Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

3 meses de ti Matilde


Faz hoje 3 meses, Matilde, que pela primeira vez, mostraste tu a tua imagem aos que te amam.

Começaste a encantar o Mundo com os 49 centimetros...

Parabéns, a ti, a mim, aos que nos acompanharam e acompanham, nesta aventura pessoal, mas também tão global, que é  ter um bebé lindo para cuidar, amar, educar e apresentar o Mundo.

O teu existir é um dos meus braços. Em tão pouco tempo, conquistaste-me para a vida. 

És a minha Estela Guia ;) Espero também eu, ajudar-te na descobertae no caminho do teu Ser.





SER MÃE... entrevista a CARLA PEREIRA D'ASCENSÃO


Apesar da estatística e inquestionável baixa da natalidade no nosso país... acreditem que eu, euzinha, olho à volta e só vejo amigas, conhecidas e colegas de profissão a engravidarem e a terem bebés.

Acreditem, que, apesar de saber que o país não atravessa a melhor fase e que cada criança que pomos no mundo é mais uma responsabilidade e  foco de preocupação, também conheço as alegrias imensuráveis que nos oferecem e por isso, é sempre uma alegria receber a notícia de mais uma gravidez...

A Carla (Pereira d'Ascensão) é daquelas meninas - tem 32 anos, mas apesar do peso da profissão como jornalista de informação da TVI, confiro-lhe um ar querido e "girlish" como poucas - que estão literalmente brilhantes com o novo estado e que mostram estar a aproveitar cada minutinho de sensações novas, sonhando a sua perspetiva nova de vida ao lado da pequena menina que aí vem de uma forma muito intensa e entusiasmada.

Uma inspiração, portanto, esta gravidez, que a esta data conta 5 meses e quase meio.

Ora, acompanhem as suas saboreadas palavras aqui, na entrevista que lhe fiz... e digam se não tenho razão...





SER MÃE...


A vontade de ser mãe apanhou-te de surpresa ou, como mulher, sempre pensaste nisso?
Sempre pensei em ser Mãe. Desde pequenina que sempre que alguém me perguntava "o que queria ser quando fosse grande" eu respondia: "Quero ser Mãe"... Tinha o relógio biológico aceleradíssimo...

 A altura de engravidar tem que ser a ideal ou o ideal "cria-se" a partir do momento que se sabe que se espera um filho?
A verdade é que se esperarmos pela altura ideal para ter um filho nunca vamos encontrar essa altura, essa época ideal... No nosso caso foi efetivamente tudo pensado e tudo correu bem... Com os "timings" que queríamos e tudo... A bebé nascer na Primavera vai ser maravilhoso! Nós queríamos isso e conseguimos! Sinto-me abençoada! Acho que tenho mesmo várias estrelinhas lá em cima a olhar por mim!

Qual a TUA definição de ser Mãe?
Acho que ainda não a tenho completa... Estou a aprendê-la agora aos poucos e a partir de Maio irei aprender ainda mais... A única coisa que tenho por certa, e mesmo caindo em lugar comum não posso deixar de o dizer, é que a partir do momento que descobrimos que temos um ser no nosso ventre, todas as prioridades se alteram... O nosso bebé passa a ser posto em primeiro lugar para tudo, passa a ser o centro do nosso mundo!

Consegues transmitir em palavras as emoções que sentiste e foste sentindo quando soubeste que estavas grávida e no seu evoluir ? 
Acho que sim... Mas nada que eu diga vai poder explicar na totalidade tudo o que se sente... No dia em que o teste dá positivo é uma mistura de alegria, euforia, de sonho concretizado, de medo, vontade de partilhar, de poder agarrar a barriga e dizer: "Filho(a)!" São muitos sentimentos... Conforme o tempo foi passando fui-me sentindo muito mais calma, serena... A felicidade tomou conta de mim... Têm sido os melhores tempos da minha vida... Foi tudo bom demais... Não tive um único enjoo... Nada de más disposições...Só tinha fome e borbulhas... Até ter apanhado um susto às 19 semanas... quatro contrações, que eu não sabia que o eram... Obrigaram-me a abrandar o ritmo... Percebi que grávida, e por muito que quisesse, não podia ter o mesmo ritmo que tinha antes... Mas estou mais feliz que nunca, apesar de estar de baixa e ter algumas condicionantes... Estou ansiosa por ver a cara dela, por sentir o cheiro dela, por tê-la entre nós...

Que cuidados tens tido durante a gravidez? Dicas para manter a forma e o bem estar físico e psíquico.
Como várias vezes por dia, no máximo, de três em três horas, até porque se não o fizer fico com tonturas! Tento fazer uma alimentação o mais variada possível... A todos níveis... Peixe, carne, salada ao almoço, vegetais cozidos ao jantar, uns cereais ao pequeno-almoço, outros ao lanche, leite e iogurtes, queijos pasteurizados, fiambre só de perú cozido no forno... Não toco em enchidos que não tenham sido cozinhados... Desinfeto tudo o que queira comer cru com vinagre, durante meia hora, porque não sou imune à toxoplasmose.
Este ano não comi míscaros:(((( Marisco muito raramente, só camarão, não toco em bivalves...E Sushi nada:(((((((( Com um enorme sacrifício... Mesmo... Mas é pela melhor de todas as causas... 
Faço um esforço incrível para beber um litro e meio de água por dia... Agora, no Inverno, ainda me custa mais beber água... Tenho feito batota e bebo tisanas! Não toco em bebidas com gás...
Tomei ácido fólico, agora tomo ferro dia sim dia não, para não interferir muito com a parte intestinal e comecei há pouco com o magnésio para ajudar nas cãibras (tenho tido imensas nas pernas) e noutras dores abdominais que devem ter a ver com o facto de eu ser muito estreita e a bebé precisar de mais espaço!

Que tipo de parto vais/desejas ter? E que cuidados médicos não dispensas?
Caindo no cliché mais uma vez, e nesta fase da vida percebes porque existem clichés... Quero acima de tudo que corra tudo bem tanto para a bebé como para mim... O que eu gostava? Que fosse natural, com epidural, apesar de ter pânico de agulhas... Cuidados médicos? Rezo para que seja o Dr. Fernando Cirurgião, o meu médico, a fazer-me o parto!

Algumas dicas de beleza. Cremes, produtos, exercícios, cuidados, alimentação... ou nada?  A genética ajuda mas não só pois não? lol
Óleo no corpo todo uma vez por dia, (Johnson's ou de amêndoas doces) a seguir ao banho e creme anti-estrias (Phyolastil Gel da Lierac) duas vezes por dia, do peito até aos joelhos! Esse é o cuidado de que não me esqueço.
Como fiquei com muitas borbulhas, precisei de um hidratante sem gordura (sérum preparateur apaisant rééquilibrant da Lierac) e de um fluído matificante (fluide matifiant anti-impefections da Lierac). Tratamento que faço também duas vezes por dia, no rosto. 
Quanto ao exercício físico, caminhava cerca de 3 a 5km, duas/três vezes por semana... Depois das contrações, como tive suspeita de descolamento de placenta estive parada até agora. Ontem tive a consulta das 21 semanas e posso lentamente voltar às minhas caminhadas, mas com conta, peso e medida... Meia hora no máximo, com cinta, tenho uma barriga muito grande para o meu tamanho.... E se houver cansaço ou alguma dor antes da meia hora, devo descansar e sentar-me imediatamente.

Como achas que no (teu e noutros) mercado de trabalho se olha para a mulher grávida. Alguma história a partilhar?
Nada de especial a apontar, mas posso dizer-te que não é fácil ser jornalista de informação em televisão e seguir todas as recomendações que uma grávida deve seguir, no fundo ter os cuidados necessários é quase impossível...
Por muito que deixes de fazer reportagens de manifestações, de incêndios e coisas do género, há um stress inerente à profissão... Aquela adrenalina, aquele "corre corre" de chegar as 12:45 com uma peça que tem que entrar no ar no Jornal da Uma às 13:10 por exemplo, e que até pode dar um gozo extra à profissão, não ajuda nem um bocadinho na gravidez...  São minutos em que sem ter consciência disso estás a stressar também o bebé, mesmo que estejas com fome não paras para comer e mesmo que estejas "aflita para um xixi" também não vais à casa-de-banho, porque "peça boa é peça que entra" e não estás a fazer bem nenhum ao bebé nem a ti... São ossos do ofício... 

Onde e como te vestiste para a gravidez?
Tenho vestido a grande maioria da minha roupa! Muitos vestidos de malha! Adoro!
Continuo a vestir um 34 de calças, mas o botão não aperta já há um tempo... ;)
Por isso acabei por encontrar na H&M uns jeans azuis e umas calças pretas com a cintura super descida e com o elástico de apoio para a barriga! Ótimas, giras e baratas! Para além destas, as leggings são ótimas companheiras nesta fase!!



- Para sair com a pernoca gorda de fora no Verão com 3 meses!! A Carla já faz conjuntinhos lindos para a princesa que vem aí... -   


E o enxoval do bebé? Foste muito cuidadosa, antecipada, ansiosa, gastaste muito dinheiro? Ou pelo contrário, esperaste pelas prendas, herdaste coisinhas de amiguinhos e familiares?
Nada de grandes ansiedades! Esperei pelas 12 semanas para comprar as primeiras peças... Comecei por comprar uns interiores brancos e beiges, muito pequeninos! Lindos! Depois comprei coisas neutras como camisas brancas com golinhas, tapa fraldas xadrez, que davam para menino e menina! 
Dia 7 de Dezembro tive a confirmação de que era uma menina! Ou seja o meu Natal foi literalmente cor-de-rosa! Recebi muitos presentes para a bebé! Já tenho vários vestidos, saias, pijamas, casacos, muita coisa cor-de-rosa! Vamos herdar muitas coisas de um sobrinho, que estão ótimas, novas e são de família. Até acho giro passarem de uns para outros, desde que estejam em condições! Também tenho imensas coisas que me vão ser emprestadas por amigas!

Conselhos e desabafos para as outras futuras mamãs que nos leem...
Vão ouvir muitas coisas, umas boas outras bem por isso, ouçam, mas não acreditem que tudo vai acontecer convosco! Nem fiquem a matutar em tudo o que ouvem! 
Eu sofria horrores com azia, tinha o estômago hiper-ácido e toda a gente me dizia:" Ai, coitada, grávida vais sofrer horrores com azia!" Pois...  deixei de ter azia... zero!! Não sei se vai voltar, mas até agora nada...
Cuidem-se, mimem-se...
Se quiserem comer alguma coisa que não têm a certeza se podem, não arrisquem... Não sou fundamentalista, mas são uns meses da nossa vida, deixar de comer qualquer coisa é um sacrifício mínimo, porque é pela melhor de todas as causas.
Leiam, mantenham-se sempre informadas. Se lerem coisas contraditórias perguntem ao vosso médico e sigam a opinião dele para não andarem baralhadas. Acho de extrema importância confiarem a 100% no vosso(a) médico(a), sentirem-se apoiadas por ele(a). Apontem todas as dúvidas que tiverem, de umas consultas para as outras, e não deixem de perguntar nada!
Partilhar cada momento da gravidez com as nossas caras-metade é fundamental!
Acho que é tudo! Gozem cada momento, porque passa a voar! Parece que descobri ontem que estava grávida e já lá vão quase 22 semanas! Mais de meio caminho está feito!! Sejam felizes e façam os vossos bebés felizes!!!

A minha quadra Natalícia foi passada... no hospital com a Matilde (das) Estrela(s) :(

Está quase a passar uma semana que a Matilde Estrela saiu do hospital. Uma bronquelite que evoluiu para pneumonia (que lhe infectou o pulmão direito e felizmente não passou ao outro) e que me/nos fez passar dos maiores sustos... e o Natal perto da minha menina internada na urgência.

Apesar de ter acesso à  net e por isso, continuar a "alimentar" o FB e o blogue da Barriga, a verdade é que andei em rodeios e rodeios para que não se soubesse na altura onde e como estava, senão, a imprensa estaria em cima, divulgaria a notícia e, quem sabe, até apareceria por lá... Evitei-o e ainda bem. Viver um risco de vida com um filho bebé já é suficientemente assustador para ter que dar mais justificações a não ser aos nossos próximos.

A Matilde pegou uma constipação do mano mais velho, que a pegou na escola e que nos pegou a todos. O normal, não fosse a Matita tão "tenrinha" e a coisa viral tivesse piorado.

Duas passagens pelas urgências depois - aspiraram-na, observaram-na e mandaram-na para casa -, na tarde de 24 de Dezembro, a caminho de casa dos meus sogros, decidimos passar lá só "para ficar descansados"... Não saímos  durante uma semana :( Acabei por ter que orientar a vida para ficar por lá a acompanhá-la sempre enquanto aquele bebé tão mínimo era espetado com catéteres e agulhas, aspirado com tubos até ao estômagozinho e ficava medicado e ligado a varias máquinas que o monitorizavam...

Tive tempo para pensar muito, no meio das poucas horas de sono e do medo. De sentir muito, na condição de mãe aflita. De equacionar o que seria se uma tragédia pessoal acontecesse e como será a dor das famílias a quem efectivamente acontece. Senti na pele - felizmente "só" por uma semana o que muitas mães passam nos hospitais quando fazem dessas instituições a "sua casa" para acompanhar cada respirar dos seus filhotes. Ao fim de uns dias já conhecia as pessoas, os corredores, as regras, os horários. Senti o que é estar sozinha no meio de tanta gente, o que é a fragilidade da vida... 

Agora, aqui estou eu, aqui estamos nós... já recuperadas. Da doença e do susto. E a decidir esta partilha, por acreditar ser importante para todas as mães que acompanham este blogue. Pode acontecer a todas, com maior ou menor gravidade. E as que já passaram por horas de aperto assim, saberão que a vossa "Barriga Mendinha" a partir de agora "não fala de cor", também já lá esteve...

Aqui ficam as imagens possíveis, sentidas e que me acompanharão para sempre. Este foi o primeiro Natal com a minha filhota, que saiu do hospital exactamente no dia em que fez 2 meses.

É uma Guerreira das Estrelas. Te amo Matilde ...



Começámos assim... a testar a saturação de oxigénio da Matilde, que descobrimos estar abaixo dos 90. Foi por isso que ela foi internada. Pouco oxigénio no sangue e no cérebro podem causar sequelas graves. Nem pensar em arriscar deixá-la sair do hospital :(




Noite de Natal... Esta foi a minha consoada na cantina do Hospital S. Francisco Xavier. Arroz de pato, sopa, sumol, gelatina e uma sala literalmente fria e vazia, à exepção da rapariga do refeitório e e uma senhora da limpeza, que, ao fundo, assistiam à emissão de Natal da "Casa dos Segredos"... 



O quarto dos cuidados intensivos tinha 3 caminhas que estavam, dia 24, todas ocupadas . Depois, um a um, os bebés, foram "subindo" para o andar da pediatria onde ficavam já só sob observação. Aqui, neste quartinho, as máquinas a que os bebés estavam ligados apitavam toda a noite e a maioria deles chorava cada vez que isso acontecia...




A minha cama improvisada durante 6 noites. Um cadeirão desdobrável, ao lado da caminha de grades da Matilde, que só abandonei no dia 25 para ir dar um mimo de Natal ao meu Afonso, que também tinha direito a ter a mãe um bocadinho presente no 1º Natal com mais percepção das coisas... Como de noite era difícil dormir, tentava algumas sestas durante a tarde, nos intervalos dos cuidados da minha bebé e dos dos seus coleguinhas.




O cansaço já era tanto que lá para o 3º dia comecei a ficar com menos leite. As enfermeiras disseram-me ser normal e a partir daí (e porque a Matita estava a ser alimentada por sonda e não mamava) comecei ainda a tentar tirar mais leite com a máquina elétrica do hospital para estimular o seu fabrico, porque ficaria muito triste se isso acontecesse.




A minha "colega" da cama ao lado, a mãe do João, outro menino doente de 2 mesinhos com bronqueolite grave. Era a Neolondiza, a quem eu chamava Marisa e que era uma guineense mãe de três crias, vinda de Queluz de Baixo... Engraçado como as circunstâncias unem pessoas que nada tem a ver umas com as outras. Saímos com os bebés curados na mesma manhã e felizes uma pela outra ;)





A amamentar a Matilde, nas suas primeiras "incursões" pela maminha depois de ter tirado a sonda. Felizmente correu bem. Ela é uma super-menina... e foi só depois de ela se conseguir alimentar sem se cansar e a respirar bem (ao fim de 7 dias) que a minha Estrelinha pode vir embora para o conforto da sua casinha.





Às vezes o cansaço era tanto (só conseguia dormir à volta de 2, 3 horas por noite) que os cuidados à Matilde eram feitos (normalmente de 3 em 3 horas) e eu... assim, neste estado...





O bonequinho com música que me ajudou a adormecê-la algumas das noites, quando estava irrequieta, o kit para retirar o meu leite, o paracetamol e os pingos para o nariz... porque para piorar tudo, também eu estive quase todo o tempo, doente com uma renite e constipação das valentes.




 O meu anjinho tinha uns  "óculos nasais" (os tubinhos que levam o oxigénio controlado ao organismo) e uma sonda enfiados no narizinho. E ainda um catéter na mãozinha esquerda com uma tala para não a dobrar. Dava dó vê-la assim...





Ficou com pouca força, a minha bebécas... Dormia quase o tempo todo. E assim tinha que ser, para conseguir recuperar.






A equipa do Hospital S. Francisco Xavier é realmente fabulosa. E acreditem que não era por "ser eu"... todos os papás e bebés eram tratados com um cuidado, carinho e as vezes até humor, tão essenciais para minimizar a dor, a preocupação, o cansaço, as dúvidas... Dentro do mau que tudo isto foi, ao menos fomos muito bem tratadas e acompanhadas. Obrigada às enfermeiras Marta, Sílvia, Graça, Maria João, Carla... e às vossas equipas... Obrigada Dra. Marta Aguiar e a todos as que nos assistiram estes dias tão longos.





A Matilde e os outros meninos receberam um presente de Natal no dia 25. Um miminho mas que caiu tão bem não pelo valor material mas pelo simbólico...





O leitinho que eu tirava de mim era depois administrado por sonda - um tubinho enfiado no nariz e directo ao estômago - na minha princesa, que assim e com o soro continuou forte e alimentada.





Os cuidados e controle a meio da noite. Esta era a minha visão, encostada ao "famoso cadeirão" onde tentava dormitar.... Ter ali o meu anjinho tão perto era essencial e eu acordava a cada apito, tosse ou choro com medo que ela se engasgasse ou deixasse de respirar... 





O pai choroso... porque ia passar o Natal sem nós. Custou muito...




A nossa Matilde e a sua cama nº 7 da Pediatria.





Às vezes, no meio da tristeza, há pequenos pormenores que podem fazer a diferença. Este foi um desses e que me deu mais esperança e positividade. Haviam vários quartos - o quarto Planetas, o Lua... - mas não é que a nossa Matita Estrela ficou na "Sala das Estrelas"? E depois de uma semana internada, tudo acabou mesmo bem :)