Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Ainda não têm planos para festejar na 3a feira de Carnaval? Então 'bora!!!

Mamãs e Papás (que os pequenotes ainda não leêm blogs, só por isso...), o Carnaval da Dj Mendinha- sets e live acts para mini pessoas ...vai ser muito divertido e num sítio único e que adoro, A To be kid, em Telheiras.

 

Conhecem este meu projecto? O alter Ego da Dj Rita Mendes "de grandes"?

 

É o primeiro projeto de dj para pirralhinhos que é feito em Portugal e muito prazer me dá fazer estas festinhas.


O sítio onde vamos festejar a Folia é pequenino mas lindoooooo (dá para 50 pessoas) por isso se quiserem estar presentes, apressem-se.

O dia e a hora? às 4 da tarde de 3a feira Feira de Carnaval, dia 4 de Março... já falta pouco!!

Bilhete Família ( 2 adultos e 2 crianças )- 20 euros
Bilhete 1 Adulto e 1 criança-15
Criança Extra- 5 euros

( desconto se forem amigos da Barriga Mendinha e se inscreverem por lá♥)

Estou em pulgasssss!!!!

 

A minha "estreia" na pediatria do IPO

 

 Muito cansada física e psicológicamente, que estes dias têm sido a "abrir" e cheios de emoções... mas ainda quero e consigo descrever o que me vai na alma, ao analizar a importância do dia de ontem.


Passar três horas, em "esteia absoluta" na pediatria do IPO a convite da Fundação PT, foi para mim uma honra. Sim honra, porque testemunhar de perto a força destas mães (e alguns pais e até avós) e meninos e tentar levar-lhe um bocadinho de alento, brincadeiras e sorrisos é sem dúvida enobrecedor.

Em cada uma daquelas bravas crianças, imaginava os meus filhos, porque cada vez mais sei que a vida é uma "roleta russa" e que "os outros" podemos ser nós, um dia.

Pouco ou nada entendo das injustiças do nosso Mundo e do seu Deus, mas uma coisa Sei agora. Sei que sou forte o suficiente para este "trabalho". Sei que mais do que tristeza ou angústia (que tanto me acautelaram que ia sentir) senti uma benção. Sei que dar é melhor que receber. 

Porque o que o Universo, nos oferece depois em troca é um misto sentimentos que mistura muito orgulho com a certeza de conseguir mais que nunca relativizar os nossos problemas.
 

 

 

Levámos bolinhos em forma de coração. estrelas e flores, no fundo como simbolo de alegria, amor, esperança...

 

 

 

 

Aqui, a linda Benedita, filha de mais uma mamã linda e forte, a Susana, com quem tive o privilégio de conversar um pouco, encantou-nos com a sua vivacidade, e.. felicidade, mesmo dorida com picas e catéteres ;(. Sim, felicidade. Que essa é feita de Momentos..

 

 

 

Obrigada a ti, Miguel Marques Castilho, que me convidaste a participar nesta ação, aos profissionais simpáticos e valentes do IPO, à PT e ao Kabir, à Helena da Fundação, à Ana da N' Cakes, à Marta Veiga Cake Design e à Ana da Mimos da Quinta que fizeram os bolinhos, o bolão e os cupcakes.

 

 

 

Obrigada especialmente à Energia que senti hoje.

E sim... tenho fé na melhora de Todos!! Que mais?...

 

 

Ah... e até cantámos os parabéns!! 

A quem? A Todos os meninos internados ou em tratamentos no IPO.. sim, porque acreditamos, rezamos e... cantamos em voz alta "Muitos anos de vida" com significado ainda mais cheio de verdade e esperança....

 

 

 

Cansada por antecipação...

 

A pensar na intensidade que vai ser mais uma semana..e já estou exausta... e aqui esparralhada no sofá, para tentar descansar um pouco.. antecipadamente lol.

Pai que continua no Hospital, a recuperar finalmente, mas que exige mimos, visitas, atenções logísticas e sentimentais diárias.

2a feira vou em visita ao Instituto Português de Oncologia para conhecer 30 crianças com cancro, sendo a madrinha de uma ação da Fundação PT.. Vai ser a primeira vez... e vai ter tanto de emotivo como de angustiante.

3a feira, irei ser uma das convidadas do programa VOCE NA TV, da Tvi, juntamente com outras Mommy Bloggers e o Dr. Quintino Aires, que tanto considero e me identifico nas opiniões. Vai ser muito divertido, verdadeiro e... madrugador. Mais cedo do que o normal, tendo em conta que tenho que tratar dos miúdos e levá-los à escolinha.

Ah no meio disto.... grrr.... a minha carrinha pifou hoje.... por isso... stands, garantias, oficinas, seguros... já estão a ver não estão? Eu não... que tenho tantas reuniões e compromissos.. enfim... tudo se faz não é?!! ( positivity is the only way)

Bem, já estou mesmo cansada só de descrever isto tudo.

Os babies já dormem. Eu vou me atirar para a cama também... antes que a Matilde comece o choro da uma ou duas da manhã para beber o biberon...pufttt...

Até amanhã ... Mendinha´s off now . Click.

A Cura também é feita pela energia positiva. E sim... vocês também ajudaram!

 

 

 

 

Quem me acompanha não só pelo blog mas também pelos facebook quer Pessoal quer da Barriga Mendinha, sabe que tenho andado com o coração nas mãos com o meu pai internado no Hospital. Foi uma entrada de urgência, com uma septicémia muito grave em que me disseram..."prepare-se para o pior". Depois uma cirurgia em que perdeu tanto sangue que parecia impossível repor... seguiram-se dias dolorosos nos cuidados intensivos e agora... pouco a pouco, quase miraculosamente... já estamos em fase calminha de recuperação e fora de perigo.

 

Não dei muitos detalhes, até porque de chatices e pormenores sórdidos já está o mundo cheio, mas não deixei de partilhar um ou outro desabafo, uma ou outra foto do hospital, tendo em conta que esta minha comunidade virtual me vai acompanhando mais ou menos em tudo e é muito difícil esconder com posts mais ou menos "chapa 5", a tristeza e preocupação que me iam cá dentro do peito...

 

Muitos criticam o Fb e as redes sociais por aparentemente se moverem por amigos virtuais e que em nada acrescentam à tua "vida real", a não ser um afagar de ego e uma tentativa de esconder algumas solidões. Eu concordo, obviamente em alguns pontos e dependendo da forma de utilização e das motivações que se têm para estar on line, acredito que muitas vezes tudo não passa de "bluff". Mas nem sempre.

 

Quantas vezes, fico triste com uns likes (ou dislikes) postos ao acaso de pessoas que sabes que se estão a borrifar para ti, quantas vezes, alguns comentários despropositados me entristecem e me fazem ver uma sociedade dura, egoísta, preconceituosa, de gente que cara a cara não consegue "vomitar" o que descarrega na net... Mas a verdade é que aqui, com a doença do meu pai senti conforto... E por isso vos agradeço.

 

Deixem-me explicar-vos.

 

 

 

Eu sei que vivemos todos a mil e alguns de nós temos até relações mais virtuais do que reais (se querem que vos diga isso não me incomoda tanto assim, porque os meus amigos "olho no olho" continuam a existir, a telefonar, a jantar e a passear comigo... o resto é um simpático aproximar de pessoas com empatia e até de gente com a qual não contactariamos de outra forma), mas também sei que as "futilidades", polémicas, humor, imagens chocantes... são o que mais suscita comentários, Likes e afins. Por isso, me senti tão bem ao perceber a quantidade de gente amiga, conhecida, seguidora, fã, amiga de amigo... que tirou o seu minuto para escrever, desejar as melhoras, deixar-nos uma palavra de força.

 

Acreditem que eu, que "sou toda das Energias", acho que isso "nos" ajudou. Ok, ok???!!! Energia através do computador!?? Qual quê! Energia positiva das pessoas. Sim, todos têm uma vida a mil, todos se preocupam com o seu "umbigo"... mas se num segundo que seja, as 300, 400, 500 pessoas que puseram um "gosto" no meu curto texto que falava da recuperação do meu pai, que quase nos deixou... e de repente começou a recuperar, sim se  nem que tenha sido por um segundo, todas elas emanaram a Energia que precisava para me sentir confiante, isso ajudou sim!

 

É bom saber, que mesmo sem o conhecerem, se aperceberam, deste tão especial Amor que lhe tenho e... "Likaram", e me ofereçam palavras de conforto e lhe mandaram beijinhos e abraços... e eu, que, como vivo muito na rede, nem sempre consigo comentar tudo o que se passa ou dirigir-me a todos os que me abordam de uma ou de outra forma... aqui, nesta situação, não vi como se esquivar a agradecer-vos a Todos sem exepção.

 

Também para mim o tempo é curto, também faço um scroll rotineiro e rápido na cronologia dos meus amigos virtuais e sem dúvida que só paro para escrever algo, quando essa pessoa me diz mesmo algo ou o tema me toca particularmente. As horas urgem, a sociedade vive a correr, a preocupação com os outros é escassa, porque todos andam "na luta"...

 

 

Mas o agradecimento é o melhor tempo que se pode "perder". Porque não se perde. Ganha-se. Em gratidão, em sorrisos, em simpatia, em verdade, em amigos, em reconhecimento. E ganha-se um pedacinho mais do Mundo.

 

Só que passa "por elas", por um susto assim sabe do que estive e estou ainda a sentir. Tudo parece ficar para segundo plano. Muitas vezes, um desfecho infeliz é inevitável e temos que nos preparar para ele, é a lei da vida... mas a verdade é que quando a ciência, a força, a vontade de viver...e... a Energia Positiva se conjugam... há que agradecer a todas essas condicionantes e ao Universo.

 

Sim, porque acredito agora  (depois de uma semana e meia de tensão e aflição) que o Avô Mário ainda vai andar aí um bom tempo a curtir os seus netinhos, a "azucrinar" a minha cabeça e a da minha mana... a ter ideias estapafúrdias... e a "pegar a vida pelos cornos" lol... Esta analogia veio-me agora à mente... porque ouvi várias vezes os médicos dizerem: "Este homem é um touro" ... sim, tudo o que o podia ter levado de nós, foi até agora ultrapassado.

 

Agora, cá estamos. Eu que já "tinha pouco que fazer"... agora tenho mais esta preocupação. Ele ainda está no hospital onde o visito diáriamente e terei, quando ele sair (não sei se numa semana se num mês) de tratar de todas as deligências para que se sinta digno e confortável na sua recuperação.

 

Mas sabem que mais? É nestas alturas que percebemos na realidade o que significa "Amor incondicional"... É isto. Mesmo que seja difícil, mesmo que me leve horas a outras coisas, mesmo que me aborreçam algumas rotinas do dia-a-dia que irei passar a ter, mesmo que o sistema de saúde (ai o sistema....) me dificulte a vida, onde devia facilitar... mesmo assim: Ainda bem que o meu pai está cá para isso tudo. E a verdade é que, se já gostava muito da sua companhia, agora irei com certeza, depois deste susto, dar muito mais valor a cada pedacinho passado com ele.

 

Sabe o que adoro? Vê-lo a brincar com os meus filhos! E é nessa imagem que me centro quando penso nas suas melhoras.

 

Todos os meninos e meninas deviam ter avós presentes, brincalhões, amigos e atentos. E os meus.... vão continuar a ter! Obrigada avô e Pai Mário pela tua luta pela vida, apesar de sabermos que a dita vida não ter sido muito simpática para ti nos últimos tempos... Mas tudo muda. E para que isso aconteça... precisamos do quê? O.p.o.r.t.u.n.i.d.a.d.e....Só isso... E eis que ela está aqui!!

 

Obrigada a todos.

Obrigada ao Universo. A Deus.

Obrigada a todos os profissionais que o ajudaram tanto no Hospital de São José, como no Curry Cabral, onde ainda está.

Obrigada à família próxima (principamente ao meu Hugo, à minha irmã, aos primos Francisco - e sua Sofia- e Marilú e e ao meu padrinho Luís) e...

Obrigada ao bater do coração ( o meu que aqueceu ainda mais com esta intensidade de sentimentos... e ao dele... que continua a bombar como se quer!!)

OBRIGADA...

 

Orgulho nas coisas normais...

Toda a minha vida foi vivida envolta em intensidades valentes. Nunca nada foi calminho.... embora eu procure tantooooo isso...

 

E agora a Maternidade, não podia ser diferente, ora pois está.

 

Se eu julgava que as emoções loucas iriam diminuir... ao decidir ter dois filhos com idades tão próximas, só mesmo num momento de plena inocência eu pensei que tudo poderia vir a correr tranquilinho e azul suave, tipo ambiente cool de quartinho infantil de revista..

 

 

Ora então vejam só. Quando me estou a centrar nos primeiros passos da Matilde, logo depois, o Afonso começa a fazer xixi... em pé!! Ambas as conquistas têm a ver com a condição motora e com a garantia da independência. E não dá para dar os parabéns a um e não a outro.

 

É que não posso minimizar uma destas conquistas, não posso não (falo do xixi claro...). Engraçado como cada indivíduo, mesmo que pequenino, encaixa as suas prioridades e vive as suas inseguranças, dando-lhes a volta até à "vitória final"...

 

Falo do quê? Do facto, de que ainda há 2 ou 3 semanas, o pirralho andava numa fase terrível em que chegava a fazer xixi na cama duas e três vezes por noite e agora de um momento para o outro, passa pelo "processo" todo,  melhor que um festivaleiro a tirar a pilinha no canto do gradeamento do recinto.

 

Andei preocupada com o retrocesso dele. Já tinha passado a fase de não se consegir conter e eu era uma Mãe toda "inchada" quanto a isso. Até que os seus descuidos voltaram. Em pior...Pensei em tudo. Ciúmes, chamadas de atenção, frio do Inverno que não ajuda a ir à casa de banho, retrocesso devido à mana pequena... enfim, tudo legítimo.. até que... weeewwwiiiii!!!! Aprendeu a fazer xixi em pé... e agora.. é um senhor!!

 

Viva o meu "mijãozinho" que tanto amo e que começa a ser um homenzinho em ponto pequeno ( ai meu Deus, como o tempo passa...)..

 

Quanto à minha Matita, Stopppp!!!... que aqui as emoções de vê-la, primeiro a caminhar toda cambaleante e agora a correr como uma embriagadazita em ponto pequeno, são assim... de encher o peito e o coração.. Passo a vida a dizer palermices como "Tão queridaaa" e " Olha para aquiloooo"... Pois é, é que quanto a ela... o que dizer acerca das emoções de assistir a ver um filho a dar os primeiros passos a não ser estas básicas baboseiras "à Mãe" que nos saem da boca ? Literal e metafóricamente. A vida esperava por ela. Agora ela já a busca, já começa a correr atrás dela. Ai que sensação... 

 

 

Já tinha sendido todo este empolgamento (sim, porque os pais ficam mesmo empolgados) com o Afonso e ainda pensei que agora, com ela, fosse ser um pouquinho menos emotiva. Mas qual quê?!... É daquelas coisas por que (quase) todos os seres humanos passam, algo que não é "anormal", nem sequer especial, no fundo faz parte parte das leis da natureza humana... mas para nós, os progenitores (acredito que de todos os credos, cores, linguas e cores...) é como se fosse o maior triunfo do Mundo... E no fundo é.

 

Andar é encontrar a primeira fase da auto-suficiência. Andar é um pouco o caminho (passo a redundância) rumo à portinha da toca onde os filhos antes eram totalmente dependentes de nós, um rumo à vida independente. E por isso... é também um entusiasmo ambíguo ( uma Mãe que se preze tanta ama.. como odeia este "desprender" gradual das suas crias em doses iguais e involuntários...)

 

Epá... no fundo, estas últimas semanas de tão simples, previsíveis e funcionais (ambos estão a dominar pouco a pouco as suas pequenas grandes "passadas")... têm sido muito intensas. Para todos.

 

Porque é da vida deles que falamos. E a vida deles é a minha vida. E porque de tão óbvias e singelas, estas pequenas batalhas entre o "tentar" e o  "conseguir" estão, desde tenrinha idade a vincar neles que para tudo existe um querer, um aprender, um orgulho, um caminho...e... Uma Mãe a aplaudir e dar um abraçinho de Amor, carinho e muito muito orgulho !!

 

Bem... que semanas intensas e cheias de coisas tão normais...

 

Parabéns Tesourinhos! Cada dia que passa, estão mais ricos e mais "pessoínhas" ...

 

 

 

Dj Mendinha, conhecem não?? ...

Pessoal a página da da DJ MENDINHA está quase a chegar aos 1000 Fans 

Ajudem-me a alcançar esse número e maissss...

 

Não sabem que é?? Ai ai ai ai ai... lol...

 

 

"  Nasci porque tinha que ser.


Porque Dj já era. Mendinha já era. Criança nunca deixei de ser.


Porque os meus filhos gostam das minhas cantorias. Porque cantar enquanto trabalho na minha mesa de dj com músicas que os miúdos conhecem é mesmo divertido!  "

 


Vá, então tudo a por um LIKE neste meu projeto tão amado de dj para crianças e já agora fiquem a par de tudo o que já fiz, o que "sou" (ela, o meu alter ego infantil eheheh) e o que ainda quero fazer pela pequenada ...

 

Vejam o vídeo/entrevista na Sic K AQUI :)

 

Love u 

 

 

 

 

A família Mendinha vista por uma seguidora do blog

Ela chama-se Cláudia Elvas e surpreendeu-me com este trabalho maravilhoso onde figura a minha família...

 

É uma mamã de uma baby de 13 meses e vive no Luxemburgo. E é fã da nossa Barriga Mendinha, o que tanto me deixou orgulhosa.

 

A sua paixão é o desenho, neste estilo minimalista e fá-lo maioritáriamente para a sua filhota. Aproveitou a licença de maternidade que no luxemburgo, roam-se de inveja,  sao 17 meses (imaginem senhoras... grrrrr.....) para dar asas ao projecto que se adivinha aqui e a outros que ainda estão na sua gaveta.

 

A verdade é que ainda não "se mostrou" ao mundo mas confidenciou-me que gostava muito de partilhar mais com os outros esta sua arte. De ir mais longe com ela...

 

Não hesitei em mostrar-vos o trabalho doce e especial que fez para nós e que se vai tornar, muito em breve, em painel ou quadro e figurar numa parede especial da nossa casa.

 

Espero que, quiça, com esta primeira "mosta pública", a nossa Cláudia possa começar ter algumas encomendas e consiga, passo a passo, iniciar o seu pequeno negócio (cliquem no link do seu FB e falem diretamente com ela). Talento, olho, sensibilidade, sentido de humor, bom gosto, já tem, não acham? Só falta o resto...

 

Sim senhora ;) A Família Mendinha agradece. 

 

Adorámos <3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Polémica da semana!! Ai que me pisaram os calos!!! Grrrrr.....

 

E lá estalou a polémica. Uouuu!!

 

E lá estou eu de nervos em franja. Yéee!!

 

Então é assim: este blog existe para partilhar momentos e um dos feed backs que eu tenho do "vosso" lado é que em muitos dos meus posts vocês se identificam. Por isso falo de tudo. Get it?

 

Desde as frivolidades de que todas as Mamãs acabam por gostar ( porque adoramos as roupinhas, conhecer as tendências, saber quais os novos produtos e não há mal nenhum nisso) até aos sentimentos que passam pela cabeça de quase todas  nós (as dúvidas por mais parvas que sejam, os medos, o cansaço, o amor tremendo que lhes temos versus aqueles momentos em que só queremos voltar a ter um décimo do que tinhamos na vida de solteira)..

 

Ora bem, a verdade é que não, não sou uma "mãe Mártir" como parece que se insinuou, nem o  quero passar. Longe disso. E sim, existem milhares por aí com menos ajudas, sem família por perto, separadas, com ordenados miseráveis ou até desempregadas.A elas lhes tiro o chapéu e têm o meu respeito total.

 

Mas também existem aquelas ( como uma rapariga "betinha" e feliz que conheci no fim de semana que estava grávida do 4º filho com 3 ainda pequenos) que têm maridos ricos, empregada doméstica todos os dias, creches e escolas de elite, baby sitters que acompanham o casal nas férias e nas noites de saídas a dois do casal... Por isso sorria sempre e tinha um outfit de grávida giro de morrer e uma pele fantástica ... ( tratamentos de spa.. clarooooo, lol)

 

O meu caso não é nenhum dos dois.

 

É simplesmente o meu. O meio termo. Com as histórias que conhecem e as outras que não posso ou não quero contar... E aquilo que "vocês" conhecem e seguem,  talvez o tenham feito em primeira instância, porque por contingências da vida e pelo trabalho que fui desenvolvendo ao longo da minha vida, acabei por me tornar uma figura com alguma visibilidade mediática. Daí a curiosidade maior. 

 

E sim, porque além disso (pode ter sido essa a razão primeira de virem ter até "mim" e ao Barriga Mendinha), acredito que depois, as que ficaram, deixando de ser meramente curiosas, gostaram e entenderam que "isto" dá trabalho e é feito com paixão. Sinto-me por isso, uma referência para vocês e isso acarreta responsabilidades.

 

Não escrevo nada, sem pensar muitas vezes. Mas muitas vezes também, levanto a polémica e as vozes críticas. Porquê? Não quero ou não consigo entender. Parece-me uma dor de cotovelo demasido maldosa para conseguir encaixar... se é que me percebem vocês.

 

Vai daí.. que um simples e irónico comentário publico, publicado no blog que reza assim:  "Bolas Rita, com duas avós onde colocar os miudos ainda te queixas de estares sozinha e de cansaço ? Imagina se não tivesses avós como muitas pessoas que emigram e gerem a vida do trabalho (mas trabalho a sério das 9 às 18) e vida familiar sem apoios! Há cada queixinhas!!" me tenha deixado triste e irritada.

 

Estamos a falar da minha vida! E mais ainda, da minha partilha. Não tinha que o fazer, não tinha necessidade. Mas fi-lo porque me gosto de mostrar "humana". Tal como refiro na resposta, eu, como muitas bloggers, podia cingir-me a escrever sobre moda, cremes, programas para bebés, dicas, muitas fotos de famosas grávidas e tal e tal. Tema não falta.

 

Mas se querem que vos diga, ao correr esses blogs e páginas ( e alguns deles muito bons nessas suas vertentes), sinto, como leitora, Mãe, observadora, que falta partilha e sentimento. De verdade. E foi por aí que sempre quis ir.

 

O que mais me motiva é depois de um texto destes, receber uma mensagem que diz: "Obrigada por este post!!! Estou a olhar-me ao espelho! Já nao me sinto tão sozinha nesta luta:) Coragem, não estás sozinha:)"

 

O que mais me irrita é um comentário como que anteriormante transcrevi, ainda para mais insinuando  " Mães.. mas com trabalho à séria".. como se eu não trabalhasse à séria.

 

Ui... minha querida, aí tocaste na ferida... Quero lá saber da vida de outras "figuras públicas"... da minha sei eu. Sabem que mais? (farto-me de dizer isto aos meus mais próximos, que às vezes nem esses comprendem), trabalho provavelmente mais do que  muitas amigas e amigos que entram no escritório no seu horário certinho e que têm tantos momentos de "pausa laboral" que passam o dia no facebook.

 

Eu?? Sim eu também passo. Mas eu TRABALHO nele... e eu Não tenho um ordenado fixo!! Ou seja, se não trabalhar MUITO ( quantas vezes até às 3 ou 4 da manhã, agarrada a um computador, a telefones, a falar com agentes, a criar sets  de música, a contactar rádios, a escrever crónicas, a falar com patrocinadores, a criar projetos...)...- sim se não o fizer... não tenho um ordenado ao fim do mês seja ele de 400 ou 4000. Entendem? Mais ainda... trabalho muito mais agora do que quando fazia exclusivamente televisão. Aí sim , existia um fixo mensal (e dependendo do projeto- para quem não conhece o meu curriculo fiz tv sem pausas durante 10 anos- era melhor ou pior remunerada). E sabem que mais, como sou mais velha e madura, talvez até o faça com mais gosto e consciência..

 

Por isso " Bolas", digo eu minha senhora! É "muita" feio vir aqui tentar "acabar" com a partilha boa onda que este blog pretende ser. Tentar lançar o veneno.

 

Ontem sim, estava exausta. Amanha, por exemplo, irei tocar como dj a uma discoteca ( porque esse é também o meu trabalho) e quem sabe até me consiga libertar e divertir um pouco. Dançar, beber um copo. E nesse dia, essa irá ser a minha partilha, a minha história, o meu conselho para, as que têm a possibilidade, pensarem um pouco em si e darem um pézinho de dança com as amigas... porque faz também tão bem à alma..

 

Talvez nesse dia também, apareçam mais críticas, porque nem todas as Mamãs o conseguem fazer não é minha gente? Porque nem todas têm avós, porque nem todas estão separadas e têm o fim de semana do pai (só eu sei a ambiguidade de sentimentos que isso é), porque nem todas conseguem sair de vez em quando à noite e nem todas conseguem sorrir, porque este país nos está cada vez mais a levar as pessoas à depressão global..

 

 Mas olha, "What the hell", o que querem que faça??... Se estou num dia "down" e o partilho, estou a "gozar" com quem não tem apoios ( Nunca o faria!!! respeito essas mães de uma forma muito séria), se estou num dia mais "up" e partilho as minhas risadas e momentos divertidos e sem filhos por perto... serei qui çá uma mãe pouco atenta...

 

"Haters go home"... por Amor da Santa!!!

 

Enfim, a verdade é que quem aqui vem com boa onda, me acompanha como "História", quase como "novela real" e que serve de aprendizagem e partilha é hiper bem vindo. Vocês sim, são a minha energia;) E os meus relatos servem tanto para os desabafos, como para os sonhos de um dia melhor...

 

Gostas. Fica. Não gostas. Baza... há tantos outros blogs por ai (até demais lol)

 

Beijinho a todas/os e obrigada SEMPRE por estarem aí ;)

 

Vejam AQUI, os comentários e texto sobre o qual falei....

 

 

Dormir!? (Se eu dormisse)... seria esse o meu sonho mais desejado...

 

 

 

 

 

Entre muitos outros artigos que pesquisei, encontrei AQUI as descrições que me assustaram e me deixaram ainda mais alerta...

 

Não é por opção e nem sequer por insónias. É por ter dois filhotes pequenos que dão comigo em doida durante a noite (acordo em média, média, atenção...5 ou 6 vezes) e mesmo não tendo uma ocupação de "escritório" com horários fixos... nunca consigo fazer a tal sesta a que me predisponho, durante o dia... porque.. tenho sempre tantoooo que fazer...

 

A verdade é que me sinto, nos últimos dias estranha e sei que tem a ver com a privação de sono (e graças a Deus- mas mau para o bolso- estou numa fase em que quase não tenho tocado à noite, senão não sei como aguentaria...).

 

O meu corpo passa de quente a frio, muito rápido, sinto-me zonza, digo coisas parvas, ando hiper esquecida, troco tudo... sinto-me mesmo tipo... bêbeda, sem o estar na realidade. Assim como quando bebemos uns copázios de vinho à lareira e a "lanzeira", misturada com o álcool nos deixa mesmo assim atrufiadinhas e molengas, sabem?

 

Bem, mas isto é durante o dia... Porque existe aqui um qualquer mecanismo em mim, automáticamente acionado mal vou buscar os meus miúdos à creche ou às avós ( onde tem estado mais por estarem doentinhos)... que faz com que o meuestado alerta volte a estar presente em mim. Energia -um bocado forçada, admito- mas super ultra sónica. Consigo "despachar" os dois nos banhos e jantares, aturo as cada vez mais frequentes birras, ainda brinco, canto.. eu sei lá.

 

Claro que... assumo que, ao mesmo tempo estou desejosa que as 10 e meia da noite cheguem, a hora em que à partida (se o Afonso Luz não fizer os filmes dos últimos tempos em que foge da cama e me aparece na sala tipo umas 5 ou 6 vezes ou a Matilde não começa a gritar mal sente apróximidade do berço quando a quero tirar do colinho...) eles já estão a dormir. Mas naquelas 3 ou 4 horas entre o fim de tarde e noite vou buscar sorrisos e vontades onde eu própria não sabia estarem ainda... Será que a isso se chama Amor? ...

 

Ontem eram onze da noite e era este o "aspeto do meu estado" ( quando não tinha filhos, quantas vezes não jantava eu a essa hora...):

 

 

Estranha forma de vida esta a minha... ela é deita de adaptações às épocas e condicionantes do momento, bem sei,  mas se há uns tempos atrás me dissessem que eu ia viver dia atrás de dia.. ansiosa pela hora de ir para a cama... e rezando que a noite fosse minimanente descansada..eu... que dormia 12 horas de seguida, se necessário, iria dizer que estavam todos loucos..

 

Loucos??? Pois... agora a "quase" louca sou eu! Ai meu Deus.... miúdos meus .. give me a break... A Mamã está a "Crashar" pá!!!

 

Por aqui digo-vos uma coisa...qual depressão pós parto qual quê?!! Se não existe nenhuma patologia com esta definição devia existir. Algo do estilo: " Depressão de mãe super ocupada e com filhos bebés de idades próximas".... Assim, pelo menos não sentiria tão sozinha nesta luta palerma que ando a travar comigo mesmo a cada hora do dia. E da noite...

 

 

 

 

 

O bolo que safou o domingo ;)

Este esteve quase para ser um "Dia Não". A Matilde doente e o Afonso "ado"... a minha permanência na casa da minha Mãe -porque a minha está em obras e imprópria para se viver durante mais uma semaninha-, a dita da Mãe que também adoeceu (a Matilde pegou-lhe a bronqueolite, imaginem a fortalhaça..) e... ainda por cima o tempo ficou horrível, o que nos ditou a reclusão em casa durante todo o domingo. E vocês sabem, como crianças ficam nervosas fechadas numa casa o dia inteiro...

 

Claro que as 12 horas do dia, não deixaram de ser compridasssss.. ;) e teve que haver muita brincadeira, atenção, atividade, desenhos animados, desenhos, plasticinas e tal e tal... para os manter ocupados. Mas o ponto alto do dia foi um bolo que fizémos... os três!! E o dia ficou safo !!

 

O Afonso, com 3 anos fica já muito atento às movimentações, técnicas e quantidades usadas e a Matilde do alto do seu 1 ano e 3 meses... está na altura fantástica das descobertas. Agarra tudo, ri de tudo, mexe e experimenta...

 

Por isso, não podia ser melhor.

 

Claro que a cozinha ficou o caos. E claro que tive que escolher um bolo simples e rápido de fazer para eles não dispersarem... Bolo de iogurte grego. Bolo húmido (adorooo), fofo, delicioso e ideal para um lanche.

 

 

Os Ingredientes que usei:
150g de manteiga 
170g de açúcar amarelo  (eu reduzo um pouco e adoço também com mel)
240g de farinha com fermento
2 iogurtes gregos naturais açucarados ou 1 dos grandões (como estes da foto)
4 ovos 

 

A rápida preparação:
Numa tigela, bata a manteiga com o açúcar até ficar um creme macio e homogéneo.
Acrescente os iogurtes e depois as gemas, batendo bem. Adicione a farinha e misture bem,.
Bata as claras em castelo e envolva no preparado anterior.
Deite numa forma untada e polvilhada com farinha (ou forrada com papel vegetal).
Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 30 minutos.

 

 

 

 

 

 

 

E cá está o dito cujo... Simples mas muito saboroso.

 

Acampanhámos com leitinho e chá de baunilha e caramelo e chamámos os avós e os tios para provar.

Enquanto preparávamos o bolo o Afonso dizia: " E toda a gente vai adorarrrr!...".

 

E gostaram, é um facto.

Domingo com bolinho caseiro e quentinho, tem também ele outro sabor ;)