Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Ter um blog... não é tão fácil como parece...

f74c121b202440601f76d82be58e98e7.jpg

Isto às vezes não é fácil. Faz-se mas não é fácil.

 

Isto de ter a obrigação de escrever SEMPRE a toda a hora no blog. Não que desdenhe essa obrigação, longe de mim... fui eu que a crei e agradeço todos os dias o fato de ter seguidoras/es atentas/os e a quem consigo tocar com o que vou partilhando. E é também por isso que não é fácil. Por "vos" falhar. sei lá se não vieram cá ontem de propósito e a porta estava "fechada". Nada de novo há 9 dias Oh God!!...

 

Porque a vida vai andando e uns dias com mais cansaço (e não apetece) e outros dias mais em baixo (e não apetece) e outros dias com tantos temas na cabeça que nem se sabe como e por onde começar (e não apetece). Mas o nó no estômago está cá. Porque sei... que não escrevi. E sei que alguém ( sejam 2 ou 3 pessoas, 2 ou 3 milhões) está à espera.

 

E parece que os dias correm ainda mais depressa, porque no fundo achas que vais ter sempre tempo "hoje" e quando dás por ti, já estás na cama e refilar contra a falta e tempo... e quando notas... estás sem escrever há uma semana e 2 dias! Porque.. porque... sim. E porque a minha cabeça tem andado meio maluca e sem inspiração, acho eu. (sim que isso também existe, ninguém é uma máquina criativa non stop...)

 

Não, não fui de férias (que no fundo nunca tenho efetivamente, dadas as minhas atividades, vou é tendo momentos...), não não estou doente (apesar de ter tido o Afonso malzinho e depois o Hugo a vomitar e eu mesma ter ido uma noite às urgências do Hospital com dores nos ovários..), não não parti o computador (apesar do meu carregador ter ficado 3 dias retido nos CTT, porque me esqueci dele em Peniche, na casa do meu pai e ele mo teve de enviar e entretanto a maquineta ficou sem vida), não.. não nada! Para mim , que sou tão exigente comigo mesma... não há desculpas. Só... um pedido de desculpas. A vocês.

 

Já me aconteceram umas 3 ou 4 vezes desde que tenho o blog, há mais ou menos 3 anos e sempre com uma boa dose de  culpa, acreditem. Por isso, vos digo.. Isto às vezes não é fácil. Faz-se mas não é fácil.

 

Estou aqui. Vocês, leitores "salvam-me" também a  mim mesma. Libertando-me das minhas questões, dos meus fantasmas, sendo os/as ouvintes (leitores/as) que preciso para contar os meus precauços e sentimentos referentes à vida e à minha família. São o barómetro que me faz pensar em todas as opções que faço enquanto mãe. Estou aqui para ficar. E sei que se me alhear um pouco, vocês... pode ser que não. Porque a net e volátil, porque todos vivem de forma muito rápida, porque "como eu há mais" à espera das tais centenas de visualizações que fazem com que te destaques no mercado do digital. Por isso... as coisas fazem-se, mas.. não são fáceis. Existe esta pressão, que eu não quero viver mas que existe, não há volta a dar. Uma semana sem textos... impensável para quem quer ficar por cá como referência.

 

Não apareço aqui há largos dias, mas continuo nas redes sociais, no Instagram, no facebook.. naquilo que considero o rascunho de um blog. Acompanhem-me por lá, não me deixem sozinhas nestas páginas virtuais. Porque estas aqui, as que vejo em branco, dia após dia, aqui no meu amado blog... são para serem cheias da verdade que eu mesma sou. E a verdade, principalmente para aqueles que acham que ter um blog de sucesso, que "funcione" se faz com uma perna às costas...é a de que, quando este espaço se torna rotina e obrigação (mesmo que se goste muito e eu gosto tanto e tanto e tanto...).. Faz-se... mas não é fácil.

 

E é isto. Estar aqui vale a pena, mesmo que me tenha desfocado por uns momentos. Mea culpa, mea culpa! E... quem confessa não merece castigo, pois não? (não se preocupem que eu já me autoflagelo suficientemente lol)

 

Beijo e até já. Im Back. E com tanto para contar e tantas novidades que vou por aí descobrindo dentro deste nosso universo maravilhoso de mães e mulheres atentas à sociedade e aos afetos. Não perdem (nem eu..) por esperar ;) Love you Followers ....

 

Solidariedade é a dor do outro doendo em mim...






Amores da minha vida...

Vivo um dor diária, não equivalente, com certeza à de quem me pede ajuda... mas muito angustiante também acreditem.

Diáriamente chegam-me vários pedidos de divulgação de páginas de solidariedade, de pedidos de ajuda, para que participe como Dj, Rp ou somente com a minha presença em eventos para angariação de dinheiro...

Aqui deixo, para já, o meu pedido de desculpas, por muitas vezes não responder. Não o faço porque ... basicamente não sei o que dizer.

Se respondo a verdade : que se "cedo a um" tenho que ceder a todos, por uma questão de justiça e que o meu blog se iria tornar num outro. Nada de desvirtuante, antes pelo contrário, mas a verdade é que para o fazer, todos os outros temas (até por falta de tempo para tudo, não se esqueçam que sou eu que faço todos os conteúdos) desapareceriam... bem, se respondo a verdade, posso ser mal interpretada.

Se não respondo... posso ser mal interpretada...
Se me alio a uma causa e não a outras... posso ser mal interpretada...
Mesmo assim, isto aperta-me o coração.
E por isso, estou a arranjar uma solução.
O meu blog está a ser reformulado e por isso decidi que vou ter uma rúbrica semanal de SOLIDARIEDADE. E aí, posso fazer links de páginas, contar as histórias que me chegam e tenatr dar a divulgação que poderá fazer a diferença.
A verdade é que há causas que me tocam mais que outras... mas digam-me... com que legitimidade, posso eu mostrar isso publicamente? havia de ser bonito.. entendem??
As minhas sinceras desculpas a quem, alguma vez me enviou um projeto, um link, um pedido e não obteve resposta. Entendam que tem a ver com isso. Não o saber gerir...

 

A partir de agora existirá um dia da semana para as vossas causas e pedidos. vou tentar fazer um apanhado de tudo e para isso por favor NÃO enviem mensagens para o FACEBOOK, enviem para o MAIL :
barrigamendinha@gmail.com

 

Beijos no vosso coração. 
Principalmente de todas as mães e pais qu sofrem e de todos os meninos doentes ou sofredores. 
Quantas vezes a vida é tão injusta que nos deixa de mãos atadas...