Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Produção com o Luz e a Estrela para a FLASH ( Fev. 2013)


Acabou de sair hoje... e como ainda não me enviaram o PDF ( onde se poderá ler a entrevista na intregra vera s fotos com melhor qualidade )... tive que partilhar assim.

Estava em pulgas para que esta produção/ matéria da revista FLASH saísse. 

Importante para mim, porque é " daquelas" que ficam para a vida. Para a minha e para a dos meus filhaços ...

Espero que gostem e que comprem a revista onde ficaram pela entrevista tudinho o que ando a magicar ;)


                                          FOTOS : Paulo Miguel Martins
                                          SYLING : Sandra Pintéus
                                          CABELOS/ MAKE UP : Carina Quintanilho
                                          ENTREVISTA : Ana Esteveira






















Asma, entrevistas e Tarantinos: que dias intensos ...








Estes últimos dias foram emotivos, cansativos e intensos...

Para quem não me acompanha no facebook, onde acaba por ser mais fácil ir atualizando assim “ a correr” e  em cima do acontecimento no meio do meu holocasto pessoal.. deixem-me contar-vos agora que passei uma tarde nas urgências depois de 2 noites sem dormir com muita tosse e falta de ar...

Resultado? Alívio.... claro (estava há 48 horas a “ respirar por uma palhinha” e quase sem horas de  sono...) e  recebi, então nessa 5a feira, uma “ prenda para a vida” :  a descoberta de que tenho Asma ....

Sei que não mata (atualmente.. porque acreditem que já matou, e bem depressinha, em tempos já idos de parcos avanços ciêntificos..) mas... “Chata”... sim, chateia e muito, incomoda, saber que eventualmente terei que passar o resto da minha vidinha dependente de uma bombinha nem que seja para me sentir segura... 

Enfim... as crises foram fortalhaças, há quem diga que podem ter aparecido devido à gravidez, sistema nervoso, hereditariedade... Ou “ trambas”... Tenho agora consulta a marcar com um alergologista... para tentar perceber e controlar tudo isto...

E esta foi a minha " ceia" de 5a feira a noite... e a minha rotina pelo menos, da próxima semana..

Isto para uma pessoa que sempre se vangloriou  de ter uma saúde de ferro, teve um bebé sem tomar um Benuron e evita ai máximo tomar algo  se tem uma dor de cabeça... imaginam como esta panóplia de drogaria me incomoda...






Bem, mas a verdade é que, enquanto tudo isto decorria - as tais 48 horas tortuosas antes de ir parar às urgencias - ainda me consegui armar em blogger, mamã, ser social, profissional, namorada e até... cinéfila imaginem ( fui ver o DJANGO do Tarantino , a arfar, mas lá fui e ainda bem, que filme maravilhoso ! Nem as 3 horas de película e a respiração inconstante me descolaram do ecrã, há muito que o Mister QT não me impressionava  - positivamente - assim...).






Antes, fui, na 4a feira a uma entrevista que considerei muito importante, por ter conseguido transmitir muito bem este meu querido projeto da “Barriga  Mendinha”... 

Respirei fundo antes de entrar, controlei os ataques de tosse... e  vesti o meu mais profissional e melhor sorriso, descrevendo este meu orgulho virtual e os que me apoiam para que ele exista...


Cliquem lá aqui e deem-me o prazer da vossa atenção...

Alô Portugal com Rita Mendes




Ah... no meio disto tudo... ainda tive tempo de " virar" loira... e de lidar com mais umas quantas mudanças na minha vidinha. Ai Deus, dê-me alento e força para lidar com aquilo que fui eu a criar... e com aquilo que crias tu para mim.. para ver como me safo...

( Foto da blond girl ? Ou numa versão mais caseira lá para os lados do nosso facebook ou então esperem mais uns diazinhos para verem a " coisa" como deve ser, com a pompa e a circunstancia devidas...)


"Moi même" no CURTO CIRCUITO



Depois da conversa...

aqui fica o link para verem a minha entrevista no " CC".

Acho que o resultado foi positivo. Vejam lá e comentem ;)

A VOSSA opinião, meus Barriguitas é que conta eheheh

Tudo a clicar no link...

Rita Mendes e a Barriga Mendinha no CURTO CIRCUITO



Quase fiz Curto Circuito.. no " Curto Circuito"





Que o mundo dá muitas voltas.. já todos sabemos e é um dos grandes clichés da vida... mas é sempre giro, quando num ou noutro momento da TUA vida, deixas a tua cabeça entrar numa nostálgica espiral .

Hoje é um destes dias. Voltei aos estúdios da SIC RADICAL para ser entrevistada por um dos meninos sobre... imaginem... Maternidade ( e o nosso blog )...

O espanto sobre o tema não é nenhum para quem tem acompanhado esta mais recente fase da minha vida, esta “versão revisitada” de mim mesma.. 

Para mim, no entanto, se “me estacionar” na garagem certa... também não, que é Aí que está o meu centro... mas, se por uns segundos, me enganar e entrar numa garagem da rua mais abaixo correrei o risco de me deixar levar por uma máquina do tempo... 

O meu carro era um Fiat Panda, corria o ano de 99, vivia ainda com os meus pais - que ainda estavam casados - saltitava de namorado em namorado e nem me importava sequer com isso, conheci alguns dos meus grandes amigos, comecei à sair à noite de uma nova forma... como " Vip" - e uiiii... ser " Vip " na altura era mesmo à séria - ... e era considerada " a menina revelação da televisão portuguesa", depois de ter feito um " Portugal Radical", o programa jovem mais emblemático da altura ... 

Curtia bem, da forma inocente, intensa e cheia de sonhos e perspetivas que só uma miúda de 21 anos pode curtir. Aproveitado cada cantinho daquele estúdio ( era outro, no início nas zonas da Expo ), saboreando a descoberta da palavra - frequentava o curso de Jornalismo da ESCS - , usufruindo do estatuto de ícone dos jovens da minha geração..

Imaginava o meu futuro. Seria brilhante. E ... fácil, achava eu ... Porque achava que assim o merecia. Sucesso, realização profissional e pessoal. Sem dúvida. No fundo... acho que ainda acreditava na justiça...

Encontraria o princípe encantado rápido, rápido. E seria mãe muito cedo também. Tal como a minha mãe o foi, lá para os 22, 23, achava eu... Mas sê-lo-ia... " à comédia romântica", não " à dramalhão inglês"... 

Seria TUDO fácil e muito cool, o meu marido lindo e blasé e ajudavar-me-ia sempre com "aquele" sorriso na cara e boa vojntade na alma...

Eu teria uma vida endinheirada e um apartamento na cidade maravilhoso e minimalista, clean, de design eco-chic ( loll.. impossível... com filhos a passarenhar por lá, mas nem isso eu sabia na altura ) e.. claro, uma moradia na praia onde eu , os meus filhos e o meu marido fariamos surf e beberiamos sumos naturais o dia inteiro, sempre sorrindo como num catálogo da La Redoute..

Bem... passaram 14 anos! 14 anos Meu Deus ! E não... não vou fazer agora a minha biografia pessoal ou profissional, que este texto ficaria gigante e chorão... mas o que interessa reter, é que , entre muitos altos e baixos... nada aconteceu como eu esperava, nem a vida de casal ou maternal é de todo como eu imaginava nesses tempos de encantamento pela vida.

Voltemos a Estúdio.. isso sim.. Falo-ei agora nesta crónica. É e acho que sempre será lá, O “ meu lugar”. Aí sinto-me como peixe na água, mesmo que passe meses ou anos sem pisar um ou sentir o calor dos projetores.

 Foi " ali", num daqueles plauteus que nasci efetivamente para a Comunicação. Que aprendi que gosto de dar de mim ao outros. Em forma de palavra, de energia, de sorriso. Que tudo isso me faz a mim, ser  mais Feliz.. mesmo quando estou triste. ( quantas vezes, devido a problemas pessoais que foram surgindo, aquelas 3 horas de direto eram o meu antídoto...),

Hoje... sinto-me estranha, confesso.

 Feliz pelo estranho retorno às Origens e, por apesar de tudo, estes 14 anos terem passado por mim, deixando algumas nódoas, mas não estragando definitivamente o tecido.

 Nostálgica, por outro lado... porque nunca queria ter saído de lá. ( Não se leia no "lá", " curto circuito" atenção! Se lá me tivesse mantido, eu já seria a tiazorra armada em jovenzinha e já na altura, quando saí a aprendizagem tinha terminado para mim... refiro-me sim,  à Tv, às entrevistas, à escrita de peças, à adrenalina dos diretos, ao namoro com as camâras...)

Hoje... um dos temas da mini "flash intervew" foi a minha volta à televisão, não como "A" apresentadora de prime-time, que um dia pensei que podia ser ( eacredito que podia ter sido... porque paixões assim na vida fazem-nos ser os melhores )... mas não menos feliz, acreditem ( é fantástico descobrir em mim este crescimento, que ao longo dos anos, me fez sofrer cada dia um bocadinho menos, quando pensava no percurso não prosseguido e abria sozinha outros caminhos... ). Porque aprendi que as pequenas vitórias podem ser grandes, principalmente nos dias que correm... e é mesmo bom regressar :)

Integrarei a partir do próximo mês o " elenco" do Programa da Sic Radical " Dance TV"...

Faz todo o sentido, nesta altura do ( meu ) campeonato abraçar ambas as minhas carreiras : a de apresentadora / reporter e a de DJ e amante de dance music e dance scene  ( é que o sou mesmo... não " entrei na moda", eu "criei a moda" lol). 

E a vocês, que me acompanham por aqui irei contando mais pormenores pelo caminho.-.. ( até porque este retorno às lides, influênciará a minha vida e decisões como Mãe - aiiiii... como custa deixar os nossos bebés para ir trabalhar...)

Outra coisa que me " chocalhou" foi definitivamente... ir falar de Maternidade, já vos disse. 

Maternidade, a definição da Plenitude da Mulher. E eu, já o sou duplamente. E.. tanta " água passou de baixo da ponte"... Um dia que contar " A História " toda, todinha perceberão que estes 14 anos, tanto parecem que começaram ontem.. como equivalem a vivências de quase o dobro do tempo... Ui que canseira... 

Bem, isto hoje está a ficar um bocado "pró" ambiguo. Por isso e para não me alongar em mais considerações, deixo-vos com algumas fotos giras de hoje. Acho que no fundo... ainda me sinto em família, apesar de uns " primos" mais recentes e novinhos ...

Ora vejam só :




 À Saida de Casa, ainda sem maquilhagem mas já com a camisola e a bijouteria da " Tendencias Store" ( o Hugo e a bebé Matilde acompanham-me porque ainda a amamento..)







A Make Up na sala de maquilhagem e cabelos - que nunca faço porque estes caracóis já nasceram assim e assim eu gosto deles ... -








WHAT !??  Fechei os olhos por um minuto... e quando os abro... é o Jel dos" Homens da Luta" que me está a maquilhar .... Medoooooo










No meu camarim... encontrei estes dois ( o Hugo e o Vasco Duarte, ou Falancio para os amigos lol)  a tomar conta da pequena Matilde Estrela - que dormia o sono dos justos -....






A Domingas... ou antes, a Tia de todos nós... a mais querida senhora das limpezas de todas as estações de televisão ;)






João Paulo Sousa e Maria Botelho Moniz, os atuais apresentadores do programa, em ação!








Encontrei nos bastidores e prestes a entrar o cantor João Pedro Pais e a Maria Sotto Mayior do Hard Rock Caffè, ambos a propósito da Battle de bandas que está a decorrer no espaço ;) Já não o via há um montão de tempo... Bom reencontro!









                               A entrevista ao vivo e a cores !  ( literalmente lol )














SER MÃE: Tânia Ribas de Oliveira



Para além de ser apresentadora do "Portugal do Coração" da RTP e uma das "namoradinhas de Portugal", a Tânia é minha amiga desde há muitos anos. E temos tantas coincidências giras nas nossas vidas:

Nascemos ambas nos dias 18 (ela de Junho e eu de Outubro) do mesmo ano: 1976. E numa clínica que já não existe, a "Clínica de S. Gabriel", em Arroios, Lisboa. Quase, quase nos cruzámos nos berçários nos gugús dadás da vida...

Mas mais tarde, fomos colegas de Faculdade no curso de Sociologia do Trabalho, ambas trabalhamos em televisão e ambas estivemos grávidas na mesma altura.

Ela ainda está de barriguinha, e o seu Tomás irá nascer em Dezembro, dois meses depois da minha Matilde.

Enfim, coincidências e caminhos paralelos à parte, a verdade é que a considero muito como profissional e pessoa e tenho muito orgulho em  tê-la, na pele de uma grávida activa, resplandescente e feliz, nesta minha Flash Interview sobre...


SER MÃE...


1- A vontade de ser Mãe apanhou-te de surpresa ou, como mulher, sempre pensaste nisso?

Sempre pensei nisso... Mas ia adiando sem, no entanto, ter grandes motivos para isso! Quando eu e o João decidimos que tinha chegado o momento, foi muito rápido, felizmente!

2 - A altura de engravidar tem que ser a ideal ou o ideal "cria-se" a partir do momento que se sabe que se espera um filho?

Eu acho que cada casal é um mundo e tudo depende da vida de cada um. Acredito que o mais importante seja desejar muito ter um filho, mas também é importante que haja o mínimo de condições financeiras para isso.

3- Qual a TUA definição de ser Mãe?

É o maior amor que se pode sentir, não é? É incondicional e eterno... Eu ainda não vi o meu bebé, mas já é o coração que mais amo no mundo.


4- Consegues transmitir em palavras as emoções que sentiste e foste sentindo quando soubeste que estavas grávida e no seu evoluir ? 

À medida que a gravidez vai evoluindo, o amor que sentimos vai aumentando. Nos primeiros três meses, em que ainda por cima não devemos contar a toda a gente, é estranho. Sabemos que estamos grávidas, mas não se nota nada, no entanto a roupa deixa de servir como servia e o peito está muito sensível... Eu andei muito enjoada e a fazer um programa em directo todos os dias não foi fácil... A partir daí foi sempre a melhorar! Quando comecei a sentir os primeiros pontapés a emoção foi imensa! Agora já nem sei viver sem esta companhia...

5- Que cuidados tens tido durante a gravidez? Dicas para manter a forma e o bem estar físico e psíquico.

Tenho os cuidados normais com a alimentação! Tento não comer muitos doces nem fritos e redobro a fruta! Bebo muita água!

6 - Que tipo de parto vais/desejas ter? E que cuidados médicos não dispensas?

Desejo um parto natural e já pedi ao meu médico para me por o bebé ao colo mal nasça. Faço mesmo questão disso!

7- Agumas dicas de beleza? Cremes, produtos, exercícios, cuidados, alimentação... ou nada?  A genética ajuda mas não só pois não?

Comecei a por creme anti-estrias com poucas semanas de gravidez. Ponho duas vezes por dia e dois diferentes! Um para o peito e outro para barriga, coxas e pernas.




8 - Como achas que no (teu e noutros) mercado de trabalho se olha para a mulher grávida. Alguma história a partilhar?

Bom, só posso falar por mim... Sinto-me mais acarinhada do que nunca! Como diz o Joao Baião "que não falte nada à mamã"!


9 - Onde e como te vestiste para a gravidez?

No Verão, usei mais vestidos e no Inverno uso maioritariamente leggings e camisolas, camisas e blusas. Sempre o mais confortável possível!

10 - E o enxoval do bebé? Foste muito cuidadosa, antecipada, ansiosa, gastaste muito dinheiro? Ou pelo contrário, esperaste pelas prendas, herdaste coisinhas de amiguinhos e familiares...?

Ui... Essa parte foi a pior! Recebi muitos presentes da Chicco e precipitei-me nos saldos de Setembro...

11- Conselhos e desabafos para as outras futuras mamãs que nos lêem..

É a melhor sensação que se pode ter na vida! Recomendo!

As mulheres são mães cada vez mais tarde. Preocupações e realidades.


No passado (e não assim há tanto tempo) a mulher realizava-se quase total e essencialmente através da maternidade, o que actualmente deixou de fazer sentido, uma vez que encontra ganhos e realização pessoal também na área profissional, académica e social. Ser mãe passou a ser uma opção, como tantas outras e o procurar a realização aos outros níveis faz com que a maternidade fique um pouco adiada em termos de idade.




Ao olharmos para a realidade da sociedade actual e no que se reporta ao contexto particular do nosso país, verificamos que existe ainda uma uniformização de tendências ligadas à fecundidade, principalmente no que se refere à diminuição do número de filhos, retardamento da idade média para o nascimento do primeiro filho e concentração do período reprodutivo num número reduzido de anos. Perante estes factos, somos também levados a afirmar que tudo isto é indissociável do desenvolvimento de métodos contraceptivos altamente eficazes que permitem, com uma segurança quase absoluta, definir exactamente o quantum e o timing da fecundidade.

Neste contexto, a decisão de ter um filho, é hoje um passo mais complexo do que no passado. Actualmente, a maioria dos casais sente que deve limitar o número de filhos que vão ter, e que devem ainda adiar a gravidez, até que ambos reunam as condições que consideram indispensáveis para o nascimento de um filho. A maternidade deixa assim, de ser a primeira e única preocupação da mulher, uma vez que a par dela vêm sendo delineados outros ideais.

A maternidade é um dos acontecimentos mais importantes da vida da mulher e representa um desafio à sua maturidade, à estrutura da sua personalidade e é também uma possibilidade para o desenvolvimento de novas competências, seja qual for a idade. Isto decorre do facto da mulher ter de se ajustar a um conjunto de mudanças que se verificam a nível biológico, psicológico, conjugal e familiar. De forma a viver esta experiência de um modo gratificante para toda a família, as alterações psicológicas que ocorrem durante a gravidez, o parto e após o parto devem ser conhecidas. Se a mulher possuir um bom relacionamento conjugal e familiar e um bom suporte social, durante a gravidez e após o parto, estas alterações poderão ser atenuadas e mais facilmente ultrapassadas.

A maternidade e o nascimento de um bebé, seja qual for a idade, é um acontecimento único na vida de uma mulher/casal. Assim, o curso de preparação para o parto e para a parentalidade é, por exemplo, fundamental para esta nova etapa da vida, fornecendo-lhes conhecimentos e habilidades para ultrapassar e lidar com os desafios que se colocam. 

Este Curso de Preparação para o Parto e da Parentalidade deverá ser iniciado entre a 28ª e a 32ª semana de gestação. Com a Preparação para o Parto, pretende-se informar e capacitar a mulher/casal, ou um familiar ou amiga que a irá acompanhar no trabalho de parto e parto, para a utilização de posicionamentos e métodos não farmacológicos de relaxamento e alívio da dor, que ajudarão a vivenciar a experiência do nascimento do seu filho de uma forma positiva e inesquecível. Este prepara também o casal para a Parentalidade, com sessões teóricas e práticas de preparação das famílias, sobre: Trabalho de Parto, Analgesia Epidural, Amamentação e os cuidados a ter com o recém-nascido, nomeadamente o banho, a mudança da fralda, o manuseamento do bebé, posições para relaxar, massagem do bebé, entre outros.

A analgesia epidural obstétrica veio trazer novas concepções sobre a assistência ao parto, humanizando-o. Constitui o método mais eficaz de alívio da dor, não só durante o trabalho de parto, como também no pós-parto (caso o cateter fique aplicado), o que pode evitar perturbações emocionais na puérpera, passíveis de afectar a relação mãe-filho.  De facto, ocorre alívio significativo das dores em quase todas as mulheres, com alívio completo na maioria dos casos. Por outro lado, mantém a parturiente colaborante, podendo mesmo melhorar a dinâmica do parto, pelo alívio da dor e da ansiedade. A técnica tem poucas contra-indicações às quais se contrapõem algumas situações que comprovadamente beneficiam com a sua utilização. A decisão do seu uso deve ser tomada de forma consciente e ponderada, o que só é possível se as utentes grávidas forem informadas atempadamente, durante as Consultas de Vigilância em Saúde Materna.

Actualmente, a alta precoce é uma situação que cada vez atinge um maior número de utentes nas maternidades. Esta alta precoce refere-se, a uma estadia de 48 horas ou menos das puérperas/recém-nascidos, que apresentem situações de baixo risco. 

O apoio incondicional e o ensino a estas utentes são fundamentais neste momento de “crise”, que é o nascimento de uma criança. A equipa de enfermagem de Saúde Materna e Ginecológica (Parteira) logo cedo programa a preparação destas utentes para o dia da alta. Estas intervenções são cada vez mais sentidas como um grande desafio. As enfermeiras especialistas em Saúde Materna e Obstetricia, assumem um papel crucial neste período tão curto e delicado da vida das mulheres que acabaram de dar à luz um novo ser que se encontra completamente dependente delas próprias. O bem-estar e o desenvolvimento de ambos serão tanto melhores quanto melhores forem esses cuidados. As visitas são efectuadas nas primeiras 24 a 72 horas após a alta. Avalia-se o estado geral do recém-nascido e da puérpera. Reforçam-se todas as indicações fornecidas na maternidade dando também apoio psicológico à puérpera, nesta fase tão sensível das suas vidas. 

 A título de conclusão, é um período complexo na vida da mulher e por consequência na vida do casal. É um momento de grandes alterações de ordem biológica e psicológica, que impõem um ritmo de resposta da mulher, também muito rápido e intenso, numa tentativa de adaptação a uma realidade, que é o nascimento de um filho. Num tempo em que, como referimos, se perspectiva o aumento das doenças afectivas, em que as terapêuticas preconizadas são de carácter misto: farmacológicas e psicológicas; acreditamos que é nosso compromisso ajudar o ser humano a aceitar em si mesmo a sua natureza, a parar de fugir dela,e a gozar desse dom do qual ainda tem tanto medo.

“A maternidade em qualquer idade requer que, mais do que: Desejar ter um filho se Deseje ser MÃE!”.

por:
Enf. Ana Nobre