Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Barriga Mendinha

Barriga Mendinha

Como te apresentarei o Mundo...


Vou tentar apresentar-te os seres humanos. Até porque tu vais ser um também. Já te se formam não só a cabeça, o tronco e os membros, mas também o coração - não só o que bombeia sangue mas o que sente, e também a cabeça – não só a que pensa mas a que discorre. Pelo menos assim o espero. Pelo menos esses serão o essencial dos essenciais a transmitir-te.  E o resto virá por acréscimo. Sim, porque se essas premissas estiverem ambas presentes, acredito que tudo o resto fluirá como o leito de um rio em fundo macio.
A falar-te baixinho tão baixinho, quase como em segredo, sendo o único som o teclado do computador e a forma das letras  que vão nascendo nesta conversa que agora inicio contigo. Tens tu agora poucos meses de vida, e daquela vida silenciosa, dentro de mim ainda, protegido/a do mundo cá fora. Quero te perceber ainda sem tu próprio/a perceberes o que quer que seja. Quero que me percebas tu a mim agora de forma instintiva, mais tarde, com a ajuda da rotina e ligação que entre nós vai crescer, mas porque não também através destas palavras que agora vou fazendo aparecer e que um dia mais tarde te podem vir a aproximar de mim e a perceber quem sou. E quem fui, enquanto te formavas Ser, menino/a, homem/mulher dentro e fora de mim.
Mostrar-te-ei que não há razão para temer os sentimentos. Os sorrisos ou as lágrimas. Os considerados bons e os apontados como maus. São eles que nos ensinam quem somos e são eles que nos hão-de ir direccionando para o nosso caminho. Esses, os que vivem assim, são os  que tem coragem de ser quem são e isso, para  mim é o mais maravilhoso acto e coragem nos dias que correm. Ser sempre o que esperam de nós, não só se torna a longo prazo muito enfadonho, como nos faz sentir uma estagnação no próprio pulsar da vida.
As lágrimas são o supremo sorriso. Quem não as entende é porque esconde a alma atrás dos olhos. 
Vou-te apresentar as Artes que nos animam a existência, a música que nos embala, estimula, excita, acalma ou nos faz entrar em estado de transe e satisfação mental e espiritual plena. Vou-te apresentar o Planeta, que tão em risco nos vai apelando ao seu socorro e que todos devemos, mesmo com cerimónia, tratar por Tu. Vou-te apresentar as pessoas e as estratégias mais ou menos falhadas para que consigas sobreviver neste mar de gente sôfrega de sucesso, bem estar e egocentrismo. Vou tentar ajudar-te a encontrar o atalho de chegares às que seguem outro caminho. Vou torcer para que faças bons amigos e que aproveites todas as coisas boas da vida. E convivas bem com as más, que essas também existem para nos fazer crescer.
Vou-te deixar Ser mas também amparar e encaminhar. Vou ser Mãe. E tudo o que isso é. Sem se escrever, teorizar, perspectivar ou adivinhar. Ser Mãe é sentir. E toda eu... sou ramificações nervosas de ti e para ti. Toda eu sou Tu. E assim será até nasceres e "te fazeres à Vida".

Por: Rita Mendes ("A" mamã)

Ser Avó

Ser Avó é mesmo ser Avó e não “Mãe Duas Vezes”. Não há disso. Mãe só se é uma vez, para cada Filho/a. Que é Único, uma Obra-prima que veio de dentro de si. A quem exigimos tudo em nome de não hipotecarem o Futuro à sombra do que, na nossa opinião, não fazem no Presente. Em suma, somos os Guardiães da sua Felicidade. E quando esta falha sofremos de morrer, só de vê-los sofrer.
Ser Avó é olhar com orgulho para este “produto” maravilhoso dos nossos Filhos. Olhar com calma e em êxtase! Para os olhos, tão bem delineados e para aquelas rugazinhas tão expressivas, para as mãos, as unhas minúsculas…À espera que, apesar não nos terem acompanhado 9 meses no ventre, nos reconheçam como sua pertença, seu porto de abrigo, sua Família, enfim! E insistimos no ensinamento de palavras novas, com o VóVó misturado, como que da repetição, mais rapidamente consigamos ouvir a magia daquele chamamento.
E esse milagre perante os nossos olhos, a entrar casa dentro, permite-nos acreditar no sentido da Vida, em que nesta fase, eles são a nossa estória de encantar. Nós, que lhes contamos as mesmas de há séculos, mas adaptadas aos dias de hoje, talvez poupando-os aos grandes traumas, como o Bambi a ver a mãe a ser abatida, a avó do Capuchinho Vermelho a ser comida pelo Lobo Mau, a Branca de Neve a comer uma maçã envenenada pela bruxa má ou a Cinderela a ser maltratada pelas gananciosas manas e madrasta…
Aquece-nos o coração a pele macia dos nossos meninos/meninas, ver nascer os raciocínios, as perguntas, vê-los brincar e sentirem-se já donos do sítio dos brinquedos, na casa dos Avós. E arrumar depois! 
Acredito que podemos com o nosso exemplo e ensinamentos ajudar os nossos Filhos a educar os nossos Netos. Não creio no paradigma de que a educação é para os Pais promoverem e a nós, Avós, cabe dar guloseimas e fazer todas as vontades. Acho mesmo que nos devemos redimir dos erros de excesso de liberdades e de facilidades que tenhamos dado aos pais deles. Mea culpa!  
Somos a rede, os pára-quedas. Estamos prontos para os deixar voar, sem os deixar cair, na má-criação, na desarrumação, na falta de respeito. E eles agradecem. Agradecem sobretudo a consistência, a determinação! 


E é assim porque tanto os amamos. 


TEXTO: Clara Petra Viana



O quartinho do meu baby ;)


Depois de saber da minha gravidez, um turbilhão de pensamentos passa por mim e com calma relaxo e vou resolvendo-os um a um. Mas não consigo deixar de pensar:
“O que seria um quarto de sonho para o meu bébé?” O que eu gostava mesmo era um quarto que se adaptasse ao seu crescimento com harmonia, cor alegre e com muito e muito amor…
Se for menino vamos escolher o azul, se for menina será rosa!
Agora já não precisamos de escolher só essas cores. Existe uma paleta enorme de cores que podemos escolher para que aquele quarto que estamos a idealizar seja lindo desde que eles saem da nossa barriguinha até à adolescência!
O importante é termos tudo o que necessitamos ao nascer. Um cadeirão bem confortável para amamentar, uma muda fraldas com a altura ideal, uma caminha deliciosa para aqueles soninhos, um roupeiro para colocar toda a roupinha bem arrumadinha, uma luz não muito forte para que o ambiente seja uma continuação de bem estar da barriguinha da mãe.
Ao crescer e perto dos 2 anos sente-se a necessidade de lhe dar mais espaço para correr e saltar.
As cores já podem ser outras e porque não ser a nossa criança a escolhê-las, assim como a nova caminha. Sim, eles já sabem o que gostam e o que querem.
Se for menina vai escolher uma decoração de princesas, se for menino de carros. Geralmente é sempre assim, isto porque somos nós que os ensinamos a gostar destes temas!
Felizmente já podemos personalizar de outra forma os quartinhos, com uma parede bem colorida, na outra uma fotografia bem grande que faz logo a diferença num quarto.
Uma cama com qualidade e bem confortável vai dar até ao final da sua adolescência.

Colocar um edredon que faça conjunto com os cortinados e o candeeiro de tecto e tudo fica diferente, para que eles se sintam bem no seu espaço!
Eles vão crescendo mas também vão aumentando os seus brinquedos e livros. É importante que tudo esteja organizado e tenhamos uma estante para que eles saibam desde pequeninos organizar as suas próprias coisas.
Passando alguns anos e para nós mães já se torna mais fácil tudo isto. Não podemos deixar para trás a altura da escola, quando pela primeira vez vão ter de encarar os livros e as canetas com outra responsabilidade e aí sim, temos que ter em atenção a secretária que vamos escolher para eles, com arrumação e uma altura ideal para que se sintam bem a fazer todos os trabalhos.
Onde encontrar tanta imaginação?


Por: Susana Andrade
"Loja das Crianças"
Morada:
Quinta da Parreirinha
Rua D. Manuel I, 34-B
2695-445 Bobadela
A 5m do Parque das Nações 
Telf: 21 800 69 20 
Fax: 30 971 93 89
Tlm: 93 71 47 391 / 96 15 17 116
Email: geral@lojadascriancas.com.pt
Site: www.lojadascriancas.com.pt