Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Filhos com idades próximas! Socorro!



Quando a Rita me pediu para escrever como é ser mãe de duas crianças com idades tão próximas pensei: “Se calhar, mais valia ter pedido a alguém que tenha tido gémeos, deve ser quase igual!” mas pensando bem… é muito diferente!!! Não sei se melhor, se pior, mas é com certeza igualmente trabalhoso ;)
Sempre quis ter filhos com idades próximas. Queria que fossem os melhores amigos e para isso as brincadeiras e as vontades deveriam ser parecidas e, nada melhor do que terem pouca diferença de idades, pensei eu.
Acho que fiz muito bem! Eles adoram-se e gostam de estar juntos. Se o Kenzo não está, a Mia pergunta muito por ele, e para ele um pulo dela é o motivo de inúmeras gargalhadas.
Quando saí da maternidade, depois de uma cesariana pois o rapaz estava sentadinho no trono, vinha cheia de dores e os mimos que a minha filhota me pedia doíam ao dar e doíam se não desse… dá para compreender certo?? Mil vezes um parto normal! 
Nessa altura foi um pouco complicado, ter de tratar de duas crianças muito pequenas mas com diferentes necessidades torna-se complicado principalmente no pós parto e na altura da guerra hormonal. Estás numa fase em que necessitas de calma e as birras da tua filha, misturadas com os choros do teu filho deixam te de rastos… rastos em dose dupla! E até tive sorte pois os meus nunca foram muito chorosos comparando com estórias que ouvia por aí…
Depois vêm as papas de um à mesma hora dos cócós do outro… Não sabemos se devemos levar a comida para a casa de banho ou trazer o penico para a sala!  E por coincidência calha sempre á mesma hora!!! O adormecer de um e no minuto seguinte, quando pensavas que te ias sentar um pouco no sofá, o acordar do outro… e agora o banho em dose dupla para não ter de andar atrás do mais pequeno que só quer é andar a passear por todo o lado… Tudo vale, é preciso é descontração ;)
Apesar desta correria, é maravilhoso vê-los crescer com tanto carinho um pelo outro e sinto que realmente a minha aposta foi certa. 
O fato de serem muito pequenos faz com que ambos necessitem constantemente de nós para alguma coisa e o nosso tempo não chega para mais nada. Temos de abdicar das nossas vontades, descansos ou desejos mas agora que ele fez um ano e começa a interagir mais é tudo muito mais calmo e as rotinas já estão tão mecanizadas que às vezes chego ao fim do dia e penso… eu fiz isto tudo hoje???
E quando um vai para casa dos avós? Aí é que tudo parece diferente, tomar conta de um é TÃO FÁCIL! Mas a casa fica vazia...
Amo demais os meus filhos, não abdicaria de um minuto sequer do stress passado pois eles dão-me muitos mais minutos de felicidade. Não consigo descrever como me sinto quando à noite os coloco na minha cama e eles se enroscam um no outro pra dormir agarradinhos antes de os colocar nas suas respetivas camas. É tão bom ver esse carinho! 
Quero dizer às futuras mamãs que esperam o segundo filho e estão em pânico a pensar como vão gerir a sua vida, que somos guerreiras e temos mais força do que pensamos, vamos buscar forças não sei onde nos momentos mais complicados e conseguimos tudo a que nos propomos, e para que isso aconteça basta amarmos. E o amor de um filho é a coisa mais maravilhosa do mundo!
E se ajudar, pensem o mesmo que eu pensei… Ao fim de um ano tudo vai fica diferente e mais calmo! E não é que é verdade!!! Será que está na hora de ir ao TERCEIRO???  ;) 




Por Mónica Sofia - Empresária, modelo, música e... MÃE ;)

2 comentários

Comentar post