Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Em como fazer uma mulher feliz. E vice versa.

( Mais um excerto que escrevi para o Afonso, mas que serve também para a Matilde "sentir a pressão";) , estava ele ainda na minha barriga, um mini guia sobre " a vida em geral e sobre a generalidade das coisas simples mas importantes".. Todas estas fotos que acompanham o texto são inéditas e "pintam" esta conversa de amor como se um "resultado" das minhas felicidades vs dores, dificuldades vs gratidão, se tivessem tornado. Foram tiradas pelo Hugo, num fim de semana que passámos na Costa Alentejana. São portanto... a prova de que tudo o que aqui conto valeu a pena, tudo o que sei que não é fácil, tem a face boa da moeda: essa face, na minha vida és tu... e a tua mana <3  )

_MG_3163.JPG

 Uma coisa que te irei sublinhar muitas vezes como mulher, filho,  é a forma como homens e mulheres se relacionam. Até porque é um dos grande itens da minha vida. Talvez até o Santo Graal da minha existência. Tanto precisamos um do outro. Como somos pólos opostos, falamos linguagens diferentes e nos sentimos completamente desapoiados e mal interpretados pelo sexo oposto. No entanto, por vezes, mais raras do que frequentes, encaixamos na perfeição. E aí parece que todos os elementos se misturam criando um espaço de Amor, prazer, sintonia caindo o Céu sobre a terra e Terra nascendo um limbo de completo entendimento, sentido e bem-estar . Tudo encaixa. São momentos desses – sim normalmente não passam de momentos – que nos alimentam a alma e nos fazem acreditar que a união entre este pólos antagónicos afinal não fazem senão lógica. Principalmente nós, as mulheres, mais dadas a ser sonhadoras e melosas.. baseamos muitas vezes toda a nossa vida nesses pedaços de felicidade que vamos tendo com vocês, Homens da nossa vida. Basta um sorriso maroto, um telefonema inesperado, uma prenda numa altura imprevisível, a palavra certa à hora certa… e todas nós somos Luz, todas nós brilhamos. É assim , desta matéria que somos feitas, ah pois é, e este é o segredo meu filho. Se quiseres fazer uma mulher feliz, aprende a sua essência e sê atento, principalmente isso. Nós adoramos um homem atento. Ainda agora imaginar nem que hipotétivamente a voz de um dos homens da minha vida ( talvez O dito cujo quiça…), embelezada por esta manhã de sábado veranil me trouxe de novo o sorriso à alma. Dizia eu que uma desilusão me estava a levar à descrença… Eu não digo? Qual quê, Melosas as mulheres…

 

Falo te em Homens da minha vida, porque esta é a minha perspectiva do Amor. Durante muito tempo, foi nos incutida a ideia da Alma gémea. De um único Ser de empatia exclusiva com a tua. Acho agora, que são o ideais normais de uma romântica de idade inocente e de visão ainda imatura. Nada de mal, nada de mais, nada de grave. Só que não é assim. Demorei perceber e agora sublinho a certeza de como funciona essa famosa Lei dos Amores de Uma Vida. São 7 os amores da nossa vida. É esta a minha crença. Tendo em conta que nos começamos a exercitar nas artes da paixão por alturas da pré infância e entramos nas estatísticas da cada vez maior idade avançada da sociedade contemporânea, serão eles: o Amor das 1as cartas de afecto, o Amor do 1º beijo de raspão da primária, o grande Amor da adolescência, normalmente não correspondido e que se pode desdobrar em 2 ou 3 até à idade adulta, o Amor dos anos da idade das descobertas sexuais, o Amor que acreditamos ser para a vida, quando ainda nem sequer sabemos bem o que a vida vai ser para nós, o Amor familiar, talvez o Amor do amante e o Amor finalmente maduro. Se é que ele existe.

 

Enfim ,eu já tive a maioria deles , e talvez até os pudesse desdobrar em mais alguns, preferindo no entanto ficar por aqui de forma a não cometer erros estratégicos como já cometi no passado, porque a maioria dos outros não passam normalmente de enganos descarados do destino que nos fazem estar apaixonados pela ideia de estar apaixonados. Cuidado com esta esparrela filho. Mais do que recorrente pode fazer te andar numa espiral difícil de sair. Umas quantas vezes ainda pode ser atractivo mais que a conta, o cansaço acaba por tomar conta de ti, da tua verdade, da tua vontade e da tua crença nas relações autênticas.

 _MG_3238.JPG

Ai, o Amor doentio... Pois, é desse mesmo que falo. Aquele que adoece e te apodrece pouco a pouco como uma minhoca numa maçã fresca. Te enlouquece e depois te esquece. Como a fúria do açúcar num dentinho de leite. Primeiro pé ante pé, como se de uma pequena e inofensiva constipação se tratasse. E não nos esqueçamos, que, não são poucas as vezes, que um exíguo estado febril não demasiado incomodativo nos sabe até contraditoriamente bem , nem que seja pelo simples facto de por ele, virmos a receber miminhos, bebermos chazinhos e achocolatados quentinhos frente à televisão em dia de escola ou trabalho e até por possuirmos nós, pequenos seres humanos, um mórbido mas muito indulgente domínio de gostar de“ pegar” a alguém a dita-cuja e assim nos sentimos engripados mas… deliciosamente poderosos, grandes pequenos imperadores de um reino feito de espirros .

 

Na verdade, miúdo, a constipação pode passar a gripe, a gripe pode denunciar uma infecção, uma infecção descobrir uma patologia fatal e a fatalidade da coisa, levar te à cama de um hospital, ao enfermo personagem ou até à morte ( do artista, ou neste caso do Amante erróneo , convencido que sim, que é por ali , que “desta é que é” ).

 

Ui que dramalhão !! Ah pois é, mas não é nem nada mais nem nada menos que isso que o Amor doentio acaba por ser, desmascarando sem rodeios a determinada altura. Dramas atrás de dramas que nos esgotam até a uma estafa emocional, desinteresses para além desses vícios ego centrados e muita mas muita perda de tempo, acredita.

 

Enfim ,falo tão de cor e salteado, porque também eu já fui perita, coordenadora, oradora, conhecedora exímia e até inconscientemente (?) defensora destas Histórias de faca e alguidar, argumentando para mim mesma e para os outros que no Amor Estranho e Louco é que estava a Verdade e a Coerência (que no fundo nem eu própria entendia). Acredita que durante alguns anos gostava efectivamente do “ filme” e criava o meu próprio inicio, meio e fim…Sempre brutalmente chorosos, sofridos e complicados . Sim, filme, porque muitas vezes os sentimentos e cenas apaixonadas e passionais eram ( normalmente por ambas as parte, já que sempre tive tendência para espíritos tão teatrais e catastróficos quanto o meu) dignas de argumentos de películas alternativas da sessão da meia noite do King e dramaturgias de peças de teatro intensas, excessivas e urbano-depressivas.

 

Epá… assim é que era bom sim senhora!!! E que brutal é conseguir admi ti lo agora e até ter a capacidade, de à distância me rir dessas vis desgraças que acabaram mesmo por marcar a História e rumo da vida desta tua mãe. Sim, porque apesar deste meu ar de miúda reguila ( vais depois confirmar nas fotos ), de princesinha da Av. de Roma, de xúxuzinho inócuo e cintilante, com justeza assumo, que como muitos adolescentes e recentes adultos, acabava quase sempre por confundir de forma estapafúrdia e repetitiva, intensidade com arte, intenção de ser feliz com exigências estúpidas feitas ao parceiro, exuberâncias emocionais com eternidade afectiva, fidelidade…com infidelidade. Eu sei lá…

_MG_3294.JPG

E assim correram mais de  10 anos filho… ao sabor do “ gosto- não gosto”,do “ dou tudo por tudo - agora reformulo a vida e sigo de cabeça erguida e independente”. Que canseira, digo te eu agora. Que momentos de esforços sobre-humanos ( quando o Amor não tem que ser esforço), que tentativas frustradas de ser um “Eu” que afinal não era mesmo “Eu”, para e me adequar um pouco ao amado da época em questão. No fundo, em busca de um “Nós” afinal.. que vejo eu agora, provavelmente nunca deveria ter existido. 

 

Mas olha lá… não significa que não se erre, atenção. Bater com a cabeça na parede, faz te crescer um galo na testa mas também pode ensinar te a criar defesas. Ou não. E não. E não . E repetidamente não. As pessoas são padrões e para libertares te deles é fogo. À vezes fogo posto..

 

Se, no entanto, tiveres muita sorte e directrizes e força de vontade e gosto efectivo na Vida, quem sabe se ao 7º “Talvez”, ( lá estou eu com a minha teoria dos 7 amores da nossa existência) , essa probabilidade se possa até tornar definitiva, permanente, real, certa.

 

Certa sim, é a palavra. O Amor deve ser Certo e sentir se Certo, não se deve nunca insistir nessa convicção quando muitas vezes até a nossa intuição já nos tinha avisado de que esse não era o caminho..O ser humano é casmurro. Não gostamos de rejeição, de não sermos nós a dar a última palavra. E assim nascem as obsessões no Amor e nas relações. Foge delas a sete pés, senão mais dia menos dia serás refém dessa estúpida mas coleante forma de pensar.

 

Quantas e quantas vezes vais cair na esparrela, ui… Eu, caí uma dezena. Mas também me levantei umas quantas mais. O teu pai, Afonso, acabou por ser mais uma dessas cascas de banana, mas acredita que não foi o único e confia também, que se a nossa relação não funcionou, muito terá sido devido a dores e espalhos do passado e talvez até a expectativas românticas de que pudesse existir um Amor maior, mais “ perfeito”, menos sofredor, mais sereno e amansado. E também e muito especialmente, a grande vontade de acreditar na existência de Entendimento entre os pares. E nós não nos entendíamos filho. Eu era de Vénus e ele era de Marte e talvez por momentos nos tivéssemos até encontrado em caminhos cruzados na Terra, embora esses momentos não tivessem chegado para nos prender, ou ainda agora estaríamos juntos quem sabe.

 _MG_3648.JPG

 Na verdade, e nem que seja só por isso, agradeço a viagem até terras neutras numa determinada fase das nossas vidas, até porque foi durante uma delas .. que te concebemos a ti, Afonso Luz ( e a tua mana também) . E por isso tu ( vocês) existes/m. Menos mau. Aliás, mesmo bom, essa é que é essa, sei o agora. Ès tu este e não podia ser mais nenhum, fruto destes seres e neste exacto momento da temporalidade mundial. Bonito não?

 

No entanto, sim, tenho que admitir (e por dele seres filho espero nada mais de ti do que a compreensão que sei que me darás ao ler estas linhas).. o nosso Amor também não era de todo saudável e talvez por isso, enquanto essência e perspectiva futura de vida, acabou por ser essa, a realidade crucial na minha tomada de decisão completa e definitiva de afastamento logo no início da minha gravidez.

 

Existem muito boas pessoas que não funcionam juntas sabes? As razões são “ razões que a própria razão desconhece”. Porque assim é a beleza da improbabilidade e a lei do Amor. Existem também pessoas menos boas que se tornam melhores com determinados encontros em alturas certas do seu caminho. Nunca se sabe o que ou quem vamos encontrar pela vida fora, mas chegará sempre a altura de avaliar situações e os pratos da balança penderão sempre para um dos lados…Aí é só deixar escorregar o nosso corpo e o nosso coração e… partir para “ outra”. Outra vida, outras decisões, outros trabalhos, outra casa, outro homem ou mulher, outra coisa que nos faça sentir melhor. Porque a vida não deve ser mal vivida entendes?

_MG_3451.JPG

 Amor-doença não se pode afinal tornar em Amor-Cura, entendi isso com a força dos anos a passar. E é isso que muitas vezes, as pessoas confundem. Até eu, durante tempo em demasia. Muito se deseja encontrar quem nos complete, eu acredito agora que te tens que completar primeiro a ti mesmo e depois sim, encontrar quem te transborde. De emoções, de brilho nos olhos, que acrescente algo bom à tua vida, aquela a que tu próprio já tomaste as rédeas e não esperaste que fosse nenhuma relação a endireitar. Pode demorar anos, uma vida ou até nunca acontecer. Nunca te querendo, filho, tirar do caminho da procura. É giro, intenso e far te á sentir que corres atrás de um objectivo… mas a verdade, aquela que só a maturidade ( atinja la tu a que idade for, isso sim é mais do que subjectivo) te vai trazer , é que muitas vezes procuramos o fogo de artíficio no Amor, esquecendo nos que as estrelas não fazem barulho. Gritos, ciúmes, sentimentos de posse, medos, fraca auto estima, tentativas de subjugação… ui e outras e outras que tantas coisas feias mas até são aceites em sociedade, só nos fazem definhar, sofrer e ficar cansados.

 

Eu sinto me cansada disso filho mas o vício deste género de ( de)Amor é dos mais difíceis de sacar da nossa pele. Espero que consigas tu escapar a esta estirpe de pseudo dramáticos amantes e cedo entendas que Amar é deixar existir e não deixar de existir. Um só artigo pode mesmo fazer toda a diferença na tua vida Inteira. Sublinha o na tua existência e tenta o mostrar subtilmente às Mulheres da tua vida, às que por ela de forma mais ou menos intensa, forem passando e fazendo companhia.. Mais cedo ou mais tarde agradecer te ão e serás sempre inesquecível e imortal nos seus corações. Só assim tudo fará mais sentido neste mundo já um pouco sem sentido.

 

Uma mousse "fajuta" de chocolate crua e muito saudável

Ontem fui a um aniversário e ao tentar comer uma mousse de chocolate só consegui um colherada... à segunda, senti me super enjoada devido aos grãos de açúcar que senti ... e que era muito, mas não deixei, anyway, de ficar com desejos . Decidi então, que hoje, ao acordar, faria uma à minha maneira, com ingredientes do bem, completamente vegan(sem ovos,  sem leite, sem derivados animais) e adoçado com açucares naturais .

Eu, por aqui, já provei uma tacinha fiquei deliciada... E sendo alimentação sem culpas. só me sinto ainda mais feliz.

Seguem os ingredientes e a forma simples de a confeccionar:

 

Mousse de Chia com alfarroba e cacau:

IMG_20180121_182207_976.jpg

2 chávenas de leite vegetal ( eu fiz com de aveia)

1 colher de chá de canela

1 colher de chá de levedura de cerveja ( se não tiverem, é tranquilo, eu coloquei por ser bom para suprimir algumas carências dos vegetarianos )

1 colher de sopa de Alfarroba em pó

1 colher de sopa de cacau em pó

4 colheres de sopa de sementes de chia ( elas vão inchar quando molhadas e dar uma consistência muito interessante)

2 bananas maduras

1 colher de sopa de xarope de Agave ou geleia de arroz

1 pouquinho de açucar de côco se acharem que precisa adoçar ainda ( eu não usei mas estou já habituada a que não seja tão doce...) 

1 colher de chá de bicabornato de sódio ( que torna a textura um pouco mais "fofa")

IMG_20180121_182513_454.jpg

A preparação... meus amores, não podia ser mais simples! Toca de colocar tudinho no liquidificador e ao perceber se a textura está ok... ou se consome de imediato ( e fica uma mouse mais molinha) o se coloca no frigrifico para endurecer um pouco ( eu prefiro assim).

 

E pronto, espero que gostem desta "Mousse de chocolate fingida", muito rápida de fazer e rica em Fibras, cálcio, ferro e omega 3 ( chia), Proteína e potássio ( banana), vitaminas A, B1 e B2, ácido fólico e antioxidantes ( alfarroba e levedura cerveja), . Querem melhor??

 IMG_20180121_131527_251.jpg

 

 

 

 

Começar o ano com a noticia de que afinal... o meu sorriso merece melhor...

IMG_0713.JPG

E hoje foi dia de Dentista Duplo. Fomos os dois ao dentista, cada um pelas suas razões, no fundo para fazer uma rotina e umas queixitas de "carácácá" e... saímos de lá com um plano de consultas que até doi!! Quer dizer, doer, espero que não doa físicamente muito... que para mim ha anestesias e para o Afonso valentia ( e o que tem que fazer não é nada de mais, não deixando de ser importante), mas vai doer no bolso, vão ser horas dispendidas a tratar da boca e doi mais ainda... perceber que se andasse "mais em cima" da situação talvez a coisa tivesse sido diluidaa no tempo.. e não agora assim tudo de uma vez. Bem, mas se tem que ser bora! 

 

A Dental Med  ( fui à de Algés, mas também existe em Benfica e em Odivelas) deixa-me diluir este pequeno balúrdio ( e olhem que os preços até são muito bons aqui... mas dentista é dentista né? Já sabemos que é para gastar aqui e poupar noutro lado).. que seja para ficar com uns dentes de princesa... que no fundo... até ontem... acreditem, que achava que tinha. Tenho cuidado com a alimentação, vou regularmente ao dentista, enfim, sei lá eu. Mas a verdade é que pelos visto, tenho andado a fazer tudo mal. No fundo, tentando perceber o que aconteceu cheguei à conclusão, que sempre que fui, fui com uma queixa e por isso, nunca se fez uma avaliação global e agora: Capum!! Toma lá bolinhos: 3 sisos para arrancar, uma limpeza profunda de dentes e gengivas para fazer, um implante para por ( andava "pendente há uns 4 anos porque o meu corpo rejeitou um e eu morro de medo que aconteça o mesmo), uma catrefada de cáries ( 3 graves e outras a começar) e por fim, a necessidade de usar uma "goteira miorelaxante para dormir durante uns tempos, porque a minha mandibula estala e tem muita tensão... 

Image000.JPG

Este foi o raio X que fiz ontem e que pela primeira vez na vida analisei ao pormenor com os médicos dentistas que me explicaram os porquês de ter que arrancar ( tenho um siso incluso que foi o que lá me levou por doer um bocadinho ), os porquês de ter MESMO que colocar um implante não só por questões estéticas ( há dentes de nascem no lugar dos outros e ao longo dos anos e toda a  dentadura se entorta), os porquês de ter caries apesar de AGORA ser cuidadosa com a higiéne e alimentação ( muitas começaram há 10, 15 anos, altura em que comia muita "junk food" e açucares.. vejam só... ;()...olhem... entrei a achar-me uma mulher normal e saí a pensar em mim como tendo uma triste sina... ahahahah... bem, não exageremos, mas lá que fiquei espantada fiquei. Nada me fazria pensar ter tanto para tratar. 

 

No fundo, mais uma coisa para por no lugar este ano. Eu, que sinto, que este é o ano dos recomeços, concretizações e definires de metas e objetivos... tenho que o fazer com um sorriso não só bonitaço ( que isso, modéstia à parte, eu sei que tenho) mas também um sorriso... saudável, sem dores e sem prespetivas de vir a entortar ao longo do tempo ( sim!!! Porque o Dr. até na eventualidade de vir a usar um aparelho me falou.. epa... mas isso a seu tempo... até tremo a pensar nisso e não consigo nem analizar tudo ao mesmo tempo nem conjeturar tanta mudança e hora enfiada dentro de um consultório dentário...:)).

IMG_0711.JPG

Hoje fui fazer a primeira limpeza e levei o Afonso comigo. 3 dentes em baixo, já caidos e 2 em cima quase, quase e já com dois marotos a aparecer por baixo. E a mãe preocupada porque pareciam estar tortos (- "ainda não, Mãe! ainda não, vamos ficar com eles debaixo de olho!" ). Mas mais que isso, percebi que os molares dos 2 lados já nasceram definitivos e que perto de um deles também há uma carie. E pronto, lá se vai ele juntar à Mummy na luta contra a mesma, com um tratamento e também uma limpeza, que fiquei a saber que os miúdos também devem fazer.

IMG_0703.JPG

 Para a semana voltamos os dois e se estes dois dentolas da frente não tiver caído vai haver extração... se sim... só limpeza ( vamos lá ver como ele se porta.. hoje fiz uma e apesar de não doer nada não é o mais agradável do mundo para um adulto, quanto mais para uma criança...). Ah e  saímos com as recomendações de sempre: Lavar duas vezes ao dia muito bem, sendo que as escovas elétricas são maravilhosoas para chegar mais longe e ser mais perfeitinho na lavagem, ter cuidado com os doces e dormir sem lavar os dentes...)...

 

 E pronto... começar o ano com tanta coisa nova... só podia ser acompanhado desta "recauchetagem" aqui às dentadura da Ritolas Dentolas. Vão ser 3 meses difíceis mas que me vão fazer sentir nova... e olhem que isso, é que não tem mesmo preço, pois não? ( olhem lá eu a convencer-me eheheh....). Ora vamos lá! 

A receita do famoso "bolo verde" que fiz para os anos da minha mãe <3!

Ora vamos lá à receita do famoso "bolo verde" que fiz para o aniversário da minha mãe e do marido dela. A base é de um bolo que a mãe de uns meninos da escola dos meus filhotes faz normalmente para as festas de anos dos filhos e que o Afonso ( que não gosta de bolo de aniversário nenhum ) adora...

 IMG_0495-iloveimg-converted (1).jpg

 Digo que é a "base" porque, na verdade, alterei alguns dos ingredientes que não considero famosos a nível de saúde e substituí-os por outros "alimentos do bem".

O resultado? Um bolo sem gluten, sem açucar refinado e sem lactose.

Em vez de açucar branco, usei geleia de arroz e um niquinho de açúcar integral de côco, ao invés de farinha de trigo misturei metade da quantidade de farinha de arroz e farelo de aveia, optei por óleo de côco em vez de óleo de girassol, creme vegetal de amêndoa em vez de natas e o "chocolate" que cobre o bolo, não é bem chocolate, mas sim cacau o mais puro possível. 

IMG_0428.JPG

Bem, mas o verde? O verde, vem de onde, pergunatm vocês? Ora bem, cá vai a receita ( que fez sucesso, garanto-vos, mesmo entre os "céticos" da festa que até repetiram, para minha felicidade..). 

 

Aqui vai:

 

Moer 1/2 molho de agriões ou espinafres com uma pitada de sal e 1 chávena (de chá) de óleo de côco e  1/2 pacote de natas vegetais (eu gosto muito de acrescentar de amêndoa ou aveia ).

 

À parte batem-se 4 ovos inteiros com 2 colheres de açucar de côco e 250 gramas ( mais ou menos meio frasco dos que se vendem nas lojas de produtos naturais ou partes healthy dos supermercados)  até duplicarem o volume.

 

Depois juntan-se 2 chávenas de farinha ( eu misturei uma de aveia e uma de arroz, assim, faz-se um blolo totalmente se gluten) e uma colher de chá de fermento.

 

No fim juntas os 2 preparados e bates com a varinha  ou num liquidificadotr...já está. Levar ao forno a 180°, 40 minutos + ou-.

 

A cobertura  faço com cacau ( misturo com o restinho das natas vegetais e aqueço em banho maria) pois colam muito bem os dois sabores.

IMG_0698.JPG

A decoração? O mais simples mas também mais querido e significativo: três desenhos dos netos enfiados me palitos e uns coloridos pauzinhos confeti e velas também de cor...

IMG_0442.JPG

 Espero que gostem e que partilhem as vossa experiências, vou adorar saber se gostaram e aceitar com agrado, dicas e outras receitas...

OMG!! Lá vem a sacana da Lei de Murphy de novo...

_MG_6636.jpg

 Há coisas do arco da velha, coisas essas que se quisermos ser um bocadinho mais específicos e adequados, tentando encontrar uma mais particular explicação para as ironias da nossa vida podemos apelidar de” Lei de Murphy”. Ou os sacanas dos "Oh My Gods moments", aqueles que são maus e irónicos demais para poder acreditar que acontecem connosco..

 

Ora portanto esta bela Lei de Murphy é um adágio popular da cultura ocidental que afirma “ se alguma coisa poder dar errado… provavelmente dará!...” . Acham isto normal? O sacana do Murphy tenha sido ele quem fosse, decidiu colocar em teoria aquilo que todos pensamos mas preferimos em surdina não dar lá muita importância… não vá o Diabo tecê-las . E este agradável estudioso da história decide lembrar-nos para o resto da eternidade… que ele está efectivamente sempre à espreita para tecer um tapete persa daqueles complicados e enormes . Basicamente o senhor era mas é um grande pessimista e agora nós temos que nos deixar levar por essa terrível Lei Universal que nos quer quer mais mal do que bem.Enfim…

 

Este engenheiro aeroespacial baptizado Edward Murphy foi ainda mais longe acrescentando que "Se algo pode dar errado, dará" ou ainda "Se algo pode dar errado, dará errado da pior maneira possível, no pior momento possível". E portanto, pergunto agora eu? Andamos nós à mercê desta ironia do Universo? Pois, pelos vistos. ( e eu sempre a puxar pelo "up" da coisa..)

 

Este tema anda a pairar na minha cabeça há algum tempo , emendo, na minha vida, e por isso é que decidi falar dela, quase para ver se exorcizo este espírito maléfico de “ Murphysmo” que me no fundo, me  atormentam desde que me lembro de mim mesma em idade adulta, e só não digo desde sempre porque as memórias de criança, nesse ambito, são efetivamente vagas....

 

Desde as minhas "carreiras" sempre todas ao lado, sendo pioneira mas nunca estando no timming certoou com as "cunhas" perfeitas  para passarem de bombinhas a bombasticas... Passando aos meus filhos, que não trocava por nada mas que chegaram ambos aos trambolhões, e dentro de "estranhas" relações e momentos. Chegando às dezenas de casas em que já vivi e às mudanças eternas em que sinto, nesta idade, que andei sempre, às  desilusões de relações de amizade bem fortes (achava eu), e ainda às más interpretações de quem sou, por pessoas que me julgam conhecer "só porque sim"...

  

 Bem, nada de tão anormal assim se não juntasse tudo num pacote e me centrasse nestas contrariedade mas assim, depois de tudo esquematizado e colocado em lista começo a pensar que o estupor do Murphy é afinal uma entidade reguladora dos azares da nossa vida. Bem, continuo a preferir chamar-lhes Ironias da Existência, uma espécie de percalços na carreira do nosso Ser. Podemos tentar entrar na onda “ do mal o menos” ou “ Há males que vêm por bem”… mas que é tudo muito irritante, lá isso vos garanto que é.

_MG_6675.jpg 

Só para que, com um sarcástico sorriso no canto da boca, se irritem um pouco solidariamente comigo e encaixem algumas destas premissas na vossa vida, tomem lá algumas das melhores Leis de Murphy:

-Quando um trabalho é mal feito, qualquer tentativa de melhorá-lo piora-o sempre.

- Os acontecimentos infelizes sempre ocorrem em série.

-Quando te ligam: a) se tens caneta, não tens papel. b) se tens papel
não tens caneta. c) se tens ambos ninguém liga.

- Quase tudo é mais fácil de enfiar do que de tirar.

-Por mais bem feito que seja o teu trabalho, o patrão sempre achará onde
criticá-lo.

- Os assuntos mais simples são aqueles dos quais tu não entendes nada. Os outros ninguém tos pergunta.

-O trabalho mais chato é também o que menos paga. O mais fixe, para além de não chegar, é o dos ordenados de balúdios .

-Conversas sérias, que não deixam de ser necessárias, só acontecem quando estás com
pressa.

-Nenhuma criança limpa e cheirosa quer colo. Só as ranhosas e bolsadas.

- És vegetariana e a tua filha só delira com carne vermelha e gomas da pior qualidade.

-Se entrou um vírus no teu computador, só atacou os arquivos que não tinham
cópia.

- Quando acabas um post no blog e por obras mágicas o sistema operativo vai ao ar e o que tinhas acabado de escrever fica no etéreo virtual, em em de no teu ecrã, agora em branco.

-Os homens correctos são feios. Os Homens bonitos não são correctos. Os Homens bonitos e correctos são gays.

-Nunca há horas suficientes em um dia, mas há sempre muitos dias antes do
sábado.

-Todo corpo mergulhado numa banheira faz tocar sempre o telefone. Que está longe…

- Quando fazes uma receita de bolo de chocolate e quando estás a meio dito, reparas que tens todos os ingredientes à mão.. menos o sacana do chocolate.... grrr....

-A fila do lado sempre anda mais rápido.

-Por mais tomadas que se tenham em casa, os móveis estão sempre na
frente.

-Por que será que números errados nunca estão ocupados? Para nos fazer gastar o saldo claro…

- Só precisarás de um documento quando, espontaneamente, ele se mover
do lugar em ,que o deixaste para o lugar onde não o irás encontrar.

-Toda partícula que voa encontra sempre um olho pela frente. O teu.

-Tudo que começa bem, termina mal. Tudo que começa mal, termina pior.

 

Bem e com estas me vou, antes que a bateria do computador vá ao ar sem eu ter clickado no Rascunho… Lá vou eu tentando ser compreensiva e encontrando razões lógicas para tudo e imaginando o Universo a contorcer-se de tanto rir enquanto nos observa a resolver estes estúpidos problemas que nos vão surgindo.

 

Vá pessoal, façam como eu: Sorriam. Amanhã será sempre pior!!! ahahah

Captura de Tela 2017-12-03 às 20.15.53.png

Fotografias: Joana Luís Photography

Outfit: Numph Portugal

A história da entrevista que esteve para ser e não foi.. e que agora publico para vocês...

( Esta entrevista foi me feita para a "promessa" de uma capa com "conversé" aí numa revista ligada ao lifestyle, beleza e saúde... ;) passado mais de uma ano e depois de ter percebido que a direção foi ao ar e a esta minha "pérola" de explicações, ponderações, citações, revelações e pensamentos, não ia ser publicada... achei que não devia deixar as ditas palavras na gaveta e por isso, trago-as aqui ao blog. Aparecem num novo ano, numa altura em que, apesar das atividades profissionais de sempre, me vou dedicar mais à área da Macrobiótica e Aromoterapia, matérias que tenho vindo a estudar, por isso, sim,tudo na altura certa... Espero que gostem. Ainda mais porque vem acompanhada de fotos bem giras, vestida pela Numph Portugal, num trabalho da minha querida Joana Luís Fotografia. Obrigada pela vossa atenção e paciência- sim, é grandeeeee o texto...- e Feliz ano a todas/os!)

 

 

_MG_6784.jpg

  1. Começou como apresentadora. Como recorda o tempo do Portugal Radical e do Curto Circuito?

Parece que foi noutra vida ( e parece mesmo que já tive muitas...). Sinto que a essência da Rita era a mesma, mas que a minha ingenuidade (e o que se pode daí se pode tirar positiva e negativamente) fazia mesmo de mim uma pessoa muito diferente do que sou hoje, quase 22 anos mais tarde. O que até faz algum sentido, sendo eu sou de signo Balança, com ascendente em Gémeos e por isso mesmo, com muitos altos e baixos, com muitas certezas, perseguidas por incertezas, com o dom da comunicação à flor da pele e com a mudança constante no estado de espírito ( ora adorava o meu trabalho ou me sentia errada no foco e que pertencia a “outro lugar profissional”). Era muito criativa, sonhadora. Dava muito de mim aos projetos e talvez, também por isso, esse período de quase 10 anos de trabalho interrupto em televisão, tenha definido em muito o que sou hoje e como as pessoas me vêem.. . Costumio dizer que foi nessa fase que nasci para comunicação e a ela agradeço e devo o há-vontade que tenho com qualquer tipo de publico (sejam 10 ou 10 mil) e nas outras áreas que fui escolhendo para além da apresentação ( a música como dj, a minha escrita, os trabalhos de relações públicas...)                                          

Foram tempos bons. De aprendizagem e descoberta. Tanto “do meio” e das “suas gentes”, como da profissão e relações humanas e laborais. Basicamente, foi o início do caminho e de tudo o que sou hoje.

 

  1. Depois veio a música… Iniciou uma nova etapa na sua vida quando se formou como DJ. A música surgiu como uma paixão?

Sempre fui melómana assumida. Comprava imensos cd’s, fazia muita pesquisa de projetos musicais, trabalhava sempre rodeada de música, mas sempre como uma forma muito assertiva de laser, não como profissional... Percebo eu agora, que, não só trabalhava com música, como também, já insconscientemente...para a música. Passei discos ( sim, ainda toquei com vinil), como “menina da rádio”( também fui radialista, durante uns tempos) nuns quantos bares, trabalhei numa rádi do Porto, muito ligada à música electrónica, mesmo antes dela ser tão massificada como é hoje em dia e tudo isso foi aguçando o meu gosto pela mesma. .. até que um dia, decidi profissionalizar-me, tendo uma informal mas intensa com um dos melhores e reconhecidos djs nacionais.

 

  1. Ao longo do tempo construiu uma carreira como DJ e é já uma reconhecida blogguer. Com uma vida agitada, como concilia a carreira intensa com uma vida pessoal preenchida com dois filhos, Afonso Luz e Matilde Estrela?

E em duas áreas tão opostas, que juro, que existiu um momento em que achei que a dj feminina... não “ia colar com a “mommy blogger”... achava, que apesar de eu ser mesmo assim, completamente adaptável e competente em cada uma das vertentes, as pessoas não iam compreender que uma mulher com uma profissão sui generis, como essa poderia também ser uma mãe completamente apaixonada e focada e mais ainda.. oferecer dicas e textos ligados ao novo sentir que nasceu com o seu primeiro filho e se apurou com a segunda. Estava errada e ainda bem. Este blog , o “barriga Mendinha” só me tornou mais “real e humana” à vista do público e seguidores das redes sociais.

Amo ambas as versões de mim mesma. Tanto aquela que frequenta e escreve sobre atividades para as crianças, como a que se mete num comboio para ir passar música para o outro lado do país, para 10 mil pessoas... Ah... aquela que se levantou às 7 da manhã e sexta feira para tratar dos filhos e manter a rotina e estabilidade da família e se vai deitar 24 horas depois... as 7 da manhã de sábado, porque nos grandes festivais se toca tarde e o público exige cada vez mais e mais.... uffff.... sai-me do pêlo, mas a verdade é que exerço todas estas funções com verdadeiro gosto e por isso... tenho confiança que o caminho está a ser feito como devia e sou grata pela vida que tenho (filhos, amor e música... de que mais precisaria o meu coração para viver?)

 

  1. E como encontra tempo para cuidar de si?

Sabendo que cuidar de mim, seja da parte exterior, como interior. E olhem, que é comum, as pessoas esquecerem-se disso, ao serem absorvidas pelos problemas do dia a dia. Eu cada vez mais acredito que “quanto mais fazemos, mais vontade temos de fazer”, ou seja: mesmo com muito pouco tempo disponível, há que reformular prioridades e dispor, nem que seja de uns minutos por dia só para nós. Para nos centrarmos no nosso próprio potencial, força e magia. Porque cada um de nós, tem tudo isto, à sua maneira e ao cuidar de nós... mais facilmente encontramos a autoestima necessária, para ser mais forte e pleno. Na prática como o faço? Acordo um pouco mais cedo que a família para fazer o meus rituais de beleza e o meu pequeno almoço...deixo os miúdos na escola e sigo para o meu PT umas vezes por semana e tenho períodos do ano em que faço alguns tratamentos estéticos. Tento ir fazendo alguma meditação e tenho cada vez mais momentos “a sós comigo mesma!”...

 

  1. Como é o seu dia-a-dia?

Pouco rotineiro, devido às profissões. Umas alturas, com muitíssimo trabalho, outras com mais disponibilidade para mim e para os meus. Uma altura do ano cheia de viagens e poucas horas de sono ( normalmente os meses quentes), outros meses em que me deito cedo e acordo cedo. O nascimento dos meus filhos, obrigou-me a ter mais cuidados com as rotinas, por ser importante para eles e a verdade... é que esse esforço também me tem tornado uma melhor e mais focada pessoa.

 

 

  1. Apesar do amor incondicional que sente pelos seus filhos, não descura a relação com o seu companheiro, Hugo Caetano, e tudo faz para passarem o máximo de tempo possível a dois. Como conseguem arranjar tempo para estarem juntos?

Não fazemos... vai acontecendo... Por vezes, ele vem comigo em trabalho e como passo por locais fantásticos, às vezes aproveitamos para ficar mais um dia ou dois. De resto... estamos juntos, depois dos miúdos se deitarem...

 

  1. Com que valores espera que o Afonso e a Matilde cresçam?

Nos dias que correm anda tudo tão confundido nos princípios essenciais. E isso é assustador, para quem está a criar filhos, nos dias que correm. Tentar ser coerente, encontrando o balanço certo entre os meus princípios éticos, morais e espirituais e o que o mundo real é, hoje em dia ( agressivo, concorrencial, injusto)... Gostava que os meus filhos fizessem a diferença, sendo dotados de bondade, sendo justos, sonhadores ( e concretizadores), criativos e pioneiros, mas ao mesmo tempo tendo a força suficiente para enfrentar as adversidades e as pessoas e situações menos corretas com que se forem deparando... por isso mesmo, tento educa-los de forma a que a sua força interior seja a sua maior qualidade.

_MG_6755.jpg 

  1. É muito diferente ser mãe de um menino e de uma menina?

È muito diferente ser mãe de dois seres completamente diferentes, isso sim. Não acredito que tenha a ver com o género ( claro que nestas idades os gostos tendem muito para o que na escola é veiculado e infelizmente existe muito sexismo: rosa para elas, azul para eles... princesas para elas, super heróis para eles, etc...). São ambos criados da mesma forma... mas cada dia que passa, chego à conclusão de que a educação de cada um deles tem de ser diferente. Vou tentar explicar-me: as bases sõa as mesmas, mas a forma de “chegar” ( ou de lhes “dar a volta, se preferirem) a cada um deles... tem de ser diferente. Ele é Balança. Ela é Escorpião. E com muitas das características vincadas nas suas personalidades. È uma maravilha assistir ao seu crescimento como seres humanos e ir ajudando-os nesse processo...

 

  1. Como é um dia perfeito com os seus filhos?

Como referi... eles são diferentes em tudo... até nos gostos, por isso tendo agradar a ambos. Ele adora dias de ronha em casa a desenhar, a ver filmes, a cozinhar comigo e fazer as refeições no conforto de casa, a fazer jogos de tabuleiro ou mais tecnológicos. Ela... só quer rua: almoçar fora, andar de bicicleta, ira para o shoping, para a praia ou para os parques... Por isso... sinceramente... o mais importante... é deixar o tempo rolar e ir percebendo o que apetece a todos. Coisas comuns como ir à piscina, ao teatro, ao cinema ou a atividades culturais são sempre hipóteses simpáticas

 

  1. Como corre o seu blogue, Barriga Mendinha?

È outro bebé que tenho. “Nasceu” na gravidez da Matita e tem acompanhando a minha vida, desde então. Como sou eu que faço a sua gestão, totalmente sozinha... também tem momentos em que escrevo mais ativamente, por estar mais disponível... e outros em que me culpo a mim mesma, por não lhe estar a conseguir dar a atenção que queria. E as seguidoras não me deixam fazê-lo... começam a mandar-me mensagens, pedem opiniões, textos, ajudas... e isso faz com que me foque, de novo, com todo o amor e dedicação. O Blogue foi a plataforma que mostrou uma faceta de mim, que poucos ( e às vezes até eu...) conheciam de mim mesma e é onde posso ser eu mesma, tendo um público que me respeita e que eu respeito muito também. E aqui entre nós... mesmo com os altos e baixos que tem sofrido... acredito que a marca “Barriga Mendinha” poderá sofrer algumas alterações ainda dará muitas cartas e tratá muitas surpresas, acompanhando as minhas próprias mudanças...

 

  1. No blogue dá dicas de vida saudável. Que cuidados tem com a sua alimentação e imagem?

Muito preocupada, mas sem fundamentalismos. Não como carne e muito pouco peixe. Sigo as linhas da Macrobiótoca adaptada à vida moderna... e não faço nenum drama quando cometo uma "asneira". Cada vez mais sei o que me faz bem e o caminho que quero seguir, mas por vezes é difícil seguir rotinas completamente saudáveis e perfeitas por isso acredito que encontrar a “desculpabilização” é essencial tanto para o corpo como para a cabeça. Comi mais hoje, amanhã faço um detox. Já não vou ao ginásio há algum tempo, faço ums acaminhadas ou ando de bicicleta no bairro ou no paredão, perto da praia. Hoje em dia veicula-se muito a “receita perfeita” nas revistas, nas redes sociais, nos blogues... mas isso não existe, a vida não é perfeita e repleta de pratos de salada e sumos detox lindos e coliridos, a vida é real e adapta-se às nossa realidades. Quero cada vez mais ser eu mesma e aí também. Aprendi que comer menos quantidade, beber muita água e outros líquidos vitaminados e sem açúcar, evitar os processados, mexer-me ( outra forma de dizer “tentar ser fit” ) e meditar... são alguns dos pontos pelos quais, me tento bater todos os dias. Uns dias corre melhor... outros nem por isso ;)

 

  1. Sente pressão em relação à imagem e à idade?

Claro. A sociedade torna-o inevitável, mas isso não significa ser obcecada e perder a noção. Significa, algo em que acredito piamente: saúde física , emocional e espiritual reflete-se em... beleza. E é nisso que aposto. Mesmo, quando a vida não corre de feição e os problemas nos abalroam, somos nós mesmos que temos nas nossa mãos.. a forma mais ou menos serena de lidar com isso. Por outro lado, não vou fazer demagogia, porque ao saber que a auto estima, cada vez passa mais por ter uma aparência física de que nos orgulhemos ( seja em que idade for e adquada à mesma)... tento sentir-me bonita e bem comigo mesma, através dos métodos que considero adequados à minha pessoa

  1. Mais próxima dos 40 investiu na sua figura através da realização de um tratamento médico para a perda de peso baseado numa dieta proteinada.

A partir desta idade, o organismo passa por uma série de mudanças que se traduzem na enorme facilidade em engordar e dificuldade em perder peso: se por um lado o metabolismo desacelera, por outro, a entrada no processo de pré-menopausa aumenta a fome e o desejo por alimentos calóricos. Foi neste contexto que optou por realizar este tratamento. Fale-nos sobre todo este processo e do novo estilo de vida que o mesmo lhe está a permitir alcançar…

 

É verdade que a chegada dos 40 mexeu comigo( de uma forma simbólica e nada negativa, ao contrário de muitas amigas minhas... está até a servir como motor de vitalidade, acreditam?). No fundo todas as entradas nas grandes décadas têm os seus desafios: os 20, os 30, agora os 40 e assim por diante. Orgulho.me da mulher em que me tornei, aceito melhor os meus defeitos mas também sei, de forma mais certeira, por onde ir (e especialmente por onde não ir...) para atingir os meus objetivos. Queria perder peso, mas também já devem ter percebido, pelo meu discurso que tudo o que é exagero, descartável, perigoso ou ambíguo para a saúde.... é algo que afasto automaticamente. Por isso, esta dieta ( prefiro chamar-lhe método por ser ter bases científicas e ser perfeitamente equilibrada e séria) apareceu na altura certa. E apesar de já a ter feito há uns largos meses, de forma mais intensiva, mantive sempre o contato com as nutricionistas da marca e agora, vou “dar um apertão” em mim mesma, ao fazer um período alimentar mais controlado._MG_6782.jpg

 

 14. Como preserva o bem-estar emocional?

 

Com a certeza de que ele ( juntamente com a alimentação) são o que faz com que tenhamos ou não saúde. Essa é uma verdade cada vez mais incutida em mim: Vejo, até por exemplos, bem próximos, que viver com mágoa, stress, raiva e afins só faz com que nos vamos deteriorando como seres humanos...

 

  1. Está sempre com um sorriso no rosto e transmite uma enorme simpatia e boa energia. Estar de bem com a vida é a chave para tamanha felicidade?

 

Não há felicidade. Há Gratidão. Talvez seja isso... e acreditem, que é algo que muitos não entendem. No fundo, não se explica, sente-se.

 

  1. Já experimentou Macrobiótica, reiki, meditação, yoga ou outra terapia? Qual é a sua opinião?

 

Todos ;) Sou muito ligada ás terapias alternativas. Só não as faço mais, por flata de disponibilidade de tempo. Mas estão sempre na “to do list”... Acredito nas Energias quase como numa religião e alinhá-las, acalmá-las, evitar as que nos fazem mal, proteger-nos de algumas e ativar outras... é um dos segredos do bem estar. Todas estas práticas, cada uma da sua forma, ajudam nessa busca. A única que me acompanha como estrutura de vida é a Macrobiótica tendo até 2 cursos internacionais desta arte, no meu curriculum...

 

  1. Têm algum ritual anti-stress?

 

Meditação “à minha maneira”. Tenho alguns textos escritos e gravados com a minha voz, no meu telefone. Com música de fundo tranquila e palavras de fé, força, gratidãoo, properidade e amor. Fecho os olhos e centro-me nelas. Ajudamuito.

 

  1. Hoje em dia, reconhece as suas emoções e liberta-as facilmente?

 

Libertar sempre as libertei... sou muito expansiva. No meu caso, tenho encontrado o inverso e isso é que me tem feito bem: o silêncio, os benefícios da solidão, a quietude... estranho para alguém com as minhas profissões tão agitadas e com visibilidade publica falar disso... mas nem tudo o que parece é.. e nós não somos as nossas profissões, somos a nossa história de crescimento e o que vamos fazendo com ela. Encontrar o meu objetivo de vida (também a nível profissional) é o meu foco e para isso preciso de muita conversa... comigo mesma e o meu próprio Universo. Chego-me... amando o que me rodeia. E isso é estar no bom caminho, certo? <3

 

 

  1. Gostaria de deixar uma mensagem de felicidade, bem-estar e de harmonia a todos os nossos leitores?

 

Não acredito no conceito felicidade por si só, é uma “caixa enfeitada” que nos ofereceram na infância ( e na História Universal) e que nos envenena os pequenos e bons momnetos... sempre em busca de algo maior e que pode nunca chegar. Mais vale acreditar, isso sim.. na Harmonia, na Paz e no Bem Estar. Esses sim, podem fazer a diferença entre uma vida em que se sobrevive ( e cada vez há mais razões para isso, eu sei...) e uma em que se Vive com toda a plenitude que isso implica ( momentos maravilhosos e também de tristeza, momentos de vitória e outros de derrota... isso é a vida!)