Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

A história da entrevista que esteve para ser e não foi.. e que agora publico para vocês...

( Esta entrevista foi me feita para a "promessa" de uma capa com "conversé" aí numa revista ligada ao lifestyle, beleza e saúde... ;) passado mais de uma ano e depois de ter percebido que a direção foi ao ar e a esta minha "pérola" de explicações, ponderações, citações, revelações e pensamentos, não ia ser publicada... achei que não devia deixar as ditas palavras na gaveta e por isso, trago-as aqui ao blog. Aparecem num novo ano, numa altura em que, apesar das atividades profissionais de sempre, me vou dedicar mais à área da Macrobiótica e Aromoterapia, matérias que tenho vindo a estudar, por isso, sim,tudo na altura certa... Espero que gostem. Ainda mais porque vem acompanhada de fotos bem giras, vestida pela Numph Portugal, num trabalho da minha querida Joana Luís Fotografia. Obrigada pela vossa atenção e paciência- sim, é grandeeeee o texto...- e Feliz ano a todas/os!)

 

 

_MG_6784.jpg

  1. Começou como apresentadora. Como recorda o tempo do Portugal Radical e do Curto Circuito?

Parece que foi noutra vida ( e parece mesmo que já tive muitas...). Sinto que a essência da Rita era a mesma, mas que a minha ingenuidade (e o que se pode daí se pode tirar positiva e negativamente) fazia mesmo de mim uma pessoa muito diferente do que sou hoje, quase 22 anos mais tarde. O que até faz algum sentido, sendo eu sou de signo Balança, com ascendente em Gémeos e por isso mesmo, com muitos altos e baixos, com muitas certezas, perseguidas por incertezas, com o dom da comunicação à flor da pele e com a mudança constante no estado de espírito ( ora adorava o meu trabalho ou me sentia errada no foco e que pertencia a “outro lugar profissional”). Era muito criativa, sonhadora. Dava muito de mim aos projetos e talvez, também por isso, esse período de quase 10 anos de trabalho interrupto em televisão, tenha definido em muito o que sou hoje e como as pessoas me vêem.. . Costumio dizer que foi nessa fase que nasci para comunicação e a ela agradeço e devo o há-vontade que tenho com qualquer tipo de publico (sejam 10 ou 10 mil) e nas outras áreas que fui escolhendo para além da apresentação ( a música como dj, a minha escrita, os trabalhos de relações públicas...)                                          

Foram tempos bons. De aprendizagem e descoberta. Tanto “do meio” e das “suas gentes”, como da profissão e relações humanas e laborais. Basicamente, foi o início do caminho e de tudo o que sou hoje.

 

  1. Depois veio a música… Iniciou uma nova etapa na sua vida quando se formou como DJ. A música surgiu como uma paixão?

Sempre fui melómana assumida. Comprava imensos cd’s, fazia muita pesquisa de projetos musicais, trabalhava sempre rodeada de música, mas sempre como uma forma muito assertiva de laser, não como profissional... Percebo eu agora, que, não só trabalhava com música, como também, já insconscientemente...para a música. Passei discos ( sim, ainda toquei com vinil), como “menina da rádio”( também fui radialista, durante uns tempos) nuns quantos bares, trabalhei numa rádi do Porto, muito ligada à música electrónica, mesmo antes dela ser tão massificada como é hoje em dia e tudo isso foi aguçando o meu gosto pela mesma. .. até que um dia, decidi profissionalizar-me, tendo uma informal mas intensa com um dos melhores e reconhecidos djs nacionais.

 

  1. Ao longo do tempo construiu uma carreira como DJ e é já uma reconhecida blogguer. Com uma vida agitada, como concilia a carreira intensa com uma vida pessoal preenchida com dois filhos, Afonso Luz e Matilde Estrela?

E em duas áreas tão opostas, que juro, que existiu um momento em que achei que a dj feminina... não “ia colar com a “mommy blogger”... achava, que apesar de eu ser mesmo assim, completamente adaptável e competente em cada uma das vertentes, as pessoas não iam compreender que uma mulher com uma profissão sui generis, como essa poderia também ser uma mãe completamente apaixonada e focada e mais ainda.. oferecer dicas e textos ligados ao novo sentir que nasceu com o seu primeiro filho e se apurou com a segunda. Estava errada e ainda bem. Este blog , o “barriga Mendinha” só me tornou mais “real e humana” à vista do público e seguidores das redes sociais.

Amo ambas as versões de mim mesma. Tanto aquela que frequenta e escreve sobre atividades para as crianças, como a que se mete num comboio para ir passar música para o outro lado do país, para 10 mil pessoas... Ah... aquela que se levantou às 7 da manhã e sexta feira para tratar dos filhos e manter a rotina e estabilidade da família e se vai deitar 24 horas depois... as 7 da manhã de sábado, porque nos grandes festivais se toca tarde e o público exige cada vez mais e mais.... uffff.... sai-me do pêlo, mas a verdade é que exerço todas estas funções com verdadeiro gosto e por isso... tenho confiança que o caminho está a ser feito como devia e sou grata pela vida que tenho (filhos, amor e música... de que mais precisaria o meu coração para viver?)

 

  1. E como encontra tempo para cuidar de si?

Sabendo que cuidar de mim, seja da parte exterior, como interior. E olhem, que é comum, as pessoas esquecerem-se disso, ao serem absorvidas pelos problemas do dia a dia. Eu cada vez mais acredito que “quanto mais fazemos, mais vontade temos de fazer”, ou seja: mesmo com muito pouco tempo disponível, há que reformular prioridades e dispor, nem que seja de uns minutos por dia só para nós. Para nos centrarmos no nosso próprio potencial, força e magia. Porque cada um de nós, tem tudo isto, à sua maneira e ao cuidar de nós... mais facilmente encontramos a autoestima necessária, para ser mais forte e pleno. Na prática como o faço? Acordo um pouco mais cedo que a família para fazer o meus rituais de beleza e o meu pequeno almoço...deixo os miúdos na escola e sigo para o meu PT umas vezes por semana e tenho períodos do ano em que faço alguns tratamentos estéticos. Tento ir fazendo alguma meditação e tenho cada vez mais momentos “a sós comigo mesma!”...

 

  1. Como é o seu dia-a-dia?

Pouco rotineiro, devido às profissões. Umas alturas, com muitíssimo trabalho, outras com mais disponibilidade para mim e para os meus. Uma altura do ano cheia de viagens e poucas horas de sono ( normalmente os meses quentes), outros meses em que me deito cedo e acordo cedo. O nascimento dos meus filhos, obrigou-me a ter mais cuidados com as rotinas, por ser importante para eles e a verdade... é que esse esforço também me tem tornado uma melhor e mais focada pessoa.

 

 

  1. Apesar do amor incondicional que sente pelos seus filhos, não descura a relação com o seu companheiro, Hugo Caetano, e tudo faz para passarem o máximo de tempo possível a dois. Como conseguem arranjar tempo para estarem juntos?

Não fazemos... vai acontecendo... Por vezes, ele vem comigo em trabalho e como passo por locais fantásticos, às vezes aproveitamos para ficar mais um dia ou dois. De resto... estamos juntos, depois dos miúdos se deitarem...

 

  1. Com que valores espera que o Afonso e a Matilde cresçam?

Nos dias que correm anda tudo tão confundido nos princípios essenciais. E isso é assustador, para quem está a criar filhos, nos dias que correm. Tentar ser coerente, encontrando o balanço certo entre os meus princípios éticos, morais e espirituais e o que o mundo real é, hoje em dia ( agressivo, concorrencial, injusto)... Gostava que os meus filhos fizessem a diferença, sendo dotados de bondade, sendo justos, sonhadores ( e concretizadores), criativos e pioneiros, mas ao mesmo tempo tendo a força suficiente para enfrentar as adversidades e as pessoas e situações menos corretas com que se forem deparando... por isso mesmo, tento educa-los de forma a que a sua força interior seja a sua maior qualidade.

_MG_6755.jpg 

  1. É muito diferente ser mãe de um menino e de uma menina?

È muito diferente ser mãe de dois seres completamente diferentes, isso sim. Não acredito que tenha a ver com o género ( claro que nestas idades os gostos tendem muito para o que na escola é veiculado e infelizmente existe muito sexismo: rosa para elas, azul para eles... princesas para elas, super heróis para eles, etc...). São ambos criados da mesma forma... mas cada dia que passa, chego à conclusão de que a educação de cada um deles tem de ser diferente. Vou tentar explicar-me: as bases sõa as mesmas, mas a forma de “chegar” ( ou de lhes “dar a volta, se preferirem) a cada um deles... tem de ser diferente. Ele é Balança. Ela é Escorpião. E com muitas das características vincadas nas suas personalidades. È uma maravilha assistir ao seu crescimento como seres humanos e ir ajudando-os nesse processo...

 

  1. Como é um dia perfeito com os seus filhos?

Como referi... eles são diferentes em tudo... até nos gostos, por isso tendo agradar a ambos. Ele adora dias de ronha em casa a desenhar, a ver filmes, a cozinhar comigo e fazer as refeições no conforto de casa, a fazer jogos de tabuleiro ou mais tecnológicos. Ela... só quer rua: almoçar fora, andar de bicicleta, ira para o shoping, para a praia ou para os parques... Por isso... sinceramente... o mais importante... é deixar o tempo rolar e ir percebendo o que apetece a todos. Coisas comuns como ir à piscina, ao teatro, ao cinema ou a atividades culturais são sempre hipóteses simpáticas

 

  1. Como corre o seu blogue, Barriga Mendinha?

È outro bebé que tenho. “Nasceu” na gravidez da Matita e tem acompanhando a minha vida, desde então. Como sou eu que faço a sua gestão, totalmente sozinha... também tem momentos em que escrevo mais ativamente, por estar mais disponível... e outros em que me culpo a mim mesma, por não lhe estar a conseguir dar a atenção que queria. E as seguidoras não me deixam fazê-lo... começam a mandar-me mensagens, pedem opiniões, textos, ajudas... e isso faz com que me foque, de novo, com todo o amor e dedicação. O Blogue foi a plataforma que mostrou uma faceta de mim, que poucos ( e às vezes até eu...) conheciam de mim mesma e é onde posso ser eu mesma, tendo um público que me respeita e que eu respeito muito também. E aqui entre nós... mesmo com os altos e baixos que tem sofrido... acredito que a marca “Barriga Mendinha” poderá sofrer algumas alterações ainda dará muitas cartas e tratá muitas surpresas, acompanhando as minhas próprias mudanças...

 

  1. No blogue dá dicas de vida saudável. Que cuidados tem com a sua alimentação e imagem?

Muito preocupada, mas sem fundamentalismos. Não como carne e muito pouco peixe. Sigo as linhas da Macrobiótoca adaptada à vida moderna... e não faço nenum drama quando cometo uma "asneira". Cada vez mais sei o que me faz bem e o caminho que quero seguir, mas por vezes é difícil seguir rotinas completamente saudáveis e perfeitas por isso acredito que encontrar a “desculpabilização” é essencial tanto para o corpo como para a cabeça. Comi mais hoje, amanhã faço um detox. Já não vou ao ginásio há algum tempo, faço ums acaminhadas ou ando de bicicleta no bairro ou no paredão, perto da praia. Hoje em dia veicula-se muito a “receita perfeita” nas revistas, nas redes sociais, nos blogues... mas isso não existe, a vida não é perfeita e repleta de pratos de salada e sumos detox lindos e coliridos, a vida é real e adapta-se às nossa realidades. Quero cada vez mais ser eu mesma e aí também. Aprendi que comer menos quantidade, beber muita água e outros líquidos vitaminados e sem açúcar, evitar os processados, mexer-me ( outra forma de dizer “tentar ser fit” ) e meditar... são alguns dos pontos pelos quais, me tento bater todos os dias. Uns dias corre melhor... outros nem por isso ;)

 

  1. Sente pressão em relação à imagem e à idade?

Claro. A sociedade torna-o inevitável, mas isso não significa ser obcecada e perder a noção. Significa, algo em que acredito piamente: saúde física , emocional e espiritual reflete-se em... beleza. E é nisso que aposto. Mesmo, quando a vida não corre de feição e os problemas nos abalroam, somos nós mesmos que temos nas nossa mãos.. a forma mais ou menos serena de lidar com isso. Por outro lado, não vou fazer demagogia, porque ao saber que a auto estima, cada vez passa mais por ter uma aparência física de que nos orgulhemos ( seja em que idade for e adquada à mesma)... tento sentir-me bonita e bem comigo mesma, através dos métodos que considero adequados à minha pessoa

  1. Mais próxima dos 40 investiu na sua figura através da realização de um tratamento médico para a perda de peso baseado numa dieta proteinada.

A partir desta idade, o organismo passa por uma série de mudanças que se traduzem na enorme facilidade em engordar e dificuldade em perder peso: se por um lado o metabolismo desacelera, por outro, a entrada no processo de pré-menopausa aumenta a fome e o desejo por alimentos calóricos. Foi neste contexto que optou por realizar este tratamento. Fale-nos sobre todo este processo e do novo estilo de vida que o mesmo lhe está a permitir alcançar…

 

É verdade que a chegada dos 40 mexeu comigo( de uma forma simbólica e nada negativa, ao contrário de muitas amigas minhas... está até a servir como motor de vitalidade, acreditam?). No fundo todas as entradas nas grandes décadas têm os seus desafios: os 20, os 30, agora os 40 e assim por diante. Orgulho.me da mulher em que me tornei, aceito melhor os meus defeitos mas também sei, de forma mais certeira, por onde ir (e especialmente por onde não ir...) para atingir os meus objetivos. Queria perder peso, mas também já devem ter percebido, pelo meu discurso que tudo o que é exagero, descartável, perigoso ou ambíguo para a saúde.... é algo que afasto automaticamente. Por isso, esta dieta ( prefiro chamar-lhe método por ser ter bases científicas e ser perfeitamente equilibrada e séria) apareceu na altura certa. E apesar de já a ter feito há uns largos meses, de forma mais intensiva, mantive sempre o contato com as nutricionistas da marca e agora, vou “dar um apertão” em mim mesma, ao fazer um período alimentar mais controlado._MG_6782.jpg

 

 14. Como preserva o bem-estar emocional?

 

Com a certeza de que ele ( juntamente com a alimentação) são o que faz com que tenhamos ou não saúde. Essa é uma verdade cada vez mais incutida em mim: Vejo, até por exemplos, bem próximos, que viver com mágoa, stress, raiva e afins só faz com que nos vamos deteriorando como seres humanos...

 

  1. Está sempre com um sorriso no rosto e transmite uma enorme simpatia e boa energia. Estar de bem com a vida é a chave para tamanha felicidade?

 

Não há felicidade. Há Gratidão. Talvez seja isso... e acreditem, que é algo que muitos não entendem. No fundo, não se explica, sente-se.

 

  1. Já experimentou Macrobiótica, reiki, meditação, yoga ou outra terapia? Qual é a sua opinião?

 

Todos ;) Sou muito ligada ás terapias alternativas. Só não as faço mais, por flata de disponibilidade de tempo. Mas estão sempre na “to do list”... Acredito nas Energias quase como numa religião e alinhá-las, acalmá-las, evitar as que nos fazem mal, proteger-nos de algumas e ativar outras... é um dos segredos do bem estar. Todas estas práticas, cada uma da sua forma, ajudam nessa busca. A única que me acompanha como estrutura de vida é a Macrobiótica tendo até 2 cursos internacionais desta arte, no meu curriculum...

 

  1. Têm algum ritual anti-stress?

 

Meditação “à minha maneira”. Tenho alguns textos escritos e gravados com a minha voz, no meu telefone. Com música de fundo tranquila e palavras de fé, força, gratidãoo, properidade e amor. Fecho os olhos e centro-me nelas. Ajudamuito.

 

  1. Hoje em dia, reconhece as suas emoções e liberta-as facilmente?

 

Libertar sempre as libertei... sou muito expansiva. No meu caso, tenho encontrado o inverso e isso é que me tem feito bem: o silêncio, os benefícios da solidão, a quietude... estranho para alguém com as minhas profissões tão agitadas e com visibilidade publica falar disso... mas nem tudo o que parece é.. e nós não somos as nossas profissões, somos a nossa história de crescimento e o que vamos fazendo com ela. Encontrar o meu objetivo de vida (também a nível profissional) é o meu foco e para isso preciso de muita conversa... comigo mesma e o meu próprio Universo. Chego-me... amando o que me rodeia. E isso é estar no bom caminho, certo? <3

 

 

  1. Gostaria de deixar uma mensagem de felicidade, bem-estar e de harmonia a todos os nossos leitores?

 

Não acredito no conceito felicidade por si só, é uma “caixa enfeitada” que nos ofereceram na infância ( e na História Universal) e que nos envenena os pequenos e bons momnetos... sempre em busca de algo maior e que pode nunca chegar. Mais vale acreditar, isso sim.. na Harmonia, na Paz e no Bem Estar. Esses sim, podem fazer a diferença entre uma vida em que se sobrevive ( e cada vez há mais razões para isso, eu sei...) e uma em que se Vive com toda a plenitude que isso implica ( momentos maravilhosos e também de tristeza, momentos de vitória e outros de derrota... isso é a vida!)

2 comentários

Comentar post