Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

"NET O MEU GRANDE AMOR" ENTREVISTA RITA FERRO ALVIM






NÃO ACREDITO MESMO QUE NÃO A CONHEÇAM. COMO JORNALISTA, COMO ESCRITORA, COMO BLOGGER, COMO MÃE...

EU, PESSOALMENTE ADORO O SEU SOCORRO SOU MÃE! E ASSUMO QUE, PRINCIPALMENTE A PARTE ESTÉTICA E PLÁSTICA QUE ESCOLHEU PARA O SEU PROJETO, ME ATRAEM ESPECIALMENTE. O GRAFISMO, AS FOTOS, OS DESENHOS DO BLOG... TUDO MUITO BONITO E APETECÍVEL.


TUDO O QUE FAZ TEM COMO INSPIRAÇÃO OS SEUS 2 FILHOS, ALIÁS, COMO QUALQUER MOMMY BLOGGER QUE SE PREZE, NÃO É?

A ENTREVISTA QUE LHE FIZ, SUBINHA MAIS UMA VEZM A MULHER ESPECIAL QUE É... ORA CONFIRAM:









1- O que significa a internet para ti?


Significa muito. Imenso mesmo.
É onde me ligo ao mundo, onde leio, dou e recebo notícias. 
Onde falo com família e amigos emigrados.
Onde dou recados ao meu marido.
Onde entrego o IRS e evito as filas da Segurança Social.
Onde faço toda a vida, desde o banco, à compra de bilhetes, ao instagram. 
Onde tenho um cantinho especial, que é o blog. 
Acho que, hoje em dia, 90% do meu output passa por ali.



2- Quantas horas dedicas por dia à tua página? Tens alguém a trabalhar contigo ou dás "conta do recado" sozinha?


Nada é estipulado no meu blog. Tanto posso demorar duas horas num post, como 5 minutos. Nem ele trava a minha vida, nem eu a dele. A coisa corre bem quando não imponho nada. Se há vida lá fora, ele espera, se não se passa nada, então dedico-lhe mais tempo.
O que não significa mais sucesso. Às vezes, aqueles posts, mais imediatos são os que têm mais visitas, talvez por serem mais sinceros e espontâneos. E outros que dediquei imenso esforço e tempo, são um fiasco.



3- Qual o tema sobre o qual te dedicas? Foi-se alterando, desde que começaste ou manténs-te fiel à ideia inicial?


Ahhh Os meus filhos!!! Começou por ser uma extensão do livro Socorro! Sou mãe... 
As mães começaram a enviar-me emails a agradecer, com mais dúvidas e pedidos e foi uma forma de me aproximar mais. 
Era mais fácil responder-lhes através de posts, do que "fechada" em emails. E depois, mais do que simplesmente informar, passei a partilhar. Um bocadinho da minha vida, a de autora e a familiar.  A coisa foi crescendo.  Comecei a ganhar amigas. E a receber muitos elogios por uma vida simples e frugal que muitos pensavam que não seria bem assim. Acho que mostro a verdade lá de casa que é gostarmos de partilhar momentos juntos. Não é preciso muito. Um jardim, uma praia, um gelado, e a felicidade está feita. Deixou de ser uma coisa talvez mais fria, para uma amizade. Cibernáutica, mas amizade na mesma. Depois comecei a não ter vergonha de dizer que gostava de fotografar. E adoro! Mesmo! Graças a muitos elogios às fotografias que tiro dos meus filhos comecei a arriscar nesta área a deixar de ter vergonha perante os profissionais. É algo em que quero apostar e melhorar. No fundo, foram as leitoras que me atiçaram para ser melhor e a não ter medo de arriscar.



4- De onde surge a tua inspiração para as publicações que fazes?


Das duas coisinhas queridas - e intensas - que andam lá por casa. Do nosso dia-a-dia, peripécias. Das asneiras e das conquistas, mas também do desespero e do cansaço. Acho que o comum na vida de uma mãe. As pessoas revêm-se muito porque não somos só cor-de-rosa. Temos todas as cores do arco-íris. Sim, cinzento também...;)



5- Passas a vida a pensar na página/blog/FB do teu projeto? Ou consegues fazer distinção entre a vida privada e os momentos que lhe dedicas?


É um todo um trabalho que faço dentro de mim... O blog não pode nunca retirar tempo e qualidade à minha família. Isso é ponto assente. 



6- Até que ponto é que deixas que o teu público influencie o teu trabalho?


Quase totalmente. Têm sido as seguidoras do blog, com os seus gostos e  não gostos, comentários, críticas positivas ou não, a delinear o caminho. Percebo que temas gostam de debater, que graças dos meus filhos gostam de ler, que projectos devo ou não abraçar, que programas giros há para famílias, e que valores esperam ali encontrar.
No fundo eu sou eu. Nunca faltei à verdade. E é isso que faz um blog.



7- Por falar em trabalho... o teu blog/página é trabalho ou lazer?


É puro lazer. Mas gostava de um dia viver dele, de livros, de escrita e, quem sabe, da fotografia.



8- Críticas/apoios/histórias ligadas aos mais próximos (marido, filhos, amigos). O que eles acham e como os incluis no teu trabalho? Abres a tua vida privada ao público?


Abro a minha vida só o que quero e posso. Um blog também é isso. Delinear até onde vamos, respeitar quem está à nossa volta. É muito fácil darmos cabo da vida por um blog. Porque o tempo que se perde a contar para fora, não se vive para dentro. Basicamente, como os Japoneses que vêem o mundo atrás da lente...;)



9- O que aprendeste ao longo destes meses/anos (refere por favor há quanto tempo que tens o teu espaço na net) e como te relacionas com o futuro do teu projeto? Até onde queres chegar? Ambições..


Não tenho ambições. Quero escrever, fotografar e guardar estes anos dos meus filhos. Não sei quanto tempo. Pode durar anos ou não. Até eu gostar de o fazer e a minha família também. Ou até outro projecto. Serei sempre verdadeira, isso é obrigatório! Mas sei que haverá sempre uma ligação com as minhas leitoras (e leitores, porque também tenho alguns) que nunca irei perder.



10- Para ti Ser Mulher é...

Das coisas mais bonitas que há. Um privilégio e um potencial de amor, altruísmo e compaixão. 

3 comentários

Comentar post