Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Os manos na mesma escola e o meu coração a transbordar de felicidade

Começaram as aulas. E os meus meninos, voltaram a estar na mesma escola.

21557587_1400835433319483_6385739130392419819_n.jp

 Pode parecer estranho para quem, isso, sempre foi o óbvio, com os seus filhos, fazerem um caminho curricular lado a lado, mas para mim, que por variadas razões ( monetárias, familiares, de localização) tem sido uma luta esta decisão e concretização... estes primeiros dia em que "a coisa" está efetivamente a acontecer, estão a ser de uma alegria que me enche de tal forma, que se torna difícil explicar. Mais ainda, por serem filhos de pais diferentes e por isso, muitas vezes a nossa família nuclear se "desmembrar" com um cá e outro "lá"....

 

Chegar à escola e dar de caras com os manos, a brincar no recreio, ele a ajudá-la a subir a uma estrutura de trepar que existe na areia, cúmplices, orgulhosos por mostrar aos outros meninos a força e confiança que ter um irmão por perto, lhes dá... Oh God! Que doces! Que feliz e completa me sinto...

21432938_1400816686654691_3343462557221116925_n.jp

Apesar de eu ter uma irmã, ela só chegou à minha vida, aos meus quase 15 anos... o que sempre fez de mim uma "filha única com uma irmã" se é que me percebem. Toda a minha infância, vivi sem crianças ( nem primos tinha), sem irmãos.. e sonhando sempre com essa cumplicidade única que se consegue com um irmão com idade próxima à nossa. Mesmo que por vezes, também com muita embirrice à mistura, mas que tabém faz parte... Talvez por isso, por este meu desejo de companhia e companheirismo que sempre acompanhou a minha meninice, tenha insistido tanto no fato de os desejar juntos, a caminhar lado a lado, a criar o mesmo circuito de amigos ( os miúdos nesta escola são relativamente poucos e todas as idades interagem no recreio, além disso há muitos irmãos em turmas diferentes, o que ainda torna este espaço académico mais único e familiar, algo que tanto procurei para eles).

 IMG_20170912_225557.jpg

A Matita apesar de falar ainda muitas vezes na escolinha antiga ( a creche que tanto gostámos e a fez feliz durante 2 anos), parece estar a adaptar-se muito bem à sua sala dos "crescidos" de 5 anos. O Afonso, senhor do alto da sua 2a classe, a adorar reencontrar amigos e professores. A Mãe feliz com este reeínicio de rotinas, apesar de agora... ter mais uma lancheira para organizar e cozinhar de véspera ( todos os dias preparo as refeições e os dois lanches do dia), mais birras de manhã ( Como vamos para mais longe, temos que acordar um pouco mais cedo e tenho que ser sempre eu a levar os dois), mais ginástica no orçamento familiar ( opções e prioridades bem definidas onde muitas vezes nos deixamos de lado, pela decisão de manter os dois filhos no ensino particular) e... um caminho cheio de gritinhos, conversas, birras, risadas, histórias, palermices... agora.. com os dois!! Mais um dos momentos que nos vamos para sempre lembrar, estes caminhos matinais que têm de tudo um pouca, mas especialmente tempo bem "gasto" entre família. Há lá melhor que isso, minha gente? Não há, pois não? ( mesmo que com esta opção, o meu carro continue esmurrado e não me veja a fazer viagens em lazer nos próximos anos loolll... não... o dinheiro não estica e sim.. " não dá para tudo", mas se eu decidir que o meu "quase tudo " são eles e é aí que prefiro aplicar o que vou tendo... quem me pode apontar o dedo?...)

 

Beijinho a todos... aproveitando para desejar um bom ano lectivo para todos desse lado! Sejam felizes nesse vosso percurso, façam as escolhas que puderem e que vos forem no coração e aproveitem para reviver os vossos tempos de escola ( eu faço-o muito) com os vossos miúdos. O tempo não volta atrás... e o tempo.. é agora!

 

 

 

Globos 2016: a meu look, a minha companhia, a minha boa disposição ;)

Ora bem, mais uns Globos de Ouro passaram e mais um ano estive presente, por ter feito parte da casa SIC tantos anos e ainda hoje, sentir que é um dos certames do género com mais importância no panorama nacional.

 

Mais uma vez também, não vou analisar as vestimentas de outros... já há tantos blogs e publicações que o fazem tão bem (e outras tão mal, também ;)) e mesmo o meu, acredito que haja quem goste e quem não... mas como eu me senti uma Deusa Grega este ano e como... desta vez não há histórias mirambulantes, de um look arranjado à última... Lembram-se da minha história sobre a Gala do ano passado? OMG!!) ... vou mostrar vos o meu lado e falar-vos das minhas (nossas) escolhas.

 

Acho que vocês, as/os que me seguem, já sabem que existe uma certa instabilidade em alguns pontos da minha vida lol... sim... fora a parte famíliar que é intocável e onde não me permito a "talvezes", em tudo, tenho momentos. Nomeadamente nisto que respeita à imagem ou aos preparativos para os meus looks. Ora decido em cima da hora e me desenrasco com o que tenho em casa ora.. decido (e consigo) tirar um tempinho a pensar no que quero transmitir com a roupa e a imagem e recorro à ajuda de quem sabe. Este, foi ( Yeeee!!) um desses anos. 

 

Ora, comecemos então pelo cabelo que foi criação da Anabela Pereira, uma cabeleireira que conheci há pouco tempo mas cujo "namoro"espero mesmo que dure muitos e muitos anos. Estoi maravilhada com a sua criatividade, perfecionismo, equipa... epá sei lá.. ela foi assim , definitivamenteumas das surpresas  do ano, ela e o seu espaço Manubela Cabeleireiros.

 

Este ano, como o meu vestido remetia assumidamente ao Universo Grego-Romano (que é um look que eu gosto particularmente e acho que me assenta muito bem) , fizémos um penteado, descontraído, com um entrançado muito Alexandria style...

13246317_982546995148331_4748469642551968603_o.jpg

13226786_1389840651032272_3373988400591814551_n.jp

Captura de Tela 2016-05-19 às 15.17.21.png

13240697_982842451785452_1903733341501313022_n.jpg

O vestido, esse,  veio de um atelier em Campo de Ourique, onde recorro sempre que tenho dúvidas sérias ao que vestir. Chama-se WHITELOFT e é um espaço de 850 m2, no meio da cidade onde se encontra quase de tudo um pouco, dentro desta área de roupa "classe A" ... e normalmente em Outlet imaginem.. Marcas italianas, francesas e portuguesas de topo e com uma stylist de primeira, a Bebiana Azevedo Sabino, que me compreende bem e me aconselha nas indecisões.

 

Como sabem, fiz há uma mês uma cirurgia estética para "arranjar" as maminhas, e uma das preocupações foi ter um colo bonito que não exagerasse ou exaltasse em exagero o peito. Não queria parecer vulgar. Ah e mais que isso.. como na altura, ainda tinham passado 3 semanas e com esse timming ainda se deve usar um soutien de desporto e que sustente o peito permanentemente, procurei também, algo que o apoiasse,  até porque um dos mais recorrentes erros de quem se submete  a estas intervenções é a pressa de "mostrar" e não ouvir os conselhos médicos.. e depois... há azares... que... eu não quero que existam comigo... Bem... acho que aqui, se nota que estou confiante e contente com o "trabalho feito" mas com os cuidados necessários.... certo?...

 

13239307_984604994942531_8975135415093057962_n.jpg

 

13062321_982469458489418_5909188265302536314_n.jpg

13256480_1179774082042094_3248453912801356265_n.jp

O Hugo, levou o "fato cá de casa" lol.. esse sim não teve grande tempo para fazer escolhas diferentes, mas optou por inovar com uma camisa aberta sem gravata e uns tenis brancos da Adidas. Eu gostei. Uma classe descontraída e como ele emagreceu um bom bocado nos últimos meses, o fato assentou-lhe muito bem.

 

Ah e eu mesma.. quis ( por força do vento fresquinho que se fazia sentir ali pelos lados do Coliseu), experimentar o blaser do menino... sim, porque já é uma espécie de praxe ir beber uma "bejeca" e uma bifana, ali por uma das tasquinhas das Portas de Santo Antão,  antes de seguir para a Gala ;)

 13240637_982462985156732_5706561992251797146_n.jpg

13238922_982471211822576_6021765462969678918_n.jpg

nosglobos2016bonitos.jpg

 13238943_1146860908707894_1627825530313565124_n.jp

 globos2016a.jpg

13198379_982805278455836_34137408367362851_o.jpg 

Fui bem acompanhada, encontrei amigos, senti-me bonita e ... ganhei um concurso! Que mais querer de uma noite ?...

  13179340_982532508483113_6366290610094828068_n.jpg

13241208_984623478274016_2675569044327806327_n.jpg

 Ah.. por falar em concurso e só para deixar em aberto, algo que vos contar muito em breve.... eu... que nunca ganho nadica de nada... joguei na roleta da HERTZ e.... ganhei!!... Ganhei um prémio espetacular! Mas sobre isso... surpresaaaaaa... quero falar tim tim por tim tim noutro post. Mas o sorriso mostra que a " coisa" me correu bem, não mostra?...

13250437_10153762671046461_1430198332_n.jpg

 

 

 

 

Vergonha alheia... das Mulheres que criticam mulheres...

so-existem-tres-maneiras.jpg 

E esta heim?? Não aprovei estes comments no meu perfil ( estão já aqui abaixo, no post) por serem tão feios e tão má onda, mas ainda lhes estou a dar mais importância ao colocá-los num post. É assim. Sou coração e não razão, já se sabe...Mas dou-lhes esta "importância" por não ser de enfiar a carapuça que não me serve, por saber exatamente quem sou, e ter orgulho na forma como consigo gerir vida de mãe, vida de mulher, momentos de lazer, momentos de trabalho e momentos de muito e constante cuidado com os meus. Dou-lhes este tempo de antent porque não sou "mariquinhas" e para ver se elas têm vergonha na cara, ah e já agora porque não tenho amas, nannies, empregadas, ( e que mal teria se as tivesse, that's the question...) nem sou desleixada, má mãe, mentirosa ou cínica... hummm... e porque haveria esta gente de pensar isso, perguntam vocês e pergunto eu? Talvez porque tenho uma vida pública, sou dj, apresentadora e blogger... Será mesmo isso, suas cabeças ocas? Será mesmo esse o triste e estúpido preconceito? Ou será porque me conhecem e à minha vida e rotinas de "Mãe extremosa fingida" e têm por isso imenssssoooo a dizer sobre a minha conduta?

 

Mulheres que criticam mulheres... que horror, até me causam arrepios... Das piores tristezas "da espécie"... Incomodam-me mesmo a existência destas "dedo duro", gente de mal com a vida, que quer ser o que não consegue  (ou não compreende) e por isso... ataca!... Infelizmente há muitas (demais..) criaturas dessas por aí, que em vez de tentarem trazer algo bacano a este mundo e fazer algo simpático da vida, só sabem criticar.... principalente a outra mulher, que é alvo fácil e a abater.

 

Se trabalhas e tens filhos ( pior... se tens um trabalho fora do comum como eu tenho, é porque não fazes nada da vida e vives de futilidades) .. sim, se entregas os filhos de manhã no infantário porque  tens que trabalhar e ganhar dinheiro para que a tua família tenha uma vida confortável... é porque não lhes dás atenção, mas por outro lado... se estás em casa 100% dedicada aos miúdoss, é porque és uma beta, uma dondoca, uma ricalhaça sem interesses, preocupações realistas ou neurónios. Se és mãe solteira é porque és uma triste e acabada, se tens filhos de vários pais porque tiveste tomates para terminar relações disfuncionais é porque és "doidivanas" e promíscua, se falas abertamente das precipécias da Maternidade (e graças a Deus há tantas! ;)), é porque não gostas da tua condição de Mãe, se mostras roupas e afins tuas e das criancinhas é porque só pensas em trapos, se tens Ama é porque não te interessas pelos filhos, se não tens e só ligas aos mesmos, és uma mulhar desleixada que deixa de pensar que é Mulher, para além de mãe... e por aí fora. Triste ver esta estirpe crítica e que ainda por cima não sabe fundamentar. Porque no fundo, não tem como.

 

  • Comentário no post Transe-mommy

    A Rita sabe mesmo encarnar na personagem, só que não.... a sua vida não e assim.

    catia (IP: 92.250.122.220) a 21 de Abril 2016, 11:32
  • <input ... >

    Comentário no post Transe-mommy

    A serio querida? Parece q nao gosta da sua condicao de mae, sim, da trabalho, mas pelo vistos e tao egoista que so quer pensar em si e nos seus cremes... Se nao quer trabalho entregue os seus filhos a uma ama e va busca-los quando eles forem adultos. ...

    Boneca (IP: 84.91.57.115) a 21 de Abril 2016, 21:53
  • <input ... >

    Comentário no post Transe-mommy

    Nao tens nada na cabeca....

    Boneca (IP: 84.91.57.115) a 21 de Abril 2016, 21:54

 

E pronto, queridas caras Cátia e Boneca, (talvez até a mesma pessoa camuflada em nomes fictícios), sabem que mais? Este postal é para vocês. E encarrega-vos de decifar a "complicada mensagem" : "Não faça nada, não diga nada, não seja nada".. e assim... nada de críticas. Boa? Nop... thats not me...

 

O "trabalho" que aqui faço no blog é mesmo esse, o que vocês apontam de forma super desagradável e infundada: sim, é Fazer, Falar e Ser. Temos pena ... é falar de coisas sentimentalistas e fortes, é queixar-me ( e Ser) de coração cheio, é escrever sobre Amor e sobre cansaço ( só uma pateta achará que isso é incompatível), é sentir-me próxima dos problemas, questões, acontecimentos das mães que me lêem,  é dizer e abordar os meus erros ( e assumir que os tenho graças a Deus, por isso me tornar completamente... tipo...humana) e também , claro, os meus orgulhos (quando consigo fazer das tripas coração para conciliar com coerência todas as pontas da minha vida), é ter os meus filhos como centro de tudo isto... ahh... e sim... também como mulher vaidosa, cheirosa e (felizmente) até com uns dias felizes de futilidade... falar de cremes, roupas, tendências, eventos (e aqui entre nós.. devo ser das bloggers que menos o faz pá... deviam mesmo informar-se antes de falar do que não sabem). 

 

Et Voilá! Era só isso, queridas invejosas. Ser feliz, não é necessáriamente estar sempre a fazer vénias à vida.. é dar-lhe a volta da maneira mais educada possível, para que ela nos continue a brindar com momentos maravilhosos e gratos. Alguns. Porque os chatos, também existem e é tão libertador poder falar deles minhas senhoras!

 

Beijinho no ombro meninas! Ah... os próximos posts vão abordar provavelmente ( porque como faço isto ao sabor do tempo que vou tendo, das minhas emoções e obviamente dos meus compromisso nunca sei bem qual é o tema do dia seguinte) cremes, roupas e passatempos! Não vejam, credo! Que mãe horrorosa que gosta dessa coisas... Blhacckkk de mulherzinha....

f08a6d6d5eb82f7a425298434c91034a.jpg

 

 

 

 

 

Transe-mommy

Hoje aconteceu-me de novo.

 

Desde que os vou buscar até que os adormeço ( humm... entre as 17.30, 18 e as dez da noite, vá, umas 4 horas e meia "non stop") parece que entro em transe, que fico literalmente hipnotizada. As tarefas, as birras, as negociações, os mimos, os pedidos de atenção, os banhos, as refeições, o arrumar as compras, o estar atenta às asneiras e cabrioloces, os ciúmes de irmãos, as mãozinhas prontas a agarrar tudo o que lhes é "proibido". Sim, é isso... deixo de existir enquanto ser pensante e passo a ser Mãe e dona de casa a 100... desculpem a 200%. Totalmente "out", embregada nos minutos que passam a correr, mas que, no final, me deixam como se tivesse corrido a maratona. E é assim todo o santo dia.

 

Hoje dei por mim, a teorizar sobre isso, assim num espécie de flash racional... em que voltei, nem sei bem porquê, a ser a Rita "Eu", por uns segundos e em que me apercebi que andava tipo formiguinha pela casa (que ainda por cima é muito maior do que a minha antiga, por isso tenho que andar também o dobro do tempo a arrumar brinquedos, buscar roupas, ligar e desligar o bico do fogão, abrir e fechar a água do banho, arrumar os bibes, ligar a tv da sala e desligar a da cozinha...).

 

Há pouco, eles adormeceram e eu "voltei a mim". Consegui ir colocar os meus cremes da noite, secar o cabelo, pôr o telemóvel , que teve quase 5 horas desligado, a carregar e... voltar a olhar para o facebook e restantes redes sociais lol... 

 

Pensei na Rita-Mãe de há uns minutos atrás e tentei analisar como estava o meu cérebro vazio de tudo, que não eles e as tarefas incansáveis há um bocadinho atrás. E apeteceu-me perguntar.... se somos todas assim? Eu acho que sim, sinceramente. Que independentemente de sermos profissionais ou donas de casa, novinhas ou mais "cotas", intelectuais ou "desinteressadas"... todas, depois de virarem "Mães de família" ( seja que tipo de família fôr) têm nos filhos e nos deveres rotineiros que com eles se identificam, uma espécie de momentos hipnóticos em que ficam assim que umas "máquinas multitasking". Tudo dentro das suas portas, entre quatro paredes, sem ninguém para assistir, aplaudir, considerar... ser algo tão estranho, tão intenso, tão perfeito, tão inato, tão selvagem. Nós  e as nossas crias. Nós e o nosso ninho. Nós e o nosso mundo.

 

Somos não somos? Mesmo umas Super Mulheres, em estado hipnótico ;)

65c0569b77efc989451d9b8fa62250e4.jpg

 

 

 

A vida que tem de ser

12592533_954145931321771_7980236584178602684_n.jpg

Nem sempre somos o que queremos. Fortes constantes, coerentes. E nem sempre o que sabemos que  "a vida que tem de ser"... nos faz sentir bem.

 

E apesar de saber que é suposto e tal e tal...o meu coração não anda a conseguir lidar com a ausência do "filho do pai separado". Pronto, tenho dito. Ando mesmo a sofrer com isso, anda-me a fugir pelas mãos (tanto o filho, como a situação) e  tenho andado a sofrer em silêncio. E não se pode fazer basicamente nada.  Pronto. A não ser... escrever um texto como este para ver se alivia e se encontro "cúmplices" neste sentir.

 

Tem a ver com a minha vida, com a minha rotina, com o fato de eu estar a voltar a estar muito fora aos fins de semana e ele estar com o pai de 15 em 15 dias. Tem a ver com o fato de muitos dos que "me calham" ele acabar por ficar com a avó ( adora, atenção e é até muito saudável mas.. mas.. eu não estou presente...), porque eu estou de viagem a tocar. Não é algo que consiga prever. Muitas vezes, as datas surgem 2 ou 3 semanas antes, outras até menos e já há coisas combinadas do outro lado, perfeitamente legítimo. 

 

E depois vêm-me todos dizer: mas olha, não fiques assim, ele está contigo durante a semana, aproveita sem stress..". Sim, está... mas durante a semana há a escolinha, as atividades, eu sempre cheia de afazeres, o restaurante, sinto que é "acordá-los, arranjá-los, deixá-los... passar o dia, apanhá-los, arranjá-los, deitá-los...". Preciso de manhãs de ronha com ele, de ficar 48 horas dedicadas ao meu caracolinho. Preciso de o sentir perto sem estarmos sempre de horas marcadas para tudo... Preciso da minha Luz. Do meu Luz. Sinto-me apagada sem ele.

12068675_947365305333167_5932295601821965655_o.jpg

 Existe ainda outra coisa e que tem a ver com uma sensação de injustiça, perante a minha permanência com a  irmã, uma espécie de desiquilibrio no meu "estar" com cada um deles, com quem eu sinto e sei ( eu sei. Ele, acho que ainda não equacionou isso) que estou muito mais tempo. Algo inevitavel, porque ela "é permanente". Não há pais separados e está sempre "deste lado". Ok, ok, continuo a ir para fora, trabalhar, continuo a não estar todos os fins de semana, mas estou muitos outros estou presente. E só as duas, sem mano. Umas vezes com o pai, outras com ele a trabalhar no restaurante e noutros trabalhos, por isso, também muitas vezes só mesmo as duas. A criar laços que sinto que me estão a começar a falhar com o mais velho.

 

Não posso, nem quero, no fundo, fazer nada.  Porque não posso nem quero deixar de trabalhar ( nos meus horários irregulares...) porque ele não pode deixar de ir para a escola para estar comigo (já o cheguei a fazer uma ou duas vezes, mas como acho que as rotinas são importantes de manter, tento não o fazer muito), porque o pai e a família dele têm tanto direito de usufruir de tempo de lazer com ele como "os de cá". Mas quero, aqui, deixar que sinto e fazê-lo sem pudores, porque acredito que haja muita mãe separada que se passe por esta dor inevitável de quem sente que se lhes é arrancando um pedaço de si, ao perceberem que as contingências da vida, as fazem afastar de quem mais amam. Mais ainda... para quem, tem filhos de pais diferentes e passa a vida a tentar perceber se dá a um o que dá ao outro, que tenta compensar mas também não sabe bem como, que sofre porque a família nem sempre está completa...

 10306742_946845065385191_5031752307499645321_n.jpg

A outra pirralha também se queixa de saudades, quando o irmão não está. Principalmente quando está na rotina caseira e comigo. Chega a ordenar-me : "Vai buscar Axonxo Mãe! Vai!".. e a mãe: " Ó filha, não posso, ele está no pai João... ;("... Mas depois... ele surge e as saudades passam a ciúme e embirrice e ele, que é um doce, acaba por ser quase ostracizado por ela, que se passa cada vez que me chego a ele e ele a mim. Faz jogos de birras, afasta-nos, chega a dizer " A mae é shó mia!!" e no fundo, até deve acreditar nisso, porque me teve dois dias inteiros só para ela. A enroscar-se em mim, a brincar com ela sem outro foco de atenção a distrair-nos, a dormir num determinado sítio na minha cama... que depois... o mano chega e.... também quer! No fundo, acaba por não ser culpada deste "marcar de território", o que ainda é mais difícil de gerir, porque não a quero assim.... mas percebo o porquÇe de estar assim...

 

Sinto que "a vida que tem de ser"... nos está a afastar ao ponto de ele um destes fins de semana me dizer. "Ó mãe, mas hoje não há escola?"... " Não filho! É sábado!!"  E ele: " Mas os sabados e os dias sem escola não são na casa do pai? ".... ;( 

 

E pronto... sem mais que dizer, contar, queixar, choramingar, teorizar, só agradeço poder partilhar ( e espero que sem dedos apontados ou críticas) este sentimento com tantas mães ( e sim, porque não pais) que vivam algo parecido.. um misto de culpa ( sem haver culpa nenhuma), tristeza, impotência e medo de estar a errar na educação emocional destes dois pequenos seres ( ada um por razões diferentes) e ... saudades constantes de uma realidade que está longe de ser aquela que eu sonhava quando quis ser mãe. 

 1689238_954147504654947_5269504848409330338_n.jpg

Sabem que mais? Cada momento tem que ser aproveitado, saboreado à séria. Porque o tempo é tão curto e passa tão rápido... Porque ao não nos conseguirmos duplicar, não podemos chegar a tudo o que queremos e ao não chegar a tudo o que queremos.... a nossa felicidade vai sendo vivida às fatias. E como seres insatisfeitos que somos...normalmente parece-nos sempre, que à fatia que temos no prato, falta sempre algum ingrediente extra. E para mim... impossível na permanência, mas maravilhoso quando acontece... as minhas duas fatias juntas (de seu nome "meus doces filhos") completam aí sim, o bolo mais saboroso do mundo!

 

Ai, ser mãe é mesmo ter o coração ( muitas vezes a doer) fora do corpo... Porra!!

 

"Eu me quero de volta".

e58c8bf390f7fa26fc0cddba4f5dcee9.jpg

 E pronto. Os blogs são, ou deviam ser isto. Uma forma de chegar aos "nossos" seguidores, amigos e até inimigos, que esses também espreitam, acredito... , aos que aparecem aqui aos trambolões... e ...ou...mas também.... uma forma de chegar genuina e verdadeira. Um outro "eu", esta coisa dos blogs. Eu acho. Porque, na verdade, cada vez mais existem blogs que para mim não têm nada de blogs, são antes sites, plataformas comerciais, edições de moda melhor ou pior conseguidas. Nada contra. Mas não são blogs, são outra coisa...E eu quero este este, o meu... continue a ser um blog como assim eu acredito que tem que ser. Uma extensão de mim mesma. Dos meus gostos, das minhas paixões, dos meus medos, das minhas dúvidas, do meu ego e da minha procura ou aniquilação do mesmo, das ânsias da minha alma, como pessoa, profissional, mãe e mulher. 

 

Se calhar por isso tenho escrito pouco. Tenho andado sem vontade, ou sem força para grandes "Eus"... tenho feito mais o "chapa cinco", para não deixar cair este meu projeto querido, o Barriga Mendinha, mas a verdade é que a escrita não tem fluido. Ando desiludida com muita coisa, ando uma tristonha em busca diária do que me faz sorrir. Ando com pouco tempo ( mas que isso não sirva de efetiva desculpa porque no fundo por esta ou por outra razão, sempre andei...) e mais que isso, sem sentir que os feed backs da minha "cena genuína" andem a ser os melhores. Epá.. acho que ando sem inspiração, ou sem vontade, é mais isso basicamente. Com poucas coisas relevantes para vos dizer.

 

Durmo pouco, ando preocupada, tenho muitas frentes. Foco-me nas coisas mais imediatas da vida, para sentir que ela não me foge entre os dedos, porque sei que se me ponho com grandes teorias ou conjeturas (tanto aqui nas escritas como na própria vida) não vou gostar de onde estou, do que vivo, e corro o sério risco de descambar. Por isso (e porque a idade tem isso de nos fazer conseguir ser o que queremos, mesmo que não seja esse o caminho da nossa essência), para me proteger, acho que me tenho "embrutecido" por opção. Como? Ao pensar menos, ao ler menos, ao escrever menos... ao sentir menos. Perigoso... 

 

Pode ser que ao escrever hoje, aqui sobre mim mesma e não sobre peças de teatro, produtos, moda ou acontecimentos, esteja a começar o corte com esta impossibilidade (e frustração) de não andar a gostar nada  de ser o que tenho sido nos últimos tempos. Talvez seja o clique para que volte a ser mais genuína e fluida. Mais... "Rita Mendes" aquela de que, com voltas e contravoltas, com mais ou menos acertos, eu sempre me orgulhei. A ver vamos. É que também, não vejo, para já grandes saídas. Abstenho-me, obviamente de descortinar os meus porquês... mas no fundo, acredito que apesar dos sorrisos e tentar encontrar o melhor de mim todos os dias ( porque sim, não deixo de ter a positividade colada à minha pele, sempre, chova o que chover, existam as tempestades que existirem à volta da minha e nossa existência), o "deixar andar" tem acabado por ser a solução. 

 

Acredito que quem assiste à minha pró-atividade quase constantr não entenda muito bem do que... ou como raio falo de um "deixar andar", sim... na vida não dou, de todo, chance à inércia, não posso, ela própria não mo permite. Um projeto atrás do outro ( porque metade são boicotados, outra metade não vêm o sucesso merecido).. Mas na alma (e não se esqueçam que isso também acaba por mexer com a minha criatividade e auto-estima, algo importantíssimo para quem é artista) ando a passar por um "banho-maria" muito estranho. Porque acho que já não tenho força para sofrimentos épicos e desgostos aniquiladores. E mais vai valendo assim, sem valer nada de jeito, pelo menos, ao meu jeito...

 

Olhem, nem sei. Só sei que não sou perfeita e isso é que é ser Pessoa real. Tenho defeitos, erro, volto atrás, assumo ou não assumo (e até aí sou um ser normal). Luto contra tudo e contra todos por valores que me parecem ser só meus. Choro no privado, sorrio frente a uma câmara. Defendo-me do que não deveria ter que me defender. Tento ser uma boa mãe, esforço-me tanto por ser o que sempre me exigi, nesse campo. E falta-me o tempo, o apoio e às vezes até a paciência. Arrependo-me de me abrir para quem nunca o devia ter feito., por ter mostrado os meus "calcanhares de aquiles" a quem depois mos pontapeia aí mesmo onde dói... Levo chapadas de punho fechado e tento oferecer em troca, chapadas de luva branca. Caio e volto a levantar-me, mas, cada vez mais sei que as mãos que me ajudam a voltar a cima, são cada vez menos e que tenho que assumir (acho que a constatação deste fato é que me alimenta mas tem consumido o coração) que o "nós" existe cada vez menos na sociedade em que vivemos. Cada um por si. E eu... a sofrer por isso.

 

Hoje, voltei a escrever algo "meu" no blog. Mas aqueles "meus" em que acho que muitos se irão rever. Estar triste e mais cabisbaixo não faz de mim (nem de vocês) uma pessoa deprimida, acabada, doente, fraca... faz de mim uma pessoa normal que vive a sociedade  em dias estranhos e impessoais, as  críticas constantes como violência contra si mesmo, as relações humanas com laços cada vez mais soltos, as frustrações e instabilidades pessoais da forma mais saudável possível, mas que não deixa de ser dolorosa. Faz de mim, uma pessoa que busca o equilibrio entre o que quer... E o "que se pode" e alguma felicidade nessa equação... E quem não o percebe é que deve mesmo ter problemas e "maldades entranhadas".

 

Ser humano é ser frágil. E, segundo os meus princípios, é também saber dar a volta, não tentando esconder-se atrás de uma perfeição que não existe. Até já. Amanhã voltarei. Porque eu "me quero de volta"... e por mais que estes processos pessoais naõ sejam facéis, o querer muito já é um primeiro passo, um passo muito importante... vamos lá!!

 

 

 

 

 

 

 

O dia em que me apaixonei... por um Ferrari...

 

E esta experiência tem mesmo que ser compartilhada ;) É que foi brutal  senhoras e senhores !!

 

Cheguei ao Autódromo do Estoril um bocadinho a medo, aqui entre nós, achava eu que não ia achar nada de extraordinário e que só ia guiar um carro para "fazer figura" ahahha!! Que engano crasso. Passei-me com aquilo!!! Comecei com um Porche e depois... só queria experimentar um e outro carro... Comecei a conduzir o Porshe Cayman S, seguiu-se um BMW M4, depois um Lamborguini Huracan LP 610, o hiper super Ferrari  FF (o vídeo que aqui  vos mostro foi a minha primeira experiência, neste bebé) e por fim... o Maclaren MP4-12C, oh meu Deus, que potência!! 

12657375_792367334200419_2925607621637713972_o.jpg

 Ahahha! Pela descrição  e entusiasmo, acho que percebem o quanto fiquei passada com esta experiência que me foi proporcionada pela empresa RACING VARIUS. Eles que estão neste momento a começar a comercializar isto que fizémos: experiências fantásticas, em carros de sonho.

 

E mais ainda... dentro do Autódromo do Estoril. Algo que assim, se torna acessível a qualquer "comum mortal" que não tenha a possibilidade de ter efetivamente um maquinão destes na sua vida... 

 12711248_792367350867084_3954330350077304472_o.jpg

 

Mesmo com um dia chuvoso, que nos acabou por refrear um pouco( aos "curiosos" e aos experiêntes condutores/instrutores que nos acompanharam sempre), mesmo assim, deu para sentir a potência destes motores, o entusiasmo de conduzir numa pista profissional como a do Autódromo do Estoril, deu para aprender um pouquinho de condução de pista aperfeiçoada e deu.... para subir a adrenalina, sim senhora!

12697502_792366760867143_8341072072354981873_o.jpg

12697455_792366770867142_2116389337433442093_o.jpg

12696945_792366807533805_3240398670362256507_o.jpg

12710851_792367864200366_8171884962996146095_o.jpg

12742551_927910150612016_2462888051809211897_n.jpg

 

12672197_792366360867183_7968231396883308541_o.jpg

12657260_792366907533795_2153890149383508646_o.jpg

12734020_792367510867068_2054793566868897605_n.jpg

Mais informações:  http://racingvarius.pt/ 

 

Sobre esta semana completamente louca:

 

Sobre coisas estranhas e intensas. E sobre a forma de tentar tirar o melhor partido disto tudo....

 

1- Ora bem.... vou Trabalhar para a Guarda. Vou de carro com amigos, volto de comboio como tantas vezes faço.

 

Venho no Intercidades que antecede o comboio que descarrilou perto da zona de Mangualde, uns minutos. Só me aprecebo disso uns 45 minutos depois de termos parado....Vejo ambulâncias, bombeiros, aparato. Depois de falar com pai, mãe e marido, começo a receber algumas mensagens e sms de amigos, que sabiam que aquela hora deveria estar de viagem, a perguntar se está tudo ok comigo... nunca se sabe, as informações nas notícias eram poucas. 

 

Faço um post no facebook a descansar o meu pessoal, a contar por alto os acontecimento e a dizer do tipo : Que sorte que tenho, grata por não estar eu naquele que saiu da linha e pronto... agora, no entanto vou apanhar a "bela da seca". E assim foi. Demorei 10 horas e meia a chegar a Lisboa, numa viagem que normalmente se faz em 4. 

 

Tudo isto normal, não fosse , uma conhecida publicação, ter feito em horas ( baseado no que eu disse no FB) um título com a minha foto, a que publiquei junto das malas e da linha do comboio a dizer: "Rita Mendes- Terrível Acidente". What??

 

Que dizer disto, senhoras e senhores? Ahhh e que dizer mais ainda dos comentários de "transeuntes cibernáuticos", com frases estranhas e até malcriadas direcionadas à minha pessoa ( como se eu quisesse ter feito notícia com isto...) dizendo que "os famosos fazem tudo para aparecer"... que EU era uma mentirosa ( não a publicação hammm, eu!!), que devia ter vergonha...

 

Enfim, pronto é isto. E que se tirem as conclusões que que quiser. Aiiaiai... sobre como vai o jornalismo português (imaginem amigos e pessoas próximas a ler este título...) e sobre a maldade de pessoas que não fazem puto de ideia quem sou....

 

Captura de Tela 2016-01-15 às 16.56.36.png

 

2- Sobre a minha "dieta"que não é "dieta" mas sim "tratamento" (porque tem exames, acompanhamento médico, é feito à medida de cada um e tem mais do que provas médicas e ciêntificas dadas) e sobre as pessoas que me critcam como se tratar de mim... ao invés de ser bom, fosse para ser gozado, criticado ou desacreditado..

 

Se estou orgulhosa do que tenho feito, se acredito no método, se cada passo conquistado é digno de reparo e partilha, se as pessoas têm gostado das minhas ideias de receitas, se me "apaixonei" pela Pronokal e pela forma como me está a ajudar a reeducar a nível de alimentação, porque não mostrá-lo ao mundo?

 

Odeio as  critica sobre o que não sabe efetivamente do que fala:

 

. Não "isto" não é uma dieta rápida.

 

. Não eu não sou fútil por estar a fazê-la (uma seguidora e supostamente "amiga" até mandou um comment em tom de gozo a dizer: "Olha fiz 4 implantes dentários emagreci numa semana e meia 3 Kilos hahahhahah")... Ahahhah , what? Por estar a tratar da minha saúde e imagem, sem plásticas, intervenções cirúrgicas, sem químicos, comprimidos marados, exercício esgotante, sem passar fome? Acho que cada vez mais, as mullheres, que deviam era apoiar-se umas às outras, se autocriticam como forma de punição.. va-se lá saber porquê...

 

. Não não é um "milagre". a "comer coisinhas".... Existem 8 fases. Estou na primeira ( que é efetivamente onde se perde peso mais rapido mas que de nada me servirá se não continuar depois a seguir as"regras"). Existem Personal Trainers associados ao projeto ( só não posso é "bombar" feita louca nesta primeira fase porque estou a ingerir poucas calorias e zero hidratos e açucares, por isso estou mais fracota) que me acompanham e isso, faz também parte do programa que estou a fazer. Porque opinão acerca do que não sabem pessoas!?....

 

. Epa... e para finalizar.... qual é o vosso problema mesmo? Se estou mais gorda, desleixei... se me ponho  mais magra, não sei o que faço, não preciso e sou fútil... Haja Santa paciência....

 

Se quiserem saber exatamente do que se trata, como funciona e que alterações provoca no nosso organisto liguem para: 707 78 20 12 ( saberão tim tim por tim tim, sem qualquer tipo de obrigação)

 

Captura de Tela 2016-01-15 às 17.12.55.png

 

3. Sobre ter ficado sem bateria no carro... e claro... ter sido um "filme pessoal" que desabei no FB... e também ter ido parar ao jornal como notícia.... Sim... muito importante para o país, não acham?? lol

Captura de Tela 2016-01-15 às 17.24.53.png

 

 

 

4. Sobre o meu vestido lindo ( e menos 4 cm na cintura eheheh) que usei na inauguração do novo cabeleireiro da Angels and Dreams, um espaço que para além disso, tem ainda estética e uma panóplia de práticas, consultas, profissionais direcionados para o equilibrio pessoal, da alma e da mente. O evento foi tipo... de arromba e senti-me muito vaidosa com a produção (o vestido é da marca Imperial e da loja Karla Pronto a Vestir, Nas Colinas do Cruzeiro, o mesmo bairro onde fica o Angels and Dreams e ... a minha casa ;)) e também por fazer parte deste projeto tão diferente e ambicioso.

Captura de Tela 2016-01-15 às 17.19.44.png

Captura de Tela 2016-01-15 às 17.20.31.png

487540_930950913649045_7676198980422043378_n.png

 

 

 

5. Ainda sobre a festa de ontem.... a forma "fabulástica" e extremamente irritante que as crianças têm (as vossas também?? ) de quando queremos algo delas ....fazerem uma birra tremenda daquelas que nos envergonha imenso, para ser do contra e não vergar ao que pedimos... mas quando não queremos, impingem-se como ninguém e choram baba e ranho como se nós não lhes ligássemos nada... aAaiia... 

 

Aqui, teve a ver com fotos  que iamos tirar ambos, a que o Afonso se escondeu, fez caretas, quase me fez sentir uma Mãe que o "obriga a fazer o que não quer"... mas 5 minutos depois, quando eu e a minha sócia quisémos tirar uma sozinhas para ficar com o registo... arrastava-se a agarrar-me, chorava com ar de pobrezinho a dizer " a minha mãe, a minha mãe..." e eu parecia a má da fita a não lhe dar atenção....

 

Esta foi só mesmo em onda de desabafo e ao mesmo tempo piadola... todos os males fossem este. Mas lá que o piolhito me irritou.... sim , irritou! ;)

 

12549072_931078856969584_832716362344848294_n.jpg12469448_931078880302915_6478297441666180250_o.jpg

IMG_20160114_193751.jpg

 Bem, vamos entrar agora no fim de semana, espero não ficar, desta vez ,ficar tanto tempo sem vir até vocês. Boa? Beijinhos e abraços. Mantenham-se por aí, please. Mesmo quando "vos falho", estão sempre no meu pensamento... ansiosa por ter um tempinho para vos vir contar novidades, fazer desabafos, teorizar sobre as minhas ideias ou trazer-vos ideias que vou absorvendo do mundo...

 

 

 

 

O Balanço ( e receitas que fiz) de 6 dias de dieta Pronokal

O corpo humano é mesmo adaptadavel meu Deus! Digo isto porque ao fazer um balanço dos 6 primeiros dias de dieta Pronokal ( a que explico tim tim por tim tim AQUI),  já passei por tantas fases ( refiro-me à forma como me tenho sentido tanto física como motivacionalmente) que parece mais que foram 6 meses, em vez de dias...

 

Começo então por dizer que agora me sinto bem. Sem fome e sem ânsias. E tal já mo tinha sido transmitido pela nutricionista, que a partir do 4a dia (altura em que entraria no tal estado de ceteose), tudo iria estabilizar e o organismo se adaptaria.

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.08.29.png

 Mas claro que "isto" não é coisa facil. Comecei por ter dois dias "loucos" de fome, em que sonhava com leitões à Bairrada e babas de camelo a toda a hora lol... nada de anormal, no fundo, foram os dias em que a privação da "comida normal" (e ainda por cima, ainda sem suplementação alimentar) custa mais, porque são os primeiros passos à adaptação a esta nova forma de comer, esta nova forma de estar .

 

Cozinhar a horas certas, pesar alguns alimentos, ser muito rigorosa com a qualidade e quantidade dos legumes com quwe acompanhamos as refeições principais, começar a entender que ao ingerir sómente proteína e legumes nos irá levar ao passo seguinte, que é a entrada em cedose, ou seja, a ausência de açucar e hidratos no nosso organismo, o que obrigará o nosso corpo a "consumir" a gordura de que nos queremos desfazer... para termos a energia necessária para a vida normal.

 

Bem, estes dias iniciais serviram também para me adaptar a beber 2 litros e meio de água ( e fazer 40 vezes xi-xi por dia lol) e perceber como funciona a "dinâmica das saquetas". Quase tudo, à exeção das tostinhas, dos coulis ( substitutos de doce de laranja, pessego ou framboesa) e dos molhos (imitação de mostarda e ketchup), vem em saquetas, cujo conteúdo precisas de juntar àgua e depois cozinhar (no fogão, no forno ou no microndas). O que ao início me pareceu complicado, até porque não conhecia ainda bem oas variedade que existiam, acabou por ser desafiante e giro. Porque a verdade é que exitem um série de adaptações de todos os alimentos. A ideia é que cada refeição seja acompanhada de legumes e por isso, tive que puxar pela criatividade. Ajudou muito, seguir as receitas que existem no site www.pronokal.pt e mais ainda no canal de tv  ( a PNKTV) que a marca tem e onde se ensina a técnica de cozinhar toda esta panóplia de coisas mas depois.. a verdade é que, ficas por ti mesma a tentar tornar as refeições os mais saciantes e saborososa possíveis. E isso sim, tem sido desafiante.

 

Aliás, como toda esta dieta, a que no fundo prefiro chamar "método", porque não é de todo uma "dieta rápida e louca", apesar de ter esta primeira fase muito restritiva: Mas digam-me lá uma coisa... estranho estranho é quando te apresentam soluções aparentemete super fáceis. Queres emagrecer? Te que fechar a boca, sempre o ouvi dizer. Não há cá formulas milagrosas. Mas ok. Já que vais ter que fechar a boca, ao menos que tenhas a noção de que o teu organismo não irá sofrer carências por isso e que a cada passo que dás, estás acompanhado por médicos e profissionais de nutrição.

 

Bem, já passei por tudo nestes dias. Fome e depois.. vontade de comer (esta, significa que o "ratinho" já era mais psicológico do que efetivo, porque está mais que estudado que ao fim de alguns dias o organismo se adapta, o estômago habitua-se a receber menos quantidade de comida e os suplementos de sódio, potássio, vitaminas e minerais e magnésio que tomas fazem com que tenhas o aporte certo de nutrientes e elementos que eliminaste ao cortar com certos alimentos)... Passei também por momentos em que me senti mais cansada que o normal ( nada de estranho, é só percerber o porquê) e dores de cabeça esporádicas.

 

Por outro lado, ao terceiro e quarto dias, tive fases de uma energia que até estranhei e a verdade é que a nossa força e motivação precisa disso para se manter focada... Se é facil? Oh hell...no... mas a verdade é que a Pronokal é como uma mãe a tratar e direcionar uma criança que ás vezes se porta bem... e outras vezes, tem ânsias de se portar mal.. lol... E olhem que é mesmo verdade, logo no primeiro dia de tratamento, tive um telefonema muito motivacional da minha médica, a Dra. Fátima Portugal, e entretanto a minha nutricionista do Centro de Assessoria Dietética Presencial, a Vania Sousa, já me enviou 2 ou três mails com importantes informações e dicas ( tem estado sempre atentas aos posts do meu facebook e do meu instagram onde tenho publicado as refeições e lá vai enviando um ou outro reparo sobre ingredientes, formas de cozinhar, quantidades e afins), já estive com ela no centro e troquei uns pacotes que tinha gostado menos por outros que me pareceram mais apelativos e.... entretanto já tive o primeiro contato com o exercício aahhahahahha...... com a Pt Susana que me fez acompanhamento inicial.

 

A parte da atividade física também se torna importantíssima neste processo, mas até para uma pessoa que esteja habituada a fazê-lo regularmente, durante este primeiro processo, terá de abrandar e apesar de ter que fazer algum exercício, tem mesmo que ser acompanhado e com calma... não nos esqueçamos que a nossa energia está diferente... e por isso mesmo, para quem se comprometeu com a saúde, como eu o estou a fazer.... temos à disposição a assessoria do especialista de prescrição de exercício físico saudável, que efetuará uma avaliação prévia para implementar os exercícios mais adequados a cada caso. E foi assim e por isso que uma ou duas vezes por semana irei ao centro para saber o que fazer e como ( já tenho um plano de exercícios que posso fazer em casa o no ginásio e tenho a indicação de que devo fazer, 3 vezes por semana, caminhadas de meia hora)

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.03.11.png

 Bem.... e o essencial!! O peso! Ou a perda dele... querem que seja sincera. Ainda não me pesei. De todo. mas por opção. Prefiro fazê-lo na mesma balança, na próxima consulta com a médica que me está a acompanhar em todo este processo. E como a consulta ja é na próxima 5a feira, vou tentar controlar-me até aí. No entanto.... no entanto, minhas senhoras e meus senhores, já sinto efetuvas diferenças. Principalmente na cintura e barriga que estava muito proeminente. Ainda ontem vesti um casaco de cabeda (alias hoje vou vestor de novo, de tão contente que estou) que me ficava super justo e já não apertava... e agora quando o experimentei... Tcham tcham tcham.... o fecho já entava de novo no zip... e as mangas já não apertavam. Happy!!!

 

E assim corre a vida. E assim eu rumo ao meu peso, saúde e corpo ideal. Oh yé!!

 

Vou deixar-vos agora fotos das refeições principais (com todas as notas e comentários feitos, por estes dias na minha conta de Instagram) que fiz durante estes dias, para terem uma noção e quiça... inspiração para se iniciarem na coisa.

 

PS: não se esqueçam que quem contactar a Pronokal e disser que  foi através de mim ou do meu blog que teve conhecimento da mesma... receberá um desconto de 10% no tratamento total (não acumulável com outras promoções), compras, acompanhamento.... e ainda.... no final da dieta ( mas têm mesmo que terminá-la, vão entretanto perceber o tão importante isso é para que se faça uma reeducação alimentar séria, para a vida..)... a Pronokal oferece à ou ao batalhadora/a, uma refeição ( saudável, claro!!!) para celebrar, no valor de 50 euros, onde? No meu restaurante, claro!! O Meritíssimo, nas Colinas do Cruzeiro, Odivelas, pertíssimo de Lisboa.

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.04.07.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.04.38.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.04.58.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.05.14.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.05.31.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.05.45.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.06.03.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.06.20.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.06.36.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.06.58.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.08.10.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.08.55.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.09.26.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.09.12.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.09.40.png

Captura de Tela 2016-01-08 às 12.09.56.png

 

 

 

 

 

Mesma casa, mesa mesa, diferente ocasião, diferente decoração. Comparem as diferenças

E para verem como pode ficar diferente a decoração da mesma exata mesa, na mesma exata casa... examente depois...aqui fica a mesa de Natal e agora a de Fim de Ano, lado a lado:

FB_IMG_1451669452327.jpg

 Depois de vos ter mostrado AQUI tudo sobre onde, como e porquê organizei a mesa assim... agora mostro os pormenores da que ontem à noite fiz cá por casa. E mais uma vez, só com coisas que por cá já existiam.

6027_908007022602329_3026083363690424568_n.jpg

Vestida pela Tendências Store e penteada pela Angels and Dreams, aqui estou eu toda orgulhosa das iguarias que passei um bom tempo a preparar e da decoração mais estilosa e sparkelling que fiz para entrarmos no ano novo. 

FB_IMG_1451588477371.jpg

Mariscada preparada e cozinhada, lancei-me a fazer a mesa: pratos laranja de um serviço do Continente, faqueiro todo barroco da Loja do Gato Preto, guardanapos de pano e bases azuis de palhinha da Zara Home.

FB_IMG_1451670141085.jpg

 

Ao contrário do que fiz no Natal, porque queria um ambiente mais tradicional e familiar, desta vez,optei pelos individuais e uma tira de tecido dourada a percorrer o centro da mesa. Copos de vinho e de gin bem grandes,  como é tendência, cestinhas de vime para o pão e tostas, patés em copos vintage, manteigueira de prata antiga... e cá está... o nosso cenário de reveillon!

FB_IMG_1451670285309.jpg

 IMG_20151231_201523.jpg

 

E aqui está a prova de que com originalidade e tentando conjugar o que já se tem por casa, se podem criar, no mesmo sítio, ambientes muito diferentes e muito interessantes. Gostaram?

 

Já agora.... Bom Ano pessoas lindas !! Todos merecemos o melhor de nós mesmos e do mundo! Tenham força e fé e o ano vai rolar... Beijinhossssss