Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Passatempo Showroomprive / Barriga Mendinha para o dia da Mãe

IMG-20160420-WA0000.jpg

 

Como as minhas amigas sabem ( não devem saber vocês outra coisa...), o dia da mãe está a chegar e  o Showroomprive.pt  pediu me (e ainda bem!) para ser uma das bloggers mamãs de Portugal a representar esta campanha, uma ação especial para um dia especia: o nosso! 

 

 Ora bem, e o que temos para vocês? O maravilhoso 9 Mother´s Kit que conta com: uma T-shirt #WonderMother; um  Shopping bag #WonderMother e um  Sticker “Baby on board”. E atenção: Dá para grávidas, e mamãs Super-Mulheres. Todas vão adorar!

1.jpeg2.jpeg

E como?

Todos/as os/as participantes têm que  se registar na página www.showroomprive.pt  ( e tem que ser mesmo neste link, que é o do passatempo ligado ai meu blog!) como condição de participação no passatempo e pedimos ainda dois grandas Like nas Páginas de facebook , um da minha Barriga Mendinha e outro no da marca Showroomprive.

 

Os vencedores serão  escolhidos por mim, via Random.org, acho que ja conhecem o processo, é uma forma aliatória e documentada de escolha dos participantes. ( e sim.. shiuuuu.. os pais ou filhos também podem participar para ofercer à mamã maravilha lá de casa ;))...

3.jpeg

Os/as vencedores/as serão anunciados no dia 1 de maio de 2016, ou seja: no próximo Domingo!

 

 E falo "nos vencedores/as" porque o passatempo terá 4 vencedores Weeeee!!!! E o prémio é um mother kit tão giro tão giro, que tambem pedi um para mim mesma. 

 

6.jpeg

 

Aproveito para dar a dica, que acho que também vão gostar: durante o Dia da Mãe em Showroomprive.pt utilizando o código MOTHERS, poderão desfrutar de 15% de desconto em todas as vossas compras, sem um importe mínimo. É um presente para todas as nossas digital mum ;) Que tal??

Não se esqueçam e aproveite, para fazer compras on line, de grandes marcas, a preços mais do que convidativos. 

 

720X120_PT.jpg

 

E para quem não conhece o conceito, fica a explicação desta "pequena grande maravilha da net":

 

O Showroomprive.pt é um site Internet de vendas privadas que organiza para os respetivos membros vendas exclusivas, limitadas no tempo, de produtos de grandes marcas que beneficiam de grandes descontos (-50% a -70%) relativamente aos preços praticados nas lojas.

Estas vendas estão relacionadas com pronto-a-vestir de homem, mulher e criança, acessórios de moda (lenços, lingerie, collants, etc...), produtos cosméticos, roupas e equipamentos da casa e muitas outras categorias como brinquedos, decoração...

Os membros recebem regularmente por e-mail convites em pré-estreia das vendas exclusivas: podem comprar diretamente no site, sem se deslocarem, produtos de marcas prestigiantes a preços que podem ir até -70%.  

 

 

 

 

 

Vergonha alheia... das Mulheres que criticam mulheres...

so-existem-tres-maneiras.jpg 

E esta heim?? Não aprovei estes comments no meu perfil ( estão já aqui abaixo, no post) por serem tão feios e tão má onda, mas ainda lhes estou a dar mais importância ao colocá-los num post. É assim. Sou coração e não razão, já se sabe...Mas dou-lhes esta "importância" por não ser de enfiar a carapuça que não me serve, por saber exatamente quem sou, e ter orgulho na forma como consigo gerir vida de mãe, vida de mulher, momentos de lazer, momentos de trabalho e momentos de muito e constante cuidado com os meus. Dou-lhes este tempo de antent porque não sou "mariquinhas" e para ver se elas têm vergonha na cara, ah e já agora porque não tenho amas, nannies, empregadas, ( e que mal teria se as tivesse, that's the question...) nem sou desleixada, má mãe, mentirosa ou cínica... hummm... e porque haveria esta gente de pensar isso, perguntam vocês e pergunto eu? Talvez porque tenho uma vida pública, sou dj, apresentadora e blogger... Será mesmo isso, suas cabeças ocas? Será mesmo esse o triste e estúpido preconceito? Ou será porque me conhecem e à minha vida e rotinas de "Mãe extremosa fingida" e têm por isso imenssssoooo a dizer sobre a minha conduta?

 

Mulheres que criticam mulheres... que horror, até me causam arrepios... Das piores tristezas "da espécie"... Incomodam-me mesmo a existência destas "dedo duro", gente de mal com a vida, que quer ser o que não consegue  (ou não compreende) e por isso... ataca!... Infelizmente há muitas (demais..) criaturas dessas por aí, que em vez de tentarem trazer algo bacano a este mundo e fazer algo simpático da vida, só sabem criticar.... principalente a outra mulher, que é alvo fácil e a abater.

 

Se trabalhas e tens filhos ( pior... se tens um trabalho fora do comum como eu tenho, é porque não fazes nada da vida e vives de futilidades) .. sim, se entregas os filhos de manhã no infantário porque  tens que trabalhar e ganhar dinheiro para que a tua família tenha uma vida confortável... é porque não lhes dás atenção, mas por outro lado... se estás em casa 100% dedicada aos miúdoss, é porque és uma beta, uma dondoca, uma ricalhaça sem interesses, preocupações realistas ou neurónios. Se és mãe solteira é porque és uma triste e acabada, se tens filhos de vários pais porque tiveste tomates para terminar relações disfuncionais é porque és "doidivanas" e promíscua, se falas abertamente das precipécias da Maternidade (e graças a Deus há tantas! ;)), é porque não gostas da tua condição de Mãe, se mostras roupas e afins tuas e das criancinhas é porque só pensas em trapos, se tens Ama é porque não te interessas pelos filhos, se não tens e só ligas aos mesmos, és uma mulhar desleixada que deixa de pensar que é Mulher, para além de mãe... e por aí fora. Triste ver esta estirpe crítica e que ainda por cima não sabe fundamentar. Porque no fundo, não tem como.

 

  • Comentário no post Transe-mommy

    A Rita sabe mesmo encarnar na personagem, só que não.... a sua vida não e assim.

    catia (IP: 92.250.122.220) a 21 de Abril 2016, 11:32
  • <input ... >

    Comentário no post Transe-mommy

    A serio querida? Parece q nao gosta da sua condicao de mae, sim, da trabalho, mas pelo vistos e tao egoista que so quer pensar em si e nos seus cremes... Se nao quer trabalho entregue os seus filhos a uma ama e va busca-los quando eles forem adultos. ...

    Boneca (IP: 84.91.57.115) a 21 de Abril 2016, 21:53
  • <input ... >

    Comentário no post Transe-mommy

    Nao tens nada na cabeca....

    Boneca (IP: 84.91.57.115) a 21 de Abril 2016, 21:54

 

E pronto, queridas caras Cátia e Boneca, (talvez até a mesma pessoa camuflada em nomes fictícios), sabem que mais? Este postal é para vocês. E encarrega-vos de decifar a "complicada mensagem" : "Não faça nada, não diga nada, não seja nada".. e assim... nada de críticas. Boa? Nop... thats not me...

 

O "trabalho" que aqui faço no blog é mesmo esse, o que vocês apontam de forma super desagradável e infundada: sim, é Fazer, Falar e Ser. Temos pena ... é falar de coisas sentimentalistas e fortes, é queixar-me ( e Ser) de coração cheio, é escrever sobre Amor e sobre cansaço ( só uma pateta achará que isso é incompatível), é sentir-me próxima dos problemas, questões, acontecimentos das mães que me lêem,  é dizer e abordar os meus erros ( e assumir que os tenho graças a Deus, por isso me tornar completamente... tipo...humana) e também , claro, os meus orgulhos (quando consigo fazer das tripas coração para conciliar com coerência todas as pontas da minha vida), é ter os meus filhos como centro de tudo isto... ahh... e sim... também como mulher vaidosa, cheirosa e (felizmente) até com uns dias felizes de futilidade... falar de cremes, roupas, tendências, eventos (e aqui entre nós.. devo ser das bloggers que menos o faz pá... deviam mesmo informar-se antes de falar do que não sabem). 

 

Et Voilá! Era só isso, queridas invejosas. Ser feliz, não é necessáriamente estar sempre a fazer vénias à vida.. é dar-lhe a volta da maneira mais educada possível, para que ela nos continue a brindar com momentos maravilhosos e gratos. Alguns. Porque os chatos, também existem e é tão libertador poder falar deles minhas senhoras!

 

Beijinho no ombro meninas! Ah... os próximos posts vão abordar provavelmente ( porque como faço isto ao sabor do tempo que vou tendo, das minhas emoções e obviamente dos meus compromisso nunca sei bem qual é o tema do dia seguinte) cremes, roupas e passatempos! Não vejam, credo! Que mãe horrorosa que gosta dessa coisas... Blhacckkk de mulherzinha....

f08a6d6d5eb82f7a425298434c91034a.jpg

 

 

 

 

 

Transe-mommy

Hoje aconteceu-me de novo.

 

Desde que os vou buscar até que os adormeço ( humm... entre as 17.30, 18 e as dez da noite, vá, umas 4 horas e meia "non stop") parece que entro em transe, que fico literalmente hipnotizada. As tarefas, as birras, as negociações, os mimos, os pedidos de atenção, os banhos, as refeições, o arrumar as compras, o estar atenta às asneiras e cabrioloces, os ciúmes de irmãos, as mãozinhas prontas a agarrar tudo o que lhes é "proibido". Sim, é isso... deixo de existir enquanto ser pensante e passo a ser Mãe e dona de casa a 100... desculpem a 200%. Totalmente "out", embregada nos minutos que passam a correr, mas que, no final, me deixam como se tivesse corrido a maratona. E é assim todo o santo dia.

 

Hoje dei por mim, a teorizar sobre isso, assim num espécie de flash racional... em que voltei, nem sei bem porquê, a ser a Rita "Eu", por uns segundos e em que me apercebi que andava tipo formiguinha pela casa (que ainda por cima é muito maior do que a minha antiga, por isso tenho que andar também o dobro do tempo a arrumar brinquedos, buscar roupas, ligar e desligar o bico do fogão, abrir e fechar a água do banho, arrumar os bibes, ligar a tv da sala e desligar a da cozinha...).

 

Há pouco, eles adormeceram e eu "voltei a mim". Consegui ir colocar os meus cremes da noite, secar o cabelo, pôr o telemóvel , que teve quase 5 horas desligado, a carregar e... voltar a olhar para o facebook e restantes redes sociais lol... 

 

Pensei na Rita-Mãe de há uns minutos atrás e tentei analisar como estava o meu cérebro vazio de tudo, que não eles e as tarefas incansáveis há um bocadinho atrás. E apeteceu-me perguntar.... se somos todas assim? Eu acho que sim, sinceramente. Que independentemente de sermos profissionais ou donas de casa, novinhas ou mais "cotas", intelectuais ou "desinteressadas"... todas, depois de virarem "Mães de família" ( seja que tipo de família fôr) têm nos filhos e nos deveres rotineiros que com eles se identificam, uma espécie de momentos hipnóticos em que ficam assim que umas "máquinas multitasking". Tudo dentro das suas portas, entre quatro paredes, sem ninguém para assistir, aplaudir, considerar... ser algo tão estranho, tão intenso, tão perfeito, tão inato, tão selvagem. Nós  e as nossas crias. Nós e o nosso ninho. Nós e o nosso mundo.

 

Somos não somos? Mesmo umas Super Mulheres, em estado hipnótico ;)

65c0569b77efc989451d9b8fa62250e4.jpg

 

 

 

A vida que tem de ser

12592533_954145931321771_7980236584178602684_n.jpg

Nem sempre somos o que queremos. Fortes constantes, coerentes. E nem sempre o que sabemos que  "a vida que tem de ser"... nos faz sentir bem.

 

E apesar de saber que é suposto e tal e tal...o meu coração não anda a conseguir lidar com a ausência do "filho do pai separado". Pronto, tenho dito. Ando mesmo a sofrer com isso, anda-me a fugir pelas mãos (tanto o filho, como a situação) e  tenho andado a sofrer em silêncio. E não se pode fazer basicamente nada.  Pronto. A não ser... escrever um texto como este para ver se alivia e se encontro "cúmplices" neste sentir.

 

Tem a ver com a minha vida, com a minha rotina, com o fato de eu estar a voltar a estar muito fora aos fins de semana e ele estar com o pai de 15 em 15 dias. Tem a ver com o fato de muitos dos que "me calham" ele acabar por ficar com a avó ( adora, atenção e é até muito saudável mas.. mas.. eu não estou presente...), porque eu estou de viagem a tocar. Não é algo que consiga prever. Muitas vezes, as datas surgem 2 ou 3 semanas antes, outras até menos e já há coisas combinadas do outro lado, perfeitamente legítimo. 

 

E depois vêm-me todos dizer: mas olha, não fiques assim, ele está contigo durante a semana, aproveita sem stress..". Sim, está... mas durante a semana há a escolinha, as atividades, eu sempre cheia de afazeres, o restaurante, sinto que é "acordá-los, arranjá-los, deixá-los... passar o dia, apanhá-los, arranjá-los, deitá-los...". Preciso de manhãs de ronha com ele, de ficar 48 horas dedicadas ao meu caracolinho. Preciso de o sentir perto sem estarmos sempre de horas marcadas para tudo... Preciso da minha Luz. Do meu Luz. Sinto-me apagada sem ele.

12068675_947365305333167_5932295601821965655_o.jpg

 Existe ainda outra coisa e que tem a ver com uma sensação de injustiça, perante a minha permanência com a  irmã, uma espécie de desiquilibrio no meu "estar" com cada um deles, com quem eu sinto e sei ( eu sei. Ele, acho que ainda não equacionou isso) que estou muito mais tempo. Algo inevitavel, porque ela "é permanente". Não há pais separados e está sempre "deste lado". Ok, ok, continuo a ir para fora, trabalhar, continuo a não estar todos os fins de semana, mas estou muitos outros estou presente. E só as duas, sem mano. Umas vezes com o pai, outras com ele a trabalhar no restaurante e noutros trabalhos, por isso, também muitas vezes só mesmo as duas. A criar laços que sinto que me estão a começar a falhar com o mais velho.

 

Não posso, nem quero, no fundo, fazer nada.  Porque não posso nem quero deixar de trabalhar ( nos meus horários irregulares...) porque ele não pode deixar de ir para a escola para estar comigo (já o cheguei a fazer uma ou duas vezes, mas como acho que as rotinas são importantes de manter, tento não o fazer muito), porque o pai e a família dele têm tanto direito de usufruir de tempo de lazer com ele como "os de cá". Mas quero, aqui, deixar que sinto e fazê-lo sem pudores, porque acredito que haja muita mãe separada que se passe por esta dor inevitável de quem sente que se lhes é arrancando um pedaço de si, ao perceberem que as contingências da vida, as fazem afastar de quem mais amam. Mais ainda... para quem, tem filhos de pais diferentes e passa a vida a tentar perceber se dá a um o que dá ao outro, que tenta compensar mas também não sabe bem como, que sofre porque a família nem sempre está completa...

 10306742_946845065385191_5031752307499645321_n.jpg

A outra pirralha também se queixa de saudades, quando o irmão não está. Principalmente quando está na rotina caseira e comigo. Chega a ordenar-me : "Vai buscar Axonxo Mãe! Vai!".. e a mãe: " Ó filha, não posso, ele está no pai João... ;("... Mas depois... ele surge e as saudades passam a ciúme e embirrice e ele, que é um doce, acaba por ser quase ostracizado por ela, que se passa cada vez que me chego a ele e ele a mim. Faz jogos de birras, afasta-nos, chega a dizer " A mae é shó mia!!" e no fundo, até deve acreditar nisso, porque me teve dois dias inteiros só para ela. A enroscar-se em mim, a brincar com ela sem outro foco de atenção a distrair-nos, a dormir num determinado sítio na minha cama... que depois... o mano chega e.... também quer! No fundo, acaba por não ser culpada deste "marcar de território", o que ainda é mais difícil de gerir, porque não a quero assim.... mas percebo o porquÇe de estar assim...

 

Sinto que "a vida que tem de ser"... nos está a afastar ao ponto de ele um destes fins de semana me dizer. "Ó mãe, mas hoje não há escola?"... " Não filho! É sábado!!"  E ele: " Mas os sabados e os dias sem escola não são na casa do pai? ".... ;( 

 

E pronto... sem mais que dizer, contar, queixar, choramingar, teorizar, só agradeço poder partilhar ( e espero que sem dedos apontados ou críticas) este sentimento com tantas mães ( e sim, porque não pais) que vivam algo parecido.. um misto de culpa ( sem haver culpa nenhuma), tristeza, impotência e medo de estar a errar na educação emocional destes dois pequenos seres ( ada um por razões diferentes) e ... saudades constantes de uma realidade que está longe de ser aquela que eu sonhava quando quis ser mãe. 

 1689238_954147504654947_5269504848409330338_n.jpg

Sabem que mais? Cada momento tem que ser aproveitado, saboreado à séria. Porque o tempo é tão curto e passa tão rápido... Porque ao não nos conseguirmos duplicar, não podemos chegar a tudo o que queremos e ao não chegar a tudo o que queremos.... a nossa felicidade vai sendo vivida às fatias. E como seres insatisfeitos que somos...normalmente parece-nos sempre, que à fatia que temos no prato, falta sempre algum ingrediente extra. E para mim... impossível na permanência, mas maravilhoso quando acontece... as minhas duas fatias juntas (de seu nome "meus doces filhos") completam aí sim, o bolo mais saboroso do mundo!

 

Ai, ser mãe é mesmo ter o coração ( muitas vezes a doer) fora do corpo... Porra!!

 

As respostas a todas as perguntas sobre a minha dieta...

Hoje é dia de voltar a falar da dieta. Quem me acompanha sabe que a Dieta Pronokal tem sido a minha companheira nos últimos meses. E agora que já passaram 4 meses desde o seu início e 8 quilos de lombo ( e rabo e barriga e afins tambem lol) é hora de responder de uma forma informal a questões que e têm colocado tanto nos  meus Facebooks, como no meu Instagram acerca de todo este processo. 

IMG_20160316_130006.jpg

 Quem quiser reler exatamente sobre o método, entender o o processo, as refeições... e ver fotos minhas do "antes e depois" podem passar: Aqui, aqui e aqui.

 

E depois de todos esses pormenores, ora vamos lá responder a tanta dúvida e confusão que por aí pairou durante estes meses. As principais questões serão agora respondidas aqui pela magraaaaa ;) E por ordem de interesse desmonstrado ou devido à quantidade de vezes repetidas. Ora bem:

 

1- A dieta é muito cara?

 

Percebe-se que seja das maiores preocupações, numa época em que "tudo é tão caro" e em que o nível de vida tem vindo a descer. No entanto, não se pode dar um valor certo, só uma ideia de que cada refeição ficará à volta de 3 euros e pouco e que, numa fase inicial ( 1, 2 meses) temos que comer 5 vezes. Com essa base, torna-se fácil fazer contas, mas percebam também, que dependendo do peso a perder, pode-se, por exemplo, logo na segunda ou terceira semana, se tudo estiver a correr nos "trinques", começar a consumir menos produtos da marca, introduzindo elementos da nossa "alimentação normal". Façam também contas ao fato, muito importante de que... enquanto só comem o que a Pronokal "deixa", as contas do supermercado , dos restaurantes, do café... quase desaparecem, por isso até pode compensar para aquelas pessoas que consomem atualmente muitos produtos na rua ou compram muitas mercearias.

 

2- Quanto tempo se tem que fazer?

 

Depende mesmo. Mas podemos encontrar aqui uma lógica. Se eu perdi 8 quilos em menos de dois meses... Agora... atenção, cada caso é um caso e por isso é que somos sempre acompanhados pelos nutricionistas do método e pelo nosso médico. Como a ideia desta "dieta" é entrar num estado de cedose ( em que não temos nem açúcar nem hidratos no organismo e depois, os vamos reentroduzindo pouco a pouco) a primeira fase é a mais "dura", rígida e dispendiosa. E é aqui que se perde a maior parte do peso, depois vai sendo mais gradual e menos galopante... 

O Método divide-se em três etapas: Ativa, Adaptação Fisiológica e Manutenção. Eu, já estou na manutenção... mas já "cavalguei" muito até aqui... só eu que sei ;)

Ahhh e uma das coisas que mais gostei em todo este processo, foi saber que tinha sempre periodicamente (normalmente de 15 em 15 dias) que me "apresentar" e mostrar resultados. Comigo essa "obrigatoriedade" funciona. Assim sentia, não só que tinha que "cumprir" , como me esforçava para que não me "dessem na cabeça"...

IMG_20160329_201032.jpg

IMG_20160330_131951.jpg

 3- É preciso fazer exercício físico?

 

Pertinente esta questão, porque... sim, para quem deseja resultados duradouros e sérios, claro que o exercício é essencial, mas atenção!...Não na primeira fase. De todo! O nosso organismo está fraco, mais do que o normal, e apesar de termos feitos análises (sabendo que está tudo normal, ou não teriamos começado a dieta), apesar de estarmos a tomar suplementação, apesar de estarmos a comer de 3 em 3 horas... apesar disso tudo, o corpo está a habituar-se à Cedose e, não tendo açucar e hidratos, recorre às reservas de gordura para funcionar (e assim as queima, certo?).

Resumindo... mesmo quem está a habituada a "malhar", tem mesmo que abrandar o ritmo. Pode-se, por exemplo, fazer caminhadas na primeira fase e alguns exercícios muito soft encontrados no site da Pronokal. Mas... não estranhem, ok? Porque conforme a nossa alimentação vai normalizando... sim... exercício, exercício, exercício. De forma gradual, até encontrar o que mais gostamos e com o que nos sentimos melhor. Aqui em Lisboa, no espaço de assistência presencial da Pronokal, na Av. República, existem sempre personal trainners que, com hora marcada antecipadamente, nos ajudam a encontrar o que podemos fazer em cada fase, nos ensinam exercícios... é top!

IMG_20160401_162142.jpg

IMG_20160330_113453.jpg

4- Porque é que vejo tantos comprimidos nas fotos?

 

Não são "comprimidos" grrrr..... são suplementos alimentares. Sódio, Potássio, Vitaminas, Magnésio, Cálcio, Omega 3 e 6... tudo o que ao suprimir alguns alimentos da nossa dieta diária, podemos  estar a não dar em quantidade suficiente ao nosso corpo. E aqui entre nós, olhem que muito do sucesso da dieta tem a ver com a suplementação bem tomada, a horas certas e sem grandes esquecimentos. Não é muito fácil, não é, assumo, mesmo para mim que já estava habituada a fazê-lo (eu sou um bocadinho "suplement freak" ). Por isso, arranjei uma caixinha com compartimentos onde os coloquei com uma espécie de calendário com as horas e quantidades. E assim lá me fui habituando. Até porque mesmo agora, já com a minha alimentação a normalizar, ainda os continuo a tomar, em menor quantidade é certo, mas contínuo...

IMG_20160325_140132.jpg

 5- Quanto peso se perde?

 

Essa é a pergunta que todas/os querem ver respondida... E claro que a resposta é... "Depende! Queriam respostas incentivadoras?? Humm... mas olhem que as há, anyway...

Este é um "depende" com estatísticas. Segundo o estudo Pronokal, a perda de peso que se consegue após 15 dias é de 5,31 kg frente aos 2,34 da dieta hipocalórica e, após 2 meses, essa perda é quase três vezes maior (13,69 kg vs 4,88 kg).

A duração do tratamento depende da quantidade de quilos que o paciente necessita perder. Embora possamos assegurar que a perda é muito mais rápida do que em outras dietas e que se perde localmente onde mais se tem gordura.

Por isso, é esperar que o nosso organismo reaja bem a todos estes estímulos muito bem sedimentados e estudados.

 

6- Como se pode começar a fazer a dieta? 

 

O primeiro passo é contactar a marca e os seus especialistas ( Aqui, podem encontrar um formulário e também aquele número de telefone que tantas vezes publiquei: 707 78 82 10). O passo seguinte será combinarem com um médico ou médica de clinica geral da vossa área para seguirem com a primeira consulta. E só ele ou ela irá prescrever a primeira encomenda. Sim, porque aqui, só podemos ir buscar comidinha com ordem médica, ah pois é!

IMG_20160305_112026.jpg

 7- Depois de se acabar pode-se engordar?

 

Desde o início e até dois anos depois de finalizar o tratamento, o paciente recebe o apoio e o assessoramento da equipa de profissionais da PronoKal®: nutricionistas, técnicos em atividade física e especialistas em coaching (reforço emocional), o que é, acreditem, fundamental e algo, que a maioria de outras dietas conhecidas não tem. Mas claro está... como com qualquer outra dieta, depois da "ordem de soltura" fica nas nossas mãos. A ideia, é no entanto, que os pacientes tenham, ao longo deste tempo, ganho outros hábitos alimentares, que se tenham reeducado e saibam agora que tudo depende do equilibrio. Que não faz mal se fizermos uma ou outra asneira, se depois compensarmos, no dia seguinte com uma alimentação clean. No meu caso, estes meses, ajudaram-me e estimularam-me a procurar receitas saudáveis, alimentos alternativos, conhecer mais sobre nutrição e.... ir aplicando tudo isso no meu dia a dia.

IMG_20160314_204749.jpg

 8- Achas mesmo que precisavas da Pronokal para fazer dieta? Não conseguias só com força de vontade?

 

Epa...conseguir tudo se consegue... ou não... senão não andaria há quase dois anos a acumular peso que não " me assistia" aqui no corpinho... Há quem consiga, sim, não digo que não. E há quem o faça com muito cuidado e muita cabeça, principalmente se for acompanhada por especialistas como nutricionistas, naturopatas... mas como a maioria que  faz dietas não vai, de todo, por esse caminho... não deixa de ser um perigo. Procurar dietas na net ou em livros, ou fazer a dieta da amiga da amiga pode ser um enorme erro. Sequelas para a saúde, situações "Yo-yo" ( engorda-emagrece...) e muitas vezes... mesmo com restrições... não conseguir emangrecer e ir perdendo, por isso o ânimo, voltando rápidamente ao mesmo "vício da comida". 

A verdade é que o fato de vermos o peso e o corpo a mudar num curto período de tempo, nos oferece o ânimo e a auto-estima que precisamos para ir, mesmo depois da fase mais restritiva do método, mantendo um equilibrio, para "não estragar" o que já foi tão orgulhosamente alcançado.

Sim. Eu sei que para mim, este "empurrãozinho" da Pronokal foi mesmo essencial em todo este meu processo de reencontrar um corpo e um peso saudável. Mas não... milagres não existem (ou se existirem, acredito que tenham outras tarefas pendentes;)).. e agora... volta a estar nas minhas mãos. Wish me luck!!