Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Aprendendo a ser felizes...

IMG_20171108_114734_987.jpg

"Aprendendo a ser felizes"... mas, isso aprende-se? Dêem-me já a receita certinha e direitinha, que compro ( e e muitos milhões, de certeza) já, já!

 

Buhhhhh!!! Nã... isso não se aprende, devem estar a pensar, isso é capaz de ser um dos  maiores mistérios da humanidade. Por que raio é que alguns têm tudo o que outros ansiam e são tão infelizes, porque é que outro, com tão pouco e em condições extremas conseguem  encontrar a felicidade em cada pormenor...

 

Mas... atenção, há um Mas... se alguma esperança pode existir ainda nesta matéria, talvez comece na infência, talvez os primeiros anos nos moldem, em muitas carateristicas definitivas e nos moldem a forma de estar e de aproveitar a vida ( ou não..) na idade adulta. E é por isso, que para nós, mães e pais com essa consciência, é muitas vezes difícil perceber por que caminho seguir com os miúdos, como ajudá-los a tirar melhor partido das vivências, aceitar quem são, não perdendo a curiosidade e rebeldia próprias da infância... principalmente vivendo numa época com demasiada informação ou mesmo contra informação... ui... às vezes não é tarefa fácil fazer este papel de "mediadores da felicidade"...

 

Por tudo isto, achei brutal que uma marca de brinquedos, a Imaginarium, decidisse fazer um estudo sobre a felicidade e em como ela é alcançada pelos miúdos Portugueses... Ahhhh.... mas um estudo e tal.... como raio é que um estudo nos vai ajudar? vai vai, pelo menos a mim, abriu-me os olhos 8 e também o coração), surpreendeu-me, emocionou-me, quebrou alguns dogmas... enfim, na manhã que passsei entre jornalistas, bloggeres e especialistas na(s) mátéria(s) ( parentalidade positiva, perdagogia e sim... brinquedos...), muito aprendi e muita matéria levei em mãos para refletir.

 

Entre os objetivos da Imaginarium está o de ajudar no desenvolvimento dos futuros adultos, e por isso lançou o programa Aprendendo a ser Feliz, com o qual reforça o seu compromisso com os pais e a sociedade. Este programa nasce com o objetivo de fornecer ferramentas e conteúdos úteis que ensinem aos pais a educar na felicidade, e educar em valores através do acto de brincar. O programa irá desenvolver-se ao longo dos próximos dois anos, trabalhando cada um dos eixos da felicidade, oferecendo pautas e sessões de coaching em vários pontos de Portugal e conteúdos disponíveis online. Um programa desenvolvido por um grupo de reconhecidos pedagogos, psicólogos e especialistas em parentalidade e educação.

IMG_0423.JPG

 Ora cá vão alguns dados interessantes:

 

8,8% das crianças portuguesas nem sempre é feliz, oscilando entre a felicidade e a tristeza. Esta é a percentagem de pais que responde que, apesar das facilidades e comodidades ao seu dispor, os seus filhos nem sempre são felizes. Segundo o estudo, a felicidade seria construída a partir das relações sociais e familiares, do tempo que os pais podem passar com os seus filhos, e do tempo passado a brincar e a explorar o mundo através da brincadeira real.

 

A percentagem de infelicidade aumenta com a idade. De acordo com os seus pais, 15,25% das crianças entre os 7 e os 8 anos nem sempre são felizes, descendo para os 13,29% na faixa etária dos 5-6 anos e fixa-se em apenas 6,4% de crianças infelizes entre os 0 e 2 anos. “A crescente pressão imposta às crianças e jovens, tanto por pais como por professores, onde o desempenho académico, a competição entre pares e a necessidade de alcançar a perfeição em todas as atividades realizadas são uma constante, tem, certamente, um impacte negativo na felicidade das crianças.” explica Rui Lima, professor, pedagogo e membro do Painel de Especialistas da Imaginarium. “Ao brincar, a criança está a conhecer o mundo, mas também a conhecer-se a ela própria. Tem consciência das suas capacidades, mas também das suas limitações. E é a partir da forma como a criança gere estas duas realidades (o que consegue e o que não consegue) que vai aprendendo, que se vai desafiando a ela própria, que vai procurando as soluções para os problemas que enfrenta.” conclui Rui Lima.

 

Tudo isto justifica a preocupação dos pais portugueses com o futura da felicidade dos seus filhos. Neste sentido, para 80,4% dos inquiridos esta é uma das suas principais preocupações.

 

E de que maneira contribuem os pais para a construção dessa felicidade? Para 45,9% dos pais, o mais importante é que os seus filhos se desenvolvam num ambiente familiar e escolar onde se sintam valorizados e queridos. 34% dos pais acredita que passar mais tempo com os seus filhos é um contributo importante para a sua felicidade, e 17% afirma que os seus filhos serão mais felizes se puderem explorar o mundo real através da brincadeira.

 

“A plasticidade cerebral de uma criança é gigantesca até aos 6 anos” explica Magda Dias, coach e membro do Painel de Especialistas da imaginarium “É fundamental que estejamos extremamente atentos à felicidade das crianças e que as ajudemos a encontrar o seu papel dentro da família através da brincadeira”.

550858-970x600-1.jpeg

 Apenas 0,44% dos pais identifica os jogos com ecrãs (tablets, smartphones, etc) como uma das chaves para a felicidade das crianças, um dado que se vê reforçado pelos 19% que os identifica como o tipo de brinquedo de que as crianças mais gostam.

 

Segundo os pais, a principal causa da infelicidade nas crianças é não poder passar tempo suficiente em família (26,38%), não ter tempo para brincar (21,37%) ou ficar de castigo (16,45%). Na faixa etária dos 7 aos 8 anos, o facto de não terem tempo suficiente para brincar é motivo de infelicidade para 38% das crianças.

 

“Queixamo-nos da falta de tempo. Na relação entre pais e filhos, há dez minutos que podem ser preciosos. A felicidade que queremos com os nossos filhos está nessa atenção. Em vez de estar sempre a reagir, temos de aprender a agir”, comenta Rita Ferro Alvim, autora e membro do Painel de Especialistas da Imaginarium.

 

A maioria das crianças portuguesas é feliz, segundo o estudo, mas apenas 22% é plenamente consciente dessa felicidade e capaz de expressá-la. 60,4% dos pais acredita que os seus filhos são conscientes da felicidade, mas têm problemas em manifestá-lo. Para 6,4% dos pais, os seus filhos não são conscientes da sua felicidade nem o manifestam.

 

Dentro dos tipos de brinquedos que mais criam felicidade nas crianças, as bicicletas e veículos de rodas surgem à cabeça, seguidos dos brinquedos relacionados com a música, a arte e os trabalhos manuais (35,7%) e dos jogos de construção e de lógica (30,87%). Quando questionados sobre qual o seu maior contributo para a felicidade dos seus filhos, 33% dos pais respondem que é “fazendo os seus filhos sentirem-se ouvidos e queridos”, seguido de 28% dos pais acredita que passar mais tempo com os seus
filhos é o principal contributo, e 14% que defende que o fundamental é reforçar a autoestima da criança “elogiando-o e incentivando-o quando faz as coisas bem”.

 

 

Os manos na mesma escola e o meu coração a transbordar de felicidade

Começaram as aulas. E os meus meninos, voltaram a estar na mesma escola.

21557587_1400835433319483_6385739130392419819_n.jp

 Pode parecer estranho para quem, isso, sempre foi o óbvio, com os seus filhos, fazerem um caminho curricular lado a lado, mas para mim, que por variadas razões ( monetárias, familiares, de localização) tem sido uma luta esta decisão e concretização... estes primeiros dia em que "a coisa" está efetivamente a acontecer, estão a ser de uma alegria que me enche de tal forma, que se torna difícil explicar. Mais ainda, por serem filhos de pais diferentes e por isso, muitas vezes a nossa família nuclear se "desmembrar" com um cá e outro "lá"....

 

Chegar à escola e dar de caras com os manos, a brincar no recreio, ele a ajudá-la a subir a uma estrutura de trepar que existe na areia, cúmplices, orgulhosos por mostrar aos outros meninos a força e confiança que ter um irmão por perto, lhes dá... Oh God! Que doces! Que feliz e completa me sinto...

21432938_1400816686654691_3343462557221116925_n.jp

Apesar de eu ter uma irmã, ela só chegou à minha vida, aos meus quase 15 anos... o que sempre fez de mim uma "filha única com uma irmã" se é que me percebem. Toda a minha infância, vivi sem crianças ( nem primos tinha), sem irmãos.. e sonhando sempre com essa cumplicidade única que se consegue com um irmão com idade próxima à nossa. Mesmo que por vezes, também com muita embirrice à mistura, mas que tabém faz parte... Talvez por isso, por este meu desejo de companhia e companheirismo que sempre acompanhou a minha meninice, tenha insistido tanto no fato de os desejar juntos, a caminhar lado a lado, a criar o mesmo circuito de amigos ( os miúdos nesta escola são relativamente poucos e todas as idades interagem no recreio, além disso há muitos irmãos em turmas diferentes, o que ainda torna este espaço académico mais único e familiar, algo que tanto procurei para eles).

 IMG_20170912_225557.jpg

A Matita apesar de falar ainda muitas vezes na escolinha antiga ( a creche que tanto gostámos e a fez feliz durante 2 anos), parece estar a adaptar-se muito bem à sua sala dos "crescidos" de 5 anos. O Afonso, senhor do alto da sua 2a classe, a adorar reencontrar amigos e professores. A Mãe feliz com este reeínicio de rotinas, apesar de agora... ter mais uma lancheira para organizar e cozinhar de véspera ( todos os dias preparo as refeições e os dois lanches do dia), mais birras de manhã ( Como vamos para mais longe, temos que acordar um pouco mais cedo e tenho que ser sempre eu a levar os dois), mais ginástica no orçamento familiar ( opções e prioridades bem definidas onde muitas vezes nos deixamos de lado, pela decisão de manter os dois filhos no ensino particular) e... um caminho cheio de gritinhos, conversas, birras, risadas, histórias, palermices... agora.. com os dois!! Mais um dos momentos que nos vamos para sempre lembrar, estes caminhos matinais que têm de tudo um pouca, mas especialmente tempo bem "gasto" entre família. Há lá melhor que isso, minha gente? Não há, pois não? ( mesmo que com esta opção, o meu carro continue esmurrado e não me veja a fazer viagens em lazer nos próximos anos loolll... não... o dinheiro não estica e sim.. " não dá para tudo", mas se eu decidir que o meu "quase tudo " são eles e é aí que prefiro aplicar o que vou tendo... quem me pode apontar o dedo?...)

 

Beijinho a todos... aproveitando para desejar um bom ano lectivo para todos desse lado! Sejam felizes nesse vosso percurso, façam as escolhas que puderem e que vos forem no coração e aproveitem para reviver os vossos tempos de escola ( eu faço-o muito) com os vossos miúdos. O tempo não volta atrás... e o tempo.. é agora!

 

 

 

A rotina caótica das famílias com criançada!

Famílias perfeitas? Blahhh! Não queremos nada disso! Se a Alegria habitar na casa, então a Felicidade também reside aí.

 

Muitas vezes o que vemos na net, em blogs e páginas de face todas  pipis são imagens de pais felizes ao lado de crianças "irritantemente" bem comportadas , mas a verdade verdadinha, meus amores éessas fotos estão longe de representar a realidade. E vocês sabem disso, ou não ? ;)

 

 

A fotógrafa Danielle Guenther encontrou uma maneira diferente de retratar as famílias modernas. Mãe de uma criança de 5 anos, ela conhece bem as aventuras pelas quais os pais passam no di-a -dia e decidiu registrá-las numa série fotográfica giríssima  que representa essa fase da infância no seio familiar, repleta de muito humor. E claro.. Amor...

 

Depois de postar algumas destas imagens na própria página do Facebook, Danielle passou a receber pedidos de outros pais, interessados em registrar sua rotina caótica, o que deu início à divertida série de fotografias que você vê a seguir.

 

Eu, que vivo um pouco disto todos os dias, adorei!! E vocês?

foto1

foto2

foto3

foto4

foto5

foto6

foto7

foto8

foto9

foto10

foto11

Todas as fotos © Danielle Guenther Veja mais sobre o trabalho da fotógrafa aqui.

Tu sabes mesmo o que é o Reiki? A minha "Mestra" explica...

421946_604295092929988_1106621230_n.jpg

Quem me acompanha no Facebook e no Instagram dever ter-se apercebido a minha cada vez mais estreita relação com uma prática chamada Reiki. Primeiro recebi-o em algumas sessões e depois, durante o dia de ontem, estilo em "reclusão espiritual" durante 8 horas a "tirar" o primeiro nível desta doutrina. No fundo, o que aconteceu, é que me foram transmitidas por uma Mestre, as bases desta forma de estar na vida e depois, a seguir... coloquei "mãos na massa".. ou seja, experimentei como pude lol...e senti, finalmente de forma enequívoca a minha energia e a do Universo a funcionarem em sintonia. Incrível!

 

Já tinha feito a iniciação mas a verdade é que a prática e uso do Reiki na nossa vida tem que acontecer muito regularmente, senão "esquecemo-nos" dele e ele de nós. Basicamente foi o que aconteceu comigo. Mas mas verdade..." tudo acontece no seu tempo certo" não é? E provavelmente.. o meu tempo de reencontro era agora..

 

Bem, mas esta minha abordagem, aparece não só porque o sentido e a importância que o reiki começa a ter na minha vida, mas também e especialmente porque acredito que muitas e muitos dos que estão nesse lado, não saibam bem do que falo ou tenham ideias não reais da coisa.

 

Tudo o que está "na moda" corre esse risco, essa é a verdade. Quantas vezes as pessoas falam do "Reiki e essas coisas" achando que sabem do que se trata ou até nem etando "nem aí" para entender... Simplesmente se ouve falar, diz-se que que um amigo foi a uma sessão, que "outro", "entrou nessas coisas".... outros acham que é uma massagem pura e dura, uma forma de exercício físico ou até acreditam que tem a ver com espiritismo, esoterismo, bruxaria... Enfim, nada mais longe da verdade, mas também vos digo uma coisa... se pudesse fazer a analogia, por exemplo com a a minha profissão de dj...(uma profissão "da moda" tal como as espiritualidade o está), a maioria não faz ideia do trabalho que se faaz dentro da cabine ou atrás do equipamento de som, simplesmente acham que sabem.. porque a sociedade fala fala mas, pouco se debruça sobre a essência do que fala.

 

Tudo o que é moda passa... e passam os menos focados. Os que acreditam que devem integrar, ficam. E é disso que vos vamos falar.

 

Concordam comigo?

 

Vai daí que quis explicar a quem não sabe o que tenho andado a fazer, porquê e o que é e como funciona efetivamente. No entanto, apesar da meu Amor a esta "ciência energética e espiritual"  ( talvez o possa chamar assim..), achei que devia ser, quem de direito a falar da matéria. Até porque tenho a sorte da minha Mestre ( para o ser são necessários vários anos e 3 níveis de estudos), ser uma pessoa efetivamente muito especial, dotada e espiritual.. mas também muito terra a terra, quando é preciso. Mesmo a minha ondinha estão a ver? ;) Bem, lancei o desafio à Rute, com quem tenho feito, nos últimos tempos esta caminhada e pedi-lhe que... pelas suas palavras e num texto exclusivo para o Barriga Mendinha, me/nos falasse do seu Reiki... e é tão bom lê-la ( e ouvi-la..). Espero que gostem e se identifiquem:

 

(estas são as suas páginas e contatos:        

 

   https://www.facebook.com/RuteCalhauTherapies?fref=ts                                          https://www.facebook.com/naturalmentezen.zen?pnref=lhc 

 

E digam lá que se... para    além de uma alma bonita não é também muito bonita não só por dentro, mas por fora? Uma "Mestra" gira que se farta  eheheh)

rute_calhau.jpg

 --------------------------------------------------------------------------------------------------

"Reiki é energia de Amor. É tudo aquilo que nos rodeia.

Partindo do princípio que tudo é Energia… tudo é Amor.

 

Reiki é a junção de dois tipos de energia: energia universal e energia vital.

 

A Energia Universal é tal como o nome indica, a Energia do Universo (Deus, Alá, Energia Superior… o que quiserem chamar – atenção que o reiki não está interligado com nenhuma religião, mas sim com uma crença. Todos nós temos que acreditar em algo. É isso que nos move. A fé).

 

A Energia Vital é aquilo que temos presente no nosso corpo físico. Existe Energia Vital Inata e Energia Vital Adquirida. A Energia Vital Inata é aquela que adquirimos através dos nossos pais e quando acabar, simplesmente morremos. A energia Vital Adquirida é aquela que adquirimos através da nossa alimentação e da nossa postura perante a vida (pensamentos… sentimentos… somos aquilo que comemos, dizia Hipócrates… eu sou apologista que somos não só o que comemos, mas também o que pensamos. A “famosa” lei da atracão).

1379953_749692551723574_837997132_n.jpg

 

Ora, se Reiki é a junção destas 2 magníficas energias… qual a função de um terapeuta ao transmitir reiki?

 

O terapeuta, jamais pode dar a sua energia ao paciente. Caso contrário, estaria a fazer mal a si próprio.

 

O que acontece quando estamos a fazer reiki é que, de certa forma, canalizamos a energia universal e transmitimos essa energia ao paciente, ativando no mesmo a energia vital.

 

Ao longo da nossa vida, devido a várias circunstâncias ao longo do nosso crescimento, vamos bloqueando a nossa essência. Formam-se assim bloqueios energéticos em vários pontos do nosso corpo (nomeadamente nos chakras, mas não só), não permitindo que a energia vital flua livremente. Com o reiki, vai-se desbloquear essa estagnação de energia, permitindo ao paciente sentir um bem-estar geral. É por isso que (por norma) o paciente ao acabar uma sessão de reiki, sente-se mais relaxado e melhor de uma forma geral consigo mesmo.

 

Todos nós podemos aprender reiki. É um método de captação de energia extremamente simples e acessível a todos. Na realidade, todos vivemos com reiki. Apenas não o sabemos utilizar. Daí a importância de aprender a técnica.

 

Atenção que aprender a técnica, não quer dizer que sejamos todos terapeutas.

 

Na minha perspetiva clínica e opinião pessoal, penso que o 1º nível de reiki seria importante para todos nós. E porque digo isto de ser importante para todos nós?

 

O reiki não é só técnica, é também ampliação de consciência.

 

Antes de curarmos os outros, devemos curar-nos. Ou pelo menos assim deveria ser.

 

Na formação de reiki é passada a técnica e vários princípios/mudanças de pensamento a integrar. Não basta decorar ou saber a matéria toda como se fossemos para um exame da escola. O importante no reiki é vivênciar/integrar.

princc3adpios-do-reiki1.png

 

 

 

Posso dar-vos o meu exemplo que comecei a estudar e aplicar reiki em 2009 e fiquei logo fascinada com os benefícios.

 

De uma forma geral, começamos logo a sentirmo-nos mais calmos e ponderados nas nossas atitudes. Aos poucos, vamos apercebendo-nos que estamos a mudar a nossa linha de pensamento e que se para nós fazia sentindo que os outros à nossa volta tivessem que mudar, começamos aos poucos a perceber que a mudança está em nós, e que se mudarmos, automaticamente tudo à nossa volta muda.

 

Depois temos os casos concretos. As dores menstruais, dores de cabeça, dores de dentes… Que podem também ser atenuadas/tratadas com reiki (em alguns casos só com reiki e noutros casos em conjunto com suplementação natural ou medicação química, depende dos casos e das escolhas de cada um). Eu pessoalmente, faço reiki todos os dias a mim própria e sempre que tenho alguma dor aplico reiki. Deixei de tomar a quantidade de medicamentos que tomava sempre que tinha uma dor.

 

Esta prática regular de reiki, trouxe-me maior bem- estar e um estado de consciência diferente. Olho para tudo à minha volta de forma diferente.

 

Acho imensa piada quando me encontro com alguém que não via à uma série de anos e me diz “Estás tão diferente!”. Encaro este comentário com uma positividade tremenda.

1508540_784549494904546_984516881_n (1).jpg

Tenho a noção que com o passar dos anos e a continuação da aplicação desta técnica fabulosa e a integração dos princípios de reiki, vou ficando uma pessoa cada vez mais serena e mais consciente em cada ação. O segredo no meio disto tudo está em amar-nos mais e aceitarmo-nos. O Ser Humano está constantemente em autojulgamento. E para quê? A vida é uma passagem demasiadamente curta, para perdermos tempo com coisas que não interessam. Nada levamos desta vida.

 

Todas as vivências pelas quais tenho passado, boas ou menos boas, encaro-as sempre como uma aprendizagem. Ao encararmos as coisas como uma aprendizagem estamos em modo de aceitação das vivências, o que nos permite mais facilmente passar à próxima etapa. Ao próximo desafio.

 

Gosto de pensar que se passo por determinada situação na vida, é porque tinha que a passar e porque a conseguiria ultrapassar. Gosto de pensar também que, através das minhas vivências, poderei mais facilmente chegar ao coração dos meus pacientes e demonstrar-lhes que na vida temos várias opções de escolha e que são essas mesmas escolhas que fazemos que traçam o nosso caminho.

 

Cada formação que realizo é como uma nova iniciação em mim também. Nada é fácil nesta vida. E estarmos em constante aprendizagem e autocriação é um ato de coragem.

 

Costumo dizer nas formações que, não sou melhor que ninguém, apenas sou um canal de transmissão de energia e conhecimento. Gosto de partilhar e de ajudar quem me procura. Defendo que todos temos as mesmas capacidades, apenas uns dedicam-se a umas coisas e outros a outras. Encorajo todos a continuarem com esta prática, para além do dia da iniciação. Encorajo todos a vencerem barreiras, principalmente as do medo e a reconstruirem-se de acordo com aquilo que mais desejam para si.

 

O reiki é uma forma de estar na vida magnífica. Convido-vos a limpar as mágoas e começar a viver em AMOR.

 

Rute <3

 

Caso queiram colocar-me alguma questão sobre o reiki ou marcar uma consulta, podem fazê-lo através do email: rutecalhau.therapies@gmail.com "

 

 

 

 

 

 

 

Os 4 anos do Afonso Luz: Todos os pormenores de um dia em cheio!!

Sábado, dia 11 de Outubro foi um dia cá para a prole.

O Afonso Luz celebrou 4 anos e acho mesmo, que foi a primeira vez que sentiu nervoso miudinho por saber que a data se aproximava. Ele... e eu... que andei a programar todo o dia com o amor e a atenção de quem faz tudo para ver os filhotes felizes.

Digo-vos que a azáfama foi muita, tendo em conta que ando cheia de trabalho, novos projetos, escritório novo, muitas saídas para trabalhar como dj.. mas... tudo se faz e contei com a ajuda preciosa dos programadores de festas da KidZânia, o local escolhido ( e que bem escolhido, porque todos, miúdos e graúdos adoraram!), que me deirecionaram para as melhores soluções e atividades a ter durante as 4 horas que por lá andamos a divertir-nos.

Seguem as fotos possíveis.. lol... que nestes dias, a emoção e correria são tão grandes que as fotos acabam por ser o menos importante. Mas eu tentei. Tudo para partilhar convosco este dia tão especial. Espero que gostem. E se inspirem <3...

IMG_20141011_105023.jpg

Começámos o dia bem cedinho a abrir as prendas e a soprar a "1ª fatia de bolo" de chocolate.

(Ainda vos vou mostrar num outro post as prendas recebidas, aqui na foto... mais uns "Legos", que ele adora... e roupinha da Metro Kids Company

2014-10-12 20.05.49.jpg

Ansioso pela chegada dos avós, já equipado com a nova roupa da Tuc Tuc e com a sua mochila dos "Aviões 2" da Primark ;)

2014-10-11 22.20.37.jpg

Como o dia começou cedo, fomos ao café e a mãe já com a toilete escolhida para o dia, que tinha tanto de colorida e gira... como de confortável. Túnica da Tendências Clothes, ténis da Maz Brasil ( mudei os atacadores por uns bordeaux em vez dos brancos que vinham com eles), óculos da Carrera e colar da Bijulândia AF.

IMG_20141011_132614.jpg

Os avós chegaram, ainda antes de almoço... e com... uma bicicleta!! Olhem a felicidade ;)

2014-10-12 19.58.01.jpg

Engraçado como nos dias em que somos o centro das atenções.. precisamos tanto de miminho... E a mamã aproveita e dá conforto. Sempre... 

IMG_20141011_124718.jpg

A Mana Matita acompanhou-nos sempre ( e sua Xuxa e a sua fitinha da Lovely.. que não larga... grrr...)... e também teve direito a prenda: O vestido da Tuc Tuc com a gatinha "Lovely Cat" e a princesinha ainda ficou mais querida ;)

Sapatos de carneira, cor creme, da Mania do Pé, comprados na Pés de Cereja.

IMG_20141011_124538.jpg

O Afonso Luz, todo orgulhoso da sua "fatiota de Dinossauro" da Tuc Tuc ( adoro que eles se divirtam com as roupas que vestem! Mais do que para nós, eles é que têm que gostar ;))

Sapatos de carneira da Mania do Pé, cor cinza, comprados na Pés de Cereja.

20141011_175946.jpg

Orgulhosamente "Mãe Rita"... já na chegada à KidZânia, onde todos somos "etiquetados" para que os monitores saibam sempre quem estão a abordar.

Túnica Tendências Clothes, Colar Bijulândia AF.

20141011_162029.jpg

A Avó Clara, também levou a prima Helena ao anos do Afonso Luz e ajudou ambos a colocarem a pulseira eletrónica que faz com que nunca ninguém se perda dentro do recinto da KidZânia ( e que me faz a mim e aos outros pais sentir muito mais seguros). 

20141011_162120.jpg

 Até à mana Matita, que dormia profundamente, foi colocada uma pulseira no pé. Depois dela e todos os outros estarem "referênciados" pelo sistema, foi programado o número de pessoas associadas ao nosso grupo, as idades e sexos das pessoas (crescidos e pequenos) e assim... nunca nos perdemos. ( Existem, no recinto, várias máquinas com um sistema que permite que saibamos onde estão todas as pessoas do nosso grupo, através da visão, num mapa da sua localização... Brutal, acreditem!)

20141011_165302.jpg

Afonso Luz e os amigos a receberem instruções da nossa monitora para o dia, a Catarina;)

20141011_162316.jpg

À entrada para o recinto, todos estavam expectantes... 

20141011_164800.jpg

E que grupo giro (.. e barulhento!) que entrou, animado para a KidZânia. Obrigada a todos, sem exeção ( a estes... e aos "atrasadinhos" que não figuram na foto, porque ainda estavam a caminho..)

20141011_164612.jpg

 Que convidados divertidos, não eram meu filhote? Olha a tua cara de contente ;)

20141011_171257.jpg

Bem, já lá dentro, as atividades que escolheram foram muitas e variadas. Aqui, está uma grupeta, dentro do carro dos bombeiros, depois de ter tido "formação" de como exercer a profissão. E já os viram todos fardados? Que giro... 

20141011_172730.jpg

 O Afonso e alguns amigos, foram até à Fábrica de Cereais aprender a fazer... Chocapic, imaginem!! No fim, todos trouxeram um pacote ;)

fotografia 1-3.JPG

 Na carrinha do INEM, o Afonso e a Luisa aprenderam muitas coisas e andaram com sirene e tudo...

fotografia 2-3.JPG

Ah... e na KidZânia, não podia faltar um supermercado. Aqui, a querida Mariana, foi às compras com o seu mini carrinho e gastou alguns Kidzos ( o dinheiro usado dentro do recinto). Outros meninos, trabalhavam como caixa de supermercado, aprendendo a lidar com trocos.

20141011_173913.jpg

Mesmo os mais pequeninos, como a minha Matilde Estrela, conseguem encontrar atividades à sua medida, neste local. Aqui, ela pinta com digitinta, as mãos de uma colaboradora ahahha.. e a Maria, executa uma pintura, toda orgulhosa e atenta.

2014-10-12 19.56.07.jpg

E quem é que quis experimentar o carro dos bombeiros quem foi? A Mãe Rita e a avó Clara ;) Com que então, armadas em criancinhas Hahhhmmm!?? 

20141011_180711.jpg

 Escolhi ainda uma atividade com monitores, no Estádio desta pequena grande-cidade. Aqui, juntámos toda a gente e fizémos jogos tradicionais, futebol e o "jogo da raposa" em que cada equipa tinha que roubar o "rabo de raposa" da equipa de cor diferente. Foi correr e rir até não poder mais. Sim, porque alguns crescidos também entraram no jogo... (ainda bem que fui de tenis.. e mesmo estes, compensados da Maz Brasil, foram perfeitos para umas corridinhas. Aprovados!)

IMG_20141012_184805.jpg

 Chegou a hora do lance e do bolo!! Fomos todos para a zona da restauração e o Afonso teve a sorte de ter a Mãe e o pai, juntos, a aplaudir a sua felicidade e mais um ano de vida. Cada vez mais me sinto orgulhosa, por manter, com o pai dele uma boa relação. Todos temos a ganhar. E pelo Afonso... tudo ;)

fotografia 4-2.JPG

 Soprar uma vela de 4 anos, já é muita coisa! O Afonso, ao acordar referiu até, intrigado, que não entendia como não estava com a voz grossa... afinal.. fazia 4 anos! Ahahah... ainda não é desta filho...

fotografia 5.JPG

A mana também quis soprar, claro... faz parte do esquemas dos aniversários dos pequenotes. sopram-se tantas vezes as velas e batem-se tantas palmas... quanto os outros miúdos assim o exigirem... não é assim também por aí?...

IMG_20141011_220951.jpg

Acabo a "reportagem" com uma foto da família, já no "fimzinho" da festa. Sim, o Afonso já cá não está. Porquê? Porque foi jantar com o pai e o mano pequeno (que tem 9 meses) que também tem do "outro" lado e foi feliz. Eu fiquei também feliz por ter "cumprido a missão" de lhe ter proporcionado um dia em cheio. O papi Gú, também foi incansável e aqui, fica também o meu agradecimento à sua vontade de ajudar o seu "filhote de coração" a viver uma vida cheia de sorrisos.

Tenho um novo (super) Homem na minha vida

Acabei de me sentar no meu novo office.

Completamente encantada, entusiasmada, amazed pelo trabalho que os criativos da Grupo United Creative fizeram especialmente para mim.

Obrigada a todos! Um especial agradecimento à minha sister Carla Santos e ao seu Hugo Silva, mas também a todos os outros que se esmeraram e farão, a partir de hoje, parte da minha rotina...\


Se até aqui andava a mil... agora... passarei a voar... a 1500!


Felling like a super hero ♡


(Não... não é photoshop lol... é mesmo a master parede que vai proteger e inspirar os meus dias !;)

Dia da Mãe feliz por serem dois este ano


O meu primeiro dia da Mãe com 2 filhos!
Como a minha vida mudou!
Com um muda muito, com dois, a mudança  é total e avassaladora.


Como me sinto invadida por um Amor incondicional por estes pequenos seres.
Tinham que ser estes dois e não outros, não o canso de repetir..


Como as minhas prioridades se alteraram!
Hoje em dia tudo é feito e decidido em função da sua felicidade e tranquilidade.


Como eles são a minha vida...
 E tudo o resto são pormenores...


Hoje, não houve um minuto que nos separássemos. 
E acabo o dia exausta ( ontem a Matilde quase não me deixou dormir...) mas com um sorriso na alma do tamanho do meu Amor.


Com dois filhos, o Amor não se divide. O Amor aumenta. 
E isso é verdadeira magia.
E isso é verdadeira perfeição.


Beijo a todas as Mães, que como eu, tentam verbalizar o que no fundo, só o nosso coração consegue sussurrar às veias, ao sangue, à pele à alma, ao espírito e a todos os poros e energias do nosso corpo.


Espero que tenham tido um bom dia. 
Simbólico mas importante. 
Porque as ligações familiares e emocionais são bonitas de celebrar ***










Faz hoje 6 meses que sou uma ESTRELA BEBÉ




Faz hoje, agora, 6 meses ... e já as lágrimas de felicidade do rosto dos meus pais tinham  secado, dando lugar a um sorriso exausto de felicidade.

Eu tinha nascido para lhes trazer uma nova vida, um novo sentir, novas prioridades, novos sonhos e muita, muita felicidade.

Porque Eu fui a escolhida para ser sua filha :)

Amo-vos papás. Porque sei que também me amam a mim.

E assim irá ser a vida inteira.

Esta sim, é uma verdade incondicional...

Aconteça o que acontecer. Eu estou presa ao vosso coração. E vocês presos ao meu...

E por isso, vos peço, que me ajudem a ser feliz, tentando vocês ser felizes também...

Um beijo por cada dia de vida...

Vossa,

Matilde Estrela