Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Ser Mãe também é falhar...

 

 

O que vos vou contar hoje, não é feliz.

 

E quem é Mãe de coração, vai perceber a minha tristeza... e deceção comigo própria, apesar de estar a tentar afastar este sentimento...

 

Mas no fundo, ser Mãe é isso mesmo, tentar ser e fazer o melhor.. mas ser humana também. E os humanos (infelizmente) erram..

 

Conto o episódio, porque ao rechear estas páginas virtuais com acontecimentos giros, fotos divertidas e uma aparente vida colorida, não invalida que por vezes, a vida de Mãe trabalhadora, cansada (noites muito mal dormidas afetam-nos de uma forma que nós próprias vamos desvalorizando, até ao dia...), me traga situações de aperto, tristeza, falha. E é bom que conheçam esta vertente da Maternidade também. Nem tudo são "Chálálás"...

 

E foi mesmo isso que hoje aconteceu. Uma falha. Das grandes. Mas que felizmente, depois de "dada a volta", acho que me afetou mais a mim, do que efetivamente, ao próprio Afonso.

 

O que foi, pode parecer coisa pouca, mas é "daquelas" situações simbólicas que eu jurei que nunca aconteceria na minha vida enquanto Mãe próxima e atenta que tenciono ser... que sei que sou.

 

A festa de Natal do Afonso foi o "acontecimento da semana". Ensaios, roupa xpto, e ainda por cima ele era o menino "que não gostava do Natal" e que era convencido pelos outros "anjinhos" a mudar de ideias... Estava sempre em cena e sentia-se muito especial. Esteve em destaque (e pelo que percebi sempre à procura da Mamã no meio do público...)

 

Era hoje a apresentação. Às 17.

 

E eu?... Cheguei às 18h... já tudo tinha acabado e o Afonso estava já, no meio da confusão ao colo do "Papi Gú" a dizer sorridente, mas tristinho: " Mãe, onde estavas? A trabalhar!??"..

 

Eu... só nesse minuto me apercebi do atraso. Só nesse minuto, mesmo. Não sei porquê, mas com a confusão de reuniões, eventos, encontros e afins.. achei mesmo que era às 18h... falhei por uma hora.

 

Sabem o que fiz?.. O meu sorriso desmontou... e fui disfarçadamente até à casa de banho, onde desatei a chorar e a sentir-me a "pior Mãe do mundo"... Eu, a falhar à festinha de Natal do meu filho? Meu Deus, onde anda a minha cabeça?

 

E pronto, é isto. O Afonso depois contou-me tudo. Vi fotos, fingi (obviamente) estar bem com tudo e uma normalidade que tinha que ser. As professoras, tão queridas, deram-me até o texto do teatrinho para eu me inteirar de tudo e até lemos os dois, num cantinho, ajudados por mais uma coleguinha do "Rei Bebé"...

 

No fundo, tudo acabou bem.

 

No fundo, eu não sou mesmo "perfeita", e nunca mais direi que..."comigo nãooo". Tudo pode sempre acontecer e temos depois é que saber gerir esses imprevistos que achamos que "só acontecem aos outros"...

 

No fundo, a lição a tirar deste acontecimento é a de que esta situação toda e, no fundo, esta minha tristeza, aconteceu mais pelo simbólico e representativo da coisa (sempre achei muito desolador os filhotes que não tinham os pais ou mães presentes nestes acontecimentos tão importantes para eles), mas que me alerta para o cansada, esquecida, confusa que ando... 

 

Isto assustou-me. Acho que tenho sempre tudo controlado. E afinal não. Até o fato de me ter derretido em lágrimas escondida na wc...

 

Afinal... vou ter que aperfeiçoar-me como pessoa, Mãe e profissional. Afinal vou ter que ser ainda mais atenta e organizada... Sim.. e talvez tentar descansar um bocadinho de vez em quando ;)

 

E pronto. Foi isto. Não sou pior Mãe pois não?... Estou mesmo desiludida comigo mesma;( 

 

Amanhã será um melhor dia...

 

 

 

 

5 comentários

Comentar post