Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Amamentar ou não? Claro que sim! Como?


A amamentação deverá ser a forma mais natural de alimentarmos os nossos filhos, afinal somos mamíferos.
O leite materno é um alimento vivo, completo e natural, adequado aos recém-nascidos, é a melhor forma de alimentar as crianças até aos 6 meses de idade. A amamentação tem benefícios para as crianças, as mães, as famílias e a sociedade, essas vantagens são de ordem física, nutricional, imunológica, psicológica, social, económica e ambiental. O leite humano é específico da nossa espécie e, por isso, todos os seus substitutos diferem grandemente dele, o que faz do leite materno o produto de melhor qualidade para alimentar as nossas crianças.
No entanto, o início da amamentação nem sempre é fácil, o que pode desmotivar algumas mães. É um processo de aprendizagem tanto para a mãe como para o bebé. Algumas dificuldades podem surgir no caminho que vamos construindo na amamentação, e muitas vezes, o facto de não se conseguir gerir estas dificuldades poderão levar muitas mães a desistir. Vamos então, dar algumas respostas às dúvidas mais comuns das mães que amamentam.

A via de parto interfere com o início da amamentação?
A via de parto não interfere com o aparecimento do colostro, no entanto, a estimulação é que pode ser mais tardia numa cesariana. Independentemente do tipo de parto, o importante é que o bebé inicie a amamentação o mais precocemente possível, o ideal é este início dar-se na 1ª hora de vida.

Produzimos sempre o mesmo tipo de leite?
Não. Inicialmente produzimos colostro, muito rico em imunoglobulinas (uma espécie de anticorpos naturais), vitamina A, gordura e água, que protege os bebés contra a hipoglicémia e estimula o intestino e o sistema imunitário. Entre o 3º e o 5º dia de vida, dá-se uma transição para o leite de transição, muito calórico e que permite o bebé de recuperar o peso que habitualmente perde nos 1º dias. A partir do 15º dia, surge o leite maduro, que varia ao longo do dia e da mamada.

O que significa amamentação em horário livre?
Horário livre significa que o bebé deve mamar quando necessita e a quantidade que precisa, as imposições de horários raramente funcionam. No entanto, nos primeiros dias, e para que os pais não se sintam perdidos, pode-se considerar um limite mínimo e máximo (2 horas de pausa mínima- indica-nos que a mamada anterior foi suficiente para uma refeição- 4 horas de pausa máxima durante o dia e 5 horas à noite). Ainda assim, deverá ser o bebé a impor o seu intervalo. O tempo de mamada também deverá ser aquele que o bebé quiser. São considerados tempos de pausa o início de uma mamada até ao início da mamada seguinte.

Deve ser dada uma ou duas mamas em cada mamada?
Cada mama produz o leite necessário para uma refeição. Ao fazer-se a alternância das mamas em cada mamada, não é conseguido garantir que o bebé mame todos os componentes existentes no leite (água e açúcar; proteínas e gordura). É, assim, importante que o bebé esvazie completamente uma mama, antes de se passar para a segunda, se o bebé ainda der sinais de fome.


Porque é que nos primeiros dias de vida, o bebé mama durante mais tempo do que após a subida de leite? 
Nos primeiros dias de vida, a mama produz colostro, que é uma substância muito calórica. Alguns dias após a subida de leite (3º- 5º dia de vida), a mama vai produzir outro tipo de leite que vai variando na sua composição ao longo do dia e da mamada. Com o passar do tempo, o bebé também vai ter mais facilidade na realização dos movimentos de sucção e deglutição, pelo que habitualmente, nos primeiros 10 minutos da mamada, o bebé retira cerca de 90% do que necessita para se alimentar. Assim, após a subida de leite, o bebé irá permanecer menos tempo na mama do que nos primeiros dias de vida.

Qual o tempo habitual de que um bebé necessita para mamar?
Um bebé pode permanecer na mama um tempo variável (habitualmente entre 10m a 30m), com as necessárias paragens para respiração ou arrotar. Cada bebé tem o seu próprio ritmo. Bebés que permanecem longos períodos na mama, nem sempre estão a mamar, estão também a satisfazer a necessidade de contacto físico (“mimo”). Aprenda a conhecer o seu bebé e o seu ritmo. A permanência do bebé na mama durante longos períodos de tempo poderá levar à formação de fissuras mamilares, pelo que é muito importante estar atenta aos sinais de boa pega.

O que fazer para estimular os bebés que adormecem à mama?
Os bebés que adormecem com frequência à mama, devem manter-se pouco agasalhados, para que não fiquem demasiado quentes e confortáveis. Palmadinhas no rabinho ou no pé, pequenos toques na orelha, mãos e testa, passar o polegar no dorso; retirar alguma roupa quando muito aquecidos, pode ajudar a estimular o bebé a mamar e a mantê-lo acordado.

Como ter a certeza de que a quantidade de leite produzido é a necessária para o bebé?
Os bebés amamentados integralmente com leite materno, fazem períodos de pausas mais ou menos regulares, com pausas máximas de 4 horas durante o dia e 5 horas à noite, são bebés que interagem com os pais e não se mantêm permanentemente a dormir. Devem fazer pelo menos 5 a 6 xixis e pelo menos 1 cocó por dia, e devem aumentar de peso. Estes são os indicadores de que se encontram bem alimentados e hidratados.

Quais são os sinais que um bebé dá de fome?
O choro é um sinal tardio de fome, devendo iniciar a mamada antes disso. Inicialmente, os bebés ficam agitados, procuram a mama com movimentos da boca e da cabeça e coloca as mãos na boca.

Qual é a melhor posição para pôr o bebé a “arrotar” após a mamada?
Nem todos os bebés arrotam após a mamada. Se fizerem uma boa pega e não engolirem ar, não vão precisar de arrotar. No entanto, após o bebé mamar podem elevá-lo aproximadamente por 5 min (à noite, p. ex. se o bebé mama e fica tranquilo após a mamada, deixem-no dormir e descansem também; se precisar arrotar, ele vai dar-vos sinal, fica desconfortável e começa a chorar, nessa altura se o elevarem ele arrota). Não existe uma posição melhor que outras, poderá ser sentado ao colo, com as costas viradas para a barriga dos pais ou utilizar-se a posição mais tradicional, com o bebé levantado, barriga com barriga com a cabeça apoiada no ombro dos pais.

Como gerir a subida de leite?
Algumas estratégias poderão ser facilitadoras do descongestionamento da mama: a aplicação de calor antes e de frio após a mamada, a massagem durante a aplicação do calor e durante o tempo de mamada e a mudança de posições do bebé enquanto amamenta poderão facilitar os sintomas mais desagradáveis.

Como cuidar da mama?
Após a mamada, o melhor protetor que poderá usar é o seu leite, que deve ser colocado no mamilo e secar ao ar. Este leite final é rico em imunoglobulina e gordura, que funciona como emoliente e protetor das infeções.

A bomba para extração de leite é um elemento indispensável?
A bomba de extracção não é um elemento que deva ser comprado antes do nascimento do bebé, pois poderá não ser necessária. A bomba poderá ser uma ajuda na gestão da subida de leite e também um bom auxílio para as mães que queiram fazer uma reserva de leite para mais tarde, ou que pretendam retirar leite quando regressarem ao trabalho.

Que tipo de bomba escolher: manual ou eléctrica?
Se o tipo de utilização da bomba for para um uso continuado, a eléctrica poderá ser a melhor opção.

Por: Enf.ª Isabel Carvalho
Hospital Beatriz Rebelo e Centro Pré e Pós Parto de Lisboa

4 comentários

Comentar post