Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Transe-mommy

Hoje aconteceu-me de novo.

 

Desde que os vou buscar até que os adormeço ( humm... entre as 17.30, 18 e as dez da noite, vá, umas 4 horas e meia "non stop") parece que entro em transe, que fico literalmente hipnotizada. As tarefas, as birras, as negociações, os mimos, os pedidos de atenção, os banhos, as refeições, o arrumar as compras, o estar atenta às asneiras e cabrioloces, os ciúmes de irmãos, as mãozinhas prontas a agarrar tudo o que lhes é "proibido". Sim, é isso... deixo de existir enquanto ser pensante e passo a ser Mãe e dona de casa a 100... desculpem a 200%. Totalmente "out", embregada nos minutos que passam a correr, mas que, no final, me deixam como se tivesse corrido a maratona. E é assim todo o santo dia.

 

Hoje dei por mim, a teorizar sobre isso, assim num espécie de flash racional... em que voltei, nem sei bem porquê, a ser a Rita "Eu", por uns segundos e em que me apercebi que andava tipo formiguinha pela casa (que ainda por cima é muito maior do que a minha antiga, por isso tenho que andar também o dobro do tempo a arrumar brinquedos, buscar roupas, ligar e desligar o bico do fogão, abrir e fechar a água do banho, arrumar os bibes, ligar a tv da sala e desligar a da cozinha...).

 

Há pouco, eles adormeceram e eu "voltei a mim". Consegui ir colocar os meus cremes da noite, secar o cabelo, pôr o telemóvel , que teve quase 5 horas desligado, a carregar e... voltar a olhar para o facebook e restantes redes sociais lol... 

 

Pensei na Rita-Mãe de há uns minutos atrás e tentei analisar como estava o meu cérebro vazio de tudo, que não eles e as tarefas incansáveis há um bocadinho atrás. E apeteceu-me perguntar.... se somos todas assim? Eu acho que sim, sinceramente. Que independentemente de sermos profissionais ou donas de casa, novinhas ou mais "cotas", intelectuais ou "desinteressadas"... todas, depois de virarem "Mães de família" ( seja que tipo de família fôr) têm nos filhos e nos deveres rotineiros que com eles se identificam, uma espécie de momentos hipnóticos em que ficam assim que umas "máquinas multitasking". Tudo dentro das suas portas, entre quatro paredes, sem ninguém para assistir, aplaudir, considerar... ser algo tão estranho, tão intenso, tão perfeito, tão inato, tão selvagem. Nós  e as nossas crias. Nós e o nosso ninho. Nós e o nosso mundo.

 

Somos não somos? Mesmo umas Super Mulheres, em estado hipnótico ;)

65c0569b77efc989451d9b8fa62250e4.jpg

 

 

 

3 comentários

Comentar post