Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Alma Gémea

O Afonso passou hoje o dia comigo.

 

Um dia só nosso. Não fizémos nenhum programa especial, apenas usufruímos um do outro, assim, num dia normal, caseiro, de bairro.

 

Ele pode acordar mais tarde e sentiu-se todo "promovido" porque a mana foi para a escolinha e ele não (de fez em quando passo tempo só com um deles, acho importante sentirem essa atenção de Mamã de vez em quando, sem ser dividida com o outro mano).

 

Fizémos torradas como ele gosta, passeámos no parquinho atrás de casa, fomos ao supermercado e deixei-o enroscar-se no cestinho pequeno, o que o deixou divertidíssimo. Fizémos desenhos, vimos bonecos na tv.. estivémos na ronha.

 

A certa altura, já a tarde ia alta, diz-me ele, carinhoso:

 

"Ó Mãe, quero ficar contigo para sempre.."

 

Eu: "Para sempre? Ou sempre meu amor?"

 

Ele: "Para sempre. Quero ficar contigo agora, depois quando for crescido, e quando for velhinho e depois quando morrer, tá bem?"

 

Eu... disfarcei a conversa. Quando morrer?? Fogo, ele já pensa nisso, questionei-me...

 

Ele: " Quando morrer podemos ficar juntos?"

 

Eu: " Sim, vamos s os dois juntos para as estrelinhas, boa?" ( nessa altura, acreditem que tive que conter umas lágrimas que me deram um daqueles nós na garganta que nem vale a pena explicar, porque todas sabemos o que é...)

 

Ele: " Tá bem Mãe, mas então temos que ir de mão dada que é para não irmos enganados, eu para uma Estrela e tu para outra..."

 

"Sim filho, sim, imagina o que seria... está combinado!"

          

 

Ai, meu Deus, acho que ainda não tinha sido assim confrontada com a mortalidade, desde que sou Mãe. Nem tempo para pensar em coisas metafísicas tenho, acho que é por isso... Mas hoje, a minha pequena migalha de gente, da forma mais natural do mundo, fez o favor de me oferecer esse pensamento...

 

E pronto... agora vou ter que passar o resto da vida a tentar descobrir a quem terei que meter "a cunha" para que não se engane nas Estrelas para que nos enviará um dia... É que é mesmo bom que seja a mesma, senão lá terei eu que mover os Céus para mudar esse destino enganado.

 

Sim, porque eu e o meu filho (nesta vida), somos mesmo feitos para estar juntos. Cada dia que passa, tenho mais certezas que as nossas almas tinham mesmo que se encontrar e caminhar juntas. Agora, em crescidos, em velhinhos... e um dia, a passear pelas estrelas. 

 

E é a isto que  eu chamo de Alma Gémea. Não há mesmo volta a dar... Concordam? 

2 comentários

Comentar post