Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Os Hipopressivos Abdominais



Bem, o prometido é devido...

Parti hoje para uma “aula de hipopressivos” completamente à toa, sem fazer ideia do que eram, mas com uma referência de “é muita bom para a barriguinha pós parto", ou antes para ajudar à inexistência da mesma.

O Miguel do Centro Pré e Pós parto, várias vezes me sublinhou que era uma aula muito importante e tanto insistiu, tanto insistiu que  eu decidi acreditar e conciliar a vidinha para partir rumo a tamanha importância.

Cheguei já atrasada porque foi o primeiro dia que decidi levar a Matilde comigo e stressadinha lá entrei na sala onde outras nove mães estavam sentadas no chão à volta da Tatiana (que para além de ser instrutora também está, curiosamente à espera do primeiro filho, o Tomás...). Stressada e meia desconcentrada, mas só durante uns minutinhos porque mal entrei na “coisa” percebi que gostava do tema e que tudo me fazia sentido.

Falámos de nutrição e mitos alimentares, exercício físico - verdades e mentiras - postura e todos os dramas pós parto que todas estamos neste momento a passar.

Depois, finalmente passámos à famosa hipo... hipo... qualquer coisa... anti depressiva... lol.. Mentira, à ginástica Hipopressiva.

Então o que é este palavrão, que (acredito eu) tanto me vai ajudar a voltar a modelar a minha barriguinha onde já estiveram aconchegados dois bebés, nos últimos 2 anos e meio, significa?




A ginástica abdominal hipopressiva consiste numa classe de ginástica composta por exercícios posturais. As técnicas hipopressivas são baseadas na manutenção de uma determinada postura durante um determinado tempo, provocando de imediato uma queda da pressão intra-abdominal e intra-toráxica e uma modificação do esquema corporal.

Como é realizada?

A GAH é realizada a um ritmo lento de respiração livre, com a manutenção de cada postura durante pelo menos 10 segundos de preferência e em apneia expiratória. 

No caso da barriga, a ideia é deitar todo o ar fora (tapando o nariz) e depois de nos sentirmos “vazias”, e o diaframa ter subido... então encolhemos vigorosamente a barriga. Acreditem que quase fica colada ás costas. É surreal. A ideia base é, não só delinear os abdominais mas, e principamente reduzir o perímetro abdominal que ganhámos durante a gravidez, “afinar” e perder volume, portanto, tão importante nesta fase de pós parto.

Esta combinação de exercícios produz um tipo particular de movimento dos músculos abdominais (conhecido como manobra de aspiração diafragmática) que tem a propriedade de "puxar para cima" a bexiga,  o útero,  os ovários e não interfere com a recuperação do períneo, o que acontece com muitos outros exercícios, nomeadamente os abdominais tradicionais.




Bem, depois de aprender e experimentar (agora a ideia é fazer pelo menos 20 a 30 minutos por dia - e não é preciso ir ao ginásio) vim para casa pequisar sobre o assunto e descobri então as maravilhas da coisa. Cá vão:


Efectividade dos exercícios hipopressivos, segundo investigações científicas:
1. Redução do perímetro da cintura em cerca de 8%
2. Melhora da postura. Num mês diminui-se lordoses lombares (p=99,9%), cervicais (p=99,8%) e hipercifoses dorsais (p=99,5%).
3. Aumento do tónus do pavimento pélvico e da faixa abdominal em 58%.
4. Incremento da força do pavimento pélvico em cerca de 20%.
5. Melhora a resistência em 65%.
6. Aumenta a força explosiva e a capacidade anaeróbia ao elevar o metabolismo em 15%.
7. Melhora as prestações sexuais em mulheres e homens pelo incremento da vascularização no pavimento pélvico.
8. Previne a incontinência urinária.
9. Induz uma correcta distribuição das pressões abdominais.
10. Evita prolapsos.

Benefícios terapêuticos dos exercícios hipopressivos:
  1. Tonificação do pavimento pélvico (sobretudo em mulheres)
  2.  Tonificação da faixa abdominal;
  3. Melhoria na distribuição da pressão abdominal durante o esforço;
  4. Prevenção de lombalgias funcionais;
  5. Prevenção de hérnias discais lombares;
  6. Prevenção de hérnias vaginais;
  7. Prevenção de hérnias abdominais, crurais e inguinais;
  8. Melhoria na vascularização dos membros inferiores e pélvis;
  9. Melhor mobilização metabólica;
  10. Melhoria da sensibilidade sexual (sobretudo em mulheres). 


Posição que facilita conseguir executar o exercício



Um “maravilhoso mundo novo” que hoje descobri, acreditem, e agradeço ao Centro Pré e Pós Parto e em especial à Tatiana Dominguez por isso.

Agora, só depende da minha força e vontade e do meu tempo para por esta teoria que me entrou tão bem em prática.

Que os Deuses das recém mamãs me deêm as forças necessárias. E a vocês também :)

Saibam mais sobre o CPPP aqui :

LINK do CENTRO PRÉ E PÓS PARTO

6 comentários

Comentar post