Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Final do Zuper Model KidZania e oferta de bilhetes para o espetáculo ;)

 

Está a chegar ao fim o Zuper Model KidZania, cuja iniciativa pretende eleger o casal de Modelos do Ano da KidZania.

 

E a Dj Mendinha vai lá estar... e vocês podem ganhar 4 bilhetes para assistir a todo este espetáculo (  façam aqui no blog um comentário que inclua Mini Modelos, KidZania e Barriga Mendinha) e usufruir deste espaço tão especial que é a KidZania. Por isso, mas não só... vou contar-vos tudo tudo, já a seguir...

               

Na última fase do Zuper Model KidZania, que contou com mais de 400 participações e já passou pelas fases de castings e semifinal, os vinte

finalistas apresentar-se-ão no dia 4 de outubro, na Praça Central da KidZania, às 16h30, e uma rapariga e um rapaz serão eleitos os Modelos do

Ano da KidZania. 

 

Vai ser a loucura,essa é que é essa, porque para além dos meninos e das meninas presentes, ainda vai haver uma "panóplia" de gente envolvida bem conhecida do grande público... e prémios "muita" bons. Ora vejam só:

 

Como júri da final do Zuper Model KidZania estarão presentes a atriz Sofia Espírito Santo, a apresentadora Andreia Rodrigues, a manequim Carla

Matadinho, o ator Miguel Costa e os fotógrafos Rosa Vilas e Carlos Vilas, para que, com base em critérios como performance, apresentação, postura,

atitude, capacidade de improviso e espontaneidade possam determinar os dois vencedores.

               

A final da Zuper Model contará ainda com a atuação dos concorrentes do Concurso de Talentos KidZania 2014, a música do desfile está a cargo de .... Tcahn tcham tchan tcahn...Rita Mendes como Dj Mendinha (conhecem?!::) , e com os apresentadores da True Sparkle, Inês Conde e Henrique Mello.

               

O par vencedor receberá como prémios finais, a oferta de um Passe Anual para a KidZania, o agenciamento por parte da True Sparkle – Agência de Jovens Talentos, um Dolce Card Dolce Vita e um Book Fotográfico Rosa Vilas | Carlos Vilas Fotografia e muitas prendinhas... Xiiii.. tanta coisa...

 

E pronto. É isto!! Querem ir assistir ao vivo?

É já este fim de semana...

Parcticipem o quanto antes (aceito frases até 5a feira, dia 2 e na 6a, divulgo a família vencedora ;))

 

 Beijinhos e divirtam-se. Sempre!

 

 

 

Alma Gémea

O Afonso passou hoje o dia comigo.

 

Um dia só nosso. Não fizémos nenhum programa especial, apenas usufruímos um do outro, assim, num dia normal, caseiro, de bairro.

 

Ele pode acordar mais tarde e sentiu-se todo "promovido" porque a mana foi para a escolinha e ele não (de fez em quando passo tempo só com um deles, acho importante sentirem essa atenção de Mamã de vez em quando, sem ser dividida com o outro mano).

 

Fizémos torradas como ele gosta, passeámos no parquinho atrás de casa, fomos ao supermercado e deixei-o enroscar-se no cestinho pequeno, o que o deixou divertidíssimo. Fizémos desenhos, vimos bonecos na tv.. estivémos na ronha.

 

A certa altura, já a tarde ia alta, diz-me ele, carinhoso:

 

"Ó Mãe, quero ficar contigo para sempre.."

 

Eu: "Para sempre? Ou sempre meu amor?"

 

Ele: "Para sempre. Quero ficar contigo agora, depois quando for crescido, e quando for velhinho e depois quando morrer, tá bem?"

 

Eu... disfarcei a conversa. Quando morrer?? Fogo, ele já pensa nisso, questionei-me...

 

Ele: " Quando morrer podemos ficar juntos?"

 

Eu: " Sim, vamos s os dois juntos para as estrelinhas, boa?" ( nessa altura, acreditem que tive que conter umas lágrimas que me deram um daqueles nós na garganta que nem vale a pena explicar, porque todas sabemos o que é...)

 

Ele: " Tá bem Mãe, mas então temos que ir de mão dada que é para não irmos enganados, eu para uma Estrela e tu para outra..."

 

"Sim filho, sim, imagina o que seria... está combinado!"

          

 

Ai, meu Deus, acho que ainda não tinha sido assim confrontada com a mortalidade, desde que sou Mãe. Nem tempo para pensar em coisas metafísicas tenho, acho que é por isso... Mas hoje, a minha pequena migalha de gente, da forma mais natural do mundo, fez o favor de me oferecer esse pensamento...

 

E pronto... agora vou ter que passar o resto da vida a tentar descobrir a quem terei que meter "a cunha" para que não se engane nas Estrelas para que nos enviará um dia... É que é mesmo bom que seja a mesma, senão lá terei eu que mover os Céus para mudar esse destino enganado.

 

Sim, porque eu e o meu filho (nesta vida), somos mesmo feitos para estar juntos. Cada dia que passa, tenho mais certezas que as nossas almas tinham mesmo que se encontrar e caminhar juntas. Agora, em crescidos, em velhinhos... e um dia, a passear pelas estrelas. 

 

E é a isto que  eu chamo de Alma Gémea. Não há mesmo volta a dar... Concordam? 

Yoggi tea detox

Bom dia!

 

Ainda na temática Detox...muita gente me perguntou qual a infusão/chá de que se fala no livro.

Eu encontrei no Celeiro, mas sei que também há na Brio, no Terra Pura e outros...


Acabei de preparar um litro e meio do tal Chá detox maravilhoso de que vos falei, para beber durante o dia.  E acreitem que é tão bom que nem senti necessidade de adoçar...Fica a dica.

"we are what we think" and... what we eat and drink ***

Yoggi Tea biológico ayurvédico com especiarias e gengibre. hummm....

 

 

 

Como uma menina de 4 anos pode ser modelo, artista e designer de moda...

 

Há menos de um ano, Angie notou que a filha, Mayhem, se interessava um pouco mais por moda do que seria de esperar de alguém com quatro anos. E revelava um talento especial, sempre que se agarrava algumas das roupas que a mãe comprava: criava os seus pequenos, e na época modestos, acessórios de papel.

 

Dos lenços e cachecóis, Mayhem foi desafiada pela mãe a passar para os vestidos. E se o primeiro encantava pelo esforço da pequena estilista, hoje os vestidos revelam uma complexidade bem maior.

 

Angie garante, em entrevista ao Huffington Post: “as ideias são praticamente divididas 50/50, mas a Mayhem constrói muito mais do que a maioria das pessoas provavelmente imagina. Essa é uma das melhores coisas deste projeto, eu vejo a sua evolução e novas habilidades a cada dia”.

 

A mãe diz que Mahyem sabe exatamente quantas folhas de papel precisa para construir uma blusa, por exemplo. E que consegue juntar tudo e criar um projeto sozinha. “Definitivamente, os projetos mais complexos têm mais do meu tempo investido, mas ela está, literalmente, sempre ao meu lado, a aprender algo novo, quando não está rasgando ou colando coisas”.

 

Além das habilidades enquanto fashionista, Mahyem pode ser ainda, pela aparência encantadora, menina-modelo do seu próprio projeto. O primeiro vestido era assim:

MayhemDresses0

E isso foi o que se seguiu:

MayhemDresses1

MayhemDresses2

MayhemDresses3

MayhemDresses4

MayhemDresses5

MayhemDresses6

MayhemDresses7

MayhemDresses8

MayhemDresses9

MayhemDresses10

MayhemDresses11

Além disso, Mayhem ainda se inspira em celebridades pra produzir outros vestidos:

MayhemDressesCele1

MayhemDressesCele2

MayhemDressesCele3

MayhemDressesCele4

MayhemDressesCele5

MayhemDressesCele6

MayhemDressesCele7

Você pode ver mais trabalhos desta mini artista no Instagram da mãe, onde tudo começou.

todas as fotos © @2sisters_angie

Fonte: hypeness.com

Detox ou não detox: o resumo e resultados da minha dieta de sumos verdes

A promessa será então cumprida...Qual? A de vos contar como correu, sem falinhas mansas, o famoso detox que comecei há mais ou menos duas semanas (vejam aqui os pormenores sobre o que me propus a fazer...) 

 

Ora então, cá vai:

 

Haviam duas opções, a do Detox Total (em que eu beberia sumos de fruta e legumes em quantidade suficiente e não faria refeições "normais") ou o detox parcial ( em que, para além dos pequenos snack entre sumos, que se podem e devem também petiscar na sugestão anterior, se almoçava ou jantava de forma leve).

 Comecei, como todas começamos empre as dietas. Cheiaaaa de certeza de que sim, que ia ter a força suficiente para fazer o Detox total. Tudo no livro e explicações da nutricionista J.J. Smith me pareciam perfeitas e faziam sentido. E pronto... era para mim.

 

Primeiros 3 dias... Sofriiii... sofri horrores, garanto-vos. Mas, no fundo, tinha mesmo que ser assim. A ideia base deste regime era maioritáriamente limpar o organismo dos alimentos tóxicos, nocivos que nos últimos tempos (e que largos tempos...) eu tinha ingerido (carnes, fritos, doces, bebidas açucaradas e bebidas alcoólicas... tudo o que entrou.. tinha que sair lol). E lá acabou por correr bem. 

Nos primeiros dias, andei mais irritadiça, doia-me a cabeça, só pensava em "comida do demo" loll.... mas consegui controlar-me. Porquê? Por duas razões: porque segui à risca as quantidades e ingredientes sugeridos no livro que comprei e também a ingestão de um ovo cozido por dia e frutos secos, sempre que sentia fome... mesmo assim.. sonhava com leitão assado.. com batatas fritas... com bolas de berlim!!! Ai, como foi difícil... mas o esforço compensou. Os primeiros 3 dias... depois, comecei a descambar... não muito, atenção.. mas a verdade é que lá se foi o "Total" ao fim do 4º dia...

 Pois... ao 4º dia, a rotina que até aí tinha sido "certinha direitinha" ( tipo acordar às 7.30, fazer o dia por Lisboa, entre casa, reuniões e meninos e adormecer lá para as 23h) virou desnorteada. Fui tocar para a Figueira da Foz. Fiquei num hotel maravilhoso, com um restaurante com comida maravilhosa, com o bar onde toquei, com um gin maravilhoso e... com um pequeno almoço ainda mais apetitoso do que tudo o resto junto)... Ai... deitei-me tarde, a fome apertou mais, despendi muita energia.. e pronto, foi o descalabro!! Atenção, não o descalabro, no sentido de exagerar, nada disso, mas petisquei, depeniquei um bocadinho de sopa e de arroz de polvo, depois à noite bebi um (juro que só 1) Gin "Vine", o meu favorito, e no dia seguinte uma torradita e uns queijos e frutas, Nada demais... mas lá se foi assim o detox Completo ;)

 Ah, mas.... mesmo assim, fui de viagem munida de uma pequena lancheira (ai que gozada que fui lol) com 3 termus cheiinhos do smothie do dia e andei a beber na viagem, no bar,no quarto de hotel...( graças a Deus que o Hotel tinha mini-frigorífico).

 

Bem, para não me alongar muito... no dia seguinte, volta da Figueira, chegada a Lisboa, buscar o pesado material técnico de dj, ir montá-lo à loja onde toquei na noite da Vogue Fashion Night Out e... depois... tocar 5 horas de seguida, non stop. Pois.. vai daí, que lá para as 6 da tarde, cega de fome fui beber uma limonadacons una amigos e acabei por comer uma salada de gambas com nozes (menos mal, não acham?)... Ah... e não resisti a um café... ( supostamente há que cortá-los).

 

 

Siga para bingo... depois de alguns remorsos ( queria mesmo muito fazer isto certinho), deixei de me culpabilizar e decidi então fazer "isto" a meio gás. Os restantes dias, continaram a ser regados a muito sumo verde ( fiz sempre as receitas certinhas do livro, porque a sua conjugação de nutrientes está mesmo muito bem elaborada) mas... comecei a fazer uma refeição leve à noite, ou ao almoço, conforme a minha vida mo permitia.

 

Opá, comecei a aaceitar que se a minha vida é  assim tão "sem rotina" (um dia acordo às 7 da manhã , outro estou a deitar-me quase a essa hora...), como raio iria o meu organismo conseguir cumprir os horários, os intervalos entre as refeições (os sumos e snacks neste caso)... não cumpri à risca,não... mas depois de passada a culpa, sinceramente até acho que foi melhor assim.

 

No fundo andei a fazer uma espécie de "reeducação alimentar". Cada vez mais me apetece comer saudável, cada vez mais estou a pesquisar sobre conjugação de frutas e legumes. Ah... e continuo a beber os meus 2 litros de água, chá detox ou ambos, por dia.

 

 

Voltei já à "normalidade", mas o que me ficou desta dieta, é que, sem fundamentalismos (uma vez ou outra apetece-me a bela torrada com a meia de leite), passei a comecar o meu dia com um grande sumo super nutritivo e muitas vezes a levá- lo como almoço. Além disso, a última vez que fui ao supermercado fartei-me de comprar cereaais integrais, sementes, verdes biológicos... enfim, mais coisas que fazem bem, do que mal.. e só por esta mudança e vontade, estes dias valeram não acham?

 

Ah!! O essencial!

O peso, não é minhas caras/os senhoras/es?  O peso? 

Ansiosas/os por saber quantos quilos perdi?

 

Ora, em 10 dias de semi e "mal amanhado" detox perdi 1 kilo e meio e sinto-me muito menos inchada e barriguda. Não me medi na altura, mas sei mesmo que perdi alguns centimetros à volta da cintura. 

 

Pronto e é isto. Queria ter perdido mais... mas sabes que mais!? Agora que vou arrancar com o ginásio em Outubro... ninguém me vai apanhar! lol

Quem está comigo heim?

Haja pachorra!

               

Hoje quero falar-vos de algo que já ando para abordar há uns largos meses. As birras. O mau génio. Os caprichos. Uff... a loucura que às vezes, é para as Mães e Pais  para gerir estas fases (sim, esperamos sempre que sejam fases).

 

Acho que, no fundo, não o tinho feito ainda, porque como não é um tema lá muito feliz e que como me tem feito a "cabeça em água", tinha quase a sensação de que se não o exteriorizasse aqui... a questão desapareceria assim como por magia...Pronto tinham sido uns "episódios e tal e agora já estava tudo ok de novo.

 

Mas, pronto, cá estou eu, porque.. passados uns bons mesinhos da personalidade vincada e "tortinha" da Matilde Estrela se ter começado a desenvolver ...  consigo escrever finalmente sobre a questão... mas porque até aqui não tinha muito o que dizer a não ser que andava desesperada com ela. Agora faço-o, porque estou mais calma e calejada com o assunto.. Que remédio lol...

 

Com todo este discurso aqui exposto, até parece que estou a criar um ser perigoso, monstruoso, impossívelde aturar.. nada disso tadinha, não exageremos, ok?...Mas que às vezes não há paciência... não há mesmo..

 

O que se passa então aqui por casa e imagino que em tantas outras? Tenho como filha uma princesa linda de quase 2 anos, querida, meiguinha, espertalhona.. mas muito teimosa, exigente para com os pais, ciúmenta com o irmão, cheia de amuos e... caprichosa até à última. E gerir isso, como é, como tem sido? Esta é a questão que trago hoje. Aliás, a que tenho levantado estes últimos meses e tentando como posso, gerir da melhor maneira. Principalmente por ser uma "novidade" nestas bandas. O irmão, claro que não é um santo, longe disso (e agora a entrar nos 4 anos está na idade dos "porquês" e dos "nãos"... ui ui), mas mesmo assim, nunca foi nem metade do "birras" que ela é. E por isso que tudo isto tem sido novo nesta família.

 

Antes de escrever este texto, pensei bastante em como fazê-lo, até porque ao longo deste tempo, já falei com amigas psicólogas infantis, já li uma série de literatura (uma mais idónea que outra) e  acabei por passar os olhos por uns quantos textos "pi-pis" e muito facilitistas em blogs e publicações on-line ligados à maternidade que,se numa primeira fase me encantaram ,depois me deixaram os nervos ainda mais em franja...

               

Textos que têm títulos como "as 15 maneiras de lidar com as birras deles", "Truques para lidar com crianças difíceis", " A psicologia dos ataques de choro", "crianças manipuladoras".. Grrr... só me confundiam ainda mais. E sabem porquê? Porque estas bloggers, estes jornalistas, estes doutores... parece que são detentores de receitas mágicas que se podem resumir nuns quantos ítens, agrupar dentro de um número certo de carateres, e depois de lê-los, a sensação com que ficava era a de que, ao tentar colocar alguns em prática... e mesmo assim falhando, muitas das vezes.. ao invès de me sentir melhor, acontecia o oposto. Acabava por sentir um enorme fracasso.. e, claro está... um cansaço cada vez maior e maior. Então se é assim tão "fácil", se tudo cabe num artigo ou numa ou duas páginas, então se eu tento fazer tudo certo certinho, porque raio não funciona cá em casa? Porque continua ela a gritar, a acordar durante a noite e a chorar durante 1 hora e meia e nos leva ao todos os pontos da casa para tentar perceber o que quer, a não obedecer quando lhe peço que apanhe algo ou que me dê algo, ou que largue algo..

 

Vai daí, que o que me apeteceu escrever não foi nada disso.Dar dicas ou conselhos não era para mim. Até porque também eu os procurei (e procuro), porque cada criança é uma criança, tem uma história, uma família, regras diferentes. Que me desculpem-me os pediatras e pedagogos, mas o que me dizem a mim como Mãe não deve ser dito à Joana, à Patrícia, à Mariana, à Andreia... que também têm passado noites sem dormir, que têm levado cuspidelas, beliscões ou palmadas dos seus bebés (apesar de lhes tentar transmitir que "não se bate"), que tentam educar da melhor maneira as suas crias e que mesmo assim ouvem gente a comentar entredentes na caixa dp supermercado: "Que mal educada é esta criança.." enquanto o nosso rebento espereneia e se atira para o chão porque quer agarrar nas bolachas de chocolate que a mãe não deixa, porque já comeu doces demais nesse dia...

                

O que me apeteceu escrever, então, foi uma espécie de texto de partilha e comunhão. Sim, é isso mesmo, um texto que ajudasse a apaziguar as Mães que como eu, e dentro das suas limitações (sim, porque por melhores que queiramos ser, todas cometemos erros, temos dias menos bons e... não, não somos nem temos que ser perfeitas), tentam fazer tudo certo para que os seus filhos sejam felizes,  contentes com a própria existência, entusiastas com a vida e... calminhos e educados... Para já, há que pensar que como "o nosso" há muitos, depois que "poder ser uma fase" e por fim que a forma de lidar e "levar" cada bebé ou miúdo a fazer o que queremos, não se pode generalizar. 

 

Enquanto para um, um berro de autoridade pode funcionar, para outro, ainda o pode colocar mais nervoso, no meio de uma birra. Por outro lado, há crianças que precisam de entender os "porquês" e necessitam que conversemos com elas, outras são exatamente o oposto, quanto mais falamos "na boa", mais parece que  gozam connosco e nos querem testar até ao limite... Enfim... o que interessa aqui, é que cada caso é um caso. Ajuda partilhar experiências, sim senhora... ajuda e conforta, conseguirmos falar com Mamãs que também têm um "birrinhas" em casa, para que não sintamos coisas como:  " que vergonha... os outros não são assim...". São sim! Muitos são assim.. e  não adianta invadir o nosso espírito preocupado com imagens de Mães, casas e filhos perfeitos, que não sujam, que não desarrumam, que não gritam, ideias que nos são transmitidas nesses tais textos "chapa 5" cheios de dicas infalíveis para que os nossos filhos se comportem de vez.. Isso  nunca vai existir, minhas amigas aiiiiiii.. e sabem porquê? Porque acaba uma fase... e começa outra... E pimba, lá vamos nós de novo!!

               

Durante estes "longos" 4 anos, desde o meu nascimento como Mãe (altura em que o Afonso veio ao mundo)... este meu convívio intenso com estes dois maravilhosos Seres que são os meus filhos, tem-me ensinado que como estas pequenas criaturas, ao partilhar da minha vida de uma maneira tão completa, me fizeram evoluir e mudar de opiniões a cada mês que passava (aquele pensamento clichet: "ai e tal...  o meu filho há de  ver tv às refeições!!" Está bem está...ou.. "Nunca entendi as mães que dizem  ficar e aliviadas quando eles forem  vão fazer ó-ó..." Entendo e bm ;)).

 

Desde que os "dramas Matildenos" começaram e depois de esgotadas muitas estratégias ca´em casa, ouvidas mil (e irritantes) opiniões.. finalmente tenho sentido mudanças positivas no seu comportamento. Já percebi que ela é "torta" por natureza, como boa Escorpião que é... mas sinto-a muito menos exigente, mal criada... parva, portanto ;)

 

E porquê? Pois, a questão é essa... não existem bem "porquês" nem "comos". A única forma de lidar com isto sem flipar, tem sido ser paciente, insistente, compreensiva, equilibrada.... mesmo quando me apetece a mim.... desquilibrar e passar-me. Atenção que quando falo de ter pacência e compreensão, nada invalida uma voz autoritária ou uma palmada de vez em quando... refiro-me mais à calma como nós, Mães, nos vamos apercebendo que só conhecendo e estando muito atenta à criança,  aos seus hábitos, receios e personalidade  os conseguimos "levar"... Ah, e com o ascréscimo de que temos que ter a noção que de um dia para a noite "tudo pode mudar", todas as reações e formas de estar, podem parecer as de outro bebé... pelo menos comigo tem sido assim. Um dia algo a incomoda e grita até mais não, outro dia a mesmo situação será vivida na boa e sem grandes dramas...E pronto... lá temos nós, "mães à beira de um ataque de nervos" que nos adaptar e tentar perceber o que às vezes nem é bem para ser compreendido...

 

Tenho a sorte de ter dois filhos saudáveis, lindos e bem rodeados e de viver com a possibilidade de lhes oferecer umas simpáticas condições de vida. Por isso, agora o resto do "livro" irá ser  escrito baseado na história do meu apoio no seu caminho, dentro deste contexto positivo, e na forma  como eles, os meus filhos, encontraram para se tornarem Pessoas, não só Gente.. 

               

No fundo, percebem onde quero chegar? As birras podem efetivamente ser um filme, podem sim senhora (e eu que o diga que quando vivo estes momentos tensos quase me passo por dentro) mas por favor Mãessss... não matem a cabeça com culpabilizações, com clichets, com opiniões de Avós, Tias, amigas com filhos direitinhos, limpinhos e bem educadinhos de capa de revista (sabem que muitas vezes, nem mesmo as amigas mais próximas nos contam as más educações doa filhos quando lhes perguntamos...parece que cai mal)...

 

Vivam um dia de cada vez, tentem perceber as "vossas" razões e ir atuando de acordo com elas (falta de atenção, má energia à volta da criança, ciúmes, medos, pura personalidade), ter estofo para aturar (Ser Mãe é isso mesmo lol) e minimizar as situações. Eu, por exemplo, cada vez mais sinto que quanto menos importância dou às birras, menos ela as vai fazendo...

 

Beijos a todas e Mães e Pais com filhos birrentos mas que vocês amam como ninguém. E votos de pachorra, pachorra e mais... pachorra. No fundo e para resumir isto tudo, acho que a chave  para ultrapassar, conseguir educar e fazer crescer filhos porreiros são estes 3 pontos. E chega. Não acham?

A alimentação em idade escolar

 

E já que estamos a começar um novo ano, vamos começar bem não acham?

 

A alimentação é, e acho que não restam dúvidas, a base da construção, crescimento e manutenção do organismo.

Comer é essencial à vida. Se comemos mal, funcionamos mal. É na infância que se dá a aquisição e consolidação

de hábitos alimentares. Aquilo que as crianças comem durante o seu crescimento e a maturação biológica, assume

uma enorme importância para a sua saúde e bem-estar, bem como para os adultos que eles virão a ser. Durante a

infância, a alimentação equilibrada potencia a capacidade para estudar e aprender, comunicar, pensar e imaginar,

ou seja, tem uma influência positiva no desenvolvimento emocional, intelectual e social. Fisicamente, aumenta a

capacidade de defesa contra as doenças, promove um crescimento saudável, dá energia e dinamismo físico.

A responsabilidade na educação alimentar é dos pais, dos familiares e da escola...afinal são estes são os modelos

diários, que acabam por ser seguidos, imitados e incutidos. Deixemo-nos de comodismos e facilitismos! Há muito

trabalho a fazer!

               

Deixo-vos aqui as dicas fundamentais que devem seguir...

 

• A roda dos alimentos, 100% criação portuguesa, é um guia óptimo para indicar o caminho certo! Sigam a

roda dos alimentos!

 

• Todas as refeições têm a sua importância ao longo do dia, mas o pequeno-almoço é uma refeição

imprescindível, particularmente em idade escolar, para ajudar na concentração, na promoção de um

comportamento tranquilo e na melhoria de variáveis psicomotoras, nomeadamente ao nível do movimento

e precisão de gestos. A omissão desta refeição pode estar relacionada com a diminuição da capacidade

intelectual, qualidade geral do trabalho, sonolência e fadiga. Não tomar o pequeno-almoço também

implica uma menor ingestão de vitaminas e minerais e consequentemente uma maior ingestão de gorduras

saturadas, e está relacionado com o aparecimento de cáries dentárias, problemas intestinais e os problemas

de sono. O pequeno-almoço deve ser composto por leite ou um substituto deste, fruta e pão ou cereais.

 

• De uma forma geral, a alimentação diária deve incluir cereais e derivados, leite ou substitutos deste,

produtos hortícolas e sopa de legumes (ao almoço e ao jantar), mais peixe do que carne, e 3 a 5 peças de

fruta.

 

• As horas de refeição devem ser momentos de partilha e de convívio! Conversar e saborear, sentados à mesa,

sem pressas! Mas é importante que estabelecer regras e horários.

 

• Coma e incentive o consumo de sopa em casa. Na escola deverão ser as auxiliares, professores ou dietistas

de serviço a fazer essa sensibilização na hora da refeição.

 

• Nunca use a comida como prémio: “se te portares bem, dou-te um doce!”

 

• As crianças devem ser incluídas aos processos de manipulação e confecção dos alimentos, ou seja... devem

pôr a mão na massa! Partilhe os cozinhados com o seu filho sempre que for possível!

 

• A ingestão de doces e comida “fast- food” deve ser esporádica. São prejudiciais se consumidos

frequentemente...se gosta do seu filho, não abuse nem o deixe abusar destes alimentos!

 

• Planeie, antecipadamente, com o seu filho o lanche a levar para a escola. Este deve ser composto por

iogurtes, leite, sumos de fruta pontualmente, fruta, pão com compota, queijo, fiambre, queijo fundido,

etc. Não inclua bolachas com creme, batatas fritas, refrigerantes, bolos, chocolates, croissants entre outros

alimentos pouco saudáveis no lanche do seu filho.

 

• A água está no centro da roda dos alimentos! É vital! Habitue os filhotes a levar sempre uma água na

mochila!

 

• Normalmente as crianças rejeitam alimentos que desconhecem. A introdução de alimentos novos deve ser

feita calma e gradualmente; Nunca desista e dê o exemplo!

 

• As crianças devem aprender a desfrutar da actividade física, devem aprender, antes de mais, a brincar!

Reduza o tempo “não-activo” dispendido com a televisão e jogos de computador.

 

Nunca é demais lembrar que a obesidade é uma doença e atinge cada vez mais a população infantil. Uma criança

obesa ou com uma alimentação errada, será certamente um adolescente e adulto com problemas de saúde. No

futuro terá mais probabilidades de sofrer de patologias cardiovasculares, diabetes tipo II, colesterol elevado e

hipertensão, sem esquecer os distúrbios da personalidade, decorrentes do estigma de ser gordo.

Então...vamos a isto?

Paparazzi de "coisas boas"

E por falar em regresso às aulas...

 

Fomos apanhados pela Revista Nova Gente, na rotina de regresso à escolinha..

 

Nem todos os paparrazis são de coisas más, sombrias e escondidas... este, mostra a minha vida,  a parte simples e saborosa, a minha Luz e a minha Estrela e o meu cuidado por eles.


Os meus super meninos ainda muito ensonados mas compenetrados nas suas tarefas...e a mamã a dar muito mimo antes de os deixar na escolinha, com coraçãozinho apertado mas muito orgulhosa nos seus rebentos...


E assim vai a nossa vida... (pormenores sobre o nosso dia a dia, muito em breve. As/os minhas/meus seguidoras/res do blog merecem ;))

 

               

Fim de tarde a calçar pés e sorrisos ;)

Ontem o nosso fim de tarde foi para conhecer esta loja queridíssima. Fui buscar os babies Cada um à sua escolinha e fomos os 3 numa "romaria 2 em 1" até ao Centro comercial Amoreiras conhecer os Pés de Cereja.

 

Para a Mamã Mendinha, a perdição a ver "pézinhos" lindos para eles e para o Luz e a Estrela, um fim de tarde giríssimo, entre pinturas e brincadeiras com os filhotes de outras Mommy Bloggers como eu!

 

Os sapatos que trouxe?? Uns carneira giro e portugueses que vos mostrarei quando os pestinhas os calçarem com uma toilette bem gira.

 

Para já fica a dica. O espaço é super bonito e as coleções escolhidas são de morrer... ah e last but not the least, fica naquele que continua a ser o meu shopping preferido.

 

As fotos, com aquele olho clínico de sempre, são do Pau Storch e os sorrisos, a satisfação, o sono, as birras, os desenhos e os dedos de conversa.. são... créditos nossos, da família Mendinha e restantes intervinientes.

 

Boa sorte Pés de Cereja (só o nome é de morrer...). Que nos andem a calçar por muito tempo ;)

 

 

               

               

               

               

               

 

Mamã Rita: vestida por Tendências Clothes.

                  botas Lemon Jelly para Gardénia

Afonso: vestido por Metro Kids

Matilde: vestida por Bonaire

 

Os animais merecem o melhor que as nossas famílias têm...

Domingo passado foi um dia diferente para muita gente. Gente que normalmente tem a semana cheia de afazeres e para quem o fim de semana costuma ser sagrado.. e decidiu passá-lo assim. A fotografar com animais que vivem numa instituição, esperando ser adotados. Porque o assunto nos sensibiliza mesmo..

 

A associação beneficiada, quem são e o que fazem?

A Associação Movimento Movido a 4 Patas é um Movimento que ajuda outras associações e familias carenciadas pelo país fora, famílias que não conseguem tratar dos seus animais, devido a situações de pobreza ou doença. As maiores preocupações baseiam-se na alimentação, principalmente dos cães, e nos cuidados veterinários, essencialmente nos tratamentos dos animais com doenças crónicas e nas suas esterilizações e castrações.

 

No fundo esta campanha foi a tentativa de acabar com os animais "fantasma" das associações. Dar-lhes caras. Ou antes... focinhos ;) e nomes, e personalidades. Cada animal é um animal, com a sua própria história e caminho (os seis que apareceçam no domingo vieram da Azambuja.. da Associação Abrigo que alberga 140 animais imaginem...)

 

As fotos feitas pela fantástica Tânia Neves são estas.

Os animais, escolhidos para representar tantos outros nas mesmas condições são estes. Uns já foram adotados. Outros ainda procuram um dono.

 

 

A minha família (Hugo, Matilde Estrela, Afonso Luz, a mana Mariana e o cunhado Bernardo) com a Kika e as duas Ninas 

 

A Kika, a cadela que me apaixonou (Ai meu Deus, não fosse a vida de viagens constantes que faço.. e tinha-a trazido connosco...)

 

 O ator Ricardo Carriço com a linda cadela Flor

 

 A atriz Sofia Ribeiro adorou o galgo Nico

 

O Chefe de cozinha Victor Hugo com a Mina e a Nina

 

A Laya, o Guigui e o ator e empresário Pedro Martin

 

 O manequim Pedro Guedes, a filhota Gabriela e a layla, que entretanto já encontrou uma casa nova!

 

O Xuxú fou adotado depois desta foto com o Ricardo Guedes

 

 

Beijinhos.... e bem haja quem ajuda estes e outros animais.

Grata por fazer parte deta campanha <3 è nestas alturas que é bom ser figura pública...

Pág. 1/2