Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

O que fazer com uma gravata antiga?

Um tubante/fita é uma boa opção não é?

Quem me acompanha sabe que uso muitos chapéus, lenços e afins.

               

Esta é uma ideia que tive para aproveitar as várias gravatas com que fiquei de herança do meu Avô Zé. Para além de original e na tendência, sou daquelas que acredito que vestir as roupas e acessórios de quem ja cá não está no mundo real, é fazer uma alegre homenagem a quem as usou.

E o meu Zé merece que eu me lembre dele todos os dias...

Hoje foi só mais um.

Gostaram do resultado? 

               

               

A Cura também é feita pela energia positiva. E sim... vocês também ajudaram!

 

 

 

 

Quem me acompanha não só pelo blog mas também pelos facebook quer Pessoal quer da Barriga Mendinha, sabe que tenho andado com o coração nas mãos com o meu pai internado no Hospital. Foi uma entrada de urgência, com uma septicémia muito grave em que me disseram..."prepare-se para o pior". Depois uma cirurgia em que perdeu tanto sangue que parecia impossível repor... seguiram-se dias dolorosos nos cuidados intensivos e agora... pouco a pouco, quase miraculosamente... já estamos em fase calminha de recuperação e fora de perigo.

 

Não dei muitos detalhes, até porque de chatices e pormenores sórdidos já está o mundo cheio, mas não deixei de partilhar um ou outro desabafo, uma ou outra foto do hospital, tendo em conta que esta minha comunidade virtual me vai acompanhando mais ou menos em tudo e é muito difícil esconder com posts mais ou menos "chapa 5", a tristeza e preocupação que me iam cá dentro do peito...

 

Muitos criticam o Fb e as redes sociais por aparentemente se moverem por amigos virtuais e que em nada acrescentam à tua "vida real", a não ser um afagar de ego e uma tentativa de esconder algumas solidões. Eu concordo, obviamente em alguns pontos e dependendo da forma de utilização e das motivações que se têm para estar on line, acredito que muitas vezes tudo não passa de "bluff". Mas nem sempre.

 

Quantas vezes, fico triste com uns likes (ou dislikes) postos ao acaso de pessoas que sabes que se estão a borrifar para ti, quantas vezes, alguns comentários despropositados me entristecem e me fazem ver uma sociedade dura, egoísta, preconceituosa, de gente que cara a cara não consegue "vomitar" o que descarrega na net... Mas a verdade é que aqui, com a doença do meu pai senti conforto... E por isso vos agradeço.

 

Deixem-me explicar-vos.

 

 

 

Eu sei que vivemos todos a mil e alguns de nós temos até relações mais virtuais do que reais (se querem que vos diga isso não me incomoda tanto assim, porque os meus amigos "olho no olho" continuam a existir, a telefonar, a jantar e a passear comigo... o resto é um simpático aproximar de pessoas com empatia e até de gente com a qual não contactariamos de outra forma), mas também sei que as "futilidades", polémicas, humor, imagens chocantes... são o que mais suscita comentários, Likes e afins. Por isso, me senti tão bem ao perceber a quantidade de gente amiga, conhecida, seguidora, fã, amiga de amigo... que tirou o seu minuto para escrever, desejar as melhoras, deixar-nos uma palavra de força.

 

Acreditem que eu, que "sou toda das Energias", acho que isso "nos" ajudou. Ok, ok???!!! Energia através do computador!?? Qual quê! Energia positiva das pessoas. Sim, todos têm uma vida a mil, todos se preocupam com o seu "umbigo"... mas se num segundo que seja, as 300, 400, 500 pessoas que puseram um "gosto" no meu curto texto que falava da recuperação do meu pai, que quase nos deixou... e de repente começou a recuperar, sim se  nem que tenha sido por um segundo, todas elas emanaram a Energia que precisava para me sentir confiante, isso ajudou sim!

 

É bom saber, que mesmo sem o conhecerem, se aperceberam, deste tão especial Amor que lhe tenho e... "Likaram", e me ofereçam palavras de conforto e lhe mandaram beijinhos e abraços... e eu, que, como vivo muito na rede, nem sempre consigo comentar tudo o que se passa ou dirigir-me a todos os que me abordam de uma ou de outra forma... aqui, nesta situação, não vi como se esquivar a agradecer-vos a Todos sem exepção.

 

Também para mim o tempo é curto, também faço um scroll rotineiro e rápido na cronologia dos meus amigos virtuais e sem dúvida que só paro para escrever algo, quando essa pessoa me diz mesmo algo ou o tema me toca particularmente. As horas urgem, a sociedade vive a correr, a preocupação com os outros é escassa, porque todos andam "na luta"...

 

 

Mas o agradecimento é o melhor tempo que se pode "perder". Porque não se perde. Ganha-se. Em gratidão, em sorrisos, em simpatia, em verdade, em amigos, em reconhecimento. E ganha-se um pedacinho mais do Mundo.

 

Só que passa "por elas", por um susto assim sabe do que estive e estou ainda a sentir. Tudo parece ficar para segundo plano. Muitas vezes, um desfecho infeliz é inevitável e temos que nos preparar para ele, é a lei da vida... mas a verdade é que quando a ciência, a força, a vontade de viver...e... a Energia Positiva se conjugam... há que agradecer a todas essas condicionantes e ao Universo.

 

Sim, porque acredito agora  (depois de uma semana e meia de tensão e aflição) que o Avô Mário ainda vai andar aí um bom tempo a curtir os seus netinhos, a "azucrinar" a minha cabeça e a da minha mana... a ter ideias estapafúrdias... e a "pegar a vida pelos cornos" lol... Esta analogia veio-me agora à mente... porque ouvi várias vezes os médicos dizerem: "Este homem é um touro" ... sim, tudo o que o podia ter levado de nós, foi até agora ultrapassado.

 

Agora, cá estamos. Eu que já "tinha pouco que fazer"... agora tenho mais esta preocupação. Ele ainda está no hospital onde o visito diáriamente e terei, quando ele sair (não sei se numa semana se num mês) de tratar de todas as deligências para que se sinta digno e confortável na sua recuperação.

 

Mas sabem que mais? É nestas alturas que percebemos na realidade o que significa "Amor incondicional"... É isto. Mesmo que seja difícil, mesmo que me leve horas a outras coisas, mesmo que me aborreçam algumas rotinas do dia-a-dia que irei passar a ter, mesmo que o sistema de saúde (ai o sistema....) me dificulte a vida, onde devia facilitar... mesmo assim: Ainda bem que o meu pai está cá para isso tudo. E a verdade é que, se já gostava muito da sua companhia, agora irei com certeza, depois deste susto, dar muito mais valor a cada pedacinho passado com ele.

 

Sabe o que adoro? Vê-lo a brincar com os meus filhos! E é nessa imagem que me centro quando penso nas suas melhoras.

 

Todos os meninos e meninas deviam ter avós presentes, brincalhões, amigos e atentos. E os meus.... vão continuar a ter! Obrigada avô e Pai Mário pela tua luta pela vida, apesar de sabermos que a dita vida não ter sido muito simpática para ti nos últimos tempos... Mas tudo muda. E para que isso aconteça... precisamos do quê? O.p.o.r.t.u.n.i.d.a.d.e....Só isso... E eis que ela está aqui!!

 

Obrigada a todos.

Obrigada ao Universo. A Deus.

Obrigada a todos os profissionais que o ajudaram tanto no Hospital de São José, como no Curry Cabral, onde ainda está.

Obrigada à família próxima (principamente ao meu Hugo, à minha irmã, aos primos Francisco - e sua Sofia- e Marilú e e ao meu padrinho Luís) e...

Obrigada ao bater do coração ( o meu que aqueceu ainda mais com esta intensidade de sentimentos... e ao dele... que continua a bombar como se quer!!)

OBRIGADA...

 

Nesta avenida que piso, tu passeavas também...





Para além da dor natural numa situação destas.. dou por mim, enquanto dou passos largos a caminho de casa, a pensar... que a Vida é mesmo breve, damm!!

... Ainda "há uns dias", eu brincava e vibrava com as conversas e com a voz poderosa da Tia Celeste. E hoje, ela e os seus 85 anos, foram-se embora..


No velório, pedi-lhe que, ao chegar "lá",  beijasse a avó Gi e o Avô Zé e que ... Não, não que lhes dissesse a falta que fazem,  porque eles sabem-no bem (principalmente a mim, nos momentos em que preciso encontrar o caminho e me sinto a cambalear  no escuro)... Mas que ... os brindasse, antes,  com a gargalhada que dela me lembro e que os 3 se sentassem a contar as novidades e a ironizar com elas, como tão bem os 3 fizeram sempre em vida !!

 Sim, divertidos e a mandar força genuína para nós, através da boa disposição de que tanto precisamos/preciso para ultrapassar os "pequenos grandes males" que se nos vão colando à pele, à alma e ao dia a dia.


Também  o tio Centeno, de quem ela morria de saudades, a esperará .. Mas esse encontro é só deles.

E também a minha querida bisa Alice,  ai que saudades...

Ela estará por lá, de braço dado com as amigas da época, para a acompanhar nas passeatas regadas com conversa trivial, tal qual fizeram anos a fio, aqui pelo perímetro da Avenida de Roma...

A mesma Avenida, que eu, ainda hoje, ainda viva, ao voltar agora, no silencio da tua despedida, Tia, piso.  A mesma Avenida, que com os meus Filhos, vossa descendência, calcorreio todos os dias ao vir para chegar até casa, numa rotina que é agora minha, mas que já foi a de outras gerações...

Nós somos ainda um pouco de ti Tia celeste. E de ti Avó Gi. E de ti Avô Zé. E de ti Bisa Alice...

E assim, as memórias nos fazem viver, sendo por vezes, necessário o impacto e a força deste sopro da Morte, ao levar mais um dos nossos, para nos "acordar" e querer, efetivamente... Viver. Ter medo do tempo que passa e querer aproveitá-lo da melhor forma, não só "estar por estar"...

Querer Viver por nós mesmos. E por vocês, que já se foram.... mas que, no entanto, merecem o nosso respeito, e a homenagem da vossa continuidade.

Tentá-lá-ei honrar todos os dias, juro ... E quando não conseguir ... Conto com uma das vossas gargalhadas inesquecíveis ( é impressionante como a memória visual me trai... mas a auditiva não...) para me darem nas orelhas, orientar com sabedoria e perdoar, Perdoar, acreditando de novo em mim, nas minhas capacidades, na minha força e ignorando as almas negativas e destabilizadoras.

Sempre com um sorriso e uma palmada bem disposta. O vosso sorriso e a vossa palmada, que a partir de certa altura, já se confundem com o que me pertence também. porque em mim, vos tenho a vocês, tal como acredito acontecer com a maioria das pessoas sensíveis e ligadas à família...

Boa viagem Tia / Mulher ... Celeste.



Bom descanso. Bons reencontros.

Os "ursinhos"foram ao Parque verde e ao mimo do avô de Coimbra ;)



Olhem só a relíquia que encontrei em casa do meu avô Mário em Coimbra. Eu e a minha mana Mariana, eu com 16 anos e ela... com 2!! 

Resolvi partilhar, antes de mais, porque achei o máximo ;)




E sim, já rumamos a Coimbra e tem sido um "tirar barriga de misérias" de mimos, porque vimos cá muito pouco. O meu Avô faz este ano 89 anos e mesmo assim, é um reguila e despachado de primeira... Almoçaradas feitas pela nossa "pseudo- avó" Luísa e uma passeata matinal com os miudos num sítio da cidade que eu não conhecia, o Parque Verde. A parte antiga já visitei muitas vezes, mas esta ligada ao rio, era algo que me tem passado um pouco ao lado quando visito, sempre a correr a cidade Universitária de Coimbra.














Patos, Ursos, aliás, o Urso gigante forrado a relva que é o símbolo do parque , jardim infantil, rio Mondego, uma bela brisa quentinha de final de Verão, e um matar saudades de um tempo que não voltará mas que muitas doces memórias me oferece, os imensos Verões que passei nesta cidade com o meu avô Mário e a minha avó Gi, que faleceu já há mais de 10 anos, mas  quem tantas histórias fantásticas passei. Foram ambos tão importantes para a minha formação...
Mas ele está bem acompanhado agora, isso está, e isso mantém o sorriso no meu coração..

















E assim... com estes olhinhos de felicidade... nos despedimos destas Mini-férias de 5 dias. Mal terminar este post... toca de arrumar a tralha (parecemos uma família cigana LOL) e... rumamos a Lisboa, que já tanto nos espera de afazeres.

Beijinho e obrigada vida, por nos ofereceres ainda os "velhinhos" lindos da nossa vida. Sim, estes dias, foram basicamente dedicados aos bisavós e aos seus ambientes. Tão bom para nós e para os mais pequeninos. Que estas referências os tornem melhores pessoas ;)

Homenagem ao meu Avô Zé



Apesar de já passar da meia noite, ainda é dos Dia dos Avós para mim.

Muito podia dizer sobre eles. Muitos beijos podia enviar. Para os meus, para os da Matilde e do Afonso. Para os de todo o mundo.

Mas não deixando de homenagear todos eles, hoje apetece-me enviar um beijo até ao Céu. Para o meu Zé.. com quem sempre tive tanta proximidade... que nunca chamei Avô, simplesmente Zé. Era Avô, amigo, companheiro, "cumpincha", educador, mimalho...

Esta foto tem quase 10 anos. Ele faleceu há seis.

Ainda o sinto na minha vida e imagino o orgulho que teria em ser agora bisavô...E não desfazendo a princesinha Matilde, ele que só teve meninas ( a minha mãe, eu, a minha irmã...)... imagino a loucura que teria pelo rapazolas Afonso Luz...

Foi, uma pessoa tão presente e importante na minha vida que, nele sublinho o exemplo do que os avós devem ser para os netos. 

Amei-o, amo-o e vou neste meu Amor, encontrar mesmo na sua ausência carnal, o orgulho que tenho em tentar, a cada dia ser uma pessoa melhor e dedicar-me de corpo e alma a encontrar o Sucesso na Vida ( sendo o sucesso de que falo, a realização e o conforto da minha família e o encontro de um lugar na sociedade em que sinta que faço, de alguma forma a diferença, ao fazer do meu "pequeno mundo" um sítio melhor a cada dia que passa).

E para todas nós, mulheres românticas (e algumas desencantadas) no Amor... deixe-me dizer-vos que este senhor, conseguiu ser o mais próximo do marido perfeito, aquele companheirão que todas sonhamos ter, durante quase 50 anos. Porque casamentos longos, na época, existiam muitos... mas felizes e serenos acredito que nem tanto assim...Ainda hoje a minha avó me conta as histórias de carinho, apoio, atenção e correção que todas nós sonhamos encontrar um dia, num companheiro de vida. Por isso... um exemplo que, para além de Avô, me alegra, saber que foi como Homem.

Beijo ao meu Zé, e à influência grande que ele teve... na pessoa que sou hoje. obrigada por me teres acompanhado tanto tempo. Muita pena, em não te ter mais tempo ainda... Mas como o Amor se pode tornar eterno, assim também tu o És...

Todo o meu beijinho e mimo para ti e o teu colo "de mel"...




88 anos de amor pelos seus



Consegui conciliar um fim  de semana para vir apresentar a Matilde Estrela ao "bibô" Mário.

Trouxe as trouxas todas e a famelga atrás ( mana Mariana, Afonseco e meu pai ) e como vou hoje tocar perto de Aveiro, passámos por Coimbra e eles ficam cá em casa por uma noite, enquanto eu vou dar música ao pessoal.

Teve que ser assim, senão... nunca mais. A minha vida é um filme e a disponibilidade para fazer uma viagem de lazer é quase impossível.

O meu avô tem uns lindos 88 anos e andava numa ânsia para conhecer a bisneta e estar de novo com o reguila do Afonso, com quem só tinha estado uma vez em Lisboa.

Agora, que estamos todos por cá, num sábado caseiro e maravilhoso em família... apetece-me sublinhar que é mesmo importante dar atenção a quem amamos.

E não esperar para "fazer amanhã o que se pode fazer hoje"... Apesar de ele estar aqui para "as curvas" , nunca se sabe como é o dia de amanhã... e eu sei pelo brilho dos seus olhinhos que esta nossa visita o está a fazer tão feliz!

E ver os nossos felizes, é uma prenda que não tem efetivamente preço !