seu crescimento e a maturação biológica, assume

uma enorme importância para a sua saúde e bem-estar, bem como para os adultos que eles virão a ser. Durante a

infância, a alimentação equilibrada potencia a capacidade para estudar e aprender, comunicar, pensar e imaginar,

ou seja, tem uma influência positiva no desenvolvimento emocional, intelectual e social. Fisicamente, aumenta a

capacidade de defesa contra as doenças, promove um crescimento saudável, dá energia e dinamismo físico.

A responsabilidade na educação alimentar é dos pais, dos familiares e da escola...afinal são estes são os modelos

diários, que acabam por ser seguidos, imitados e incutidos. Deixemo-nos de comodismos e facilitismos! Há muito

trabalho a fazer!

               

Deixo-vos aqui as dicas fundamentais que devem seguir...

 

• A roda dos alimentos, 100% criação portuguesa, é um guia óptimo para indicar o caminho certo! Sigam a

roda dos alimentos!

 

• Todas as refeições têm a sua importância ao longo do dia, mas o pequeno-almoço é uma refeição

imprescindível, particularmente em idade escolar, para ajudar na concentração, na promoção de um

comportamento tranquilo e na melhoria de variáveis psicomotoras, nomeadamente ao nível do movimento

e precisão de gestos. A omissão desta refeição pode estar relacionada com a diminuição da capacidade

intelectual, qualidade geral do trabalho, sonolência e fadiga. Não tomar o pequeno-almoço também

implica uma menor ingestão de vitaminas e minerais e consequentemente uma maior ingestão de gorduras

saturadas, e está relacionado com o aparecimento de cáries dentárias, problemas intestinais e os problemas

de sono. O pequeno-almoço deve ser composto por leite ou um substituto deste, fruta e pão ou cereais.

 

• De uma forma geral, a alimentação diária deve incluir cereais e derivados, leite ou substitutos deste,

produtos hortícolas e sopa de legumes (ao almoço e ao jantar), mais peixe do que carne, e 3 a 5 peças de

fruta.

 

• As horas de refeição devem ser momentos de partilha e de convívio! Conversar e saborear, sentados à mesa,

sem pressas! Mas é importante que estabelecer regras e horários.

 

• Coma e incentive o consumo de sopa em casa. Na escola deverão ser as auxiliares, professores ou dietistas

de serviço a fazer essa sensibilização na hora da refeição.

 

• Nunca use a comida como prémio: “se te portares bem, dou-te um doce!”

 

• As crianças devem ser incluídas aos processos de manipulação e confecção dos alimentos, ou seja... devem

pôr a mão na massa! Partilhe os cozinhados com o seu filho sempre que for possível!

 

• A ingestão de doces e comida “fast- food” deve ser esporádica. São prejudiciais se consumidos

frequentemente...se gosta do seu filho, não abuse nem o deixe abusar destes alimentos!

 

• Planeie, antecipadamente, com o seu filho o lanche a levar para a escola. Este deve ser composto por

iogurtes, leite, sumos de fruta pontualmente, fruta, pão com compota, queijo, fiambre, queijo fundido,

etc. Não inclua bolachas com creme, batatas fritas, refrigerantes, bolos, chocolates, croissants entre outros

alimentos pouco saudáveis no lanche do seu filho.

 

• A água está no centro da roda dos alimentos! É vital! Habitue os filhotes a levar sempre uma água na

mochila!

 

• Normalmente as crianças rejeitam alimentos que desconhecem. A introdução de alimentos novos deve ser

feita calma e gradualmente; Nunca desista e dê o exemplo!

 

• As crianças devem aprender a desfrutar da actividade física, devem aprender, antes de mais, a brincar!

Reduza o tempo “não-activo” dispendido com a televisão e jogos de computador.

 

Nunca é demais lembrar que a obesidade é uma doença e atinge cada vez mais a população infantil. Uma criança

obesa ou com uma alimentação errada, será certamente um adolescente e adulto com problemas de saúde. No

futuro terá mais probabilidades de sofrer de patologias cardiovasculares, diabetes tipo II, colesterol elevado e

hipertensão, sem esquecer os distúrbios da personalidade, decorrentes do estigma de ser gordo.

Então...vamos a isto?

Pega na lancheira...

É já na 4a feira que o Afonso Luz recomeça a escolinha. E que mudança vai ser. Muda de colégio, para o dos mais crescidos, muda de coleguinhas (felizmente uns 4 ou 5 da antiga escola também transitam para lá por isso acredito que se vai sentir mais acompanhado)... e outra grande mudança: A Mãe vai passar a levar o almoço.

 

Já andei a pensar em ideias, muitas, para refeições, que partilharei em breve com vocês mas mais que isso, andei a matar a cabeça na forma ideial para as transportar.

 

Procurei, procurei e eis que encontrei esta marmita ( lancheira, termus.. como lhe queiram chamar) fantástica que tem 4 compartimentos ( dá para sopa, conduto e frutinha cozida e uma sandes para o lanchinho por exemplo ...), mantém o quentinho da comida durante umas boas horas.

               

 

Comprei-as na loja CASA Home e ainda por cima em saldo! Custava 18 euros e eu adquiri-a por 9!

Achei-a gira, mas pouco infantil e já se sabe que com os miúdos... a parte estética conta muito.

 

O resto... foi usar a imaginação. Conheço o filho que tenho, por isso, achei que umas bonecadas giras iam aliciá-lo a ser minimamente simpático para com esta nova fase (sim... porque comer não é assim a coisa preferida da vida dele lol).

 

Andei louca à procura de autocolantes giros e dei de caras com este livro de 500 dos ditos!!!!! Top mesmo ;) Comprei-o  na Imaginarium também em saldo (em vez de 9 euros, estava a 7) .Cada página tem um tema e ele escolheu o dos dinossauros ;)

 

Vai daí, foi só decorar a marmita, que ficou mesmo ao gosto dele.

(ah... claro que com umas quantas lavagens irão eventualemente começar a cair, mas já percebi que é daquela cola que sai bem e olha... quando isso acontecer, já combinámos mudar de tema. Ora temos os bombeiros, ora os piratas, ora os carros ;)... enfim... é só variar)

 

Et voilá! por aqui estamos prontinhos para começar uma nova rotina, que me vai sair do pêlo a mim e que exigirá alguma adaptação da parte dele. Mas como acredito ter sido a melhor escolha ( além de que mais de 50% dos meninos também leva comida de casa, informei-me acerca disso, com medo de que se sentisse "diferente")... cá vamos começar com muita vontade e orgulho... de ser Mamã cozinheira <3 Tudo pelos meus filhos... compreendem não é Mamãs??

 

 

A Matita no bacio ;)









 Por estas e por outras é que adoro a "nossa" creche, O Rei Bebé...

A meio do dia, recebo um mail destes, com uma "notícia" destas!!

O cabeçalho do título dizia assim : " Matilde no Bacio"...

E pronto, lá está , quase em direto e a cores, a minha Pipoquinha, de 9 meses, sentadita a "treinar" para as suas "xixizadas" futuras!!

Que orgulho !" lol!

E que felicidade por saber que a nossa Raquel e as outras educadoras a tratam como família... e a nós também (ou não nos quisessem logo informar deste "real e excepcional feito")... Obrigada ;)

O Afonso, só lá para o ano e meio é que começou esta rotina .. esta espigadota... já nisto!!!

E como é maravilhoso conseguir, nem que seja desta forma virtual, testemunhar o sorriso vitorioso da pequenota e saber que está bem,  mesmo quando não está comigo... Não houve prenda melhor a meio do dia. 

Obrigada filhota, por me pores a mim feliz! Obrigada "Rei Bebé" por me deixares a mim descansada e por a sentir tão acarinhada e bem acompanhada, num espaço onde o lado humano é irrepreensível ...










Acabou a creche e a festinha foi de arromba !

Foi 5a feira passada que o Afonso Luz se formou. Da creche. LOL.

Durante duas semanas, as professoras da "nossa" escolinha Rei Bebé, andaram em grandes segredos e manobras, para preparar o grande dia, e nós, papás, iamos sentindo a azáfama e o entusiamo, conforme a data se aproximava...

Quando chegámos num fim de tarde quente e fomos sendo encaminhados para o terracinho do espaço, percebemos porquê... Realmente todas elas, com a ajuda (ou desajuda LOL) dos nossos petizes, esmeraram-se e o local estava decorado mesmo à séria.

A temática era o fundo do Mar e havia bichinhos marinhos de todos os géneros, e tão giros ( não publico as fotos, devido a não ter a necessária autorização dos papás, mas digo-vos que e imaginação esteve presente e é bom ver os pais assim envolvidos nas atividades das suas crias.. e tão importante para as crianças..).


Aqui seguem algumas imagens do nosso fim de tarde, onde sinto que se consegue transmitir a (literalmente) boa onda que aí  se " nadou". ;)

Obrigada a todas as que contribuem para que o meu Afonso seja um menino mais feliz, atento, sedento e curioso de mundo e.. goste de aprender. A vocês, o devo muito.

Obrigada, também, por começarem a fazer parte da vida da pequena "peixinha" Matilde. Sim, já começam mesmo a ser uma família para nós.

Adorava que "existissem" na nossa vida até à faculdade ... ;)





O meu pequeno polvo, numa máscara costurada pela Titi Mariana ;)




Detalhes da decoração, toda feitinha pelas nossas sereias...





A "Mãe Tita" mais babada que sei lá o quê e o Afonso sem vontade nenhuma de tirar a foto LOL




A "minha Vera" a oficilializar a formatura ;)




 As Educadoras do Rei Bebé e alguns dos meninos / bicho da turminha do Luz




 A cara de "à toa com tudo isto" do meu polvo-filho ;)




Basta este sorriso da diretora Maria João para perceber porque é que a sua energia capta todos: pais, alunos, educadoras . Obrigada João, és sem dúvida uma das mais "bonitas" pessoas que conheci ultimamente ;)




 O orgulho do rapazola, junto da Sílvia e da Verinha, que ele adora ;)



No "fundo do mar", até um mergulhador existia, já viram??




As sereias mais giras do Campo Grande !! ahahha!! Lindas e originais! Que trabalheira meninas... Parabéns ;)




A Matilde Estrela também quis ver a festinha do irmão... e .. tipo... arrancar os tentáculos da fantasia de Polvo ...







E... a avó Clara.. que deu apoio com a irrequieta Matita, enquanto eu, a Mãe babada não parava de fazer filmes e tirar fotos ao Filhote Primogéneo ....

O meu filho já é Finalista ;)




Hoje, o Afonso Luz vai ter a sua Festa de Finalistas!!

Que emoção!!

Festa de Finalistas... da creche, claro!

Vai vestido de Polvo, que é o bicho que o representa na Escolinha e as professoras do Rei Bebé estão num entusiasmo que só elas...

Estou mesmo desejosa e ele super ansioso. Ainda por cima vai tanta gente : Eu, o Gú, o Pai João, A Avó "Tuara" (Clara) e a Tia Mariana que lhe costurou o fato que vai usar hoje.

Bem, é lá para as 5 da tarde e depois euzinha, deixo os babies na minha mãe e vou tocar para um sunset em Oeiras, por isso.. amanhã, juro que vos trago imagens e emoções deste dia especial ok?

Ai meu Deus, parece que ainda ontem nasceu... e agora já é finalistaaaaa ...

Levar os dois à escola é um pandam...






Levar os dois para a escola sozinha é uma luta acreditem!

Estou estafada e ainda agora começou o dia.

O Afonso insiste em vir ao colo porque me vê com a mana. Sacos e mais sacos e escadas para descer enquanto o mais velho faz birra e a Matilde o olha incrédula...

Tanta coisa a trazer.. que até cai e torci um pulso imaginem. E o puto?? riu-se.. até me ver a mim quase a chorar....

E sabem quem teve que o trazer para baixo?? O Senhor Mendonça, o senhor do correio.. porque ele chorava e dizia que tinha medo de descer... umas escadas que já tinha descido 1000 vezes..

É bom “ter-vos aí” para desabafar... Uffff!!

Já fui depois disto tudo ao dentista e cabei de me sentar num café, abri o computador e estou a tomar um capuchino. E o dia ainda tem muito que correr..

Que início de semana..

Às vezes , por mais que a boa onda seja invocada... somos tomadas por um desespero que parece dar cabo de nós.

Mas pronto.. bora lá reprogramar-nos de novo : “ Um sorriso deles e tudo passa!! “ ok? OKKKK?

Yep.... let´s go ;) Grrrrrr....