Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

O dilema da Mãe separada: as férias grandes dos filhos... aiiiii....

Bem então é assim, a tentativa de explicar "isto".

 

O Afonso Luz vai amanhã de férias com o Pai João. 15 dias! 15 inteiros dias sem mim ;( Mas pronto, tem que ser, não é? Faz parte, Farto-me de me dizer isso a mim mesma. Mas uma coisa é a minha consciência, outra coisa é o meu coração... Estou que nem posso. Dizem que são sentimentos destes... que fazem de uma pessoa Mãe. É não é?

 

Vai daí, que como a semana anterior andei em "andanças das músicas", a trabalhar. Pelos Alentejos, pelos Algarves e, apesar deles no coração... 5 dias andei sem eles fisicamente, Cheguei na 2a feira à noite e...e.. apercebi-me, que o meu Caracol Douradinho, iria para as suas férias com a outra família... daqui a 4 dias!! Ai, que dor no coração. Peguei nele e na mana.. e estamos então, por isso (não só... mas também) nas nossas férinhas flash, na casa da avó Clara que tem piscina e é pertinho da praia. Foi o que "arranjei" assim de repente e de coração.

Sabem o que me consome juntamente com a ideia das saudades? O fato de sentir que ele e a mana não permanecem tempo suficiente juntos. Ou pelo menos, o tempo que eu gostava, que acho que eles necessitam para criar laços fortes. Muita gente, me diz preocupada demais, me garante que "eles", os pequeninos, são mais adaptáveis do que nós às diversas situações, que a relação é inabalável, estejam juntos todos os fins de semana ou fim de semana sim, fim de semana não...

 

Anyway... os miúdos que só tinham férias marcadas na escolinha a partir da segunda quinzena de Agosto, foram rapatados por mim e temos andado inseparáveis os úlimos dias. O trio invensível! Os três mosqueteiros. Inseparáveis (ai quem me dera não ter que me preocupar com as coisas mundanas e dedicar-me a este Amor mais e mais e mais tempo... porque segundo dizem.. ele voa.. e "amanhã" eles já terão 18 anos...).

               

Quando tive este flash, passei, então tudo para segundo plano (reuniões, blog, agendamentos de dj e de reuniões, amigos a telefonar...e o facto de sentir que tenho que estar ligada a tudo 24 horas por dia...) e eles, a piscina, a praia, os jogos, as petiscadas, os parques e jardins da zona,as leituras e histórias as passeatas e claro, pronto... um bocadinho de bonecos e tablet ao fim do dia ( os miúdos ainda são mais viciados que nós...) e... assim tenho enchido o meu coração e.. cansado a minha beleza... lol... Sim, que estar com os dois, com os seus caprichos, birras e ciumeira um do outro, também não é pêra doce, acreditem(as noites têm sido difíceis e os dias exaustivos) Se é compensador? Nem vos consigo explicar o quanto.

               

Amanhã o meu Afonso vai e a minha Matilde fica. Metade do meu coração vai murchar, mas não posso também deixar que ela se aperceba. Se esta é a situação ideal? A que eu teria escolhido? Não. Mas todos fazemos o melhor, eu sei. Mãe, pai, avós, padrasto e madrasta. Todos damos o nosso melhor para que as nossas crianças sejam felizes, disso tenho a certeza.

 

Só espero ir tendo a coerência para resolver na vida com sorrisos, o que o coração chora. A minha preocupação com a Matita é a adaptação ao "está-não está" do irmão... a minha preocupação com o Afonso é a de se conseguir "posicionar" em ambas as famílias que são diferentes em rotinas, formas de estar, interesses... e que tudo isso o torne um menino mais forte.

 

Ter filhos de pais separados é duro. Mas nao há nada a fazer, a não ser "entrar no jogo". O que interessa são eles, os miúdos. Pode parecer clichet, mas os clichets são isso mesmo... realidades que não podem ser senão essas. E a verdade é que ter filhos de um pai que vive connosco ( e por isso o filho tambem a 100%) e de outro, cuja vida é outra completamente à parte ( e por isso ter que dividir o tempo com essa família) ainda sublinha a preocupação e tentativa de fazer "tudo certo" se é que isso será alguma vez  possível. Pelo filho número 1 e pelo filho número 2. Cada um pelas suas razões. Cada um pelas mesmas razões.

 

Bem, amanhã é sexta feira, dia 15. Começam as duas semanas de "pai". Sei que ele vai gostar. Mas sofro (mais que ele, de certeza) pelas noites, pelos pesadelos, pelas manias que conheço e não sei se eles sim, pela constipação que ele já leva, pelos perigos dos mares e das piscinas e dos roubos e gentes más por aí nas ruas, fora do meu alcance e longe dos meus braços e conforto.. mas... mas... não há mais mas... não pode. O politicamente correto é este. O sentimento verdadeiro é a de que ter filhos de pais separados é uma grande merda... E pronto. É "isto".

 

Bora lá continuar a viver... mesmo de coração apertadinho ;(

 

E amanhã aproveitar ainda o dia com os meus dois bebézões bem juntinho a mim. Tem sido uma semana maravilhosa ;)

 

 

4 comentários

Comentar post