Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Quando eles "são outros" em casa e fora dela...

_MG_9767.JPG

...Ou antes, quando se portam bem em todo o sítio e com toda a gente... menos na presença dos pais...

 

Pois... e é isto que tenho vivido há uns bons meses com a minha Matilde Estrela. Daí o seu cognome: o de "Princesa Rebelde" e para bom entendedor, meia palavra basta, ou a conjugação de duas, neste caso ;) : Princesa porque é a fofinha do pedaço, por ser mimalha demais, pelo fato de ser muito vaidosa e porque não poderia deixar de o ser para nós, que tanto a amamos. Rebelde, porque quando "embica" para um lado, ninguém a demove e só faz o que quer, quando quer e como quer. Com os pais claroooo... Porque a expressão "há que a saber levar" , é por demais usada e abusada por nós, que nos desdobramos em estratagemas, técnicas e formas de "lhe dar a volta" mas na maioria dos casos é ela que nos dá a nós... E em casa é um terrorzinho, mas nos outros lados não ( bem, ao menos isso, que fora de casa não me faça passar vergonhas, sempre prefiro assim, pois então)...

_MG_9837.JPG 

Ai Matita Matita.. ainda hoje de manhã ( eu, sozinha com os dois piolhos, na tentativa infrutífera de uma manhã calma com ambos) lutou porque... não queria os sapatos que escolhi, não queria calções, nem calças, nem vestido (Só quer saia, usa a mesma que lhe fica enorme, vezes sem conta), lutou comigo porque não quer fazer totó nem pôr ganchos.. ah... e não queria levar cuecas lol...ahhh, mais... pediu bonecos ("acacos") enquanto eu arranjava o mano e eu disse lhe para ir carregar no botão da televisão para a ligar. e ela: "Não! A tu Mãe!!", "vai tu mãe?", respondo eu : " Não, a mãe está cansada, vai tu..." . E ela: " Não!! Cansada yo! Mãe vai..." . E como a mãe não foi, houve afinca pé do feio. Não fui eu, nem ela. Acreditam que não deu o braço a torcer? Acompanhei-a até ao televisor e com a mãozinha dela disse " vá, agora a Matita liga a televisão com a ajuda da Mãe..." Qual quê... preferiu não ver bonecos do que carregar no raio do botão... Tortaaaaa....

 

E assim é a nossa vida. Muitos mimos mas também muitos ciúmes " A mãe é minha! A pai é minha!".. cada vez que o mano se chega ou até entre nós, o casal. Muito "do não". Se lhe dou bolacha quer pão, se lhe dou pão quer fruta, se lhe dou fruta, quer iogurte... bem, quer dizer, iogurte não, que não gosta e cospe cada vez que lhe dou. Mas.. só em casa, que pelos vistos, na escola como sempre ao lanchinho com os outros meninos.

 

Sim... na escola, fiquei parva depois de contar alguns destes comportamentos na reunião anual com a educadora que me disse, com um ar espantado : " nãoooo mamã... o que me conta... não é a mesma Matide, não é mesmo. Aqui ela colabora em tudo, deixa-nos vesti-la, arruma os brinquedos, faz-nos favores.. não mamã.. parece que estamos a falar de outra criança..". Mas não estavamos.. e eu até me senti envergonhada, nem imaginam ;(

_MG_9892.JPG

 Mas atenção, não é só na escola que esta diabreta se torna anjinho... na casa da minha Mãe, com a Madrinha, com os vizinho, enquanto brinca com os miúdos deles.. enfim... já nem sei o que fazer. Ou dizer... Quer dizer,  no fundo acho que até sei. Tenho que encaixar que é normal e ir vivendo com isso. Sei que eles sabem que com os pais podem esticar a corda. Sei que tenho que a tentar "dobrar" mas também sei que tenho os meus limites enquanto mãe e não quero viver em constantes lutas. Sei, principalmente que tenho que fazer ouvidos moucos a esses reprovadores " Oh meu Deus, não entendo.. tu chegas e ela que se portou tão bem o fim de semana, começa a fazer birras e asneiras. Não entendo... o que se passa?..". Sei que não me posso sentir culpada com esses comentários, muitas vezes sem intenção, mas que beliscam efetivamente (e não é pouco) o nosso ego de mãe. Sei que tenho que lidar com isso da forma mais natural possível e... ir dando a volta o melhor que puder.

 

Se é irritante? Ui, se é. Se é cansativo? Nem imaginam... um fim de semana com os dois (sim, que o Afonso também tem das suas e quando um começa em birra, o outro inevitávelmente começa em chamadas repetitivas de atenção, caretas, gritos, parvoíces)... acaba, inevitávelmente comigo, a parecer que levei uma tareia. Noites mal dormidas (ela também costuma querer vir muitas vezes para a nossa cama, ou atá para a sala com os estores semi abertos.. ou até me manda a mim fora da própria cama, empurrando e chorando e dizendo: "Sai mãe, sai! Matita à calô!.." e lá me ponho eu também ao fresco e vou para o escritório ou para a sala, só para evitar gritos noturnos e que a pirralhinha acorde o imão e o pai e o prédio todo com o berreiro...). Muita disputa (mas mimo também) entre irmãos. Muita exigência. Muito "Nã quéiooooo!!"... Fogo e chego à segunda feira como se tivesse de direta de duas noitadas de loucura. De rastos, portanto... Lol...

_MG_9810.JPGQuando eles "são outros" em casa e fora dela.. o que há a fazer? Será que alguem desse lado, partilha esta realidade comigo?... Se há, olhem, o conselho possível... rezar a todos os santinhos para que passe rápido ! Lol... Não acredito que haja muito mais a fazer. Estas idades ( 2, 3 anos) são as idades do "puxar até ao limite" e a verdade, é que mesmo assim, caganitos como eles são... já percebem que com os pais, o podem fazer... porque o nosso Amor é incondicional. E pronto,não há muito mais a fazer. Podem criticar à vontade o "ser brando", o "não ter mão"... mas a verdade é que quando nos sentimos conscientes da educação que damos... nada nos pode demover. Nem muitas birras e caprichos...

 

Desabafo feito... é quase hora de os ir buscar à escola e... preparar-me para as birras dos banhos e dos jantares... aiiiiiii!!! E pronto vá lá...preparar-me também para os ataques de beijinhos e brincadeiras com os dois. Valham-me esses momentos! Valha-me o sentimento que só Mãe percebe... o de que, apesar de saber que ela (e ele também às vezes) pode vir embirrenta (é tipo roleta russa:)), já estar em ânsias para os apanhar, cheiinha de saudades <3

 

 

11 comentários

Comentar post