Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Como foi para a nossa psicóloga a experiência Barrigas de Amor?

A experiencia do Evento Barrigas de Amor com Barriga Mendinha na 1ª pessoa pela nossa psicóloga de serviço Carla Gaspar Duarte:

Este foi um dia especial. 

Nele, esteve presente o sentimento de pertença e o sentimento de celebração , o que é uma ótima combinação. E isso merece ser comemorado. E agradecido. E muito valorizado.

Da minha parte, tenho muito a agradecer. 

Estive presente no Evento Barrigas de Amor a representar o meu próprio projeto (que podem consultar aqui: https://www.facebook.com/psicologiainfantil.pt ) com uma dinâmica para famílias que tinha por objetivo a promoção de tempo de qualidade entre os seus elementos. A dinâmica foi recebida com carinho e entusiasmo pelas famílias que se sentaram connosco. A Elas um obrigada gigante e ainda um agradecimento especial às visitas que tive. 

Este meu projeto cruzou-se há um tempo atrás ,com o projeto da Rita Mendes e do seu blog que adoro ( podem ver aqui: https://www.facebook.com/BarrigaMendinha ). E hoje, neste dia, cimentámos a família que temos vindo a ser.

Dizer o quê?
Caminhos que se cruzam, mulheres lutadoras, simples e empreendedoras que se identificam. E cruzam projetos. E afetos. 

Outras mulheres conheceram a Rita e o mesmo processo de identificação se deve ter dado porque conheci-as a todas e reconheci-lhes essa faceta à primeira. 

De quem põe tudo o que é, naquilo que faz. Com o coração e de coração.

E é por isso que tenho a agradecer. Agradecer por pertencer a esta família que é a família Mendinha, agradecer por conhecer pessoas fantásticas, agradecer por pertencer a um projeto que promete muito dar e acontecer. E comemorar. 

Porque estes são mais do que motivos para celebrar!!!

Carla Gaspar Duarte

 

 

(obrigada pelas palavras de mimo Carlinha <3. Adorei)

Irmão – Um super heroí ou um rival?

....Os dois, em vezes alternadas. Heroí... e rival...

 

Por vezes inseparáveis, outras vezes em briga. Como as amizades. E assim

é natural que seja.

 

A relação com um ou vários irmãos é o local privilegiado para aprender

como se constroí uma amizade, como nos relacionamos com o Outro,

como defendemos o que é nosso e aprendemos a respeitar o que não é.

Todos os Pais conhecem estas brigas alternadas com cumplicidades.

Para poderem respirar. E também sabem que a única forma de evitar

rivalidades é optar pelo filho único.

 

Truques? Alguns, básicos e simples:

 

-Opte por deixar as crianças resolverem sózinhas as suas questões

mas caso a “brincadeira” comece a ficar séria ou fora de controlo,

intervenha pois sempre que as crianças não consigam por elas

próprias mediar ou chegar a um entendimento necessitam da

intervenção de um adulto para as ensinar, orientar e colocar regras.

Não queremos que ninguém se magoe.

 

-Evite tomar partido e atribuir culpas. Se não presenciou o motivo da

zanga, parta do princípio que ambas as crianças são responsáveis

e aplique as mesmas medidas. Se o móvel estiver pintado, peça às

duas crianças para o limparem.

 

 -Procure sempre apresentar num discurso claro e simples, soluções

para a situação-problema (elas vão aprendendo).

 

-Ensine as suas crianças a identificarem sentimentos, a dizerem

o que sentem. Explore e incentive esta conquista. Quanto mais

dominarem esta competência menos utilizarão os gritos.

 

-Humor e momentos pausa: “Tudo para o Banho, vamos à caça de

E por aí, como é? Que truques utilizam? Existem casos mais dificeís?

Partilhem connosco!

 

 

https://www.facebook.com/psicologiainfantil.pt

O nosso novo cantinho da psicologia infantil

 

Porquê este novo espaço no blog?

 

Porquê dar tanta importância à Psicologia na Infância e na Família?

 

Vamos discutir ideias....É para isso mesmo que este cantinho serve.

 

Sentem-se e ponham-se confortáveis. Eu partilho a minha ideia e ouço-os a seguir.

 

Partilhem comigo também enquanto se servem do chá e da manta que este tempo está bom é para conversas quentes no sofá .

Pois bem, começo eu...

 

A mim, a Família é algo que sempre me fascinou e o interesse não tem passado com o decorrer dos anos. Não tem, não. Tanto, que eu própria comecei a construir a minha.

 

A Família parece ter um mundo misto e por vezes confuso: afetos e carinho em construção por um lado e por outros,pimba! Tudo a descambar , sem avisos, ao som de  gritos, rupturas e zangas. Estranh o, não é? Talvez até contraditório, para os mais distraídos.

Pois é.. A família é o primeiro  lugar onde a criança aprende aquilo que ela virá a SER.

 

 É onde aprende a amar e a ser amada; a respeitar e a ser respeitada; a entender o que é a compreensão e a empatia;  a construir relações. Ou não. Ou aprende outras coisas. A Família é o porto seguro e o abrigo de uma criança. Assim o deverá ser.

 

É aqui, no meio da família, no  meio do que vê e do que  vive que ela se constroí. É um poder grande o da Família, não é? Mais outro aspeto que me fascina e intriga . Mas as famílias felizes, não são dois mundos contraditórios, mas sim um espaço onde todos podem falhar e aprender com os erros cometidos. E onde o único poder utilizado é o do amor  ao serviço da educação.

 

Nós queremos famílias felizes, pois queremos!  Sabemos que famílas felizes são a base de uma sociedade saudável e  todos queremos muito  isso, não é?

 

Pois bem, é por isso que eu acho que cantinhos como este devem existir, mesmo que virtuais. É por isso que eu acredito que Psicologia – Infância – e Família andam bem de mãos juntas.

 

É por isso que eu e a Rita nos juntamos às sextas-feiras neste sofá.

 

E vocês o que acham? Parece-vos bem? Agora digam que eu ouço. Com amor.

 

Carla G.Duarte   facebook.com/psicologiainfantil.pt

04 de Abril de 2014