Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Aquelas que tomam conta "dos nossos" mas que também têm "os seus"

Hoje quero fazer uma vénia às "outras mães". Aquelas mulheres que tomam conta dos nossos filhos... mas que também são mães dos delas. E de que tantas vezes nos esquecemos na nossa "maternidade egocêntrica". Elas também estão do "lado de lá" e geri-lo deve ser do caraças...

IMG_20170329_124112.jpg

A professora do meu filho (e de outros dezanove)... tem um filho quase da idade dele. Todos os dias, ambos acordam as 6 da manhã, todos os dias se despedem e ele fica "do lado de lá" enquanto o coração desta mãe se descola do do filho... para se vir colar ao "dos nossos". No dia de Carnaval, foi com "os nossos" que teve o desfile, foi com os "nossos" que brincou. No Natal, pouco tempo teve para fazer a sua árvore em casa mas a da sala de aula feita com catolina e enfeites, estava irrepreensível. Preocupa-se com o que "os nossos" comem mas não está presente na hora do almoço "do seu" e é com "os nossos" que passa grande parte do seu dia. Estranha ironia, não é?

 

Uma das diretoras da mesma escola tem dois. Apaixonada pela pedadogia como é, sei que aproveita todos os fins de semana para programas com eles, mas sei também que não consegue nem metade do que desejava. Muito do que já fez com os "seus meninos" acaba por ficar na escola, porque ao chegar a casa, mesmo que as intenções sejam boas, há que fazer o jantar, que dar os banhos e que dar uma voltinha nos trabalhos de casa. Quando dá por si... hora da cama. Para eles e para ela, que amanhã o dia recomeça cedo e "os nossos" estarão à sua espera, na expectativa da energia já habitual. E sem desculpas. Mesmo que tenha dormido pouco, por causa "dos seus". Estranha ironia, não é?

 

A educadora da sala da minha filha, tem dois filhos em idade pré adolescente. Precisam de apoio na parte da tarde, porque saem da escola pública, logo após o almoço. Precisam de apoio, por causa das notas que andam tremidas e para não estarem sozinhos em casa tanto tempo. Mas ela, está com os "nossos" até às 7 da tarde. Para que os "nossos", enquanto nós também trabalhamos não estejam sozinhos e sejam estimulados. Então... tem que usar parte do seu ordenado, para  manter "os seus" num ATL, onde outros auxiliares e professores, os ajudam, no tempo que ela própria não tem, por estar a "ajudar-nos a nós" a entreter "os nossos". Estranha ironia, não é?

 

A uma das auxiliares do mesmo espaço, faleceu o filho ( já maior ) há um ano atrás. Dor que não se imagina. Vimo-la a desaparecer, a desfigurar-se, a camuflar a dor, a ausentar-se por uns tempos. Mas a voltar depois. Pelos "seus meninos", os do colégio. Vimo-la a voltar a sorrir por fora, dentro do seu lamento. Vimo-la a "alimentar-se" do que não pode , ela mesma, ter mais, com o seu: o mimo destas crianças. O tempo que lhes dedicou, aos "nossos" durante anos e anos a fio, acabou por "roubar" ao tempo, pelos vistos finito, do seu próprio filho, não o tendo acompanhado em tantas coisas, por estar ela em horário de trabalho e ele... nas suas tarefas curriculares. Estranha ironia, não é?

 

A todas elas. E às outras também de que não conheço ou não sei a história, dedico uma palavra de Gratidão, de Amor e de Solidariedade. Nós, as "do lado de cá", não seriamos nada sem vocês. E sei que o vosso coração, sofre, anseia, culpabiliza-se,  chora, refleta como o nosso, por se terem que ausentar "dos vossos". Obrigada por tudo. Do fundo do coração.

 

 

 

Vergonha alheia... das Mulheres que criticam mulheres...

so-existem-tres-maneiras.jpg 

E esta heim?? Não aprovei estes comments no meu perfil ( estão já aqui abaixo, no post) por serem tão feios e tão má onda, mas ainda lhes estou a dar mais importância ao colocá-los num post. É assim. Sou coração e não razão, já se sabe...Mas dou-lhes esta "importância" por não ser de enfiar a carapuça que não me serve, por saber exatamente quem sou, e ter orgulho na forma como consigo gerir vida de mãe, vida de mulher, momentos de lazer, momentos de trabalho e momentos de muito e constante cuidado com os meus. Dou-lhes este tempo de antent porque não sou "mariquinhas" e para ver se elas têm vergonha na cara, ah e já agora porque não tenho amas, nannies, empregadas, ( e que mal teria se as tivesse, that's the question...) nem sou desleixada, má mãe, mentirosa ou cínica... hummm... e porque haveria esta gente de pensar isso, perguntam vocês e pergunto eu? Talvez porque tenho uma vida pública, sou dj, apresentadora e blogger... Será mesmo isso, suas cabeças ocas? Será mesmo esse o triste e estúpido preconceito? Ou será porque me conhecem e à minha vida e rotinas de "Mãe extremosa fingida" e têm por isso imenssssoooo a dizer sobre a minha conduta?

 

Mulheres que criticam mulheres... que horror, até me causam arrepios... Das piores tristezas "da espécie"... Incomodam-me mesmo a existência destas "dedo duro", gente de mal com a vida, que quer ser o que não consegue  (ou não compreende) e por isso... ataca!... Infelizmente há muitas (demais..) criaturas dessas por aí, que em vez de tentarem trazer algo bacano a este mundo e fazer algo simpático da vida, só sabem criticar.... principalente a outra mulher, que é alvo fácil e a abater.

 

Se trabalhas e tens filhos ( pior... se tens um trabalho fora do comum como eu tenho, é porque não fazes nada da vida e vives de futilidades) .. sim, se entregas os filhos de manhã no infantário porque  tens que trabalhar e ganhar dinheiro para que a tua família tenha uma vida confortável... é porque não lhes dás atenção, mas por outro lado... se estás em casa 100% dedicada aos miúdoss, é porque és uma beta, uma dondoca, uma ricalhaça sem interesses, preocupações realistas ou neurónios. Se és mãe solteira é porque és uma triste e acabada, se tens filhos de vários pais porque tiveste tomates para terminar relações disfuncionais é porque és "doidivanas" e promíscua, se falas abertamente das precipécias da Maternidade (e graças a Deus há tantas! ;)), é porque não gostas da tua condição de Mãe, se mostras roupas e afins tuas e das criancinhas é porque só pensas em trapos, se tens Ama é porque não te interessas pelos filhos, se não tens e só ligas aos mesmos, és uma mulhar desleixada que deixa de pensar que é Mulher, para além de mãe... e por aí fora. Triste ver esta estirpe crítica e que ainda por cima não sabe fundamentar. Porque no fundo, não tem como.

 

  • Comentário no post Transe-mommy

    A Rita sabe mesmo encarnar na personagem, só que não.... a sua vida não e assim.

    catia (IP: 92.250.122.220) a 21 de Abril 2016, 11:32
  • <input ... >

    Comentário no post Transe-mommy

    A serio querida? Parece q nao gosta da sua condicao de mae, sim, da trabalho, mas pelo vistos e tao egoista que so quer pensar em si e nos seus cremes... Se nao quer trabalho entregue os seus filhos a uma ama e va busca-los quando eles forem adultos. ...

    Boneca (IP: 84.91.57.115) a 21 de Abril 2016, 21:53
  • <input ... >

    Comentário no post Transe-mommy

    Nao tens nada na cabeca....

    Boneca (IP: 84.91.57.115) a 21 de Abril 2016, 21:54

 

E pronto, queridas caras Cátia e Boneca, (talvez até a mesma pessoa camuflada em nomes fictícios), sabem que mais? Este postal é para vocês. E encarrega-vos de decifar a "complicada mensagem" : "Não faça nada, não diga nada, não seja nada".. e assim... nada de críticas. Boa? Nop... thats not me...

 

O "trabalho" que aqui faço no blog é mesmo esse, o que vocês apontam de forma super desagradável e infundada: sim, é Fazer, Falar e Ser. Temos pena ... é falar de coisas sentimentalistas e fortes, é queixar-me ( e Ser) de coração cheio, é escrever sobre Amor e sobre cansaço ( só uma pateta achará que isso é incompatível), é sentir-me próxima dos problemas, questões, acontecimentos das mães que me lêem,  é dizer e abordar os meus erros ( e assumir que os tenho graças a Deus, por isso me tornar completamente... tipo...humana) e também , claro, os meus orgulhos (quando consigo fazer das tripas coração para conciliar com coerência todas as pontas da minha vida), é ter os meus filhos como centro de tudo isto... ahh... e sim... também como mulher vaidosa, cheirosa e (felizmente) até com uns dias felizes de futilidade... falar de cremes, roupas, tendências, eventos (e aqui entre nós.. devo ser das bloggers que menos o faz pá... deviam mesmo informar-se antes de falar do que não sabem). 

 

Et Voilá! Era só isso, queridas invejosas. Ser feliz, não é necessáriamente estar sempre a fazer vénias à vida.. é dar-lhe a volta da maneira mais educada possível, para que ela nos continue a brindar com momentos maravilhosos e gratos. Alguns. Porque os chatos, também existem e é tão libertador poder falar deles minhas senhoras!

 

Beijinho no ombro meninas! Ah... os próximos posts vão abordar provavelmente ( porque como faço isto ao sabor do tempo que vou tendo, das minhas emoções e obviamente dos meus compromisso nunca sei bem qual é o tema do dia seguinte) cremes, roupas e passatempos! Não vejam, credo! Que mãe horrorosa que gosta dessa coisas... Blhacckkk de mulherzinha....

f08a6d6d5eb82f7a425298434c91034a.jpg

 

 

 

 

 

Sobre a ida dela para casa "do pai dele"...

Este fim de semana foi importante. E memorável na história da minha família.

 

Enquanto, lá fora, tristemente as desgraças afetavam a vida de centenas, aqui no nosso (ainda) cantinho, a mãe Rita foi trabalhar para o Norte. A vida "normal", dentro do "não tradicional" que é vida aqui desta nossa família Mendinha. Eu fui para Guimarães e meninos ficaram, como tantas vezes, por Lisboa.

acfffe9bf72bcb04c7f434f9091b82dd.jpg

 

Como sabem, a minha vida é assim. Sem rotinas e com muitas saídas para fora. É a rotina, fora da rotina... e nós já nos habituamos assim a ela.  A diferença deste fim de semana foi... a "distribuição" das crianças. Normalmente, cada um fica no seu pai. Ou com as avós. O Afonso com o pai João, a Matita com o pai Hugo ou, quando assim não pode ser, ambos com a avó Clara, a minha mãe. Desta vez abrimos um precedente e um tão bom precedente. Um do qual me orgulho muito e que espero que seja a porta aberta para um futuro melhor, principalmente para eles, as crianças.

 

Neste caso não falo só das minhas. Acrescento uma ao "rol", passam a 3, nesta história, porque, talvez muitos/as de vocês não saibam mas o nosso Afonso Luz, tem um outro mano de 2 anos, do lado do pai... um mano, sobre o qual a Matita já começa a levantar muitas questões. Já pergunta por ele, quem é, onde está, em que escola anda, quem é a mãe...são perguntas normais de uma cabecinha inocente como a dela. E ultimamente, chorava quando via o irmão a entrar no carro do pai e ir com ambos embora. Nada de anormal, no entando... faz parte do desenvolvimento. Faz parte da história da nossa família. Faz parte das consequências das escolhas que eu, como mãe, fui fazendo, conscientemente para todos. Mas... há sempre um mas...

 

Mas a verdade é que eu ficava com pena. Não deixava de ficar de coração partido ao ver a minha Estrela tristinha e cada vez mais, crescia em mim uma vontade de que os irmãos do Afonso tivessem uma relação maior um com o outro. Maior e principalmente melhor. Sim, porque se continuasse a ser esse o único contato entre os dois ( verem-se nas entregas do irmão aos fins de semana), sentia que não estava a ajudá-los a criarem a identidade certa um do outro. Era algo que andava mna minha cabeça há um tempo. E nas converesas com ambos os pais... tinha receio que a Matilde começasse a sentir ciúmes, vazio, porque a indifinição do que é o "outro lado", o lado do "pai dele" ( como diz a Matita) já se via que lhe começava a fazer confusão... E por isso... este fim de semana.. ela foi para lá! Siga!!

 

Pois bem, antes do "big event" conversámos todos os pais ( sim, porque no fundo, são 4, aqui, os envolvidos e "cada cabeça com sua sentença") e decidimos fazer a experiência. A mana de cá foi conhecer o mano de lá e passar uma noite e um dia na casa do pai do Afonso. E nem vos conto a felicidade de todos ! O Afonso Luz, então, nem cabia em si de contente. Quando lhe disse que a mana ia com ele para casa do pai João, disse-me em extâse: " A mana vai para casa do meu pai, a primeira vez!! E vai dormir comigo e com o mano Filipe! Uau! Boa mãe, boa!!" E nem vos conto também  como a sua reação me encheu o coração e o orgulho que sinto em saber que vou, assim conseguindo, fazer um caminho que nem imaginei existir, mas que me vai fazendo cada vez mais sentido....

228f11805b86010612df19ea25bf083c.jpg

 E assim foi ela de mochilinha já feita para a noite, para a escola, na sexta feira,eu lá avisei as auxiliares e professoras que não estranhassem que o pai do Afonso levasse ambos esse dia, que assim tinha sido decidido por todos. E lá aconteceu então tudo, da forma mais natural possível. A mulher do João, a Vânia também tem um coração grande e recebeu em sua casa a minha menina. E em vez de uma criança ( no fundo só tem um filho..)... aturou três essa noite e esse dia... e pelo que sei, correu muito bem.

 

Ficou a vontade para repetir e tenho a certeza que os miúdos também e quem sabe um dia destes não sou eu a receber em minha casa o mano Filipe, sabendo que então aí... os brilho nos olhos do meu filho seria ainda maior. A ver vamos. Um passo de cada vez. Mas o primeiro já foi dado e com ele muita satisfação entrou nas nossas vidas, garanto.

 

E assim se faz, pouco a pouco, o caminho de uma vida. E assim se tomam decisões, que ao parecer gotas pequenas no grande oceano que é o mundo, se tornam enormes na vida familiar de crianças que têm a personalidade em construção.

 

E que bom que será, se ao sentir no futuro que a sua mente aberta, o seu sentimento solidário, o seu viver longe de sentimentos como o preconceito,a raiva, a diferença, o ciúme, a inveja... possam também  ter vindo de uma génese que nós, os pais destes pirralhos, lhes conseguimos ensinar, não só com palavras, mas também com atos.

 

E sabem que mais? Não há mesmo ninguém como um irmão... seja ele meio irmão, irmão "verdadeiro" ou irmão de coração. E esse legado é o que mais lhes desejo deixar.

 

 

Meninos viciados em tabaco...

Tudo isto é para nós, ocidentais, surreal, eu, pelo menos, fiquei estupefacta ao ver estas imagens...

O sinal de que as diferenças culturais quando são fortes e muitas, fazem mesmo com que os principios com que vivamos  sejam mesmo outros. Quero acreditar que os pais que amam estes filhos, acham que o tabaco lhes faz tanto mal... como por exemplo, nós, achamos que fazem os doces. E continuamos a dá-los. Será uma comparação viável?

MarlboroBoys_Ex.jpg

 

IIllham Muhamad tem 8 anos. Todos os dias,a  sua avó precisa lhe dar dinheiro para que ele vá até uma lojinha perto de casa. Se ela nega, ele esperneia, faz um escândalo. Mas não é chocolate, revistas, chupas. São.. cigarros, de verdade. Para eles próprio, não para os pais ou amigos mais velhos... Fumador desde os 5 anos, ele faz parte da fatia de clientes da indústria do tabaco que mais cresce na Indonésia: as crianças, que chegam a fumar dois maços diários. Meu Deus!

criancas-fumantes.jpg

 

 

Nos últimos 20 anos, o número de crianças indonésias entre 10 e 14 anos que fumam dobrou. Já os fumadores na faixa dos 5 a 9 anos triplicaram. Apesar de parecer completamente impensável, para nós ocidentais, que temos consciência de todos os malefícios dos cigarros, ver crianças a fumar é perfeitamente normal por lá. Existem regras que proíbem a venda de cigarro para menores, mas que não são respeitadas, claro. Comprar um maço de cigarros é mais fácil e barato que comprar um refrigerante, imaginem...

criancas-fumantes3.jpg

 

A Indonésia é o quinto maior consumidor de tabaco no mundo e por lá a indústria do cigarro tem fortes conexões com o governo, tornando a luta contra o fumo difícil – para não dizer impossível. Chocada com essa realidade, a fotógrafa canadense Michele Siu registrou a vida desses garotos na série de fotos “Marlboro Boys”.

Chocante. Imagens fortes e perturbadoras. ( E principalmente para uma pessoa que como eu, nunca fumou, ainda mais...)

criancas-fumantes4.jpg

 

criancas-fumantes5.jpg

 

criancas-fumantes6.jpg

 

criancas-fumantes7.jpg

criancas-fumantes8.jpg

criancas-fumantes9.jpg

criancas-fumantes10.jpg

criancas-fumantes11.jpg

 

 

 

 

 

 

Pai e mãe tatuam mancha igual à filha...

Quando a pequena Honey-Rae nasceu, apresentou dificuldades para respirar e precisou de ser transferida com urgência para uma unidade de tratamentos intensivos. As complicações do parto foram rapidamente resolvidas pelos médicos, mas deixaram marcas. Em toda a lateral direita do corpo da menina, do dedo grande até às costas, ficou a existir uma grande mancha vermelha a cobrir a pele.. A marca de nascença não apresenta qualquer perigo de saúde, mas pode tornar a criança alvo de dedos apontados, gozo, pena... – sejamos sinceros: crianças e adultos podem ser bastante cruéis.

pais-tatuagem4.jpg

 Na tentativa de que nada disso aconteça com a filhota, os ingleses Tanya e Adam Phillips, pais da menina, tomaram uma corajosa decisão: resolveram tatuar uama marca semelhante neles próprios, de forma que a criança não se sentisse diferente deles. “Apesar de ela ser perfeita, aos nossos olhos, eu sabia que outras pessoas iriam cruelmente apontar e olhar para ela. Durante os primeiros meses de vida, sempre que saíamos de casa, eu fazia questão que suas pernas estivessem cobertas. Eu não conseguia lidar com estranhos olhando curiosamente ou sussurrando comentários“, contou Tanya ao jornal inglês Mirror.

 

O casal, que já tinha vontade de fazer uma tatuagem igual, não pensou duas vezes quando os olhares e comentários aumentaram: eles iriam encarar o problema juntos. Agora, com pernas descobertas e manchas à mostra, a família está mais tranquila e pronta para garantir que a menina não se deixe abalar pela marca. “Algumas pessoas vão dizer que é estranho e vão pensar que o que fizemos é extremo, mas na nossa visão nós fizemos isso para garantir que Honey-Rae não se sinta diferente. Agora a família toda tem a mancha chata mas que nos uniu ainda mais“, afirmou.

 

Existe amor maior do que a da paternidade gente minha, já viram?...

 

pais-tatuagem1

pais-tatuagem2

 

pais-tatuagem5

Todas as fotos © Collect

10 pessoas reais... iguais a 10 personagens de desenho animado

No meio de mais de 7 bilhões de pessoas, é possível encontrar alguém parecido com algumas de desenhos animados, mas nesses casos a semelhança é tanta que parece até que os personagensforam inspirados nessas pessoas. Muito giro mesmo ;)

 
No fundo são uma espécie de "clones não oficiais" de bonecos conhecidos à escala mundial.. e imagino que tal não passe despercebido à maioria das pessoas. A vocês passavam? É que há uns espantosamente parecidos...

1. Ned Flanders (Os Simpsons)
 
 
2. Beavis (Beavis and Butt-Head)
 
 
3. Jessica Rabbit
 
 
4. Carl Fredricksen (Up – Altas Aventuras)
 
 
5. Consuela (Uma Família da Pesada)
 
 
6. Vovó (Looney Tunes)
 
 
7. Mr. Burns (Os Simpsons)
 
 
8. Russell (Up – Altas Aventuras)
 
 
9. Boo (Monstros S.A.)
 
 
10. Alfredo Linguini (Ratatouille)
 
 

Gostam de caminhar? Então vão adorar isto...

Hoje apetece-me sonhar. Com viagens, com paz, usar as cores, o ar, a natureza e sua energia para voar...

 
Não há nada melhor como um passeio por um belo caminho para limpar a nossa cabeça – ou para preenchê-lo com ideias! E por isso, aqui está uma seleção dos mais belos caminhos e trilhos pelo mundo fora ( e sem falhar um português..). 


1 - Spring In Hallerbos Forest, Bélgica
 
 
2 - Rhododendron Laden Path, Monte Rogers, Virginia, EUA
 
 
3 - Padley Gorge, Peak District, Reino Unido
 
 
4 - Spring In Dog Mountain, Washington, EUA
 
 
5 - Dark Hedges, Irlanda
 
 
6 - Bamboo Path, Kyoto, Japão
 
 
7 - Spring In Woodburn, Oregon, EUA
 
 
8 - Caminho até o moinho de vento Halnaker, em Sussex, Reino Unido
 
 
9 - Caminho do Outono, Kioto, Japão
 
 
10 - Wisteria Flower Tunnel Path, Japão
 
 
11 - Winter Forest Path, República Checa
 
 
12 - Trajeto da floresta no outono
 
 
13 - Túnel do Amor, Ucrânia
 
 
14 - Hitachi Seaside Park Path, Japão
 
 
15 - Caminho Springtime, Holanda
 
 
 
16. Estrada de Sintra ao Cabo da Roca ! ( claro... Portugal não podia faltar!)

pt-Estrada-de-Sintra-_en-Sintra´s-road-_es-Carret

 

 

10 carros reais... inspirados nos dos filmes e BD :)

Esta é uma seleção de carros reais recriados por fãs de desenhos animados favoritos. Isso sim é ser fã. Eu fiquei vidrada com alguns de tão originais e perfeitos que estão. Qual escolheriam vocês para andar por aí a curtir??


1. Máquina do Mistério (Scooby-Doo)
 
 
2. Mach 5 (Speed Racer)
 
 
3. Batmóvel (Batman)
 
 
4. Ectomóvel (Caça-Fantasmas)
 
 
5. Furgão Tartarugas Ninja (Tartarugas Ninja)
 
 
6. Optimus Prime (Transformers)
 
 
7. Mate (Carros)
 

8. Corrida Maluca (Corrida Maluca)
 
 
9. Pato Donald Car (Pato Donald)
 
 
10. Carro Do Fred Flintstone (Os Flintstones)
 
 
Fonte: Lista10

Como as crianças maquilhariam a sua mãe

Sabe, quem quer parecer mais perfeita.. que fazer uma make up sem parecer apalhaçada não é mesmo tarefa facil.. Não exagerar aqui, colocar os tons certos ali... e parecer o mais natural possível não é? Mas há tarefas ainda mais difíceis...Passar um delineador com destreza, aplicar a base uniformemente e acertar na cor das sombras é dose:).

 

A experi~encia que se segue, não se baseia, no entanto, no que nós, adultos, achamos que é bonito... mas sim as crianças. Para elas o bonito não está na subtileza ou perefeião, mas sim na explosão de cores. Querem provas?

 

A fotógrafa canadiana Heise decidiu debruçar-se sobre o tema "beleza" e tentou resgatar o conceito que tinha sobre isso na infância ao convidar um grupo de mães e suas filhas, todas com idade de 4 a 5 anos, para uma sessão de maquihagem e fotos. O detalhe é que a maquilhadora não seria a mãe, mas sim a menina.

 

Munidas de um poderoso kit de maquiagem, as crianças tiveram total liberdade para deixar as suas mães mais bonitas – e o bonito, no caso, saiu completamente diferente do conceito padrão.

 

Esse projeto foi inspirado nas minhas tentativas de enxergar a beleza da forma como eu a via quando criança”, explicou a fotógrafa sobre a série, intitulada #Daughterdoesmymakeup. Olheiras e marquinhas não foram escondidas pela maquilhagem, esqueçam lá isso... mas com certeza elas ficaram lindas... aos olhos das filhas <3

 

Vejam as fotos, que máximo, acho que um dia vou deixar a Matita exercitar assim a sua "arte" em mim:

Heise1

Heise2

Heise3

Heise4

Heise5

Heise6

Heise7

Heise8

Heise9

Heise0

all rights reserved www.heisephoto.com Elly Heise Photography

maquiagem-criancas4

 

all rights reserved www.heisephoto.com Elly Heise Photography

maquiagem-criancas7

all rights reserved www.heisephoto.com Elly Heise Photography

Todas as fotos © Heise Photo

 

Os estereótipos Homem Vs Mulher

A Mulher gosta de falar ao telefone. Check. O Homem fala somente o necessário.Check.

A Mulher pensa mais em amor do que em sexo. Check.Homem mais em sexo que em amor. Check.

A Mulher faz mil coisas ao mesmo tempo. Check. O Homem não consegue fazer nem duas. Check.

A Mulher acha sempre que está mais gorda. Check. O Homem acha sempre que está mais "cheio da múscles;)". Check.

E é assim que funcionam os gêneros no surreal mundo dos estereótipos. Check??

 

Para ilustrar isso, o designer chinês Yang Liu criou uma série de ilustrações minimalistas intitulada “Man Meets Woman“. Ao usar ícones simples, os estereótipos são colocados em discussão, em situações que vão do sexo ao trabalho. Afinal, é possível generalizar tanto assim um comportamento a ponto de defini-lo como predominantemente masculino ou feminino? parece-me bem que sim...

 

Confiram algumas das imagens e reflitam também:

 

De homem para homem x De mulher para mulher

man-woman1

Reflexo

man-woman2

Bagagem

man-woman3

Experiências sexuais

man-woman4

Mulher dos sonhos x Homem dos sonhos

man-woman5

Preferências

man-woman6

Objetos estranhos

man-woman7

Melhor arma

man-woman8

Homem moderno x Dona de casa

man-woman9

Autoimagem

man-woman10

Competição

man-woman11

Capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo

man-woman12

Todas as imagens © Yang Liu