Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Acordei com 40 anos...

IMG_20161018_090126.jpg

 Acordei hoje e... tenho 40 anos. "Aquela idade", a tal que até quem já a vive na pele... ainda tem  inconscientemente colado em si de que é a idade "dos cotas". E se calhar até é, mas não da forma que o via antes... ah pois é.

 

A idade dos COTAS: a de "Curtir Outros Tantos Anos Sorrindo". Gostei da ideia e do conceito. Amacia a "coisa" não acham!? Saiu-me assim, quase como se sempre estivesse estado aqui na ponta dos dedos, na ponta da alma. à espera de cá chegar para perceber que é mesmo isso... aproveitar como deve ser o tempo que temos aqui nestas "férias" na terra, sem merdas, sem frescuras, sem medos, sem "senãos"... Senão temos uma vida de treta. E sim,  é uma boa máxima para aplicar nos próximos  tempos da "viagem" que ainda está para vir.

 

A verdade é que por mais que levemos na boa, a idade não deixa de cá estar, não deixa de "bater", não deixamos de sentir que estamos a "meio" do caminho.. ou menos, porque não me vejo aos 80 com a mesma genica ou saúde. Mas luto para que a tenha. Os 40 ou a proximidade deles, dão-me a verdade e não a prespetiva. E acreditem, que é mais ou menos nesta altura, que percebemos que não somos imortais e que temos mesmo que tratar de nós. Do corpo e da alma. Para mim, que sempre tive a sorte de ser saudável, o estado era um dado adquirido e não me dava sequer ao trabalho de equacionar a limitação desse estado. Agora, sei que está (também) nas minhas mãos.

 

Os 40, estão a oferecer-me o foco nos meus intímos desejos  e não os sonhos loucos que fui, durante quase 20 anos espingardando para todos os lados. Os 40 são mesmo a maturidade pá! Estranho encaixar aqui no clichet, mas até isso, que antes tanto me incomodava, não incomada mais. Ok, posso ser "out of the box" em muita coisa, mas nas que tenho que ser mainstream e pertencer à "lei da natureza"... ok, ok... sem stress. Se é assim que faz sentido, assim o será, e esquece lá isso de "querer ser diferente", inconformada, "radical" (Oh God!! A palavra que ke perseguiu durante tempo demaissss...)

 

Vivi, uma primeira parte da vida adulta, muito intensa, talvez até demais. Tudo na hora certa, apercebo-me também agora...Olhando para trás, umas vezes sinto orgulho, outras cansaço, depende do dia e da prespetiva. Gostava que agora acalmasse a minha vida, sabem!?.. Talvez, porque me apeteça agora mais mimo que "toca e fogue", mais rotina que loucura, mais saúde que noites em branco, mais amor que paixões, mais objetivos e concretizações que pioneirismo. Já vivi todas essas fases ( e que bem, meu Deus ;)) e vejo que os próximos anos terão que ser o descanso da guerreira ( mesmo que a guerreira continue a andar a pé lol) e isso também depende muito de mim. Só de mim, aliás. Descanso, mas não marasmo, ok?... ideias tenho mil, vontades outras tantas. Só me fartei de sonhar num mundo em que essa palavra só se concretiza para a alguns. E os 40 estão a ajudar a sarar os arranhões e preferir seguir em frente, mesmo de joelhos esfolados...

 

Mas.... sim, há um mas (aliás, vários): continuo a ser miúda de sempre, cá dentro. E isso pode meter confusão aos "demais crescidos" da minha idade. Continuo a inginuidade e o riso fácil, contínuo a acreditar que um dia tudo se resolve pelo melhor, continuo com vontade de brincar pela vida, apesar de ter que a saber "séria"... e é isso que parece não colar. Com a idade... Ou se calhar até cola mais do que se julga, o problema é a sociedade que apesar de parecer "benevolente" para com a mulher de 40, acaba por fazê-la sentir o inevitável peso da complexidade (devia era ser facilidade) da idade.

 

Sinto também por isso, vontade de me afastar cada vez mais dos "instituidos", do que é suposto, daquilo que "todos são".. sempre o fui assim, d'antes era fogo, agora sou metal. Mais contida e focada neste meu afastamento emocional, do que me faz mal e com o que não concordo. Sim... sou de signo balança, e às vezes, é difícil saber viver por onde quero ir. Mas a verdade é que, para além de aceitar melhor essa minha condição... apesar de sim, muitas vezes não saber por onde vou é o que quero, já sei por onde não quero ir e o que não quero para a minha vida. E isso já é tão apaziguador, acreditem..

 

Hoje mereço os parabéns sim senhora! Não só pela data cronológica mas também pela força que existe em mim, uma forca típica das mulheres desta época. Maior do que eu própria, que me impele para uma mudança no silêncio da minha consciência. Agora sei que sou uma gota no oceano, mas que sim... muitas gotas como eu podem fazer a diferença. Pela  vontade de viver o mais contente comigo possível, encontrado (finamente) mais qualidades que defeitos. Sabendo que tudo está no sítio certo e que mesmo o que não está, sairá de lá na altura certa. Tal como será certo... o caminho que ainda tem que ser. Tal como será certa a minha gratidão por tudo o qie de bom tenho e experiencio nestas "férias"  a que se chamam de Vida.

 

E assim me vou.. viver o meu dia. Curtir a minha vida.Aproveitar a minha saúde. Espalhar o meu amor. Com muita satisfação por entrar "tão bem" nesta nova e desafiante fase da minha vida. Benvindoa sejam os 40! Juntos venceremos!! Ahahah!! Acredito mesmo.. que o melhpr ainda está para vir! ;)